Como evitar tarifas bancárias e criar um patrimônio


Você sabia que o seu banco pode tirar quase meio MILHÃO de reais de você apenas cobrando tarifas? É isso mesmo! Nesse artigo eu vou falar porque você paga tarifas, quem ganha com elas, como evitar tarifas bancárias e quanto você pode ganhar usando esse dinheiro que antes não estava com você.

Já pensou o que você poderia fazer com todo esse dinheiro? Você pode comprar um apartamento, poderia ter uma aposentadoria mais tranquila ou mesmo viajar o mundo

Agora que você já sabe o que faria com esse dinheiro, dá uma olhada em como fugir das tarifas e fazer esse dinheiro trabalhar para você!

Como os bancos tiram dinheiro de você

Evitar Tarifas Bancarias Banco Tira o Seu Dinheiro

Os bancos cobram tarifas mensalmente pela utilização de seus produtos e serviços, como o uso de talão de cheques, extratos em papel, manutenção de conta, transferências, entre outros produtos que provavelmente você não utiliza.

E você paga caro por isso!

Essas tarifas, em média, são de R$ 30,00 mensais.

Os pacotes embutem diversos itens bancários que não são obrigatórios e poderiam ser retirados da sua conta, o que no longo prazo pode significar muito dinheiro!

Mas não se sinta culpado. A indústria financeira é montada dessa forma: para tirar o seu dinheiro sem que você nem perceba. E por isso é muito importante que você seja o responsável por cuidar do seu dinheiro. Ninguém vai cuidar dele melhor do que você!

Mas eu tenho uma BOA NOTÍCIA: Há como evitar tarifas bancárias!

Você não só pode se livrar delas, como pode ter para você aquele meio milhão de reais que o banco toma de você! E eu vou te mostrar como!

Como Evitar Tarifas Bancárias

evitar-tarifas-bancarias-escapando

Existem atualmente dois tipos de conta que são isentas de tarifas bancárias: a Conta de Serviços Essenciais e a Conta Digital. Como elas são gratuitas, possuem algumas limitações, como a restrição do uso de talão de cheques.

Mas também convenhamos: o uso de cheques é um método cada vez mais ultrapassado…

De qualquer forma, antes de migrar de conta, sugiro que você avalie o seu histórico de utilização dos serviços bancários. Veja quantas folhas de cheque você utilizou nos últimos 30 dias e quantas transferências bancárias realizou, isso é necessário para evitar que você pague por esses serviços após a migração.

Conta Digital

Evitar Tarifas Bancárias Abrir Conta Digital

Desde 2010, todos os consumidores que utilizam o banco apenas pela internet têm o direito de possuir uma conta bancária sem pagar nada, que é chamada de Conta Digital. A Resolução no 3.919 do Banco Central, que entrou em vigor em 29 de novembro de 2010, veda a cobrança de tarifas.

Os grandes bancos, como Itaú e Bradesco, já oferecem a modalidade de Conta Digital. No Itaú essa conta se chama “iconta” e no Bradesco “digiconta”. O Banco do Brasil possuía a modalidade Pacote Digital, no entanto, descontinuou o programa e ainda não há data definida para o lançamento do produto substituto.

Então verifique se o seu banco já possui essa modalidade de conta ou abra uma nova no Itaú ou Bradesco. Essa conta é exclusiva para pessoa física, sendo indicada para quem não consulta o gerente de banco, não utiliza o caixa bancário e não utiliza talão de cheques.

Seu diferencial é oferecer gratuitamente saques e transferências bancárias ilimitados. Para garantir a isenção de transferência de recursos (DOC ou TED), você deve realizar as transferências somente pela Internet ou via terminal de autoatendimento.

As tarifas de transações realizadas no atendimento pessoal serão cobradas de acordo com as tabelas de tarifas do banco. Os limites de crédito (conta especial, cartão de crédito, empréstimos e financiamentos) não são alterados.

A Conta Digital possui os produtos:

  • 1 cartão de débito;
  • saques ilimitados;
  • transferências bancárias ilimitadas;
  • consultas ilimitadas pela internet.

Verifique se o banco não está lhe cobrando alguma tarifa “escondida”, como seguro contra roubo de cartão ou seguro de vida. Você NÃO É OBRIGADO a aceitar nenhum destes itens para abrir uma Conta Digital.

Se você procura uma conta bancária para realizar suas aplicações no Tesouro Direto, que é o mais seguro dos investimentos e você pode começar a aplicar com apenas R$30,00, a Conta Digital é uma ótima opção, pois permite realizar gratuitamente ilimitadas transferências bancárias para a sua corretora.

A única desvantagem desse tipo de conta é que os serviços de talão de cheques e o atendimento pessoal serão cobrados de forma avulsa.

Talvez o seu gerente do banco não conheça essa modalidade, ou se faça de desentendido mesmo. Afinal, para o banco é ótimo que você continue pagando tarifas…

Fazendo seu dinheiro render

Evitar Tarifas Bancarias Dinheiro Rendendo

Se você abriu uma conta aos 18 anos e ficar no mesmo banco pagando tarifas até os seus 70 anos, você terá gasto um pouco mais de R$ 18.000,00 nesse período. Por isso, pode ser muito vantajoso para as suas finanças evitar tarifas bancárias.

Se você paga R$ 30,00 mensais em tarifas, imagine quanto você ganharia se esse valor estivesse com você desde o início da abertura de sua conta e sendo bem aplicado todo mês…

Veja a simulação do quanto você poderia ter acumulado ao longo dos anos depositando mensalmente os R$ 30,00 no título público Tesouro Selic (LFT), que permite resgate da aplicação quando você quiser:

Evitar Tarifas Bancárias Quanto Você Pode Acumular

É muito dinheiro, não? Essa é uma forma poderosa de evitar tarifas bancárias e transformá-las em patrimônio.

Você deve estar se questionando se esse tipo de desempenho só é possível para os melhores investidores, que conhecem muito bem o mercado…

Eu também achava isso, mas isso não é verdade!

O Tesouro Direto é algo muito simples, acessível a qualquer cidadão, de qualquer idade, classe social ou nível educacional.

Os principais mitos do Tesouro Direto já haviam sido desmistificados nesses três artigos, mostrando que o investimento em títulos públicos é uma excelente alternativa para qualquer tipo de investidor, tanto o pequeno quanto o grande investidor. Veja aqui:

Artigo 1 – Como Ganhar Até 2x Mais que a Poupança Correndo Menos Risco

Artigo 2 – Como Investir no Tesouro Direto em 8 Simples Passos

Artigo 3 – Tesouro Direto: Os 7 Maiores Mitos Desmistificados (o #3 é o mais forte deles!)

Não acha que já passou da hora de ir abrir sua Conta Digital e investir o valor das tarifas no Tesouro Direto?

Se você gostou deste artigo e deseja dar o próximo passo para conquistar seus maiores objetivos financeiros investindo em títulos públicos, nós elaboramos um treinamento completo em que revelo todos os Segredos do Tesouro Direto.

As inscrições estão abertas por tempo limitado, portanto não perca tempo e acesse aqui para saber mais sobre este treinamento!

