Entrevista com Luiz Augusto Pacheco: A arte e a Ciência de Investir como Viajamos

Você sabe que aqui no blog irá sempre encontrar lições e dicas dos maiores investidores de todos os tempos, resenhas de livros clássicos e reflexões inspiradas em personagens célebres.

Porém, ao mesmo tempo em que esses ensinamentos são verdadeiros tesouros, pode ser que você sinta que estão muito longe de sua realidade.

Afinal, tratam-se de figuras famosas que possuem ou gerenciam fortunas bilionárias em mercados distantes do nosso.

Pensando nisso, tenho me preocupado em ir atrás de grandes profissionais que estão na ativa no mercado brasileiro e conhecem melhor as peculiaridades locais.

Até então, foram duas entrevistas publicadas:

Hoje, trago mais um bate-papo bastante produtivo que tive recentemente.

Conversei com Luiz Augusto Pacheco, que é formado em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Paraná, possui MBA pela Wayne State University (Estados Unidos) e participou do curso executivo de Valuation com o professor Aswath Damodaran, na NYU Stern School of Business (NY, EUA).

Entrevista com Luiz Augusto Pacheco

Entrevista com Luiz Augusto Pacheco

Luiz é mais um dos bons. Profissional sério, que olha para o longo prazo e conhece os caminhos para a construção de riqueza.

Atualmente, ele é gestor e planejador financeiro na Inva Capital, boutique de investimentos focada na geração de riquezas, promoção de conquistas, realização de sonhos e busca pela tranquilidade.

Acompanhe a entrevista:

1. Qual a forma mais adequada e sensata para o pequeno investidor encarar o mercado de ações?

Luiz Augusto Pacheco – Antes de saber em que investir, é preciso ter em mente diversos outros fatores para você poder tomar a melhor decisão de investimento:

  1. Qual o seu objetivo com este investimento (comprar uma casa, viajar, garantir a segurança financeira, etc.)?
  2. Qual seu horizonte de tempo (seis meses, cinco anos, dez anos…)?
  3. Você tem alguma restrição (produto ser livre de imposto, a empresa em que vai investir deve ser socialmente responsável)?

Com essas informações, podemos ter uma ideia de qual o retorno necessário para seu investimento.

Na sequência, também temos que descobrir qual seu perfil de risco, para poder adequar a recomendação.

Sem tudo isso muito claro, é impossível (e até imprudente) fazer qualquer tipo de recomendação. E você deve desconfiar de quem o faz (lembre-se de que muita gente empurra produtos para ganhar comissão)!

2. Qual é a sua visão sobre o value investing?

Luiz Augusto Pacheco – Estudos mostram que o value investing tende a trazer melhores retornos ao longo do tempo. Por outro lado, o investidor precisa de paciência para colher os resultados, personalidade para escolher empresas esquecidas e estômago forte para aguentar alguns meses de perdas.

3. Quais são os grandes investidores que mais admira e por quê?

Quais são os grandes investidores que mais admira
Kent Sievers / Shutterstock.com

Luiz Augusto Pacheco – Tem muita gente que me inspira, mas destaco quatro:

  • Warren Buffet – Pelo excelente histórico e por se manter fiel às suas convicções;
  • Luis Stuhlberger – Pelo excelente histórico e por ir contra a maré quando sua análise lhe diz isso – e também por não ligar (e ter esse luxo) para retornos mensais;
  • Michael Burry – Por analisar a fundo os investimentos e não deixar os outros interferirem nas suas decisões;
  • John Bogle – Por ter criado os fundos de índice baratos.

4. Como você enxerga a diversificação nos investimentos? O que pode ser considerada uma carteira bem diversificada?

Luiz Augusto Pacheco – Acho essencial diversificar investimentos, mas não defendo a diversificação pela diversificação. Acredito que é preciso, sempre, pensar de forma estratégica. Gosto da ideia de ter entre 40% e 60% em ETFs e o restante em quatro ou cinco empresas.

5. Quais são suas dicas para não deixar a emoção intervir nas decisões de investimento?

Luiz Augusto Pacheco- Saber como elas interferem na tomada de decisões, conhecer os tipos de viéses e suas consequências. Escrevi bastante sobre isso em meu blog:

6. Se tivesse que dar um conselho para um grande amigo que está começando a investir em ações, qual seria?

Luiz Augusto Pacheco – Tenha paciência, não dê bola para matérias de como ganhar mais no mercado de ações, trace um plano e siga-o.

7. Como encarar o mercado de ações em tempos de crise como o que vivemos hoje?

Como encarar o mercado de ações em tempos de crise

Luiz Augusto Pacheco – Da mesma forma como encaramos uma loja em liquidação: achando boas empresas com preços baixos. E, claro, tendo paciência.

8. Você é a favor ou contra investir em empresas que são boas pagadoras de dividendos?

Luiz Augusto Pacheco – Depende da estratégia do investidor. Se for alguém que precise dos rendimentos para pagar as contas, deve focar em empresas que tenham bons dividendos. Se, por outro lado, o investidor tiver como objetivo aumentar o patrimônio, investir em empresas que cresçam mais é uma saída.

9. Qual é a melhor forma de investir em empresas que são boas pagadoras de dividendos?

Luiz Augusto Pacheco:

  • Acompanhando os resultados e, principalmente, a geração de caixa.
  • Ver o histórico dos pagamentos e não apenas focar no dividend yield (um alto dividend yield pode ser resultado de preços declinantes).
  • E ter mente que nem sempre uma boa pagadora de dividendos do passado continuará sendo uma boa pagadora de dividendos no futuro.

10. Quais livros você recomenda ao investidor iniciante e ao iniciado?

Luiz Augusto Pacheco – Acredito que todo mundo deveria ler O investidor inteligente, de Benjamin Graham.

11. Como lidar com o erro ao investir?

Como lidar com o erro ao investir?

Luiz Augusto Pacheco – Erros são inevitáveis e servem de aprendizado. Então, temos que tentar entender o que causou o erro para evitar que ele seja repetido no futuro. Também é importante não deixar o erro traumatizar, do tipo, “perdi dinheiro investindo em ações, então o mercado é um cassino e não invisto mais nisso”.

12. Algo mais que gostaria de acrescentar?

Luiz Augusto Pacheco – Quando vamos viajar (na grande maioria das vezes), sabemos onde estamos e onde queremos chegar. Nos planejamos de acordo e implementamos este plano para que a viagem ocorra sem maiores problemas.

A mesma coisa vale para a vida. Sabemos onde estamos hoje, algumas pessoas sabem onde querem chegar, outras têm alguma ideia. Investir é apenas um instrumento que nos permite alcançar nossos sonhos e conquistar nossos objetivos. Não é um fim, mas um meio.

Antes de investir naquela dica quente do seu vizinho ou alocar parte dos seus recursos naquele novo produto que seu corretor ofereceu, pense se eles vão te ajudar no seu caminho ou se exigirão uma correção de rota no futuro. Fuja de respostas enlatadas e de soluções padrão. Planeje!

Gostou da entrevista com Luiz Augusto Pacheco?

Deixe seu comentário dizendo o que achou do bate-papo de hoje. E se tiver alguma sugestão de nome que gostaria de ver por aqui, o canal está aberto.

Bons investimentos!

Aprenda como ganhar de R$1mil a R$5mil por mês com dividendos, mesmo que tenha somente R$100 para começar.