Como não arriscar na Bolsa de Valores

Faça como o Rogério Ribeiro, que aprendeu como não arriscar na Bolsa de Valores a tempo de não perder dinheiro!

O empresário Rogério Ribeiro tem um perfil audacioso: mesmo sem conhecer muito do mercado financeiro, em 2008 decidiu começar a investir na bolsa de valores. No início, tudo parecia ir bem… Era aquela “invencibilidade” que costuma acontecer quando alguém dá seus primeiros passos sem estratégia em ações.

Quando começou a estudar o mercado, viu que isso não se sustentaria e em pouco tempo estaria perdendo dinheiro. Casado e pai de uma filha de 23 anos, o empresário de Nova Iguaçu/RJ conta que, antes de conhecer o GuiaInvest PRO, era totalmente despreparado para o mercado de ações.

Descubra a seguir como Rogério abriu seus horizontes, deixando de arriscar no mercado de ações, e passou a ter uma estratégia definida em seus investimentos!

Resultados obtidos

  • Ganhou conhecimento para investir e não perder dinheiro
  • Deixou de arriscar na bolsa de valores
  • Aprendeu a escolher as empresas certas pelos fundamentos
  • Já recebe juros sobre capital próprio

O Problema

Quando decidiu começar a investir em ações, Rogério Ribeiro foi impulsivo e, segundo ele mesmo, se jogou no mercado sem nenhum conhecimento. Com o perfil arrojado, não se preocupou muito com o que viria pela frente. A época era favorável para os aventureiros, afinal, em 2008, os papéis de uma maneira geral estavam todos subindo. Com isso, ele até que ganhou bastante dinheiro no começo dos investimentos.

“Acho que com todo mundo acontece isso, né? No começo a pessoa dispara, ganha a beça e ganha aquela auto confiança para fazer besteira mais tarde. Então eu não sou diferente, mas foi bom que aconteceu no momento certo. Eu aprendi a lição cedo… Para não cometer esse tipo de erro.”

Quando Rogério caiu em si de que poderia ter prejuízo pela frente, foi atrás de conhecimento, acabou buscando primeiro informações focadas em Análise Técnica, aquele tipo de operação que não se baseia nos fundamentos da empresa, mas apenas no desempenho gráfico dos papéis. Nessa época, adquiriu ações da Oi e se deu muito mal com elas, acabou perdendo muito dinheiro!

“Vi que o movimento é muito errático. Vi que não dá para ter certeza nenhuma naquelas quebras de resistência, rompimentos de barra, um monte de sinais falsos que não são confiáveis. Então eu resolvi buscar o outro lado, o lado da informação, que são os fundamentos da empresa.”

Entre uma pesquisa e outra por Análise Fundamentalista no Google, chegou ao treinamento Árvore da Riqueza, onde adquiriu o conhecimento que até então estava faltando e descobriu como não arriscar na Bolsa de Valores.

A Solução

Depois que aprendeu as técnicas da Análise Fundamentalista, Rogério passou também a utilizar o GuiaInvest PRO, há cerca de dois anos. Além do conhecimento adquirido, sentiu que a ferramenta agregou conhecimento e ainda trouxe a facilidade de reunir em um só lugar todas as informações importantes para sua tomada de decisões.

“O GuiaInvest PRO é de fácil utilização e bem completo. Tento dedicar, pelo menos, meia hora ali por dia e fazer disso um hábito. Assistir aos vídeos, ver os conteúdos para tentar enraizar esses conhecimentos na minha cabeça. Em outros lugares, como a Bovespa, tem várias informações mas estão todas deslocadas, não é tão fácil de encontrar.”

Mesmo tendo passado alguns anos com ações no período de baixa da bolsa, conseguiu ter bons resultados, graças à escolha de empresas sólidas e com bons fundamentos. Ou seja, ele descobriu como não arriscar na Bolsa de Valores.

“Agora que ‘a pipa’ começou a subir de novo, mas já estou com uma empresa da qual vou receber juros sobre capital próprio, porque investi através de fundamentos. Vi que ela estava com desconto em relação ao valor intrínseco e comprei. Estou com ela já há mais de um ano e estou firme e forte. Não pretendo vender tão cedo.”

Com os treinamentos, Rogério também aprendeu a investir em produtos de renda fixa, como Tesouro Direto e CDBs e hoje diz que se sente mais forte para encarar o mercado como um todo.

“Eu não tenho medo do mercado, assim como eu também não tinha antes. A diferença é que agora, além de não ter medo, eu tenho conhecimento. Hoje em dia eu olho para as ações de uma maneira completamente diferente do que eu olhava há uns 5 ou 6 anos. Estou bem mais forte para encarar esse mercado, que é bastante promissor.”

Rogério está determinado a desfrutar no futuro de uma renda passiva, diversificando seus investimentos com segurança. Aos poucos está criando sua carteira para usufruir na aposentadoria.

“Pretendo desfrutar dela no futuro, então de tempos em tempos eu revejo a carteira e vou modificando de acordo com o percentual que eu criei para deixá-la mais equilibrada. Acho que estou no caminho certo ai pra daqui uns 15 anos usufruir disso tudo.”

Além de se preocupar com a aposentadoria, Rogério também se dedica a ensinar para a filha tudo que aprendeu sobre investimentos nos últimos anos, a fim de que ela possa garantir, ainda mais cedo, todos esses benefícios da liberdade financeira.

Descubra como não arriscar na Bolsa de Valores

Assim como o Rogério, muitas pessoas começam a investir na bolsa sem conhecimento. E isso significa que, cedo ou tarde, você irá perder dinheiro. Mas há uma maneira de tornar o investimento em ações menos arriscado: através da Análise Fundamentalista, que olha os dados das empresas e opta por papéis de companhias sólidas.

O GuiaInvest PRO ajuda você a ganhar agilidade na hora de selecionar as melhores empresas da bolsa, reunindo todas as informações em apenas uma ferramenta.

Você ainda poderá tomar suas próprias decisões sem depender das dicas “tendenciosas” dos profissionais do mercado, investindo com segurança através de dados confiáveis. Não tenha mais medo e descubra como não arriscar na bolsa de valores!

Também tem uma História de Sucesso com o GuiaInvest para compartilhar? Envie um e-mail para contato@guiainvest.com.br que entraremos em contato!