Deixe um comentário abaixo, falando sobre o que você aprendeu sobre evitar tarifas bancárias e investir no Tesouro Direto.

Um abraço e bons investimentos!

Crédito das imagens: www.shutterstock.com

Como conseguir dinheiro para abrir um negócio: rendimento de 115,97% em um ano

Silas Marinho tinha um sonho: empreender. Para viabilizar esse projeto foi em busca de investimentos e descobriu como conseguir dinheiro para abrir um negócio. Conheça a história dele!

Um empreendedor em busca de seus sonhos. Assim Silas Marinho se identifica, desde criança. Administrador formado pela Universidade Federal da Bahia, tem especialização na área de finanças e é empregado da Petrobras desde 2008, onde atua na função de consultor assessorando a alta administração e as gerências médias nos assuntos relacionados à gestão financeira de operações e investimentos em sondas de perfuração.

Casado com Daniela e pai de Giovanni, ele é de Salvador/BA, mas reside em Macaé/RJ, onde fica a principal base operacional da Petrobras no Rio de Janeiro.

Resultados

  • Começou a investir jovem, mas sem conhecimento e sem experiência perdeu tudo aos 20 anos em opções
  • Ficou fora da bolsa por mais de 17 anos até estar maduro e preparado para voltar
  • Retornou à bolsa em 2015 com a criação de clube de investimento
  • Clube rendeu 115,97% nos últimos 12 meses
  • Lucro das ações viabilizou investimento em outros negócios
  • Já tem uma aposentadoria confortável planejada

O Problema

Silas sempre teve o desejo de investir correndo em suas veias. Por isso mesmo, ainda bem jovem começou a aplicar, mesmo sem ter muito conhecimento. Logo que saiu do exército, decidiu pegar todo o dinheiro que havia recebido e comprar ações. Para descobrir os passos, visitou fóruns e leu sobre dicas de investimento em opções. Aquela velha história de que a sorte chega aos principiantes também se repetiu na vida de Silas: seu capital inicial era R$ 3.100 e em três dias ele havia se transformado em aproximadamente R$ 11 mil.

“Na época, ali por 1998, um carro zero custava mais ou menos R$ 7.500 reais. Então esse meu dinheiro dava para comprar um carro. A galera da faculdade me dizia ‘vende, vende e compra um carro’ e eu falei ‘não, agora eu sou o cara’. E aí nos quatro meses seguintes esses R$ 11 mil viraram R$ 42 reais. Só a custódia custava R$ 10, então em pouco tempo eu ia ficar com saldo negativo. Por isso, vendi e não queria mais saber do assunto”.

Depois de 15 anos fora do mercado, sem estudar ou acompanhar nada, Silas decidiu, em 2015, que era hora de voltar, como uma forma de abrir portas para seu objetivo de empreender.

“Meu sonho é trabalhar com os meus amigos, ter uma empresa construída do zero com os caras mais competentes que eu conheço e em 20 anos transformar esse negócio num dos maiores grupos empresariais do Brasil e assim ajudar a mudar a realidade do país, o que me deixaria realizado”.

O desejo de Silas era criar, com os sócios, um clube de investimentos. Para tornar isso possível, decidiu que era hora de voltar ao mercado e começar a investir novamente.

“Desta vez, eu queria ter uma estratégia profissional. Quando decidimos montar o clube, enquanto esperava o processo burocrático, que geralmente demora de 4 a 6 meses, comecei a estudar tudo que havia de disponível no mercado, tanto a parte de cursos como a parte de ferramental de sites e aplicativos para poder acompanhar. Montamos um modelo próprio, testamos e vimos que dava certo.”

Nesse processo, Silas encontrou muitas ferramentas, mas a maioria voltada para quem passa o dia inteiro operando, com conteúdos e funcionalidades de análise técnica, pouco didáticas para investidores iniciantes.

“Eu estava buscando alguma coisa mais voltada para valuation e análise fundamentalista, mas que também tivesse funcionalidades que permitissem fazer uma análise técnica mais efetiva”.

Assim, Silas descobriu o GuiaInvest e passou a utilizar o site de forma gratuita.

“Fiquei usando o ferramental durante um tempo para testar, ver como eram o fórum e os gráficos, até que vi uma área muito legal que era restrita… Fiz a assinatura do PRO para testar e gostei muito das funcionalidades”.

A Solução

Depois de ficar meses estudando, quando o clube foi liberado para operar, ele já estava com o portfólio analisado, e tinha tudo gravado no GuiaInvest.

“Fomos testando durante um ano até conseguirmos definir uma estratégia legal para nossos objetivos. Decidimos seguir um misto de Swing Trade com uma base fundamentalista. Ou seja, fazemos a análise fundamentalista e monitoramos oportunidades de retorno de curto prazo”.

Uma das formas de organização utilizadas por Silas foi aplicar uma espécie de diário de operação. Ele salva os apontamentos e depois de um tempo confere se suas “previsões” se confirmaram.

“Depois de um mês, às vezes dois meses, eu volto lá, abro a análise em tela cheia, clico no play do gráfico, e confiro se o que eu escrevi aconteceu ou não. Então se faz uma curva de aprendizado muito legal”.

Quando o clube de investimentos foi pensado, a ideia era que ele atingisse, num período de cinco a dez anos, um valor de patrimônio que permitisse ao Silas e aos amigos atingirem independência financeira. Garantindo, assim, tempo livre para dedicarem-se de corpo e alma ao projeto do grupo empresarial.

Porém, Silas rapidamente descobriu como conseguir dinheiro para abrir um negócio e, em apenas um ano, mais que dobraram o capital, e fizeram alguns saques relevantes para comprar ou montar outros negócios. Além da estratégia, Silas cita o ótimo momento da bolsa e alerta que esta é a hora para aproveitar o mercado de alta e a grande volatilidade dos principais papéis.

“Nos últimos 12 meses, nosso resultado foi de 115,97% de rendimento. Nossa ideia é que à medida que o clube der esse retorno, possamos resgatar parte das cotas para diversificar o negócio em economia real. O objetivo do clube é gerar independência financeira, mas o que queremos mesmo é gerar empregos. Claro que queremos ter lucro e manter a taxa de retorno acima de 20% ao ano. Mas se pudermos fazer isso gerando empregos, será ainda melhor”.

Basicamente, o grupo aplica a análise fundamentalista para selecionar boas empresas que estejam com valor baixo, por momento de mercado ou má gestão administrativa ou financeira.

“Estamos comprando a preço de banana, pensando exatamente no grande ditado da Bolsa: ‘Compre ao som dos canhões e venda ao som dos violinos…’”.

Dentro dessa estratégia de ganhar dinheiro e gerar empregos, eles foram em busca de boas oportunidades de negócios. Compraram uma franquia de fast food de comida brasileira em Macaé e em cinco meses de gestão dobraram o faturamento.

Agora, buscam romper o ponto de equilíbrio para deixar a loja no azul, o que, segundo a meta definida, tem que ser alcançado até abril deste ano. A expectativa é que até o segundo semestre de 2017 estejam gerando o lucro esperado, de 5% ao mês sobre o capital investido.

