Quais são os segredos de uma mente milionária?

os segredos da mente milionária

Descobrir os segredos de uma mente milionária pode ser um caminho importante para aqueles que estão em busca de escrever sua própria história de sucesso rumo à Liberdade Financeira.

Além disso, ter a mentalidade certa para a riqueza pode servir de exemplo para quem esteja começando.

Logicamente ninguém chega ao topo da noite para o dia. Por isso, é importante conhecer as histórias de quem já venceu os desafios do percurso e se inspirar.

São diversos os fatores que podem influenciar na maneira como uma mente encara os problemas e lida com as expectativas e frustrações, entre os quais estão questões pessoais, culturais, psicológicas e emocionais.

Se moldarmos a nossa mente para o sucesso, tal qual as pessoas mais importantes do mundo fizeram, já estaremos grandes passos à frente.

Para entender melhor essa questão, confira nosso artigo e conheça os verdadeiros segredos de uma mente milionária. Acompanhe!

O modelo mental em relação ao dinheiro

A maneira como aprendemos a lidar com o dinheiro está diretamente ligada ao nosso sucesso financeiro no futuro. Quem, desde cedo, é exposto a um modelo organizado e sustentável de orçamento, tende a ter uma relação mais saudável e equilibrada com esse tema.

Por outro lado, aqueles que tiveram como exemplo pessoas que gastam mais do que ganham, podem perder o controle financeiro e consequentemente ter uma vida econômica mais complicada. Isso pode resultar, em alguns contextos, no tão temido endividamento fora do controle.

Há quem acredite que ter uma relação saudável com o dinheiro é um dom natural de poucos.

Porém, nós acreditamos que esse tipo de pensamento é um grande engano: é possível aprender a lidar com o dinheiro com harmonia e responsabilidade.

Uma boa fonte de aprendizado que confirma essa afirmação é o livro “Os segredos da Mente Milionária”, escrito pelo canadense T. Harv Eker.

No pequeno livro, o especialista aponta padrões de raciocínio e comportamento dos grandes milionários do mundo e a partir desses dados reúne dicas que podem ser adotadas por “pessoas comuns” em seus cotidianos.

Segundo o autor, a maneira como nós lidamos com o dinheiro desde a infância precisa ser revista. Não podemos ser escravos do dinheiro, devemos usá-lo para nos proporcionar uma vida mais feliz e saudável.

Arquivos de Riqueza que distinguem os ricos dos demais

As pessoas de sucesso entendem que dinheiro é importante e uma consequência de um objetivo claro e da qualidade de vida. Para ter êxito ao trilhar esse caminho é fundamental saber onde se quer chegar.

No mercado existe uma frase famosa que diz: “Para quem não sabe onde quer chegar, qualquer lugar serve.”  Na prática isso significa que, sem clareza em relação aos objetivos, não é possível chegar a lugar nenhum.

Novamente falando sobre o livro “Os segredos da Mente Milionária”, nele o leitor conhece a chamada fórmula PSAR, que afirma que: o Pensamento gera um Sentimento, que por sua vez estimula uma Ação que, por fim, termina em um Resultado.

De certa forma, essa frase resume bem o conceito do livro.

Percebe como tudo começa a partir de um pensamento? É importante entender essa questão, pois tendo isso em mente você pode desenvolver um planejamento estratégico, a fim de lidar com as dificuldades que certamente vão surgir pelo caminho.

É preciso pensar positivo para ter bons resultados. Pensamentos ruins, consequentemente, geram ações erradas, que resultam em retornos ruins. Lembre-se sempre de que a base de tudo está no pensamento.

Como desenvolver uma mente vitoriosa

Até agora falamos sobre a importância de se ter uma mente direcionada para o sucesso. Mas afinal, como desenvolver esse padrão mental tão valioso?  Se essa é sua dúvida, vamos te ajudar a entender melhor agora mesmo.

O primeiro passo para desenvolver uma mente milionária é ter um planejamento que especifique seus objetivos, metas e expectativas. Pode parecer uma questão básica, porém sem essa espécie de alicerce, todas as suas ações podem acabar se perdendo.

Nesse contexto, quando se fala em investimentos pode significar a perda de boas oportunidade e até mesmo o tão temido prejuízo financeiro. Portanto, uma dica importante é estabelecer metas realistas, já que de nada adianta ter planos ousados, mas não conseguir cumpri-los, gerando desânimo e frustração.

Com essa questão bem definida é preciso colocar os planos em prática.

Cada passo dado é muito importante. Por isso independentemente do lugar em que você esteja nesse momento, nossa recomendação é: siga em frente para o próximo passo.

Quem ainda está começo pode sentir uma dificuldade maior no início, o que é perfeitamente normal. Não se preocupe!

Conforme você for se condicionando a pensar positivo, a tendência é que desenvolva resiliência, que nada mais é do que a capacidade emocional de lidar com situações momentaneamente adversas com tranquilidade e paciência.

