Será Que Podemos Realmente Confiar no Value Investing?

podemos confiar no value investing?

Se eu fosse resumir em uma frase por que o Value Investing faz sentido eu diria que é porque, na maioria das vezes, o mercado não faz.

Talvez isso possa parecer confuso, mas se você já estudou um pouco sobre finanças comportamentais deve ter entendido onde quero chegar.

Por muito tempo, acreditou-se que os mercados são eficientes (aliás, muitos investidores ainda acreditam).

Ou seja, que o atual preço de uma ação sempre irá refletir o quanto ela, de fato, vale, e que é impossível superar o mercado comprando ações subavaliadas para vendê-las com boa margem de lucro mais adiante – afinal, ele, o mercado, é infalível.

Os adeptos da hipótese dos mercados eficientes acreditam que a única forma de obter maiores retornos é partir para investimentos mais arriscados.

No entanto, os maiores investidores de todos os tempos já provaram, por meio do Value Investing, que isso está longe de ser verdade.

Fosse a hipótese dos mercados eficientes verdadeira, eu não estaria aqui escrevendo este artigo – e você, tampouco, estaria lendo.

Você se lembra do Senhor Mercado? Aquela figura imprevisível, que às vezes é super otimista, confiante e generosa, e outras é carrancuda, negativa e sente prazer em sugar seus sócios – no caso você, eu e todos que investem no mercado de ações?

Pois bem, Benjamin Graham conseguiu sintetizar com maestria o que é o mercado de ações quando criou esse personagem.

É por causa do Senhor Mercado que ouvimos tantas histórias de pessoas que falam que o mercado de ações é um cassino. Aliás, importante frisar que essas pessoas não são investidores, mas aventureiros, especuladores que acreditaram que ficariam ricos se investissem dinheiro na bolsa hoje para colher os frutos amanhã.

A bolsa de valores deve ser vista como uma opção de investimento de longo prazo. É preciso estudar conceitos, técnicas e empresas a fundo para, primeiramente, ficar imune às armadilhas que nosso cérebro adora nos pregar e, então, naturalmente ser dono de suas próprias escolhas e convicções.

Você sabia que pouco antes da bolha das empresas ponto com estourar, Warren Buffett foi ridicularizado por ficar de fora de um dos “melhores momentos da história” do mercado de capitais global?

Só que ao invés de se abater e lamentar as oportunidades perdidas, o guru manteve-se firme em suas convicções simplesmente porque não entendia nada sobre as empresas de tecnologia e não via com bons olhos toda aquela euforia.

Não demorou para ele fazer jus ao ditado “quem ri por último ri melhor”. A bolha estourou, as ações despencaram, a manada fugiu e o mago de Omaha foi às compras em uma época em que a bolsa de Nova Iorque ofereceu algumas das maiores pechinchas da história.

Queria eu ser um adepto do Value Investing já naquele tempo…

Será Que Podemos Realmente Confiar no Value Investing?

podemos confiar no value investing

Falei isso tudo para resumir por que o Value Investing funciona e faz sentido. Ser racional, investir no que entende e não ser imediatista é preciso quando se deseja investir  em ações. Abaixo, resumo alguns pontos que você precisa ter em mente se deseja alcançar o sucesso como um investidor em valor.

#1. Entender que dominar os aspectos comportamentais é fundamental

Buffett sabia disso quando viu algo bom demais para ser verdade naquela loucura em que empresas de garagem passaram a valer milhões da noite para o dia. Ele não se deixou afetar pelo efeito manada, manteve-se fiel a suas convicções, teve paciência e colheu resultados, exatamente como todo bom investidor em valor faz.

#2. Saber que as oscilações de curto prazo são absolutamente normais

Lembre-se que o “dono da bola” é o senhor Mercado e que os participantes do “jogo” são, na maioria, especuladores interessados em ganhos exorbitantes do curto prazo. Essa combinação é capaz de gerar resultados desastrosos se você jogar o jogo deles. Ou seja, esqueça o curto prazo.

#3. Estudar continuamente

Não é à toa que estou sempre contando histórias de sucesso de grandes investidores e explicando sobre como o Value Investing fez e continua fazendo a diferença em minha carreira de investidor. A cada artigo que você lê ou curso que participa, deu um passo adiante para investir melhor. Investidores em valor são eternos aprendizes.