“Em um prazo muito curto conseguimos mudar a equipe toda, colocar um novo gerente e um consultor para fazer o mapeamento de todos os processos e adequar às normas da franquia. Visitamos as melhores operações do Brasil para copiar os processos que dão certo, e trouxemos toda a tecnologia para a loja de Macaé”.

Silas explica que o grupo já está em vias de comprar outra franquia do setor de alimentação, e a ideia é que o clube vire uma “vaquinha leiteira”, para, a cada ano, comprar um ou dois negócios. Em uma década, o grupo poderia alcançar entre 10 e 20 lojas, viabilizando uma aposentadoria confortável para todos os sócios.

“Teremos a renda passiva do lucro das lojas e mais os rendimentos de dividendos que o clube receber. Estamos muito felizes e satisfeitos por estarmos vivendo o nosso sonho de vida saindo do papel e tornando-se realidade. Já estamos gerando 11 empregos diretos e assim contribuímos para ajudar a melhorar a atual realidade do nosso Brasil.”

Descubra como conseguir dinheiro para abrir um negócio

Você também tem o sonho de comandar sua própria empresa? Assim como o Silas Marinho, você pode aprender como conseguir dinheiro para abrir um negócio, selecionando as melhores empresas para investir na bolsa.

O GuiaInvest PRO ajuda você a ganhar agilidade na hora de fazer essa seleção, reunindo todas as informações em apenas uma ferramenta.

Você ainda poderá tomar suas próprias decisões sem depender das dicas “tendenciosas” dos profissionais do mercado, investindo com segurança através de dados confiáveis. Não tenha mais medo de investir na bolsa de valores!

Saiba mais sobre o GuiaInvest PRO.

Também tem uma História de Sucesso com o GuiaInvest para compartilhar? Envie um e-mail para contato@guiainvest.com.br que entraremos em contato!

O que fazer com o FGTS: como multiplicar este dinheiro!

o que fazer com o FGTS dinheiro homem

 

Em meio a tantas notícias sobre a liberação das contas inativas, você deve estar se perguntando o que fazer com o FGTS.

Você está prestes a ganhar um dinheiro que não estava esperando, mas as chances dele desaparecer são grandes.

Sabe aquela velha frase: o que vem fácil vai fácil?

Pois é, fique atento ao que eu vou dizer em seguida, pode ser que tirem esse dinheiro de você.

Estamos passando por uma série de mudanças dentro do país. Vivemos um período de muitas incertezas econômicas o que reforça a necessidade de que se busque cada vez mais informação e planejamento de vida.

Um dos presidentes mais famosos dos EUA, John F. Kennedy, possui uma frase que eu gosto muito e que resume o momento econômico em que vivemos:  “a palavra CRISE escrita em chinês compõe-se de dois caracteres: um representa PERIGO o outro representa OPORTUNIDADE.

Uma boa notícia:

Mesmo com a crise, você está diante de uma oportunidade única!

O Governo Federal anunciou que liberará o saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) logo após o Carnaval.

Antes, só era possível sacar este valor em situações bem específicas, como na aquisição de um imóvel. O que impossibilitava que milhares de brasileiros tivessem acesso a este valor.

Porém, como medida de incentivo ao aumento do Produto Interno Bruto (PIB) agora todo trabalhador que possui uma conta no FGTS que ficou inativa até 31/12/2015 poderá sacar este dinheiro para fazer o que quiser.

Os pagamentos começarão a ser feitos a partir de 10 de março. Eles seguirão uma ordem de acordo com a data de nascimento dos titulares, sendo que os últimos pagamentos estão programados para julho.

O que fazer com o FGTS

Você pode consultar através do site da Caixa se você possui algum valor disponível para ser sacado.

Inclusive, as agências da Caixa de todo país farão horários especiais para atender aos cidadãos. Além disso, toda pessoa que tiver uma conta poupança da CEF terá o valor transferido automaticamente.

Bom, uma coisa é fato: não é todo dia que se recebe um dinheiro inesperado.

Mas atenção: você sabe o que vai fazer com este valor?

Eu sei que provavelmente você tenha dívidas ou então esteja com vontade de adquirir algum bem.

Mas, não esqueça de um outro assunto que está cada vez mais presente nos noticiários.

Aposentadoria!

Sabemos que há chances de uma série de medidas que tornarão mais complexo o processo da aposentadoria pública serem aprovadas.

Independente disso ser positivo ou não, o que importa é que isso reforça a necessidade de que você precisa planejar o seu futuro financeiro. Sabe por quê?

Infelizmente, não podemos ter controle sobre o que acontecerá na economia ou na política, mas se você estiver preparado, os fatores externos terão menos peso dentro da sua vida.

Então, pense comigo …

Muitas vezes o que impede você de investir o seu dinheiro é o fato de não possuir dinheiro sobrando no final do mês. Certo?

Só que agora, pela primeira vez em muito tempo você não terá esse problema.

Tá, mas o que fazer com o FGTS?

Você precisa libertar o FGTS que está enclausurado em uma conta que está fazendo você perder dinheiro..

Este fundo não rende nada, antes você não tinha opção, mas agora o controle está nas suas mãos.

Sabe para quem é lucrativo que você mantenha este dinheiro parado? Para o Governo que fica emprestando este valor a terceiros lucrando com os juros.

Você sabia que a poupança rende pouco, certo?

Então, o FGTS rende menos ainda!

Por isso que eu quero apresentar para você a modalidade de investimento mais apropriada neste momento: o Tesouro Direto.

Além de rentável, ele é extremamente seguro.

Veja uma simulação do rendimento de diferentes valores aplicados ao decorrer de 10 anos na no FGTS, na Poupança e no Tesouro Direto.

o que fazer com o FGTS

Agora eu vou explicar um pouco sobre ele …

Os títulos do Tesouro Nacional (Tesouro Direto) são uma das formas do Governo conseguir verba para financiar obras de infraestrutura. A lógica desta transação é muito simples, você empresta dinheiro para o Governo que depois de um determinado tempo, estabelecido no momento do empréstimo, devolve o valor com juros.

Ou seja, você multiplica as suas economias.

E sabe por que essa transação é muito segura?

O único jeito de você não receber o seu dinheiro é se o país entrar em colapso.

E, caso isso aconteça, os bancos já faliram muito antes. Ou seja, até mesmo a poupança, queridinha da maioria dos brasileiros, que você acredita ser segura, já teria deixado de pagar também.

Agora existe uma coisa muito importante que eu preciso que você saiba

Até 2002 o único jeito de investir no Tesouro era por intermédio dos fundos de Renda Fixa, produtos financeiros bem conhecidos dentro dos bancos.

Provavelmente você já tenha ouvido falar.

Mas, claro que os bancos cobram altas taxas de administração para intermediar essas transações. E o seu lucro cai por água abaixo …

Hoje, não é preciso mais de intermediários. Qualquer pessoa que deseja investir no Tesouro Direto pode fazer tudo pela internet.  

Cômodo e fácil!