O mercado financeiro é um ambiente com exposição constante a riscos (mesmo para quem investe em aplicações mais conservadoras). É essencial que a pessoa também desenvolva uma boa estratégia de gestão de riscos.

Outro ponto que pode ajudar rumo ao sucesso é investir no autoconhecimento.

O fator emocional pode ter grande impacto sobre os resultados de seus investimentos, por isso é preciso ter controle sobre as emoções a fim de evitar que decisões importantes sejam tomada sem a devida reflexão e/ou com base em dados imprecisos.

Para atingir essa maturidade emocional, cada pessoa deve descobrir seu próprio jeito, de acordo coma sua personalidade. Uma dica é importante é a procura de ajuda profissional (por meio da terapia), investir em opções de lazer, fazer exercícios, ter um hobby prazeroso e meditar, entre outras atividades.

É fundamental que a pessoa invista na sua qualidade de vida.

Agora que você já conhece um pouco dos segredos importantes da mente milionária, que tal começar a condicionar o seu olhar nessa direção agora mesmo?

O poder da mente é fundamental para que a pessoa desenvolva a necessária capacidade para lidar com as dificuldades e imprevistos que surgirem ao longo do caminho.

Com resiliência e controle emocional, é possível ir cada vez mais longe!

Quer saber um pouco mais sobre investimentos e o poder da multiplicação de patrimônio que você encontra através deles? Então assista a nossa masterclass gratuita!

Nela você irá conhecer um método onde aplicando os segredos da mente milionária, você vai longe!

Inscreva-se gratuitamente aqui. 

Confira nossas dicas sobre os melhores tipos de investimentos!

dicas dos melhores investimentos

Escolher os melhores investimentos é uma missão que precisa ser encarada com muita seriedade por quem deseja alcançar o sucesso no mercado financeiro, já que qualquer decisão impensada pode significar uma exposição desnecessária a riscos que podem se tornar prejuízos.

Neste artigo vamos falar sobre os melhores investimentos a e dar dicas que podem auxiliar você na hora de tomar boas decisões para escolher os melhores investimentos. Continue a leitura e acompanhe!

Quanto mais preparado você estiver, maiores são as chances de alcançar seus objetivos e melhorar cada vez mais sua atuação nos investimentos.

A consequência é o aumento dos lucros e otimização dos recursos de acordo com a estratégia definida. Vamos lá?

Como escolher os melhores investimentos?

A dica nesse caso é montar uma carteira diversificada e principalmente: que esteja de acordo com os objetivos e perfil do investidor. De nada adianta montar uma estratégia sem segurança e depois perder o sono ou se sentir frustrado, não é mesmo?

Seguindo essa linha de raciocínio, o ideal é que pessoas mais agressivas se exponham a mais riscos, a fim de alcançar resultados mais lucrativos, enquanto quem é mais moderado e conservador deve optar por opções mais seguras (e infelizmente menos rentáveis).

Nosso conselho é uma carteira bem diversificada com ações, fundos imobiliários e títulos de renda fixa por exemplo.  O importante é nunca investir tudo que tem em um único ativo, pois isso é um tiro no pé.

Quais são os tipos de investimento?

Podemos classificar os investimentos em 2 tipos: renda fixa e renda variável.

Cada um deles possui suas particularidades, vantagens e indicações, sendo preciso analisar quando são mais indicados. No intuito de diversificar a carteira, entrariam as duas opções.

Se você tiver o perfil mais agressivo, terá uma maior porcentagem de renda variável do que de renda fixa no portfólio e se for mais conservador, o contrário.

Cabe lembrar que na renda fixa cada ativo tem uma indexação, assim como em renda variável as rentabilidades dos ativos variam entre si.

Ativos de renda fixa

Um dos ativos de renda fixa mais conhecido é o Tesouro Direto, e é a opção mais rentável deste mercado.

Dentro dele existem subgrupos com diferentes indexações. O Tesouro Selic, por exemplo, é 100% indexado à Selic, enquanto o IPCA+ remunera conforme a inflação (que é o IPCA) mais uma taxa.

A vantagem do Tesouro Direto é que ele é o ativo mais seguro da economia, sendo seu risco chamado de soberano. A única chance de você não receber o dinheiro que investiu no Tesouro é se o país inteiro quebrar.

Também existem os ativos de emissores privados como o CDB (Certificado de Depósito), emitido pelo banco e o Certificado de Depósito Interbancário (CDI), que é bem próximo à taxa Selic. O CDB é interessante, porque, muitas vezes, apresenta uma taxa de rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário (CDI).

Ativos de renda variável

O principal ativo de renda variável são as ações.

As ações são negociadas na Bolsa de Valores e correspondem a pedaços das empresas, disponibilizadas para venda à quem se interessar.

Quem compra ações de determinada empresa, passa a ser sócio dela e pode receber parte dos lucros alcançado por meios de pagamentos periódicos conhecidos como dividendos.