#4. Saber quais são os principais vieses comportamentais que podem afetar seus investimentos

estudar sobre investimentos continuamente

Talvez o mais famoso deles seja o efeito manada, mas existem diversos aspectos psicológicos que podem fazer sua experiência no mercado de ações ser desastrosa.

Ter a humildade para reconhecer que você está sujeito a cada um dos itens listados abaixo (entre tantos outros) é fundamental para, primeiramente, se livrar deles e, posteriormente, usá-los a seu favor. Tome nota:

#1. Falácia do jogador

Imagine que você está apostando cara ou coroa e nas primeiras 15 vezes, o resultado foi “cara”. Você apostaria todo o seu dinheiro na coroa na 16ª vez porque a probabilidade de isso acontecer aumentou?

Se você se deixar levar pela falácia do jogador, é exatamente o que fará. No entanto, estará tomando uma decisão a partir de uma análise equivocada, pois as chances serão, sempre, de 50% para os dois lados.

Trazendo esse pensamento para os investimentos, alguns investidores acreditam que comportamentos passados podem ser um indicativo do que virá a acontecer no futuro. Lembre-se: ninguém é capaz de prever o futuro.

É por essas e outras que sempre recomendo a cautela com a análise técnica.

#2. Aversão a perdas

Estudos comprovam que somos mais suscetíveis a sermos afetados pela dor da perda do que pelo prazer do ganho. Ou seja, o efeito psicológico de ver uma ação que possui caindo é muito mais devastador do que o bem estar causado por ver uma ação subindo.

A aversão a perdas é a grande culpada por casos em que o investidor fica apegado à uma ação que não para de cair porque tem a expectativa (muitas vezes equivocada) de que ela irá voltar a subir.

Ou quando vende uma ação que está subindo porque acha que ela já subiu demais. Lembre-se da falácia do jogador! O passado não explica o futuro.

Há muitos outros fatores ligados ao comportamento que são importantes ao investir. Falarei mais sobre eles futuramente, mas até lá recomendo que faça a leitura do artigo Como Evitar Os 5 Maiores Erros do Investidor Irracional.

Você tem alguma experiência que ilustra o poder da psicologia em seus investimentos, seja ele positivo ou negativo? Conte nos comentários.

Por fim, lembre-se que o Value Investing é a principal arma que você tem para se livrar de todos eles e se tornar um investidor cada vez melhor e mais consciente de suas escolhas.

Bons investimentos!

Crédito das imagens: www.shutterstock.com

Aprenda como ganhar de R$1mil a R$5mil por mês com dividendos, mesmo que tenha somente R$100 para começar.

Você Sabe o Que Todos os Grandes Investidores Em Ações Têm Em Comum?

grandes investidores

Uma das coisas que mais gosto de fazer é ler sobre a história e o legado dos grandes investidores e estudar suas técnicas. Você já deve ter percebido isso, afinal, já escrevi sobre diversos deles aqui no blog.

Hoje, quero compartilhar com você algumas características que observo que são comuns aos nomes que me inspiram, como Warren Buffett, Charile Munger, Walter Schloss, Peter Lynch, dentre tantos outros.

Boa leitura!

#1. O Value Investing é a base

O primeiro ponto em comum é que a análise fundamentalista e o Value Investing são a base da filosofia de investimento de todos.

Isso é curioso porque por mais que os maiores investidores utilizem conceitos diferentes, no final, as características acabam se repetindo e a análise fundamentalista combinada com o Value Investing sintetiza tudo.

Grandes investidores têm a visão comum de não comprar simples papéis que podem gerar riqueza, mas investir em negócios sólidos porque acreditam neles e se sentem confortáveis em se tornar sócios para lucrar no longo prazo.

#2. Grandes investidores são eternos aprendizes

Se você almeja ser um grande investidor (não necessariamente um multibilionário), precisa entender que é fundamental dedicar um tempo de sua rotina para estudar.

Todos os grandes nomes que já apresentei sobre aqui no blog (e os que ainda vou apresentar) são leitores vorazes e eternos aprendizes do mercado.

Grandes investidores são humildes e reconhecem que não sabem tudo, mantêm a mente aberta e estão sempre dispostos a aprender e entendem que é preciso investir em livros, cursos e treinamentos para se aperfeiçoar.

Lembre-se de que seus maiores bens são o seu tempo e o seu conhecimento. Você está cuidando bem deles?