3 grandes segredos dos milionários suíços que você pode adotar agora mesmo

Dizer que 2016 foi um ano traumático é um grande eufemismo. O Brasil passou por imensas dificuldades na economia e na política. E os sinais para 2017 não são bons. Aqui dentro, temos os poderes Judiciário e Legislativo às turras, enquanto o Executivo se acanha, apequena. E se nos Estados Unidos os Republicanos e a turma do “deixa disso” não conseguirem colocar Trump no cabresto, são esperadas chuvas e tempestades no mercado internacional.

Então, o melhor é jogar a toalha, parar de investir e reconhecer que em 2017 você vai ter que usar o dinheiro que tem para sobreviver? Nada disso! Mesmo em períodos mais difíceis, as regras da economia continuam a valer. Existem vários livros que o ajudam nesse sentido. E um dos mais poderosos é, sem dúvida, Os axiomas de Zurique.

É um livro recente, escrito em 1985, mas que só chegou ao Brasil em 2006. Seu autor, Max Gunther, nasceu na Inglaterra, onde começou a trabalhar no mercado financeiro. Foi transferido para a filial de Nova Iorque do banco em que trabalhava, formou-se em jornalismo e passou a colaborar com jornais e revistas. Publicou vários livros, entre eles Os axiomas de Zurique, no qual pretendeu desvendar os segredos que fizeram da Suíça um país rico, de cidadãos ricos (pois não faltam exemplos de países ricos com habitantes pobres, e vice-versa).

suiça

Segundo Gunther, nem mesmo os Estados Unidos seguem a receita de riqueza da Suíça. No país que prega a oportunidade para todos, o ensino do empreendedorismo é falho. Na televisão e em muitos livros, o empreendedor é visto como o sujeito que teve a grande ideia, fez dessa ideia um produto ou serviço, e ficou multimilionário.

Mas o sonho americano da grande ideia é para poucos. Existe aquela pessoa que fez uma rede de oficinas mecânicas que não tem nenhum diferencial, mas é extremamente bem administrada, entre outros exemplos. Esse tipo de pessoa não aparece no jornal. Nem o profissional liberal médio, ou o grande gerente, que conseguem administrar o próprio dinheiro com maestria e conquistam uma vida confortável. Essas pessoas, mesmo sem saber, seguem boa parte dos axiomas de Zurique.

O próprio autor afirma que não se trata de uma viagem simples ou agradável. Logo de cara, o primeiro axioma descreve o que vem por aí: “se você não está preocupado, não está se esforçando o bastante.” Preocupação com onde está sem dinheiro, com sua carreira, é algo saudável.

Bom, há muito com o que se preocupar em 2017, e ninguém tem as respostas. Mas existem três axiomas, três fatores nos quais você pode se apoiar:

1 – ESPERANÇA

Você conhece o mito de Pandora? Ela teria sido a primeira mulher criada pelos deuses, a quem foi dada uma missão: tomar conta de uma caixa – ou jarro, conforme a tradução. Pandora abriu o invólucro, soltando todas as doenças e desgraças no mundo. Só ficou uma coisa lá no fundo, que podia ser tanto uma bênção como uma maldição: a esperança.

E é assim que Gunther descreve esse comportamento do investidor: pode tanto ser uma coisa boa quanto algo muito ruim. Fazemos um investimento e o resultado não é o que esperávamos. Começamos a perder dinheiro. Então, o que a maioria de nós faz?

Exatamente. Nada.

Nos agarramos na possibilidade de haver uma reversão. O mercado imobiliário vai aquecer, vai ter uma praga agrícola que afeta todos os países menos o Brasil, aquela empresa vai passar de envolvida em escândalos de corrupção à mais socialmente responsável das Américas. Se isso não acontecer neste mês, acontece no outro. E assim se passam meses e anos. Se antes o investidor não agia com medo de perder algumas centenas de reais, agora a conta já está nas dezenas de milhares. E o buraco continua aumentando.

Gunther dá um exemplo perfeito para esse comportamento: um jogo de pôquer. Toda semana tem pelo menos um campeonato passando na televisão. Dê uma olhada e o que mais você vai ver são jogadores jogando fora cartas consideradas boas. Pares de dez. Rei e Valete. Cartas que, somando com as da mesa, dariam uma vitória folgada. Mas os jogadores profissionais as jogam fora e saem da jogada.

O motivo? Porque são jogadores profissionais. Analisam os adversários, a quantidade de fichas, o ambiente, as cartas na mesa e decidem que não vale a pena continuar arriscando, e é melhor perder as poucas fichas já lançadas e aguardar a próxima rodada. O jogador amador, ao contrário, “sabe” que se a carta que ele espera não vier nas três do flop, virá no turn. Não veio. Lógico, a carta aparecerá no river, e ele ganhará ainda mais fichas.

Mas não vem.

Esse comportamento é comum no ser humano

É extremamente difícil reconhecer que se está errado, engolir o orgulho e desfazer o investimento. Aceitar perdas pequenas antes que elas se tornem grandes.

Sempre pensamos que a virada está logo ali, ao nosso alcance. Basta abrir qualquer rede social para ser inundado de memes e histórias sobre as virtudes de persistir, insistir, fazer um esforço a mais. Mas nenhum esforço que você fizer será capaz de mudar uma tendência de mercado, ou de mudar os rumos de uma empresa mal administrada. Orações, simpatias e oferendas a Warren Buffett também não alteram a situação – e nem as perspectivas. A única coisa que você pode pedir ao sobrenatural é discernimento para identificar quando um investimento não trará o resultado desejado e coragem para sair dele.

O primeiro item é extremamente difícil de ser conseguido. Todos sofremos com o viés de confirmação. Ou seja, temos uma ideia e tudo o que vemos parece nos dizer que estamos certos. A grande maioria interpreta as notícias sobre seus investimentos como boa, não importa o que ela traga. Mas o inverso também é verdade. Existem os alarmistas, para quem qualquer unha encravada do dono da empresa é um sinal para vender aquelas ações. É extremamente difícil encontrar o ponto certo em que as más notícias se tornam tendências irreversíveis e cair fora. Se você se sentir mais seguro, espere um ou dois meses, para ter certeza de que o problema é realmente tão grave como parecia. Mas não adie a decisão muito mais do que isso.

— Ah, mas eu vou perder dinheiro.

Vai mesmo? Vamos imaginar que você comprou uma ação por R$ 100, aconteceu um grande problema na empresa e você vendeu dois anos depois por R$ 60. Mais uns meses, ela atinge o ponto mais baixo, passando a valer R$ 25.