A principal vantagem de investir em ações é o alto potencial de retorno que esse tipo de aplicação apresenta. Historicamente nenhuma outra modalidade de investimento consegue oferecer retorno altos em um período tão curto de tempo.

A contrapartida, no entanto, é uma cerca exposição a riscos, ou seja, não são indicadas para quem apresenta um perfil totalmente conservador.

No entanto, esses riscos são facilmente controlados por meio de estratégias (como a que você vai ser convidado a conhecer no final desta leitura).

Existem também os fundos imobiliários, que funcionam um pouco diferente: nesse caso, você compra uma participação de um prédio comercial ou de um grande shopping, por exemplo.

A atratividade nesse ativo é que você se beneficia dos aluguéis, ou seja, recebimentos mensais. Esse pagamento é isento do imposto de renda, o que é um benefício e diferencial desse ativo.

Poupança: é um investimento viável?

A poupança sem dúvidas é o tipo de investimento mais conhecido pelas pessoas no Brasil, porém está longe de ser o mais vantajoso.

Isso porque essa modalidade apresenta uma rentabilidade muito menor quando comparada a outras opções viáveis para aplicar seu dinheiro. Por vezes até mesmo pode perder para a inflação!

Mesmo para quem tem um perfil conservador e não gosta de ser expor a riscos, existem opções seguras e que apresentam boa rentabilidade, como vimos acima com o tesouro direto.

É comum encontrar quem opte pela poupança por ter pouco dinheiro para aplicar inicialmente, porém isso é um grande equívoco, uma vez que existem opções mais lucrativas que são tão viáveis economicamente quanto a poupança.

Quem deseja aumentar a renda continuamente, atingir a independência financeira ou mesmo adiantar a aposentadoria, deve se atentar para a importância de adotar uma estratégia de melhores investimentos e começar o quanto antes.

Com disciplina, organização e foco é sim possível obter rendimentos suficientes para se manter mensalmente. Invista apenas na poupança se você for precisar do dinheiro a qualquer momento por exemplo.

Baixe o nosso e-book gratuito com o O Plano Definitivo para Você Chegar à Liberdade Financeira.

Quais são os critérios para escolher o investimento?

Existem diversas opções de investimento disponíveis no mercado, por isso e fundamental estar bem informado na hora de montar sua carteira de aplicações.

Também é importante destacar que essa definição deve ser feita de acordo com o perfil do investidor seja ele conservador, moderado ou agressivo.

Na hora de escolher os melhores investimentos para montar a sua carteira, é indicado apostar na diversificação, a fim de se precaver contra possíveis perdas e principalmente apostar nas opções que estão em alta.

Quando você passa a escolher diferentes tipos de aplicações, a tendência é manter o equilíbrio nas aplicações, o que é muito positivo para sua atuação no mercado e elimina significativamente qualquer tipo de risco.

Gostou das nossas dicas? Agora que você já conhece boas opções pode escolher os melhores investimentos e obter retornos positivos de curto, médio ou longo prazo.

Para chegar ao topo, no entanto, é essencial investir em conhecimento constante e dedicar uma parte do tempo para se aperfeiçoar mais a cada dia.

Para começar a colocar as dicas em prática e aprender mais sobre o tema, assista a nossa mais recente masterclass gratuita e conheça um método que seleciona as ações mais explosivas da Bolsa de Valores para o próximo ano!

Esse método é capaz de multiplicar o seu capital investido em mil vezes.

Inscreva-se gratuitamente.

Onde investir em 2019? Confira 4 tendências de investimento!

onde investir em 2019

O início do ano é sempre uma época que exige atenção por parte dos investidores. Afinal, esses períodos podem gerar mudanças no cenário econômico e tornar o mercado mais propício para algumas aplicações e mais inseguro para outras.

E quando a virada no calendário traz alterações também no plano político, estar atento aos prognósticos é fundamental.

Motivados pelos projetos econômicos do novo governo, os analistas apontam que o próximo ano oferecerá boas oportunidades para quem pretende fazer seu dinheiro render.

E você, já sabe onde investir em 2019?

Para ajudá-lo, preparamos este artigo com o intuito de mostrar quais são as 4 tendências em investimentos que merecem atenção. Continue a leitura!

Veja as previsões da economia para o próximo ano

Na esperança de dias favoráveis ao mercado, muitos investidores já projetam suas ações para o ano que se inicia. O Banco Central, ao perceber a tendência de aquecimento da economia, reduziu a previsão de definição da taxa Selic de 8% para 7,5% — índice que é usado para referenciar as taxas de juros praticadas no país.

Por ser um grande estímulo para o crescimento econômico, essa notícia é animadora especialmente para quem pretende direcionar suas aplicações aos papéis de renda variável como o mercado de ações. Além disso, com uma taxa de juros baixa, as aplicações de renda fixa tendem a perder rendimento.

As reformas defendidas pelo governo que assume em janeiro também são vistas com bons olhos por uma parcela significativa do mercado. A ideia é que essas medidas ajudem a manter a inflação em patamares aceitáveis e sustentem o crescimento do PIB, para o qual há um aumento esperado de 2,5%.