#3. Eles investem com uma estratégia de saída pré formulada

Investidores de sucesso entendem que todo investimento sempre traz dois lados. Eles sabem que o futuro é imprevisível e se planejam com antecedência, preparando-se para o melhor e para o pior ao mesmo tempo.

Investidores medianos, ao contrário, tentam prever o futuro e quase sempre se dão mal fazendo isso.

Essa é a grande razão pela qual investidores de sucesso ganham dinheiro tanto quanto o mercado sobe, como quando cai. Eles planejam uma estratégia de saída antes de entrar em uma posição.

Ao seguir essa premissa, além de seguir as técnicas dos grandes investidores, você estará dando um passo largo para evitar ficar refém das emoções ao investir.

grandes investidores sao pacientes

#4. Eles são pacientes

Investidores excepcionais são como grandes predadores. Eles estão preparados para observar o mercado e esperar a hora certa para fazer um movimento previamente pensado.

Quando escrevi sobre Charlie Munger, o braço direito de Warren Buffett, por exemplo, publiquei um ensinamento dele que resume bem a importância de ser paciente:

Saber esperar ajuda a transformar investidores medianos em bons investidores – mas muitas pessoas não suportam esperar! Munger defende a tese de que investimentos de sucesso requerem ‘esta maluca combinação de bom senso e paciência e estar preparado para aproveitar a oportunidade quando ela se apresenta’.

#5. A inteligência emocional acompanha todos os grandes investidores

A ganância e o medo são dois fatores emocionais muito atrelados ao mercado de ações e grandes responsáveis por erros comuns aos investidores ordinários.

Os investidores de sucesso, por outro lado, têm um grande controle sobre essas emoções. Eles não deixam que seus impulsos tomem as rédeas de suas decisões ou de seus métodos de investimento.

Grandes investidores não abandonam suas estratégias porque falham algumas vezes, mas também não ficam superconfiantes quando vencem. Se você sente que se deixa levar por decisões emocionais, recomendo fortemente que leia esses artigos:

Decifrando o Mito da Racionalidade ao Investir: Como Controlar as Emoções?

Como Evitar Os 5 Maiores Erros do Investidor Irracional

#6. Eles entendem e gostam das flutuações do mercado

Enquanto investidores medianos entram em pânico com flutuações do mercado, investidores profissionais as enxergam com bons olhos, pois sabem que é nessas horas que podem lucrar.

Essa característica, aliás, complementa a anterior. A frieza está intimamente ligada a um elevado nível de inteligência emocional.

#7. Eles são persistentes

Além da paciência, a persistência é uma grande aliada dos maiores investidores de todos os tempos.

Afinal, manter-se fiel a sua estratégia de investimento enquanto está perdendo, por exemplo, é para poucos – a maioria prefere mudar de estratégia para seguir a próxima dica quente e imperdível.

Já viu essa história em algum lugar? Se sim, aposto que ela não teve um final feliz.

#8. Eles prosperam no risco

Buffett costuma dizer que o risco vem de não saber o que você está fazendo. Todo grande investidor sabe que no mercado de ações há uma probabilidade equilibrada entre o sucesso e o fracasso.

O grande investidor, porém, sempre terá um forte sistema de controle de risco.

#9. Eles aprendem rápido com seus próprios erros

Entenda que você jamais se tornará um grande investidor ou atingirá o sucesso em qualquer área de sua vida sem cometer erros.

Nossa sociedade estimula a cultura de que é preciso ser impecável, acertar sempre, ser quase um super-herói, mas isso não existe.

Henry Ford já dizia que mesmo um erro pode ser a única coisa necessária para uma grande conquista.

Investidores de sucesso erram, mas não se deixam desencorajar por esses erros porque sabem que eles fazem parte do processo de se tornar um melhor investidor. Erros são oportunidades de se aprender algo novo.

#10. Eles trocam figurinhas com investidores melhores do que eles

Você já deve ter ouvido um ditado que diz que se você quer se tornar uma pessoa melhor precisa andar com pessoas melhores que você, não? É uma filosofia de vida que eu acredito e procuro seguir.

E quando falamos em investimentos não é diferente. Os grandes investidores têm em seu networking um leque de outros grandes investidores.

Não estou falando daquele seu amigo que sempre tem uma dica, ou de seu corretor, que muitas vezes está mais interessado em taxas de corretagem do que em lhe ajudar.