Primeiro, você pode ter recolhido os dividendos da empresa nesses dois anos. Em segundo lugar, você tem agora R$ 60 no bolso, que pode usar para investir em outros lugares. Ao insistir, você teria a promessa de R$ 25, um dinheiro que está lá, naquela empresa, ou no banco, ou na financeira. Em qualquer lugar menos em seu bolso. O segredo para encontrar esse ponto para deixar de investir é fácil de explicar, difícil de cumprir.

Portanto, estude, informe-se. A cada trimestre as empresas apresentam seus relatórios. Analise-os com cuidado. Se preferir, crie também alertas nas páginas de notícias. É algo simples de fazer, e sempre que o nome da empresa na qual investe for citado, você ficará sabendo. Não é necessário se tornar um paranoico e agir a cada fofoca no noticiário, mas não deixe de saber o que acontece com aqueles que usam o seu dinheiro.

2 – PREVISÕES

Com as bombas diárias na economia e na política, não são poucos os especialistas recorrendo a variações da frase “se você sabe o que está acontecendo, então você não está prestando atenção”. De fato, temos notícias e algumas tendências sobre o que vai acontecer no próximo ano, mas saber, com certeza, que setores serão mais beneficiados e quem irá perder, quais são os investimentos mais adequados, isso ninguém poderá dizer. É o tipo de cenário tão complexo –  e com tantas variáveis que nunca apareceram antes – que um periquito de realejo pode acertar mais do que um economista experiente.

Gunther mostra que isso não é falha dos especialistas de hoje. Desde sempre os experts da economia erraram. Ninguém previu o crash da bolsa de 1929, e conta-se nos dedos os nomes que alertaram sobre a bolha imobiliária de 2008. E isso durante épocas relativamente normais da economia, sem as variáveis de hoje. Sem crises internacionais, sem traumas.

Vamos deixar algo claro: existem alguns charlatões nessa área, que fazem “previsões” do tipo: “Em 2017 uma empresa importante irá lançar um novo produto ou serviço” ou “na primeira metade do ano, muito se falará sobre a Petrobras.”  

E também existe a maioria, composta de pessoas competentes e bem-intencionadas. São sérios e sabem aplicar seus estudos. É que a grande maioria é especialista em economia, tendências, negócios. E o mercado não é feito disso.

Não, o mercado é feito de pessoas. E pessoas são imprevisíveis. Já falei um pouco sobre o assunto quando escrevi sobre o efeito manada.

Gunther diz que a bolsa de valores, por exemplo, é praticamente um teatro, onde as emoções humanas mandam. Entre as análises gráficas e fundamentalistas, falta a análise das multidões, a análise de pessoas.

E se os analistas não são confiáveis (também falei sobre isso aqui), como você pode escolher seus investimentos?

Gunther sugere que você tome a iniciativa e acredite em suas análises, em seus estudos. Escolha a ação que mais lhe agrada por motivos sólidos, e estude sempre. Suas escolhas serão as mais apropriadas para seu estilo e personalidade. Só não se esqueça de ficar de olho e não ter medo de abandonar o barco quando for necessário.

3 – INTUIÇÃO

Sim. É a sua opinião que deve ser seu guia principal em seus investimentos. Mas opinião não é a mesma coisa que palpite, chute, ou achismo. É algo difícil de ser explicado. Vejamos, o que você faz bem? Mas bem, mesmo. Talvez você seja o fera no futebol do final de semana, ou conheça alguém que o seja. Ao assistir um jogo na TV, você ou essa pessoa consegue dizer quando uma jogada vai até o gol e quando logo vai ser desarmada. E, como falei antes, o jogador profissional de pôquer muitas vezes joga fora cartas que o amador apostaria… e perderia muitas fichas. Por quê? Algumas vezes, o profissional não sabe explicar. O mesmo se aplica aos melhores investigadores dos Estados Unidos. Para identificar notas falsas, eles passam meses estudando as notas verdadeiras. Podem não conseguir definir com palavras o motivo pelo qual identificaram uma falsificação, mas, na maioria das vezes, estão certos.

A intuição que Gunther fala é essa, resultado de muito estudo, de acompanhar seus investimentos, de aprender como lidar com o dinheiro no cotidiano. Você pode gostar de uma ação sem saber muito bem o motivo, mas se está investindo há algum tempo, existem muitas chances de você estar certo. O autor apenas diz que esse tipo de investimento não deve dominar seu portfólio.

Você também não deve confundir a intuição com a esperança. A esperança não tem motivo nenhum de ser. A intuição pode montar o quebra-cabeça no subconsciente, mas todas as peças estão no seu consciente. Não procure um motivo sólido. Intuição não tem isso, mas você deve ser capaz de listar alguns indícios em sua mente. Se puder listar um ou dois, você tem uma intuição. Se não for capaz de encontrar um – e não adianta inventar – trata-se de uma esperança.

Aprenda como ganhar de R$1mil a R$5mil por mês com dividendos, mesmo que tenha somente R$100 para começar.

Como perder o medo de investir em ações: lucro de 25% em 11 meses

como perder o medo de investir em ações

Marcele Bona sempre foi poupadora e por isso mesmo tinha muito medo de colocar seu dinheiro em alguma “furada”. Depois de conhecer o Guiainvest PRO descobriu como perder o medo de investir em ações e alcançou um rendimento muito maior que a poupança. Veja o relato!

Brasiliense radicada em Porto Alegre há cerca de 8 anos, Marcele Bona, 32 anos, é servidora pública estadual. A educação financeira sempre foi uma constante em sua vida adolescente e adulta, especialmente por um incentivo “não convencional” da família: ainda adolescente, recebeu da mãe uma conta corrente e a missão de administrar sozinha suas despesas.

Foi assim que começou a colocar tudo na ponta do lápis, controlando os gastos. Sem ter a experiência de investir, ao longo dos anos, manteve o hábito de não gastar mais do que poderia.

O que acumulava deixava na poupança. E assim ficava o dinheiro: parado no banco, sem render muita coisa, até que Marcele descobriu como perder o medo de investir em ações.

Resultados obtidos

  • Perdeu o medo de investir
  • Média de 25% de lucro com suas ações em apenas 11 meses
  • Garantiu uma reserva mais “preparada” para os meses com salário parcelado

O problema

O pouco rendimento da poupança não chegava a ser uma grande preocupação para Marcele, apesar de causar certo desconforto.

As coisas mudaram quando o governo do Rio Grande do Sul anunciou que os salários dos servidores passariam a ser pagos em parcelas. O medo de ver o dinheiro faltar foi o catalisador para tomar uma nova atitude.