Por outro lado, a economia internacional vem dando mostras de instabilidade, fruto principalmente das recentes disputas entre Estados Unidos e China. Se você pretende investir, esse fato também deve estar no seu radar, já que uma crise em escala global certamente terá consequências também no cenário brasileiro.

Descubra onde investir em 2019

Com a renda fixa perdendo atratividade, aplicações mais arrojadas passam a ganhar espaço na preferência de muitos investidores. Conheça agora as melhores oportunidades para diversificar a sua carteira e aumentar os seus ganhos!

1. Mercado de ações

Mesmo que você seja daqueles que sempre consideraram o investimento em ações como uma operação de alto risco, o ano que começa pode ser a grande chance para apostar nos papéis negociados na bolsa de valores.

A intensa agenda de privatizações do novo governo promete abrir o mercado em diversas áreas e assim proporcionar a entrada e a expansão de muitas companhias na bolsa. Apesar do momento economicamente favorável, os cuidados recomendados para quem quer apostar em ações em 2019 continuam os mesmos.

Por isso, para aumentar as chances de sucesso, o ideal é dar preferência às empresas sólidas e evitar especular sobre ações tidas como incertas.

Para prevenir os possíveis problemas que uma crise no exterior pode causar, uma boa dica é procurar por uma ação empresarial que gera a maior parte de suas riquezas no mercado local.

Vale também verificar se o empreendimento é um bom pagador de dividendos, pois isso favorece o aumento dos seus lucros no próximo ano.

Devido às perspectivas de elevação no poder de compra dos consumidores, são altas as expectativas sobre os resultados dos papéis de companhias do setor financeiro, varejista e de energia elétrica.

2. Fundos imobiliários

Outro setor do qual se esperam bons lucros em 2019 é o mercado de imóveis. Consequentemente, o investimento em fundos imobiliários é mais uma opção que estará em alta nos próximos meses.

Nesse tipo de negócio, grupos de investidores aplicam recursos em diversos tipos de empreendimentos já prontos e em atividade, visando retornos com a exploração de locação, venda e arrendamento do imóvel.

Devido à espera por taxas de juros estáveis e aumento no consumo, pode valer a pena investir em prédios comerciais como shopping centers de grandes cidades.

O bom é que você pode investir em FIIs com pouco dinheiro, diferentemente dos imóveis físicos.

3. Franquias

Se você dispõe de uma reserva financeira e quer aproveitar o cenário favorável ao empreendedorismo do próximo ano, o investimento em franquias pode ser uma ótima oportunidade para você. Diferentemente do que muitos pensam, existem opções de franquias que demandam um baixo aporte inicial e que podem render excelentes resultados.

A vantagem de apostar em uma franquia é poder contar com a tradição e a solidez de uma marca já estabelecida no mercado, com todo o suporte para que o investimento tenha o retorno esperado. Assim, aumentam muito as suas chances de ter sucesso à frente do seu próprio negócio.

Mas lembre-se que este é um investimento também de renda variável, e que o aporte inicial é bem mais alto que os investimentos mencionados anteriormente.

4. Títulos de renda fixa

Apesar da possível queda no rendimento das aplicações de renda fixa que comentamos, alguns desses títulos ainda se manterão atrativos no ano de 2019.

Opção ideal para os investidores de perfil mais conservador, esses papéis oferecem opções com retorno garantido, de modo que você pode saber o quanto seu dinheiro vai render logo no início da aplicação.

Destacam-se nesse segmento os títulos públicos do Tesouro Direto, os CDBs e as Letras de Crédito. Para garantir um bom negócio, é preciso verificar as taxas praticadas para cada modalidade, além de preferir aquelas que perseguem o maior percentual de ganho do CDI.

Conheça os desafios para os investidores

Apesar da onda de otimismo, a grande realidade é que o momento ainda é de incerteza. Isso torna necessário que você permaneça com os cuidados de sempre na hora de investir e considere o seu perfil para compor uma carteira diversificada.

Procure manter à disposição uma reserva de emergência que será fundamental caso você precise cobrir algum custo que não foi previsto enquanto seus recursos estão investidos. Para este tipo de investimento, a renda fixa é ideal pela sua segurança e alta liquidez.

Esse cuidado passa também pela escolha de uma boa corretora de valores, que é a instituição responsável por intermediar a compra e venda de títulos.

Diante de tudo isso, a melhor maneira de definir onde investir em 2019 sem medo é conhecendo a fundo o funcionamento de cada tipo de aplicação.

Assim você saberá exatamente qual é aquele que mais combina com o seu perfil e descobrirá quais fatores afetarão o rendimento do seu dinheiro em cada caso.

Claro que se o seu desejo é multiplicar seu patrimônio, deve aprender como selecionar as ações mais explosivas – aquelas que têm alto potencial de valorização.