Quer uma prova de que este investimento vale a pena?

As instituições financeiras são as maiores compradoras de títulos públicos.

E se os bancos investem nessa modalidade, acho que você irá concordar comigo que ela deve trazer bons resultados.

Um dos fatores que eu considero mais interessante no Tesouro Direto, além da praticidade, é a diversificação que ele oferece.

Deixa eu explicar melhor …

Existem várias modalidades que se encaixam dentro do seu objetivo. Longo, médio ou curto prazo. Você investe de acordo com o que você deseja.

Um investimento para aposentadoria, outro para a compra de um imóvel, mudança de carro, ou até mesmo a próxima viagem de férias.

Certo, então o que você me diz de sacar esse dinheiro do FGTS e fazer ele se multiplicar?

A forma mais eficaz para conseguir isso é estudando sobre o assunto. Não é a toa que quase ninguém sabe que o Tesouro Direto rende 65% a mais em comparação com o FGTS. Se todo mundo começar a investir independente das instituições financeiras, como os bancos terão lucro?

Quando você aprende sobre algo você se torna livre, pois não dependerá mais do conhecimento de terceiros.

Afinal de contas, quem seria a melhor pessoa para cuidar do seu dinheiro do que você mesmo?

Descubra como o FGTS pode salvar a sua aposentadoria por meio do Tesouro Direto. Conheça aqui um treinamento que ensina como!

5 modalidades de investimento para você monitorar

modalidades de investimento angel investing

Todos os dias, em diferentes lugares, parecem surgir novas opções para você guardar ou investir seu dinheiro. Aprenda um pouco sobre esses locais e ativos e decida se algum pode ser atrativo para você.

Você já reparou como, em todos os setores de nossa vida, as opções explodiram?

modalidades de investimento muitas alternativas

Antes, contávamos com quatro ou cinco emissoras de TV aberta e pronto. Hoje, os assinantes de TV a cabo têm à disposição centenas de canais. Isso sem contar Netflix e YouTube, que barateiam o acesso a filmes, séries e vídeos dos mais diferentes segmentos e ainda permitem que tenhamos a oportunidade de assistir o que quisermos, a hora que quisermos.

Olhando para outra área, antigamente, havia duas, no máximo três opções de videogames. Hoje são três ou quatro, mais celular, computador e até mesmo telas instaladas em bares e outros locais. E tem mais! Em alguns países, para estimular as pessoas a ficarem paradas e esperarem o sinal para atravessar a rua, prefeituras instalam joguinhos nos postes do semáforo que só funcionam quando os carros estão passando.

No passado, sábado, era dia de futebolzinho com os amigos. Hoje, há redes de vôlei e futevôlei em todo lugar. Praças oferecem equipamento de musculação. Aqui e ali pessoas treinam rúgbi e futebol americano.

Antes, a regra era casar cedo e viver com aquela pessoa o resto da vida, mesmo à custa da felicidade. Hoje, pessoas vivem com os pais até os trinta e tantos anos e, se saem do conforto do lar “dos velhos”, vale quase tudo.

Enfim, você já entendeu aonde quero chegar, não é mesmo?

Em finanças, é a mesma coisa.

Antes, tínhamos apenas os bancos, com a poupança da Caixa sendo o supra-sumo dos investimentos. Era quase uma declaração de cidadania. Tínhamos nossos trocados na Caixa, que pais e avós abasteciam de vez em quando. Colocávamos moedas no cofrinho – quando a inflação deixava – e este dinheiro ia direto para o banco que ainda tinha nome e sobrenome: Caixa Econômica Federal. Outros investimentos? Terra, dólar. Aparentemente, somente na bolsa de valores tínhamos mais opções: havia a de São Paulo e a do Rio. Mas compare os serviços e opções da BM&FBovespa de então e a de hoje…

Hoje, porém, o cenário é bem diferente. Basta olhar para algumas das opções do maravilhoso mundo novo da economia para entender. Há algumas opções de investimento, outras são apenas alternativas para serviços que já existem há algum tempo, mas tudo surge como oportunidade.

Como toda novidade, todavia, os modelos de investimento que apareceram recentemente merecem cautela e cuidado. Especialmente porque passamos por um período que já exige prudência… Bancos do mundo inteiro preveem que os investimentos irão pagar menos até que se saiba para onde o mundo vai com as consequências de Trump, saída do Reino Unido da União Europeia e outras ações serem digeridas. Uma economia forte absorveria tais golpes facilmente, mas em 2016 as finanças mundiais já não estavam em sua melhor forma. Assim, muitos investidores procuram alternativas, algumas das quais não exatamente testadas ou conhecidas.

Então, vamos colocar cada novidade em perspectiva e analisar cada uma das modalidades de investimento.

1 – Angel investing

modalidades de investimento angel investing

Investidor-Anjo é aquela pessoa física que investe em startups, empresas que estão começando. O lucro vem com o sucesso daquela empresa. Não é preciso nem dizer que esse tipo de investimento sofre com os mesmos riscos de qualquer empreendimento novo. Quem já abriu uma empresa no Brasil sabe como é. A única diferença é que o investidor coloca menos dinheiro e não se envolve no dia a dia da companhia.  Existem algumas financeiras e gerenciadoras de patrimônio já trabalhando com essa modalidade. Antes de considerar esse investimento, preste atenção em algumas regras:

  •     Quem está à frente do negócio?

Analise integridade, competência, paixão e comprometimento dos responsáveis pelo empreendimento. Serão eles, em última análise, que farão seu dinheiro render mais ou menos.

  •     Qual é o plano de voo?

Assim como você analisa uma ação, estude o plano de negócios do empreendimento. Você entende o que eles estão tentando fazer/construir? Tem um planejamento claro, uma diferença notável frente aos concorrentes?

  •     Quais são os objetivos?

Tenha certeza de que o empreendimento sabe o que quer conseguir com o anjo ou anjos. Quanto capital eles querem arrecadar? Quanto eles vão usar desses recursos por mês? Qual é o faturamento/despesas projetadas para os próximos dois anos? Qual é a situação econômica que os empreendedores usaram para projetar tais números? Sabem o que fazer se os ventos vindos de Brasília piorarem ou melhorarem?

  •     Existe um planejamento estratégico comercial definido?

Como o empreendimento pretende vender o serviço ou produto? Qual estratégia de vendas? Leve em consideração que é bem diferente vender água e vender um programa sofisticado de contabilidade para empresas com mais de 5 mil funcionários. Peça que o empreendedor mostre o número de possíveis clientes e como pretende chegar até eles.

  •     Quais são as expectativas e perspectivas?

Há intenção de aumentar a equipe nesses dois anos? E plano de cargo e salários?

  •     Como será feita a comunicação entre investidor e empreendedor?

Como o empreendedor pretende lhe informar sobre o andamento do projeto? Que dados vai lhe passar e com que frequência?

Procure agentes financeiros de confiança. Fale com pessoas interessadas no assunto, pesquise em blogs de respeito, só então decida se vai ou não se tornar um investidor anjo.