“Achava que a poupança rendia muito pouco. Eu olhava e pensava que tinha alguma coisa errada. Então comecei a pesquisar sobre investimento e acabei encontrando o Guiainvest”.

A partir daí os estudos se intensificaram: ela começou a pesquisar em outras fontes e comprou vários livros. Marcele conta que tinha muito medo de investir em ações, afinal, só ouvia coisas ruins a respeito do assunto.

Todos os conhecidos que já haviam colocado dinheiro na bolsa falavam sobre grandes perdas, algo que ela não estava disposta a arriscar.

“Eu tinha muito medo do mercado de ações, porque todo mundo falava mal, coisas do tipo ‘perdi muito dinheiro’. Eu pensava ‘preciso do contrário, de fazer um jeito do meu dinheiro render’. E ainda tinha o preconceito de que não era possível ganhar dinheiro assim, de forma passiva. Achava que devia ter alguma coisa errada, ilegal, não seria possível render tanto.”

Em vez de se tornarem empecilhos, todos esses receios serviram de motivação para que Marcele fosse em busca de mais conhecimento sobre o assunto.

Depois de alguns meses estudando, ela percebeu que investir em ações era uma boa oportunidade e, finalmente, decidiu tomar uma atitude e começou a investir em ações em fevereiro de 2016.

“Com o Guiainvest PRO, aprendi sobre dividendos e acabei migrando os meus recursos para o mercado de ações”.

A solução

Um dos grandes benefícios trazidos pelo Guiainvest PRO para Marcele foi o fato de todas as informações importantes para a escolha de boas ações estarem reunidas de forma prática, em apenas um lugar.

Pela própria experiência, ela conta que é essencial ter todos os dados à disposição em poucos cliques para não perder tempo. Até porque, tempo é dinheiro!

“Antes eu ficava indo de um site para outro para buscar informações e hoje eu consigo achar tudo fácil, só com o Guiainvest PRO. E eu não preciso ficar toda hora olhando… Uma vez que outra eu entro, tiro os relatórios, imprimo aqueles que tenho interesse, faço a comparação, olho os gráficos e vou investindo”.

Toda a desconfiança inicial se transformou em motivação para Marcele, que em pouco tempo aprendeu a como perder o medo de investir em ações e se sentiu pronta para tirar o dinheiro da poupança.

“Quando estudamos e procuramos empresas boas, é possível conseguir um rendimento muito além do que as pessoas imaginam. Tirar essa ideia de que é algo ilegal foi bem difícil. Mas o principal é perder o medo, porque depois dá para ver que a coisa não é tão complexa”.

Com o receio e a dúvida inicial, Marcele começou com a estratégia errada, e os primeiros investimentos renderam perto dos 16%. Na época, como tinha insegurança, comprava uma ação e assim que o papel atingia um lucro razoável, vendia.

Precisou aprender a segurar para não vender antes da hora. Com essa mudança de comportamento, seus rendimentos já chegam aos 25%.

“Meu sentimento hoje é de muita felicidade porque antes meu dinheiro não rendia. O fato de ganhar 25% sem fazer praticamente nada é muito bom. Eu estou parada e estou ganhando dinheiro! Estou realizada com meus investimentos. Consegui chegar num ponto em que não tenho mais medo, estou bem confiante e está dando certo”.

Descubra também como perder o medo de investir em ações

Assim como a Marcele, que tinha muita desconfiança sobre a Bolsa de Valores e em apenas 11 meses atingiu um lucro de 25%, você também pode aprender a investir.

O GuiaInvest PRO traz agilidade na hora de selecionar as melhores empresas da bolsa, reunindo todas as informações em apenas uma ferramenta.

Você poderá tomar suas próprias decisões sem depender das dicas “tendenciosas” dos profissionais do mercado, investindo com segurança através de dados confiáveis. Não tenha mais medo de investir na bolsa de valores!

Saiba mais sobre o GuiaInvest PRO neste link.

Também tem uma História de Sucesso com o GuiaInvest para compartilhar? Envie um e-mail para contato@guiainvest.com.br que entraremos em contato!

Guia Prático: como usar bem o seu dinheiro ao decorrer do ano

como-usar-bem-seu-dinheiro-abril

Um guia prático para usar bem seu dinheiro durante o ano – e evitar ser usado por ele

Todo início de ano é a mesma coisa: tempo de renovar as energias e as esperanças, planejar, olhar para trás para refletir sobre erros e acertos, traçar novas rotas e planejar os próximos passos da vida.

O problema é que com o passar dos dias muitos perdem o brilho e a motivação do início de um novo ciclo e no meio do ano já caem na mesmice, na rotina que muitas vezes os afasta de alcançar metas e realizar sonhos.

Pensando nisso, escrevi um pequeno guia com um passo a passo com ações práticas para você rever hábitos financeiros e desenvolver uma mentalidade mais positiva e proativa com relação ao seu dinheiro, seus investimentos, seus sonhos, durante o ano inteiro. 

São tarefas mensais que você pode seguir à risca ou adaptar de acordo com o nível em que se encontra. O importante é agir.

→ Sugestão: favorite este artigo e volte a ele todos os meses para monitorar sua evolução e pensar em possíveis ajustes. Transformar isso em um hábito vai fazer a diferença. Pode apostar!

Janeiro

Coloque na ponta do lápis tudo o que você recebe e tudo o que gasta no mês. Comprou um picolé? Anote. Deixou o carro no estacionamento? Vai para o caderninho. “Ah, mas foram só dois reais…” De dois em dois reais é que o dinheiro desaparece. Se você não tiver um retrato fiel de quanto ganha e quanto gasta, não conseguirá planejar.

como-usar-bem-seu-dinheiro-janeiro

Fevereiro

Continue anotando suas receitas e despesas. Esse é um mantra que deverá levar por toda a sua vida daqui em diante. Em paralelo, trace seus objetivos financeiros para aquele ano. Procure ser realista e mensurável. Você não vai resolver todos os seus problemas/realizar seus sonhos em um ano, mas uma ou duas coisas você pode fazer.

Seja específico. “Trocar de carro em 2018” não é uma meta. “Economizar e aplicar R$ X a cada mês para trocar de carro em outubro de 2018” é.

Isso é o que Raul Candeloro, especialista em vendas e alta performance e diretor da revista VendaMais, chamou de meta ESMART (específica, mensurável, atingível, realista e com tempo determinado para ser alcançada). Falei mais sobre esse conceito neste artigo.

como-usar-bem-seu-dinheiro-fevereiro

Março

Planeje viver com menos do que você ganha. Já falei anteriormente que o ideal é viver com 70% dos seus ganhos, mas você pode começar com uma taxa mais confortável. É mais ou menos como uma dieta. Se você tentar passar um mês comendo só alface e frango grelhado e planejar uma meia-maratona por semana, bom, desculpe, mas essa dieta não vai durar dez dias.