Se você deseja conhecer um método que faz essa seleção rapidamente pra você de maneira automática, deve assistir a nossa mais recente aula gratuita.

Você pode se inscrever por aqui.

O que faz e qual a melhor corretora de valores?

qual a melhor corretora

Existe um conceito já bem divulgado pelos grandes investidores e que você já deve ter visto aqui no blog que é: fazer o dinheiro trabalhar por você, e não o contrário.

Na prática, isso pode ser realizado facilmente através dos investimentos. E neste caso a escolha de uma boa corretora de valores é o primeiro passo que faz toda a diferença.

Mas você sabe quais são as funções e qual a melhor corretora?

Para encontrar essas respostas, é necessário levar em consideração alguns fatores essenciais. A seguir, você saberá por que uma corretora de valores pode proporcionar um enorme diferencial para o investidor.

Continue a leitura para ficar por dentro de todos os detalhes deste primeiro passo do investidor de sucesso!

O que são corretoras de valores?

Basicamente, corretoras são as instituições financeiras responsáveis por intermediar a comercialização de ativos efetuada pelo investidor.

Se você deseja participar do rentável mercado de ações, por exemplo, deve necessariamente abrir uma conta em uma dessas corretoras.

O que elas fazem por você?

Quando se fala em ativos, trata-se de qualquer ativo financeiro. Logo, a atuação desse tipo de corretora não se limita à bolsa de valores.

Com sua atuação validada pelo Banco Central brasileiro, essas instituições também marcam presença em diversos fundos de mercado. A partir delas, você pode investir em:

  • fundos de investimento mobiliário;
  • títulos públicos do Tesouro Direto;
  • títulos privados — debêntures e CDBs (certificados de depósito bancário), por exemplo.

Ao contratar uma corretora de valores, você tem a oportunidade de aplicar os seus recursos com segurança.

Isso se deve ao fato de que as corretoras seguem uma série de diretrizes traçadas pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Por meio de um conjunto de normas, a CVM é o órgão encarregado de supervisionar o comportamento das corretoras de valores.

Qual a diferença de investir em banco e em corretora de valores?

Infelizmente, é muito comum ainda encontrar pessoas que insistem em manter suas aplicações financeiras em bancos. Talvez pela comodidade, essas pessoas também costumam manter o dinheiro investido nos produtos de um único banco.

Esse é um grande problema! Um único banco tem uma carta de opções de investimento extremamente limitada. É como se você não diversificasse seus investimentos, ou seja, colocasse todos os ovos na mesma cesta.

Para se chegar a essa conclusão, basta olhar para todo o mercado financeiro, as inúmeras opções de investimentos rentáveis. Fazendo exercício simples, perceberá o quão limitadas são as alternativas oferecidas pelos bancos.

Em uma corretora de valores, você tem acesso a uma espécie de plataforma aberta. Por meio dela, é possível escolher entre os CDBs de variadas instituições bancárias, por exemplo, além de opções infinitamente mais rentáveis para você, como o mercado de ações ou o próprio Tesouro Direto.

Além disso, dentro dos bancos existem os maiores conflitos de interesse. Os gerentes que atendem você dizendo procurar os melhores produtos, na verdade lhe vendem os ativos que sejam melhores para eles próprios. Para suas metas enquanto empresa.

Ou seja, a casa sempre ganha. Ganha muito mais do que você.

Logo, a corretora é mais interessante até mesmo para quem prefere realizar investimentos menos arriscados.

Quais são as principais vantagens de se investir em uma corretora de valores?

As corretoras oferecem um amplo leque de vantagens aos investidores. Confira as principais a seguir!

Investimentos mais lucrativos e com certificação

Além de uma visão panorâmica de todas as opções de investimento do mercado, o cliente da corretora fica inteirado sobre aquelas que são mais rentáveis.

Por serem continuamente fiscalizadas, as corretoras de valores são obrigadas a cumprir algumas boas práticas. De uma forma geral, o cliente tem à disposição uma plataforma com tecnologia de ponta e serviços da mais alta qualidade.

A compra de títulos privados,por exemplo, é uma medida protegida pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Com ele, a pessoa conta com uma cobertura que pode chegar aos R$ 250 mil, montante assegurado em caso de descumprimento dos acordos firmados.

Em outras palavras, se a instituição responsável pela emissão do referido título ficar impossibilitada de pagar o rendimento, esse será coberto pelo FGC.

Todo esse aparato gera uma certificação de segurança aos investimentos realizados. A pessoa sabe que atingirá o rendimento previsto (considerando eventuais oscilações do mercado, conforme o tipo de ativo). Ela também tem a certeza de que está amparada por um sistema a prova de falhas.

Infraestrutura composta por analistas financeiros

Em uma correta de valores, você também terá o suporte de uma equipe de analistas do mais elevado gabarito. Com um incrível poder de precisão de suas avaliações, esses profissionais examinam a situação das empresas no mercado.