Procure participar de grupos que reúnam investidores interessados nos mesmos temas que você. Pessoas com quem você possa debater sobre Value Investing, aprender e ensinar.

grandes investidores são apaixonados por seus investimentos

#11. Grandes investidores são apaixonados pelos seus investimentos

Investir não pode ser um fardo, mas um jogo que você adora participar. É uma lógica parecida com aquele recado de Confúcio:

Escolha um trabalho que ame e não terá que trabalhar um dia em sua vida.

Se você analisar os investidores medianos, vai logo entender que eles estão sempre em busca do quanto vão lucrar agora. Já os grandes investidores são apaixonados pelo poder dos juros compostos no longo prazo.

Enxergam seus investimentos como uma missão de vida, não como uma aventura para enriquecer.

Conclusão

Perceba que não existem grandes segredos ou fórmulas mágicas para se tornar um grande investidor. A receita está baseada, sobretudo, no quanto você vai se dedicar a aprender sobre investimentos e a garimpar empresas em que acredita, confia e vê valor.

O conhecimento é a base de tudo. É ele que proporciona análises racionais, foco, disciplina, persistência, paciência, visão e, consequentemente, o sucesso. Aliás, qual foi o último livro que você leu? Quanto tempo faz?

No próximo artigo vou dar mais detalhes sobre o que é o Value Investing. Tenho falado muito sobre ele ultimamente, mas me dei conta de que nunca escrevi exclusivamente sobre os motivos que fazem essa filosofia ter tanto sentido.

Até lá!

Pra encerrar, você incluiria algum item extra nessa lista do que os grandes investidores têm em comum? Quero saber sua opinião.

Bons investimentos!

Crédito das imagens: www.shutterstock.com

Aprenda como ganhar de R$1mil a R$5mil por mês com dividendos, mesmo que tenha somente R$100 para começar.

Como Evitar Os 5 Maiores Erros do Investidor Irracional

erros do investidor irracional

Erros do investidor irracional: já ouviu falar neles? Neste artigo, vamos falar sobre eles, como se desencadeiam e o que fazer para não cair em armadilhas. Acompanhe.

 

Ser um investidor racional não é a mais fácil das missões.

No entanto, especialmente em tempos de crise, é fundamental saber o que pode desencadear um comportamento irracional e aprender a controlar as emoções.

Esse é um exercício diário e que envolve muito estudo e visão de longo prazo, bem como deve ser a rotina do investidor de valor.

Sabendo disso, hoje trago para você alguns dos principais erros do investidor que se deixa levar pela emoção e revelo o que você precisa fazer para não cometê-los.

Como Evitar Os 5 Maiores Erros do Investidor Irracional

1. Seguir a manada e não pensar por conta própria

erros do investidor irracional seguir a manada

É natural do ser humano sentir-se confortável e seguro por fazer exatamente o que os outros fazem. E nos investimentos isso não é diferente.

Você se lembra da bolha das empresas “.com” na virada do milênio? O sucesso repentino das companhias de tecnologia atraiu cada vez mais investidores interessados em retornos jamais vistos antes.

O final da história você já conhece. Quedas severas e prejuízos incalculáveis motivados por nada além da ganância, euforia e ausência de julgamento próprio.

O que fazer?

Para combater esses erros do investidor, o melhor que você pode fazer é adotar uma postura contrária à da manada.

Já falei sobre isso anteriormente, mas para resumir, fique com o conselho de Warren Buffett e de Charlie Munger:

Tenha medo quando os outros estão sendo gananciosos e seja ganancioso quando os outros estão com medo.

2. Procurar respostas nem sempre verdadeiras

procurar respostas nem sempre verdadeiras erros do investidor

Você já ouviu falar do termo “viés de confirmação?

Essa é uma das maiores ciladas em que um investidor pode cair. Em síntese, tem a ver com buscar respostas para comprovar uma opinião sua, verdadeira ou não, ao mesmo passo em que ignora tudo o que contradiz a hipótese.

Em outras palavras: você fica cego por acreditar demais em algo. Se você se deixa levar por isso, não está fazendo uma decisão balanceada, apenas confirmando o que você quer acreditar.

Uma boa analogia para entender melhor esse conceito é imaginar um torcedor fanático de futebol. Ele sempre vai encontrar motivos para justificar que seu time é o melhor e ignorar tudo, por mais verdadeiro que seja, que contrarie sua aparente verdade.

O que fazer?