2 – Microcrédito

Operações de microcrédito são formas de investimento anjo em que se aplica muito pouco dinheiro – a partir de vinte, cinquenta reais. No exterior, muito desse investimento é feito através de vaquinhas, de sites de financiamento. Você e mais dezenas de pessoas investem quinze ou vinte dólares, o microempreendedor levanta sua vendinha, por exemplo, e depois de alguns meses você recebe seu dinheiro de volta. Em alguns casos, com juros. Em outros, apenas o montante original, pois o maior interesse é o lado social.

Por aqui, legislações proíbem que pessoas físicas apoiem outras pessoas através de microcréditos diretamente. Você pode fazê-lo através de sites como o Kiva.org, mas não conte em receber juros. Você apenas ajuda uma pessoa a realizar um sonho ou reconstruir sua vida. A legislação pode não permitir a ação de pessoa física para pessoa física, mas dá a possibilidade de uma alternativa.

modalidades de investimento microcrédito

3 – Cooperativas de crédito

Segundo o Banco Central, uma cooperativa de crédito é uma instituição que presta serviços financeiros somente para os próprios sócios. Você é, ao mesmo tempo, dono e cliente.

Permite-se que as cooperativas de crédito ofereçam os mesmos serviços de um banco: conta-corrente, empréstimos, investimentos, cartões de crédito. Por lei, uma Cooperativa de Crédito não pode visar o lucro, e por isso tem a vantagem de poder pagar juros maiores em alguns investimentos. Porém, se tudo isso é verdade, como é que se vê tanta publicidade de cooperativas de crédito por aí? Não deveria ser restrito a sócios? Sim, e todos que abrem conta em uma cooperativa tornam-se sócios do empreendimento. Em nenhum lugar se coloca um limite para o número de associados, nem do valor que cada um deve investir na cooperativa. É uma maneira de se equiparar a bancos. Entretanto, como todos são sócios, todos também arcam com meses em que a cooperativa fica no vermelho. Como dizemos sempre, não existe nada grátis na economia. Para cada vantagem, vem um risco. Maior ou menor, mas vem.

Mas há um limite para essa responsabilidade: assim como os bancos, elas possuem seu fundo garantidor de depósitos, o FGCoop. Assim, os sócios/clientes têm a certeza de que não perderão tudo se o empreendimento naufragar. Busque uma cooperativa de crédito sólida para investir com mais segurança e talvez conseguir um rendimento maior para alguns de seus investimentos.

4 – Bancos virtuais

Essas instituições financeiras funcionam apenas na internet e sua principal vantagem é simplificar a vida do investidor. Tudo é feito através dos computadores, com cartões e outros produtos sendo entregues em sua casa. Como esses bancos não têm agências ou muitos funcionários, podem oferecer serviços a taxas mais baixas.

No início, era só isso: pouco mais do que uma maneira de facilitar transações na internet e ganhar vantagens com um cartão de crédito feito para isso. Agora, esses bancos passaram a oferecer investimentos. Até mesmo os grandes bancos do país começam a oferecer serviços como fundos de renda fixa e CDB, além de seguros. Outra grande vantagem desses bancos é que, por serem menores, eles tendem a ser mais pessoais e mais ágeis. O negócio é tão bom que até mesmo os grandes bancos nacionais estão investindo em tal setor e apresentando cada vez mais serviços via internet e criando agências virtuais.

Você não vai ter tantas opções como nos bancos originais, mas é mais uma opção para você pagar contas e investir com taxas um pouco mais vantajosas. Existem riscos, lógico. Bancos virtuais são, via de regra, bancos pequenos, e como tais, podem ser mais afetados pelas mudanças de regras vindas de Brasília. A recente alteração nos juros do cartão de crédito, por exemplo, gerou muita reclamação por parte de algumas dessas instituições, que se viram, de uma hora para outra, tendo que investir uma fatia muito maior de seu capital para cobrir cartões.

modalidades de investimento moeda virtual banco virtual

5 – Criptomoedas

Essa é talvez a modalidade mais nova de investimento. A primeira e mais famosa delas, o Bitcoin, foi criada em 2009. Tentando explicar da forma mais fácil: são moedas extraoficiais usadas para facilitar as transações na internet. Não são emitidas por nenhum banco central ou país, e seu lastro e confiabilidade baseia-se em complexos cálculos matemáticos. Uma das maneiras de conseguir essa moeda é deixar seu computador trabalhando nos algoritmos. Esse processo é chamado de “mineração” e, depois de algum tempo, existe um sorteio e você pode conseguir uma moeda que pode ser trocada por bens e serviços.

Como a maior parte das criptomoedas tem um limite de existência (nunca pode haver mais do que 24 milhões de bitcoins, por exemplo), uma hipervalorização é quase sempre esperada – um bitcoin vale entre R$ 2.800,00 e R$ 2.900,00.

Mas o que mais atrai as pessoas para essa nova forma de troca de valores é anonimidade. Você gasta dinheiro, a rigor, longe dos olhos do governo. Essa situação tende a mudar logo, entretanto. O governo norte-americano já testa maneiras de fazer com que os bitcoins e outras criptomoedas entrem na conta do imposto de renda e de outros impostos do país do Tio Sam. Muitos veem esse movimento como inevitável. Se as criptomoedas querem ser vistas como legítimas e afastar os receios do grande público, elas devem sofrer alguma regulamentação dos correios. Todavia, enquanto isso não acontece, tem muita gente lucrando – e lucrando alto – com a valorização da moeda. Como sua quantidade é fixa, e como o serviço é cada vez mais utilizado, entra em ação a velha lei da oferta e procura. Mais gente usando, mais pessoas procurando, e quantidade fixa igual valorização.

E não se engane, a moeda virtual está entrando rapidamente no mundo de tijolo e asfalto!

Na Venezuela, por exemplo, a hiper-inflação e a dificuldade de negociar com dólares faz com que o bitcoin seja cada vez mais utilizado na compra de mantimentos e bens de uso diário. Ou seja, é só aparecer a ocasião que a utilização desse tipo de moeda cresce. E investir nele pode se tornar tão comum como investir em qualquer moeda estrangeira.

E não é apenas a bitcoin que se encaixa nesta modalidade. Existem outras criptomoedas, algumas que apregoam logaritmos mais sofisticados, que apregoam tornar as transações ainda mais simples e seguras.

Como toda novidade, ainda é necessário certo cuidado. Como disse acima, as regras para essas moedas ainda vão mudar. De resto, são os cuidados que se tem com qualquer moeda estrangeira. Investir em dólar e euro é uma coisa; apostar no bolívar, da Venezuela, é outra completamente diferente. Então, se for investir nessas moedas, busque as mais usadas e siga a regra número um da prudência: nunca invista mais dinheiro do que pode perder.

E aí, qual (ou quais) dessas modalidades mais despertam seu interesse?

Bons investimentos!

Aprenda como ganhar de R$1mil a R$5mil por mês com dividendos, mesmo que tenha somente R$100 para começar.

Conhecimento para fazer investimento seguro

investimento seguro

Diogo Patriota tinha medo de aplicar seu dinheiro até aprender as melhores maneiras de fazer investimento seguro. Confira!