É muito comum que, ao comprar as ações de uma determinada organização, a pessoa se questione sobre as perspectivas de crescimento daquela empresa.

Uma das funções das corretoras é exatamente mapear a atuação dessas empresas. Isso é feito por meio de diversas análises, como os balanços contábeis divulgados por cada organização.

Nessa espécie de relatório, há inúmeros indicadores que dizem muito sobre a real situação da empresa e aonde ela pode, de fato, chegar.

Obviamente, a interpretação de todos esses dados exige perícia.

Você até pode contar com os agentes das corretoras para isso, mas aí fica à mercê da escolha deles (que pode envolver conflito de interesse), ou aprender a analisar por conta própria como ensinam os conteúdos aqui do blog.

A partir de uma rápida investigação que pode fazer usando ferramentas como as do GuiaInvest, você descobre quais são as melhores alternativas de investimento para você.

Lembre-se de que a gama de opções será bem mais ampliada do que aquela tipicamente ofertada pelos bancos.

Correlacionar os dados dos balanços de cada empresa com a atual conjuntura econômica não é uma tarefa simples. Felizmente, existem ferramentas que ajudam você de maneira automatizada.

Ampla diversificação e administração da carteira de investimentos

As orientações de diversificação da carteira de investimentos mantêm uma coerência com os objetivos do investidor. Em uma instituição bancária, o gerente precisa tentar destacar os produtos do banco para o qual ele trabalha.

Cabe a você buscar outras saídas para ponderar melhor sobre as melhores possibilidades. Se você precisar, as corretoras de valores fornecem mais opções e uma equipe de analistas especializada em investimentos. Os bancos não conseguem conceder toda essa expertise.

Agora, você só precisa descobrir qual a melhor corretora, ou seja, aquela que atende todas as suas necessidades. Enquanto estiver nessa busca, lembre-se de levar em conta todos os aspectos mencionados anteriormente.

Quais são os custos para investir por meio de uma corretora de valores?

Atualmente, algumas corretoras têm procurado isentar as taxas de corretagem, além dos custos de transação. O lucro delas fica por conta das taxas de administração do fundo. Esse custo deriva de uma custódia sobre o capital.

Nos casos dos investimentos em renda fixa, a remuneração da corretora fica a cargo de uma porcentagem do CDI. Note, entretanto, que tal custo é pago pelo emissor do investimento, e não pelo investidor em si.

Como o foco do GuiaInvest é levar você até a Liberdade Financeira, nós recomendamos que você invista o seu dinheiro e tenha como retorno o máximo de lucro possível.

E para isso, você deve evitar custos inúteis como uma taxa de corretagem alta, por exemplo.

Por este motivo, a corretora que indicamos é a Clear. Ela tem custo zero para a maioria das taxas, e pertence ao grupo XP, o que mostra seriedade e confiança.

Importante lembrar que o GuiaInvest não tem nenhum tipo de vínculo nem contrato com a corretora indicada, não recebemos nada por isso. É apenas a corretora utilizada pela grande maioria dos funcionários e sócios.

A partir de quanto é possível investir por meio de uma corretora?

Varia. No mercado de ações você pode comprar desde um lote de 100 ações, que pode custar mais de mil reais, até uma ação unitária, através do mercado fracionário, que às vezes custa 5, 10 reais.

Nos Fundos Imobiliários a mesma coisa. Se tratando dos títulos do Tesouro Direto, pode começar com 30 reais. Ou seja, você pode começar com pouco a construir o seu grande futuro.

Agora que você já escolheu sua corretora e está prestes a abrir sua conta, que tal baixar o nosso e-book gratuito com o passo a passo completo para a Liberdade Financeira?

Ou ainda, se preferir ir logo adiante, pode assistir a nossa masterclass grátis e descobrir um método fantástico que  seleciona quais ações irão se valorizar nos próximos anos.

Para se inscrever é muito simples, basta escolher o melhor horário aqui.

Como Enriquecer na Bolsa com Ações

como enriquecer na bolsa de valores com ações

Já pensou em viver de dividendos? Enriquecer na Bolsa significa ter uma renda passiva capaz de pagar com folga as suas contas, viajar, aproveitar a vida e ainda ter dinheiro para reinvestir, fazendo assim, seu dinheiro multiplicar.

Parece muito bom, não é mesmo? E é possível! O mercado de ações oferece muitas oportunidades de ganhos e diversos exemplos de investidores de sucesso.

Mas antes de iniciar no mercado de ações, é preciso buscar conhecimento e entender como funciona a Bolsa de Valores. Aí sim, você saberá como enriquecer com ela.

As empresas, quando abrem seu capital e lançam suas ações na Bolsa para que os investidores as comprem, buscam gerar recursos financeiros para a companhia. Os investidores, de forma semelhante, também buscam por ações que os façam lucrar.

Para que uma empresa possa vender suas ações na Bolsa, ela deve propor uma Oferta Pública Inicial (em inglês, Initial Public Offering ou IPO). Após esse processo, as ações serão ofertadas no chamado mercado primário, isto é, momento em que são vendidas pela primeira vez.