Agora, se você passar por um processo de reeducação alimentar, evitar um ou dois excessos e começar a se exercitar com uma caminhada leve, a probabilidade de você continuar no caminho certo por um período maior de tempo serão bem maiores.

Conselho: resista à tentação de cortar suas despesas na carne e viver como um monge nesse primeiro mês. A ideia é se acostumar com o dinheiro sobrando. Se você conseguir viver com 90% do que ganha em março, ótimo. Aproveite e:

  • Ajuste seus sonhos. É aqui que você percebe que talvez não sobre dinheiro para conhecer aquele país dos sonhos este ano. Tudo bem. Em vez de “economizar e investir R$ X para viajar em dezembro”, mude para “Economizar R$ menos-que-X para viajar em junho de 2019”. Mesmo sendo menos, você se beneficiará de mais alguns meses de investimento e juros compostos.
  • Divida os gastos previsíveis durante os meses. Em vez de comprar todos os presentes de Natal em dezembro, planeje comprar durante o ano, aproveitando promoções e oportunidades. O mesmo vale para todos os outros gastos pessoais que você pode diluir, planejar, organizar.

como-usar-bem-seu-dinheiro-março

Abril

Informe-se sobre os melhores investimentos para os seus objetivos. Renda variável é uma ótima opção, a não ser que você planeje usar aquele dinheiro no curto prazo (um, dois, três, quatro anos). Nesse caso, as possibilidades de você perder dinheiro são grandes.

Existem fundos nos bancos nos quais seu dinheiro permanece aplicado por um período não muito grande de tempo (dez meses, por exemplo) e oferecem uma rentabilidade maior. Mas muitos desses fundos não permitem novos aportes durante o ano. Ou seja, não importa onde você decida colocar o dinheiro, existem vantagens e desvantagens. Esteja a par de cada uma delas.

como-usar-bem-seu-dinheiro-abril

Maio

Tente aumentar a sua porcentagem de economia para começar a criar sua renda passiva. Você vai ter a experiência dos dois meses anteriores para saber do que você não precisa.  Novamente, não precisa ser radical. Se conseguir elevar a quantidade de dinheiro que não usa no mês para 20%, ótimo.

Se só conseguir aumentar para 15%, também está valendo. Lembre-se de que você está mudando um comportamento e desenvolvendo o hábito de cuidar do dinheiro, e não tentando bater recordes.

como-usar-bem-seu-dinheiro-maio

Junho

Agora que está mais disciplinado, coloque os investimentos na frente de qualquer outra despesa: água, luz, parcela do carro. Do contrário, qualquer desculpa servirá para você voltar ao péssimo hábito de gastar demais.

como-usar-bem-seu-dinheiro-junho

Julho

Você já começou a poupar para realizar aquele sonho e para gerar sua renda passiva. Agora, comece a se informar sobre maneiras de complementar sua aposentadoria.

Planos de previdência privada, ações, entre outros investimentos de longo prazo. Se você é novo no tópico, busque uma assessoria especializada, preferencialmente independente dos grandes bancos. No início eu disse que no primeiro ano você não vai conseguir fazer tudo que deseja, e é verdade.

Mas, para se beneficiar dos juros compostos lá na frente, tente começar a fazer investimentos pensando exclusivamente na sua aposentadoria. Comece com menos de R$ 50 por mês, mas comece.

→ Por falar em aposentadoria, se essa for uma das suas grandes preocupações, recomendo que leia também este artigo. Ele reúne 11 dicas para você ter uma aposentadoria tranquila e com dinheiro no bolso.

como-usar-bem-seu-dinheiro-julho

Agosto

Reveja o que você fez até aqui e, se necessário, faça alguns ajustes. Sinta a alegria de ver seu patrimônio começando a aparecer. Tente aumentar a parcela que não usa do salário, mas não para investir. Em agosto, não. Esse é o mês da celebração.  

Presenteie-se com um pequeno luxo: uma viagem, um bom jantar, um cinema, uma roupa nova, enfim, o que couber no seu orçamento e te der prazer. Guardar dinheiro e investir não precisam ser sinônimo de sofrer!

como-usar-bem-seu-dinheiro-agosto

Setembro

Você tem uma escolha para o pouquinho a mais que economizou para festejar em agosto: pode aumentar o valor que investe em sua aposentadoria ou pode começar seu fundo de emergência. Fundo de emergência é o equivalente a cinco ou seis meses de despesas, e é o que o nome diz: serve para emergências.

Bateu o carro? Teve um problema de saúde na família? Saiu do emprego? Este fundo irá garantir que você não precise passar por dificuldades para segurar as pontas enquanto resolve as emergências.

como-usar-bem-seu-dinheiro-setembro

Outubro

As vantagens de ter se esforçado tanto ao longo do ano aparecem aqui. Outubro é mais um mês de ajustes. Se conseguir aumentar o percentual que consegue economizar do salário – aproximando-se da meta de usar 70% e economizar 30% -, ótimo.

A essa altura talvez você já tenha saldo o suficiente para se beneficiar de investimentos com um rendimento um pouco melhor ou começar a planejar os investimentos do próximo ano.

como-usar-bem-seu-dinheiro-outubro

Novembro

Hora de rever as metas. Conseguiu conquistar o que desejava no começo do ano? E para 2019, o que você quer?

Faça já os planos para o ano que vem, releia as orientações do que fazer nos primeiros meses do ano novo e comece a definir o que vai fazer em janeiro, fevereiro e assim por diante. Entre as metas, inclua “ter em dezembro um fundo de emergência com o equivalente a ‘x’ meses de despesas” e “elevar o investimento de aposentadoria para tanto até tal mês”.

Continua valendo a regra lá de cima: é melhor realizar um sonho do que se frustrar ao chegar ao final do ano com três ou quatro desejos pela metade por falta de dinheiro.

Use uma parte do que iria economizar para fazer alguém feliz. Pense em doar alguma coisa para uma instituição que defende uma causa que você apoia e acredita.

como-usar-bem-seu-dinheiro-novembro

Dezembro

Agora que suas finanças estão – ou devem estar – bem próximas do automático, chegou a hora do mais importante: solte o sinto de segurança um pouco e esqueça a rotina superorganizada de gestão de finanças temporariamente.