Mesmo trabalhando na área financeira, Diogo Patriota manteve por muito tempo seus investimentos no banco. O analista de sistemas de 30 anos diz que sempre teve muita ligação com investimentos por causa de seu trabalho, porém, o medo e o receio o impediam de buscar alternativas mais adequadas para seus objetivos.

Foi aí que ele decidiu buscar conhecimento e percebeu que poderia, sozinho, encontrar alternativas mais adequadas para seus propósitos.

Resultados

O Problema

Formado em Sistemas de Informação, Diogo Patriota trabalha com implantação e suporte de sistemas ERP. Por isso, a área financeira é comum em sua rotina. Isso o aproximou do tema investimentos, mas não foi o suficiente para tirar o medo de investir e pesquisar alternativas melhores para seus interesses.

“Sempre tive muito receio, então comecei a fazer como a maioria das pessoas, dando cabeçada, colocando dinheiro em investimentos bancários, previdência privada e tudo mais”.

Diogo acreditava que, para investir na bolsa ou no Tesouro Direto, era necessário muito dinheiro e muito tempo de dedicação. Talvez até uma faculdade na área.

“Na verdade é bem diferente disso. É possível adquirir conhecimento sozinho. Basta pesquisar, ler blogs, acompanhar a economia. E foi justamente isso que me fez perder o medo, por conta de muitos artigos que eu li, além de tudo que o André fala a respeito do mercado e da técnica do Value Investing”.

Quando percebeu que havia outras alternativas mais interessantes que as opções bancárias, Diogo decidiu pesquisar como fazer investimento seguro e mais adequado para seus objetivos pessoais. Conheceu o blog do Rafael Seabra e, lendo os posts dele, descobriu o GuiaInvest. Começou a acompanhar todos os conteúdos do André Fogaça e percebeu que poderia ter possibilidades muito mais interessantes para seu dinheiro.

“Participei do concurso de depoimentos e ganhei a assinatura do GuiaInvest PRO. Hoje eu uso bastante a ferramenta e suas funcionalidades, como o Stock Guide para poder acompanhar as ações e quais as melhores empresas para colocar meu dinheiro”.

A Solução

Com mais conhecimento e pesquisas, Diogo diz que hoje tem mais “tato” para lidar com investimentos em ações. Uma das coisas mais importantes nesse tipo de investimento, baseado em fundamentos, é o fato de não precisar ficar muito tempo preso analisando as ações para comprar e vender.

“Não é uma coisa que eu tenho que estar 24 horas conectado, então posso acompanhar meus negócios sem precisar estar tão afoito, preocupado em ver a todo o momento se o mercado está bom ou ruim”.

Para ele, o mais importante do GuiaInvest PRO são as ferramentas disponíveis, como o stock guide, o rankeamento das empresas e a possibilidade de verificar a cotação das ações.

“Isso é o que eu dou mais valor: poder acompanhar mais rápido e com confiança. Melhor do que ter que ficar caçando um monte de informações pingadas para poder fazer um planejamento. Pelo GuiaInvest PRO já está tudo ali pronto”.

Hoje, ele ainda mantém os pés no chão em relação aos planos para o futuro, mas diz que sua carteira de dividendos já está com um bom rendimento, o que já permite fazer planos.

“Os dividendos estão com um rendimento legal e já dá para sonhar. A diversificação dos setores das empresas também, eu estava focado em duas empresas no mesmo setor e consegui variar. Tenho acompanhado mais o GuiaInvest PRO para identificar quais os outros setores promissores e isso tem me ajudado a dar uma alavancada”.

Diogo conta que é gratificante ver todas as mudanças que o conhecimento e a ferramenta proporcionaram para sua vida.

“É bom você ter controle das suas finanças, para não deixar seu dinheiro na mão de alguém, saber como ele está se comportando, que você não está pagando taxas exorbitantes, e, acima de tudo, você já está tendo retorno daquilo que está fazendo”.

Aprenda a fazer investimento seguro e simples

Se você tem medo de colocar seu dinheiro em ações, assim como o Diogo também tinha, saiba que é possível sair das altas taxas dos bancos para fazer investimento seguro e simples, buscando informações por conta própria.

O GuiaInvest PRO ajuda você a ganhar agilidade na hora de selecionar as melhores empresas da bolsa, reunindo todas as informações em apenas uma ferramenta.

Você nunca mais irá precisar buscar dados manualmente em sites desorganizados e confusos para analisar ações e ainda poderá tomar suas próprias decisões sem depender das dicas “tendenciosas” dos profissionais do mercado. Não tenha mais medo de investir na bolsa de valores!

Saiba mais sobre o GuiaInvest PRO neste link.

Também tem uma História de Sucesso com o GuiaInvest para compartilhar? Envie um e-mail para contato@guiainvest.com.br que entraremos em contato!

Guia introdutório sobre IPOs e as ofertas públicas de ações esperadas para 2017

A maioria dos índices, previsões e especialistas mostra que a economia brasileira só voltará a melhorar a partir de 2018, e olhe lá. Ainda assim, várias empresas mostram interesse em abrir o capital em 2017 e realizar sua IPO. Vamos por partes. IPO (ai-pí-ôu) é a sigla, em inglês, de Initial Public Offering (Oferta Pública Inicial). É quando a empresa oferece, pela primeira vez, suas ações a interessados. Lá fora, as IPOs são festejadas, e algumas merecem corrida de investidores para garantir suas ações no lançamento. O maior exemplo disso foi em 2012, com o lançamento das ações do Facebook. Em contrapartida, a abertura do capital da Trivago foi um fracasso, gerando muito menos recursos que o esperado. Mas isso não afastou as empresas interessadas. Em 2017, Uber, Airbnb, Spotify, Snapchat, Dropbox, entre outras, vão captar recursos nas bolsas pelo mundo afora. ipo on blackboard No Brasil, é difícil haver esse alvoroço com relação a abertura de capital de alguma empresa. As grandes e conhecidas, se ainda não tem seus papéis negociados, é porque não veem motivo para isso e, tão cedo, não vão ter. As menores sentem dificuldades de se adequar às regras da Bolsa, e podem achar que o processo não compensa. Sim, pois um dos grandes entraves à popularização da bolsa de valores como meio de captar recursos é, paradoxalmente, o alto custo do processo. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é extremamente zelosa com seus investidores. Exige mundos e fundos de garantias, contas mais do que em dia, comprovante disso e daquilo. O lado bom é que o processo afasta todos os aventureiros e mal-intencionados. O lado ruim é que alguns empreendedores sérios também perdem a opção de ver seu negócio crescer. No lado do investidor, existem alguns fundos e especialistas que desaconselham investir em IPOs. Razões para tal, segundo eles, não faltam. A principal é a falta de um histórico de resultados e dividendos. É difícil analisar os números de uma ação antes de ela ser lançada. É necessário apoiar-se apenas na análise de dados da própria empresa. É um trabalho que deve fazer parte, de qualquer forma, de todas as análises de ações. Outro motivo para o interesse ainda baixo na abertura de capitais é a baixa poupança interna do Brasil. Para uma IPO “bombar”, atrair muitos interessados, é necessário que estrangeiros participem. E, em nosso momento de absoluta incerteza política, parece pouco provável que o pessoal do lado de lá se interesse. Mesmo que a incerteza política seja muito maior nas terras de Tio Sam, pelo menos é o mal no quintal que já conhecem. Existe também a possibilidade de que uma ação resultante de IPO tenha pouca liquidez, mas nesse caso a culpa é mais de quem conduziu o processo e gerou pouco interesse para o lançamento, e, uma vez que a ação saiu do radar, demora para ser percebida pelos interessados de novo. Porém, é uma chance única de conseguir ações de determinada empresa por um valor baixo. Além disso, ao investir em IPOs, você tem certeza de que o dinheiro todo irá para a empresa, possibilitando novos investimentos e fazendo com que ela se valorize. E, com a valorização, as ações tendem a subir.