Depois disso, as ações passam a ser negociadas entre os investidores, que compram e vende ações no que chamamos de mercado secundário.

Diferentes formas de enriquecer na Bolsa

Está enganado quem acha que somente é possível enriquecer na Bolsa de uma forma. Há diferentes maneiras do investidor ganhar dinheiro com ações. Tudo vai depender do seu perfil de investidor, objetivos e tempo livre.

Veja como é possível enriquecer com ações:

Valorização das ações

Essa é a forma mais comum de ganhar dinheiro com ações. Você compra ações de determinada empresa acreditando na sua valorização. É o famoso comprar na baixa e vender na alta.

Ou seja, comprar uma ação com boas perspectivas de crescimento e que esteja com um preço bom e vende-la quando seu preço aumentar, lucrando assim com a diferença.

Enriquecer na Bolsa com a valorização das ações pode acontecer tanto no longo prazo quanto no curto prazo, sendo o segundo demasiadamente arriscado.

No longo prazo, os ganhos estão ligados ao crescimento da empresa e aos lucros reais gerados pelas suas operações. Quando a empresa estiver em alta e suas ações atingirem um valor interessante, o seu capital também estará.

Há inclusive investidores que fazem diversas operações de compra e venda da mesma ação no mesmo dia, e que usam da volatilidade do mercado como uma estratégia, são os chamados “traders”.

Esses investidores geralmente possuem um perfil mais arrojado, propenso ao risco e, disponibilidade de tempo para acompanhar o mercado ao longo do dia e muito estudo.

Apesar de, uma vez ou outra você ter a possibilidade de acertar e ganhar dinheiro com essa estratégia, comprar e vender ações o tempo todo, visando realizar lucros no curto prazo, é um erro e poderá fazer você perder dinheiro no mercado de ações.

Desvalorização das Ações

Outra forma de ganhar dinheiro na Bolsa é com a desvalorização de uma ação.  A essa estratégia damos o nome de Short Selling, ou venda a descoberto.

Nela, você vende uma ação que tem perspectiva de queda nos próximos dias acreditando que poderá recomprar o ativo numa data futura quando estiver mais baixo.

Dividendos

Outra forma de enriquecer na Bolsa é comprando ações de empresas que pagam dividendos.

Os dividendos nada mais são do que uma parcela dos lucros da empresa que são distribuídos aos acionistas de acordo com a sua participação na empresa. Assim, quem detém mais ações da empresa, receberá um valor maior em dividendos.

Os lucros serão pagos a você, que então, poderá usar esse dinheiro como bem entender, seja para comprar mais ações ou para gastar.

Aqui entramos em dois pontos importantes:

  • Reinvista o seu lucro

Ao reinvestir os dividendos, você mantém seu capital girando por meio dos juros compostos. É importante que você reinvista até alcançar a Liberdade Financeira. Isso irá acelerar o processo.

  • Diversifique sua carteira

Não invista todo o seu dinheiro em uma empresa só. Diversifique sua carteira de ações, apostando em empresas de diferentes segmentos. Dessa forma você se protege de possíveis perdas devido à eventos econômicos ou políticos que poderão afetar o mercado.

como enriquecer na bolsa com acoes

O dinheiro dos dividendos chega nas mãos dos acionistas isentos de Imposto de Renda, uma vez que a empresa já paga os impostos que incidem sobre o lucro antes de ocorrer a distribuição dos dividendos.

Quem investe pensando nos dividendos, está interessado na qualidade e nos resultados da empresa, pois, quanto maior o lucro da empresa, maior a distribuição de dividendos.

Porém, nem todas as empresas distribuem os lucros. Por isso, você precisa conhecer os tipos de ações, bem como algumas terminologias.

Payout é um termo usado para designar a proporção de lucros que a empresa repassa aos seus acionistas. Há quem diga que a empresa é obrigada a repassar no mínimo 25% do lucro líquido aos acionistas. Porém, existem empresas que repassam mais, outras menos.

Outro termo importante é o dividend yield, ou seja, a quantidade de dividendos que a empresa paga por ação. Uma vez que, sabendo somente a porcentagem que será repassada aos acionistas, você não sabe, exatamente, o quanto receberá.

Juros sobre capital próprio

Essa é uma forma bem parecida com os dividendos. Ambos são formas de distribuição dos lucros de uma empresa aos seus acionistas, porém, a grande diferença está na parte da tributação.

Os chamados juros sobre capital próprio são distribuídos antes da empresa pagar os impostos, com isso, há a tributação dos valores recebidos.

Ou seja, o investidor obrigatoriamente precisará pagar Imposto de Renda sobre o valor total recebido na alíquota de 15%. Esse pagamento ocorre na fonte, assim, o valor que já virá com o devido desconto.

Já os dividendos, como são baseados no lucro líquido da empresa, estão isentos do pagamento de impostos.