Mantenha-se no orçamento e só. Comemore o fim do ano com quem você ama, ria, curta a felicidade de ter menos preocupações. Vá ao parque, veja os fogos, dance, ame.  Não economize em criar momentos memoráveis de sua vida.

como-usar-bem-seu-dinheiro-dezembro

Entenda que tudo o que falo aqui envolve dinheiro, finanças, planejamento, investimentos. Mas, na verdade, tudo o que escrevo tem o grande objetivo de ajudá-lo a realizar seus sonhos. Não existem atalhos nem receitas milagrosas. A caminhada é dura e pode ser difícil – provavelmente será -, mas a boa notícia é que está tudo em suas mãos.

Quais são os seus grandes sonhos?

Comente abaixo!

E agora, se você deseja um futuro sem preocupações com dinheiro, então o que você busca está aqui, no novo projeto 100% online e gratuito do GuiaInvest: Projeto Ponto Zero.

Como se aposentar mais cedo: benefício encaminhado para os 59 anos

Daniel Romeiro Mendes nunca havia se preocupado sobre como seria sua renda na velhice. Conheceu o Guiainvest PRO e descobriu até como se aposentar mais cedo. Confira a história dele a seguir!

Mineiro radicado em São Paulo, Daniel Romeiro Mendes, 41 anos, é formado em Ciências da Computação e atua como consultor de negócios, principalmente na área de gestão de relacionamento com o cliente e de força de trabalho.

Casado e pai de dois filhos, ele conta que nunca havia se preocupado com o futuro até bem pouco tempo atrás. Mesmo sendo uma pessoa prudente com os gastos, preferia deixar a vida acontecer ao invés de planejar uma velhice mais tranquila.

Tudo mudou quando foi questionado por um amigo sobre a vida financeira e os planos para a aposentadoria. Ali ele percebeu que precisava tomar uma atitude ou, se quisesse manter um padrão minimamente confortável, teria que trabalhar até morrer!

Começou a pesquisar sobre investimentos na internet e descobriu que poderia ter um futuro mais tranquilo e até como se aposentar mais cedo.

Resultados obtidos

  • Média de 25% de lucro no ano;
  • Aposentadoria encaminhada para os 59 anos;
  • Definição de metas e objetivos para a vida;
  • Ganhou conhecimento e agora até ensina e motiva os amigos a buscarem independência financeira.

O problema

Até 2015, Daniel não sabia muita coisa sobre investimentos, apenas o básico que os bancos oferecem: poupança, CDBs e alguns fundos DI. Seu conhecimento se limitava ao nível de um curioso, e por isso mesmo nunca havia tomado uma atitude.

Foi durante um almoço com um amigo que o questionou sobre a forma que aplicava seu dinheiro, que caiu a ficha: o que ele pensava do futuro? Como estava se preparando para a aposentadoria?

“Eu era quase um zero à esquerda nesse aspecto. Nunca parei pra estudar, nunca parei para entender sobre investimentos”.

O “susto” o despertou a pesquisar sobre todas as modalidades de investimento disponíveis e foi aí que descobriu a renda variável e a análise fundamentalista de ações. Antes de conhecer o Guiainvest, chegou a estudar através de outros sites, até que foi impactado por um vídeo do André, que deu o “start” para sua nova realidade.

A solução

Daniel passou a assistir aos vídeos e foi aprendendo a dar os primeiros passos para a tão sonhada liberdade financeira. Decidiu então assinar o Guiainvest PRO por ser um guia consolidado das informações para a tomada de decisão de escolha de ações.

Criou o hábito de fazer uma análise detalhada dos papéis a cada 15 dias, usando o Raio X, o preço justo e assim descobrindo novas boas oportunidades de compra.

“Agora eu tenho uma visão mais fácil, mais consolidada e com ferramentas para ajudar na tomada de decisão sobre que ações devo comprar. Em fevereiro de 2016 eu tinha 0 ações. Com o conhecimento que adquiri comecei a investir, seguindo as dicas do Guiainvest e do mercado. Isso tudo mudou meu mindset, minha maneira de agir e pensar. Eu me transformei numa pessoa mais consciente, criativa e clara. Fiz os cursos de bônus, também assinei e cursei o treinamento Árvore da Riqueza, e agora quero revisá-lo para confirmar os conhecimentos”.

Seus resultados foram tão satisfatórios que em apenas poucos meses conseguiu visualizar uma coisa que antes nem estava em seus planos: a aposentadoria. Não que Daniel não tivesse o desejo de um dia desfrutar tranquilamente de uma vida sem trabalho, mas na falta de um planejamento, ele seria obrigado a trabalhar até morrer.

O alerta que recebeu de um amigo e que foi o ponto de partida para todas as mudanças, agora é ele quem dá, indicando a ferramenta e os treinamentos para todos seus familiares e conhecidos. Quanto à aposentadoria, agora ele já até sabe quando isso irá acontecer:

“Já tracei uma meta: em 18 anos, estarei aposentado por conta própria. Aos 59 anos, minha esposa e eu estaremos aposentados, curtindo nossa vida até morrer. Nosso objetivo é vender o apartamento que temos, comprar uma casa em uma região litorânea, e viver uma vida confortável, viajando a cada três ou quatro meses, conhecendo lugares e pessoas diferentes”.

Descubra também como se aposentar mais cedo

Assim como o Daniel, que já conseguiu definir o prazo para aposentadoria e não irá depender do INSS ou de previdência privada, você também pode alcançar sua independência financeira na bolsa de valores e descobrir como se aposentar mais cedo!

O GuiaInvest PRO ajuda você a ganhar agilidade na hora de selecionar as melhores empresas da bolsa, reunindo todas as informações em apenas uma ferramenta.

Você ainda poderá tomar suas próprias decisões sem depender das dicas “tendenciosas” dos profissionais do mercado, investindo com segurança através de dados confiáveis. Não tenha mais medo de investir na bolsa de valores!

Saiba mais sobre o GuiaInvest PRO acessando este link.

Também tem uma História de Sucesso com o GuiaInvest para compartilhar? Envie um e-mail para contato@guiainvest.com.br que entraremos em contato!

40% de ganho em 1 ano com as melhores ações para investir

Conheça a história de Darja Lazarevic Gomes, que aprendeu a escolher as melhores ações para investir

Nascida na antiga Iugoslávia, Darja Lazarevic Gomes, 48 anos, é engenheira eletrônica e mora no Brasil há mais de 20 anos. Casada e mãe de gêmeos, ela conta que sempre teve um perfil de poupadora, mas nunca soube bem como investir.