Mas se não existem dados pregressos, o que deve analisar antes de decidir se devo ou não investir em uma IPO?

Prospecto é o documento oficial que a empresa deve apresentar para os interessados em adquirir suas ações. Ter acesso a ele é a coisa mais fácil que existe: ele é publicado no site da BM&FBovespa, no site da empresa que vai fazer a IPO e em portais especializados. Nele, você encontra tudo: o que a empresa faz, sua atual condição financeira, o que ela pretende fazer com seu dinheiro e assim por diante. Como qualquer documento oficial, existem partes e partes. Como o prospecto é, via de regra, uma grande propaganda da empresa, como o objetivo é fazer com que você se interesse em fazer parte daquilo através da compra de ações, nada é escrito em “legalês” – a não ser a parte obrigatória da CVM, que geralmente fica nas primeiras páginas e em letra miúda. Isso você pode pular. shutterstock_421486792  

O que avaliar em um prospecto

1 – Apresentação/Sumário da companhia: Geralmente faz parte da introdução. Aqui, você encontra um retrato fiel da empresa. O que ela faz, onde se encontra, quais seus pontos fortes e fracos, onde ela se destaca da concorrência, seus ativos e passivos. 2 – Fatores de risco: É a parte em que a empresa encarna a piada do amigo da onça: “O que você faria se estivesse no mato e visse uma onça?” “Daria um tiro nela com minha espingarda” “E se não estivesse armado?” “Assustaria o bicho fazendo muito barulho, batendo panela” “E se não tivesse nada com que fazer barulho?” “Subiria na árvore mais próxima” “E se não houvesse árvores por perto?” “Escuta, você é meu amigo, ou amigo da onça?” Nessa parte, você lê tudo o que pode dar errado com a empresa, conjunturas econômicas nacionais e internacionais, concorrência, entre outros fatores. 3 – Sumário/Resumo da Oferta/Oferta: Leia na diagonal a parte do nome oficial da empresa ou controladora, bancos/agentes financeiros parceiros, anúncios publicados na CVM. Vá direto para a parte de quantas ações serão ofertadas, por quanto, quanto isso significa do capital total da empresa, se há a possibilidade de lançarem lotes complementares devido a demanda etc. Nesse trecho, você também encontra as instruções para a reserva, período no qual você pode pré-adquirir suas ações, antes do pregão, ao preço pedido pela empresa. No dia do lançamento oficial, tal preço pode subir ou cair, mas pelo menos você não corre o risco de ficar sem as suas. Mas cuidado: é comum a empresa estabelecer um valor mínimo e um valor máximo para as reservas. Leia a parte da reserva com atenção para saber como proceder. E no resumo da oferta você também encontra uma das partes favoritas aqui do GuiaInvest: a política de dividendos da empresa, onde você saberá quanto a empresa pretende dividir do lucro, e como fará essa divisão. 4 – Destinação dos recursos: É aí que você descobre o que a empresa pretende fazer com o seu dinheiro. Via de regra, “investir nos segmentos tal e tal”, “modernizar as unidades X e Y”, “adquirir outras empresas do setor” são opções que contam a favor daquela companhia. “Pagar uma parte da dívida maldita que está há dez anos [beeeeep] com a empresa”, nem tanto. 5 – Balanço: A saúde financeira da empresa estará detalhada aqui. Você saberá quanto ela tem em caixa, qual seu valor, o que tem para pagar e receber. As empresas que querem ser listadas na Bolsa são obrigadas a publicar seus resultados trimestrais no prospecto e sua relação com período(s) anterior(es), para garantir lisura. Assim, as empresas não poderão acumular vendas em um mês, por exemplo, para maquiar as receitas.