Para evitar cair nessa armadilha que, acredite, é bastante comum, após encontrar o que pode ser uma boa opção de investimento, ao invés de procurar mais razões para investir, faça uma lista de motivos para não investir naquele papel.

Isso o ajudará a encontrar razões que você provavelmente está ignorando por acreditar demais em sua hipótese. Assim, naturalmente você fará uma análise mais balanceada e racional.

3. Cuidado com o excesso de confiança

excesso de confiança

Se eu lhe perguntar se você se considera um motorista melhor que a média, o que você diria? Arrisco dizer que responderia “sim”. Tenho praticado um exercício de fazer essa pergunta a diversas pessoas e a resposta é quase sempre essa.

No entanto, basta dirigir alguns quilômetros pelo centro de uma grande cidade para perceber que essa estatística está furada, não concorda?

Muitos investidores sofrem do mal de achar que são superiores, sabem de tudo e podem prever o futuro, mas os mercados não cansam de nos dar exemplos de que isso é impossível. O dólar ultrapassando a marca dos R$ 4,00 que o diga!

O futuro é imprevisível, mas insistimos em acreditar que podemos acertar em cheio uma previsão. Qualquer semelhança com a dica número dois não é mera coincidência e este é mais um dos erros do investidor.

O que fazer?

Quer evitar o excesso de confiança? Diversifique seus investimentos. Não só entre diferentes empresas e setores da bolsa, mas em outras modalidades. Livre-se da emoção e aceite que você não pode prever o futuro.

O que você controla é o seu conhecimento, o estudo e o desenvolvimento contínuo. É isso que vai livrá-los das armadilhas da irracionalidade ao investir.

4. Se deixar levar pela emoção no curto prazo pode ser fatal

deixar-se levar pela emoção

Às vezes, acontecimentos impactantes nos fazem tomar ações no curto prazo quando deveríamos parar, respirar, analisar e esperar para depois agir. Para contextualizar, qualquer cenário de crise como o que vivemos no momento (setembro de 2015) são pratos cheio para decisões equivocadas.

Nosso instinto humano nos faz querer agir, a imprensa “faz sua parte” com notícias alarmantes e o negativismo impera. Nessas horas, é difícil encontrar serenidade em meio ao caos. Mas é preciso!

O que fazer?

Para evitar ser refém da emoção no curto prazo, além de ter paciência, recomendo que pratique um simples exercício fazendo a seguinte pergunta a si mesmo:

Que conselho eu daria ao meu melhor amigo se ele estivesse nessa situação?

É natural que fortes emoções, principalmente quando falamos de dinheiro, dificultem que enxerguemos o quadro todo, mas quando pensamos por outra pessoa as emoções tendem a sair de cena e contribuir para uma análise mais fria. Experimente!

5. Não ter um plano para lidar com perdas

plano para lidar com perdas

Lembra do excesso de confiança, um dos maiores erros do investidor? Se você é daqueles que acha que vai entrar no mercado de ações e só ver seu dinheiro crescer a múltiplos dígitos, acalme-se e lembre-se do teste do motorista que comentei na dica três. Cedo ou tarde você vai ver despencar uma ação que tinha plena convicção que só iria se valorizar.

O que fazer?

Quando isso acontecer, você tem duas alternativas:

1 – Rever sua análise e checar se os fundamentos da empresa ainda fazem sentido. Se tudo estiver em conformidade, pode ser a hora de aproveitar a baixa para investir mais.

2 –  Se o investimento não se justifica mais, é necessário aceitar que errou. Nessas horas, ter um sistema previamente estabelecido para lidar com perdas pode ajudar (muito) a você dormir melhor.

Na prática: como se proteger dos principais erros do investidor

Crie uma regra para determinar o momento para vender cada ação que comprar. Ex: “Se ela cair a X e os fundamentos não fizerem mais sentido, reconhecerei a perda, tomarei o aprendizado e partirei para a próxima.” Isso não vai fazer você recuperar seu investimento, mas vai lhe ensinar muitas lições – além de fazê-lo dormir mais tranquilo.

E aí, gostou das dicas? Como tem agido nessas semanas em que a volatilidade tem tomado conta do mercado e dificultado ainda mais a complexa missão de permanecer sereno e frio no mercado de ações? Está conseguindo se proteger dos principais erros do investidor

Bons investimentos!

Aprenda como ganhar de R$1mil a R$5mil por mês com dividendos, mesmo que tenha somente R$100 para começar.