Depois de perder dinheiro fazendo algumas “apostas” na Bolsa de Valores, Darja ouviu falar do GuiaInvest PRO. Com o treinamento Árvore da Riqueza, conheceu a Análise Fundamentalista, ganhou segurança e passou a olhar para as ações com outros olhos.

Ao colocar as técnicas em prática, aprendeu a escolher as melhores ações para investir e chegou a obter 40% de lucro. Conheça abaixo um pouco mais da história da Darja!

Resultados obtidos

melhores ações para investir

  • 40% de lucros com as ações da Estácio;
  • 40% de rentabilidade no Tesouro Direto;
  • Quitou o apartamento;
  • Pró-Atividade para investir e ganhar dinheiro mesmo em momentos de crise.

O problema

Economizar e se preocupar com o futuro sempre estiveram presentes no dia a dia de Darja. Todas as economias, no entanto, iam para o banco, em produtos financeiros com baixa rentabilidade e muitas taxas, como os CDBs.

“Eu tinha muita vontade de mexer na bolsa de valores, mas não sabia como começar. Não conseguia estudar e me sentia muito insegura para escolher uma corretora”.

Ela conta que, em 2012, uma matéria da Revista Exame intitulada “As Estrelas da Bolsa” mostrava as 10 empresas que tinham tido um desempenho muito bom nos 10 anos anteriores e teriam pago dividendos melhores do que outras. Depois de ler a matéria, Darja decidiu que iria investir R$ 1000 em ações de cada uma delas. O resultado foi um tanto previsível: sem nenhuma técnica, a engenheira ganhou dinheiro em algumas e perdeu em outras.

Acabou se empolgando e comprando mais papéis. Sem estratégia, tomava decisões totalmente aleatórias que depois a deixavam preocupada por estar perdendo o dinheiro que havia levado a vida toda para acumular. Darja havia comprado ações da Petrobras e perdeu muito dinheiro com isso.

“A referência para as minhas decisões era aquela revista, que eu até guardei para um dia lembrar do que fiz, para não repetir”.

A história começou a mudar quando estava navegando no Facebook e recebeu um e-mail com recomendação do treinamento Árvore da Riqueza. Em novembro de 2015, ela entrou na turma, assinou o GuiaInvest PRO e ainda ganhou de bônus o treinamento de Tesouro Direto.

Para ela, a mudança mais imediata foi a segurança e confiança que sentiu com os treinamentos.

“O André passa muita credibilidade. Com as aulas dele decidi abrir conta numa corretora, investi no Tesouro Direto e comecei a analisar as ações que eu tinha comprado”.

Em apenas alguns meses, a engenheira virou o jogo. Com os treinamentos, o stock guide e muito conhecimento acumulado, conseguiu descobrir empresas sólidas com as melhores ações para investir na bolsa de valores.

“Eu não nunca tinha ouvido falar na Estácio, mas fiz um estudo pela Análise Fundamentalista e achei muito legal, até por ser da área da educação, que eu acho importante investir. Eu coloquei uma quantia bem significativa de dinheiro e, até agora, ela já me deu 40% de lucro. Com isso, consegui compensar o que eu tinha perdido com a Petrobras”.

A solução

Essa “volta por cima” trouxe segurança e resolveu o problema que antes chegava a tirar seu sono. Hoje, ela tem uma meta bem traçada: destinar 20% de todos os seus recursos para investimento. Por enquanto, já aplicou 15%, mas tem uma quantia reservada para boas oportunidades e promoções.

“Agora entendo o que estou fazendo, por isso tenho confiança para colocar mais dinheiro”.

De maneira geral, ela sente que recebe rendimentos melhores, e, mesmo em tempos de crise, tem pró-atividade para buscar oportunidades e fazer bons negócios. Inclusive, conseguiu quitar seu apartamento em 2016!

“O GuiaInvest PRO e o treinamento Árvore da Riqueza foram uma revolução no meu modo de pensar. Eles me deram muito valor. Eu sinto como se tivesse saído de uma escuridão direto para a luz. Hoje tenho muito mais segurança”.

Descubra as melhores ações para investir

Assim como a Darja, que já conseguiu 40% de lucro somente em 2016 escolhendo as melhores ações para investir, você também pode ter resultados excelentes na bolsa de valores!

O GuiaInvest PRO ajuda você a ganhar agilidade na hora de selecionar as melhores empresas da bolsa, reunindo todas as informações em apenas uma ferramenta.

Você ainda poderá tomar suas próprias decisões sem depender das dicas “tendenciosas” dos profissionais do mercado, investindo com segurança através de dados confiáveis. Não tenha mais medo de investir na bolsa de valores!

Saiba mais sobre o GuiaInvest PRO neste link.

Também tem uma História de Sucesso com o GuiaInvest para compartilhar? Envie um e-mail para contato@guiainvest.com.br que entraremos em contato!

As 3 características dos verdadeiros investidores

Pense na decisão mais estúpida que você já tomou na vida. Vai lá, todos temos uma (ou umas). Tenho certeza de que quando a tomou, você jamais imaginaria que tempos depois ia se lembrar dela como a pior de sua vida, certo?

Agora pense no momento em que você tomou essa decisão, no que estava acontecendo na sua vida, nos motivos que o fizeram agir daquele jeito. Você provavelmente agiu dominado por um instinto, um impulso e uma forte emoção, não? Talvez estivesse abalado psicologicamente por algum motivo. Ou, na outra ponta, tão eufórico e feliz que não parou para refletir sobre a consequência da decisão.

características dos verdadeiros investidores decisão certa ou errada

O que quero dizer é que somos humanos. Humanos erram. Muito. Nem sempre temos atitudes racionais que justificam a fama de sapiência que temos. A irracionalidade faz parte de nossas vidas. E se é assim na nossa vida profissional e pessoal, não podia ser diferente nos investimentos, concorda? Seu desafio, portanto, é compreender isso muito bem e saber que, bem como me disse Vera Rita de Melo Ferreira, maior especialista em finanças comportamentais do Brasil, “se (a pessoa) estiver mais serena, terá, provavelmente, mais chances de examinar com mais cuidado, terá isenção e mais sucesso nas escolhas.” Portanto, antes de mais nada, lembre: nunca, jamais, em hipótese alguma, tome decisões importantes de cabeça quente!