As principais IPOs esperadas para 2017

shutterstock_149072456 Agora que você já sabe o que procurar nos prospectos, vamos ver algumas das empresas que podem estrear na bolsa esse ano. Trata-se de um grupo muito diverso, com empresas conhecidas e outras nem tanto. Alguns setores devem ter concorrentes brigando na Bovespa. Outras empresas têm negócios absolutamente únicos em nossa bolsa. Acompanhe: IPOs confirmadas: Hermes Pardini – Empresa de diagnóstico e outros serviços médicos. Hoje é forte em Minas Gerais, mas conta com parceiros por todo o Brasil. Em vários locais de seu site você encontra menções a um agressivo plano de expansão. Tenda – Construtora e incorporadora muito atuante no programa Minha Casa Minha Vida e em outros empreendimentos para população de média e baixa renda. Atua em Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul.  O mercado imobiliário parece estar com excesso de oferta no momento, mas sempre tem gente querendo casa. Principalmente se for a primeira casa. Sanepar – Empresa de água e esgoto do Paraná, presente em 345 municípios do estado e em um em Santa Catarina. É destaque por sua operação eficiente quando comparada com outras empresas do setor e gestão ambiental. Log Commercial – Parte do grupo MRV, dedica-se a construção e aluguel de espaços comerciais, de galpões a shopping centers. O sucesso da empresa está ligado intimamente ao aquecimento da economia. Mais empresas sendo abertas e investidas, mais interesse por galpões e outras estruturas. Unidas – Com o sucesso da Localiza na Bolsa, suas concorrentes também se interessaram em captar recursos através de ações. A Unidas é uma delas, assim como a… Movida – Que está em um processo agressivo de expansão. O tamanho do Brasil ajuda a aumentar o interesse em empresas voltadas a logística, como a Unidas e a Movida. Pode-se gerar uma situação como Coca-Cola vs Pepsi. IPOs muito prováveis Tudo Azul – Programa de fidelidade da companhia aérea. A Azul já tentou e desistiu pelo menos três vezes de entrar na Bolsa, tanto de São Paulo como de Nova Iorque. Lançar papéis de seu programa de fidelidade, com aproximadamente 12 milhões de pessoas cadastradas, pode ser uma maneira de comer pelas beiradas, e captar os recursos necessários. Cinesystem – Não é de hoje que o velho cinema se reinventa. Com transmissões ao vivo de teatro, ópera e esportes, relançamento de clássicos, apoio a produções nacionais e outros, o cinema dá várias opções para que todos nos sentemos no escuro com a pipoquinha. Mas isso custa dinheiro. Em 2016, a Cinesystem, que possui mais de 140 salas pelo Brasil, começou a conversar com a CVM. Em 2017, é provável que a conversa evolua para a sua IPO. Rumores do mercado Caixa Seguridades – Não são poucos os rumores vindos da Caixa. Um deles dá conta da abertura do capital de sua unidade de seguros. Seria um grande negócio, pois a empresa deixaria de depender do dinheiro do governo – algo que, sabemos, está complicado – para concorrer com as gigantes do mercado. Carrefour – Não é de hoje que existem vários rumores sobre o Carrefour no Brasil. Venda, sair do país, reorganização. A abertura do capital ao mercado pode dar ao gigante do varejo o fôlego que deseja para voltar a crescer e prosperar. NetShoes – Uma das maiores empresas de comércio eletrônico no país começa a diversificar com outras marcas que não atuam no mercado esportivo. É um mercado em franco crescimento e a NetShoes está muito bem posicionada. Biotoscana – A empresa de equipamentos médicos passa por uma série de aquisições e fusões, e a ideia de se abrir o mercado pode ter sido engavetada. Para acompanhar, mas sem esperar muitas novidades. XP Investimentos – Assessoria de Investimentos há mais de 15 anos no mercado, pode abrir o capital e ser mais agressiva no mercado, antecipando uma possível melhora na economia.   Eu falei aqui sobre 13 possibilidades de IPO, mas a alta diretoria da BM&FBovespa espera entre 20 e 25 no ano ano. Para se manter informado sobre esses e outras novidades na Bovespa, fique de olho nesta página do site da Bolsa e nos sites das próprias empresas. Investir em IPOs, assim, pode ser uma boa opção para quem quer sair na frente. Só lembre-se de que as regras básicas são as mesmas de qualquer ação: informe-se sobre a empresa, o que ela faz, e de sua situação financeira. Mesmo quem está em processo de abertura de capital precisa ter em seu site uma área de RI (relações com investidores). Leia tudo o que estiver disponível lá, principalmente o prospecto oficial. E, se achar que compensa, seja um dos primeiros a obter uma parte de uma nova empresa na bolsa. Alerto, porém, que não estou recomendando a compra das empresas que listei. Minha intenção foi apenas apresentar novidades e tendências no mercado. A lição de casa fica por sua conta, combinado? Bons investimentos! Aprenda como ganhar de R$1mil a R$5mil por mês com dividendos, mesmo que tenha somente R$100 para começar.

Como formar patrimônio: 50% de aumento do capital em dois anos

O estudante de Ciências Econômicas Amauri Welter sempre teve curiosidade pela área financeira. Por isso, mesmo jovem, decidiu ir atrás de conhecimento sobre como formar patrimônio e multiplicar seu dinheiro, com o sonho de, um dia, se tornar milionário.

Auxiliar administrativo em uma empresa varejista de Missal, no Paraná, ele também é presidente voluntário da associação comercial do município e contou um pouco da sua trajetória como investidor. Confira!

Resultados

  • Média de 30% de rendimento na bolsa em 2016
  • Aumentou 50% do capital em dois anos
  • Planos para se tornar milionário
  • Investimento em ações mesmo sem ter tempo de acompanhar

O Problema

Quando se fala em investimentos, o tempo é um dos maiores aliados que qualquer pessoa pode ter. Amauri Welter sabe disso e conseguiu ainda jovem tomar decisões acertadas para sua vida financeira. Ele conta que sempre teve curiosidade e interesse pela área, por isso mesmo, decidiu estudar e se envolver no assunto desde cedo. Aos 28 anos de idade, Amauri é estudante de Ciências Econômicas e desde o começo de sua trajetória profissional trabalhou no meio.

Há dois anos, começou a pesquisar sobre o assunto e decidiu que queria encontrar “atalhos” para a tão sonhada liberdade financeira. Ou seja, descobrir como formar patrimônio para ele se multiplicar em alguns anos e não apenas poupar. Em suas pesquisas, conheceu o GuiaInvest e começou a acompanhar os conteúdos gratuitos.

“Cerca de dois anos atrás, comecei a estudar e me inteirar sobre o mercado acionário e as empresas. Li alguns livros até que decidi tentar, e aos poucos fui aprendendo. Foi depois de ler muitas coisas que conheci o GuiaInvest e foi como uma confirmação do que eu estava estudando. Cada um tem seu estilo de negócio, e muito poucos usam a parte fundamentalista”.

A Análise Fundamentalista ensinada pelo André Fogaça foi o estilo que mais inspirou Amauri a investir. Depois de assinar a newsletter e receber os conteúdos gratuitos do site, ele participou de uma promoção para falar sobre mercado financeiro e acabou ganhando a assinatura do GuiaInvest PRO, e conta que não demorou muito para começar a perceber os resultados.

“Os resultados são bons, é evidente. Não preciso mentir porque está representado em números e é fácil de mensurar.”

A Solução

Quando Amauri percebeu que os conceitos ensinados no GuiaInvest iam ao encontro daquilo que ele já estava estudando se sentiu ainda mais confortável e seguro para colocar seu dinheiro em ações.

“Eu não tenho muito tempo de ficar operando na bolsa, como trader. Pra mim, a técnica do Value Investing é ótima porque me proporciona fazer análises só de vez em quando, olhar os balanços, colocar em prática e aguardar os resultados. É um trabalho que não te ocupa muito tempo na frente do computador”.

Ver resultados tão animadores mesmo conciliando os investimentos com suas outras atividades dá ao Amauri um sentimento de grande satisfação. Ou, como ele mesmo diz, mais do que isso!

“Muitas pessoas não imaginam conseguir, acham que é impossível ou até que é uma mentira. Isso mostra que é possível atingir retornos muito acima do mercado, bem plausíveis até com capital pequeno, como é o meu caso”.

Mesmo com pouco dinheiro para investir no início, ele teve retornos que considera extraordinários.

“Em dois anos, meu capital aumentou em 50%. Não tem nenhum investimento que dê o mesmo retorno”.

Agora, já faz planos para a tão sonhada liberdade financeira, mesmo que ainda a vislumbre um pouco de longe.

“Há uma possibilidade maior de encaminhar os sonhos, principalmente os materiais, porque você cria uma outra fonte de renda que permite até, quem sabe, chegar a ser milionário”.

Descubra também como formar patrimônio com investimentos

Assim como o Amauri, você também pode saber como formar patrimônio para viver de renda em alguns anos.

O GuiaInvest PRO traz agilidade na hora de selecionar as melhores empresas da bolsa, reunindo todas as informações em apenas uma ferramenta.

Você poderá tomar suas próprias decisões sem depender das dicas “tendenciosas” dos profissionais do mercado, investindo com segurança através de dados confiáveis. Não tenha mais medo de investir na bolsa de valores!

Saiba mais sobre o GuiaInvest PRO neste link.

Também tem uma História de Sucesso com o GuiaInvest para compartilhar? Envie um e-mail para contato@guiainvest.com.br que entraremos em contato!