O mais perigoso erro que investidores iniciantes cometem

Muitas pessoas, quando começam a se interessar pelo mercado de ações passam a estudar empresas, acompanhar a movimentação dos mercados e os indicadores econômicos. Não que isso não deva fazer parte do ciclo de aprendizado de um investidor, mas na ânsia de aprender o aparato técnico, esses novos investidores se esquecem do que deveria vir antes de tudo: conhecer a si mesmo, seus medos, sua tolerância ao risco, sua capacidade de lidar com perdas e controlar a euforia. Em outras palavras, esquecem que o estudo das finanças comportamentais é um dos mais importantes elos na formação de um investidor.

características dos verdadeiros investidores autoconhecimento

Talvez você ache que o mercado de ações é algo extremamente complexo e impossível de ser compreendido por um leigo, mas não é bem assim. Como bem diz Warren Buffett, “o sucesso nos investimentos não está correlacionado ao Q.I. de uma pessoa quando se está acima do nível de 125 pontos. A partir do momento em que você tem uma inteligência normal, o que você precisa é aprender a controlar o seu temperamento, que é o que leva as pessoas a terem problemas ao investir.”

Tenho certeza absoluta de que se você está aqui lendo este artigo tem a inteligência “necessária” para investir. Seu desafio, portanto, é aprender a lidar com o seu emocional.

O temperamento dos verdadeiros investidores

Algumas características são inerentes aos bons investidores. Em geral, são pessoas que tomam decisões muito mais baseadas na razão do que na emoção. Por outro lado, os ansiosos, impacientes e que se deixam dominar pela emoção costumam ser atropelados pelo mercado.

características dos verdadeiros investidores razão versus emoção

O curioso, porém, é que nosso nobre Senhor Mercado é o mesmo para o investidor sereno e para o ansioso. O que nos leva a crer que seu maior inimigo na bolsa não é o mercado em si, mas você mesmo e as atitudes que toma. Isso, é claro, quando você se encaixa no perfil impaciente que comentei há pouco.

As três características dos verdadeiros investidores

Segundo Benjamin Graham, o pai do value investing, de maneira geral, estas são as três principais características dos verdadeiros investidores:

1 – Eles são calmos

Os verdadeiros investidores sabem que os preços das ações podem sofrer variações incoerentes no curto prazo – mesmo as que eles compraram após uma minuciosa análise. Quando uma de suas empresas cai, eles ficam felizes, pois veem uma grande chance de comprar uma grande empresa a um preço abaixo do seu valor real. Além disso, eles sabem que, no longo prazo, o resultado de sua análise baseada no value investing irá se pagar, e que, no curto prazo, o importante é não entrar em pânico para ser capaz de conseguir ler o cenário com isenção.

características dos verdadeiros investidores calma

 

Se você acha que não tem sangue para aguentar o sobe e desce, sugiro que estude muito sobre finanças comportamentais antes de ir para o mercado. A lista de artigos abaixo é o melhor ponto de partida:

2 – Eles são pacientes

Se você leu em algum grande veículo que “chegou a hora de ir para a bolsa”, é bem provável que já seja tarde demais. É em momentos como esse que você testa sua capacidade de se manter calmo, sereno e racional. Afinal, a tentação para a emoção entrar em ação poderá ser grande. Se ceder, será fatalmente mais uma vítima do efeito manada.

É por isso que antes de ir para o mercado e tomar qualquer decisão de compra ou venda de uma ação você precisa criar regras e filtros que deverão ser respeitados, não importa o que você ler na mídia ou o que alguém falar para você. Sobre isso, sugiro que leia este artigo, em que apresento seis passos para você criar seu próprio método para investir em ações.

características dos verdadeiros investidores bons investimentos

Posso contar um segredo? Muitas vezes, a diferença entre as pessoas de sucesso e as ordinárias não é a sua capacidade intelectual, mas a sua disciplina e seu foco.

3 – Eles são racionais

A soma das atitudes e comportamentos desencadeados a partir da calma e da paciência é a responsável por formar o verdadeiro investidor, um sujeito racional, que sabe bem de seus objetivos, o que precisa fazer e como deve agir para atingi-los. É uma pessoa que não se deixa levar por agentes externos que não merecem sua confiança. Ele compreende o humor do senhor Mercado e sabe que, no curto prazo, não se faz nada além de monitorar excelentes oportunidades.

Cuidado com o otimismo excessivo…

Quando estamos muito imersos em algum tema, começamos a ver sinais dele em todos os lugares. Por exemplo: você acabou de comprar a ação de uma empresa e agora começa a ver a marca dela em todos os lugares e acaba ficando um tanto cego a respeito do que lê sobre ela. O otimismo excessivo é um comportamento curioso, mas perigoso – em especial quando você acha que enxergou algo que ninguém mais percebeu. É nessas horas que muitos cometem o erro de tomar uma decisão rápida, superficial, mas sem qualquer fundamento. Cuidado para não achar chifre em cabeça de boi.

características dos verdadeiros investidores erros dos iniciantes

…e também com o excesso de informação

Você será muito mais feliz se não acompanhar o mercado com frequência. Essa, aliás, poderia ser a quarta característica dos verdadeiros investidores. Um estudo de Robert Thaler, professor da Universidade de Chicago (EUA), comprovou que investidores têm desempenho melhor quando não acompanham os relatórios mensais de suas posições na bolsa. Isso porque tudo pode acontecer em 30 dias, mas o real valor do seu investimento não será refletido em um período tão curto. Sendo assim, depois de ter feito boas escolhas, não há muita razão para monitorar a carteira assim tão de perto. Veja isso como uma estratégia para preservar sua racionalidade no mercado.

É uma missão que estará sempre com você

Você já reparou quantos artigos eu já publiquei aqui no blog sobre finanças comportamentais? A lista acima é apenas uma amostra. A quantidade de conteúdo é um simples reflexo da vasta literatura disponível sobre este assunto, e o que me inspira a compartilhar esses conhecimentos com você. Ela é derivada da grande carência que temos em entender a forma como nosso cérebro é capaz de nos pregar peças.

O mercado é formado por pessoas, sobretudo. Pessoas que, em uma porção relevante, são movidas por decisões emocionais, por objetivos especulatórios. No curto prazo, é apenas essa loucura que você vai ver no mercado. Os fundamentos se mostrarão apenas com o passar do tempo.

características dos verdadeiros investidores

Seja nos investimentos ou na vida, não existem atalhos para o sucesso. Mas se você se manter fiel às três (ou quatro) características dos verdadeiros investidores, estará no caminho certo.

Bons investimentos!

Aprenda como ganhar de R$1mil a R$5mil por mês com dividendos, mesmo que tenha somente R$100 para começar.