Agora basta começar!

Está vendo a quantidade de lucro que você deixa de ganhar se não investe em ações? O risco é completamente controlado por você, à medida que aprende fórmulas que facilitem o processo.

Participe da nossa mais recente masterclass gratuita e descubra como transformar R$ 1.000 em R$ 1.086.850,68 com ações!

Dessa forma, enriquecer na Bolsa vai ser rapidinho.

Confira nossa masterclass e tenha nas suas mãos o poder de multiplicar em até 1000x o capital investido!

Não sabe como começar a investir? Confira as estratégias de investimento!

estratégias de investimento

Um dos maiores obstáculos para quem deseja iniciar os seus investimentos é dar o primeiro passo. Isso acontece principalmente pelo fato de não entender as estratégias de investimento.

Nessa hora, as dúvidas são praticamente inevitáveis, especialmente se você tem pouca experiência com o mercado financeiro.

Para entrar de uma vez no caminho pela Liberdade Financeira, vale a pena contar com o auxílio de quem é especialista no assunto.

Pensando nisso, preparamos este artigo a fim de mostrar algumas estratégias de investimento para iniciantes que vão ajudar você a finalmente fazer o seu dinheiro render. Confira!

Entenda a importância de estratégias de investimento para investir corretamente

À primeira vista, investir pode parecer uma tarefa simples, em que basta aplicar uma quantia regularmente e esperar os lucros aparecerem. No entanto, a verdade é que existem diversas variáveis que devem ser consideradas para que um investimento obtenha o resultado esperado.

Por isso, é importante que você se dedique a conhecer alguns pormenores do mercado financeiro e estratégias de investimento a fim de fundamentar melhor suas decisões.

Além disso, suas próprias características pessoais também contam muito nesse processo, uma vez que você é o principal interessado nos benefícios que os investimentos trarão.

Identifique o seu perfil de investidor

A principal análise que deve ser feita na hora de identificar o seu perfil de investidor é a sua tolerância a riscos durante a aplicação.

Esse fator é fundamental para definir os investidores entre conservadores, moderados e agressivos.

Além da segurança do investimento, também devem ser consideradas as suas expectativas em relação aos prazos, objetivos, sua idade e, até mesmo, seu contexto familiar.

Outro fator importante é a liquidez, que diz respeito à possibilidade de retirar recursos aplicados antes do final do contrato.

Portanto, a análise de perfil ajuda a escolher o melhor tipo de investimento para você de acordo com as suas particularidades. Contar com essa informação em vez de se basear apenas em tendências e em fórmulas engessadas é um passo fundamental para investir corretamente.

Para descobrir o seu perfil de investidor, responda a perguntas como: até quanto você arriscaria parte do seu patrimônio por uma maior rentabilidade? Você prefere menos rentabilidade e nada de risco? Quando tempo pretende deixar o dinheiro investido? Entre outros.

Defina claramente os seus objetivos

São várias as razões que podem nos levar a investir o nosso dinheiro. Portanto, deixar bem claro quais são os seus objetivos é algo fundamental para quem quer dar início a essa importante prática.

Você pode ter em mente, por exemplo, a formação de uma reserva financeira para uma aposentadoria tranquila, o pagamento de estudos, a realização de uma viagem ou mesmo a aquisição de um bem de grande valor, como um carro ou uma casa.

Seja qual for a sua meta, é ela que vai direcionar as decisões que você tomará ao investir seu dinheiro.

Dessa forma, ficará muito mais fácil visualizar o progresso de seu investimento, o que o deixará cada dia mais motivado a investir e também mais perto do seu grande objetivo.

Conheça as melhores opções de investimento

Com o perfil de investidor e os objetivos definidos, é hora de decidir qual o melhor tipo de investimento para o seu caso. Abaixo, conheça um pouco sobre os principais papéis disponíveis no mercado.

Títulos públicos

São papéis emitidos pelo Governo Federal e que se tornaram muito populares nos últimos anos.

Existem opções com diferentes prazos, riscos e rentabilidades, o que faz com que os títulos públicos ofereçam excelentes opções para vários tipos de investidores. São negociados por meio da plataforma do Tesouro Direto.

É um investimento de renda fixa mais rentável que há, é bom para a reserva de emergência.

CDB

Funciona de maneira semelhante aos títulos que vimos anteriormente, com a diferença de que os CDBs são negociados por instituições financeiras privadas.

Além disso, esse investimento é protegido pelo FGV (Fundo Garantidor de Crédito), que cobre eventuais perdas dos clientes caso a instituição vá à falência.

Bolsa de valores

Se quer aproveitar o momento de recuperação econômica que vivemos, pode ser uma boa ideia investir em ações da bolsa de valores. Para isso, é preciso realizar uma análise a fim de escolher os papéis certos para aplicar.

Este é o principal investimento para a sua Liberdade Financeira, pois tem alto potencial de valorização do seu patrimônio.

De forma geral, você deve procurar manter sua carteira de investimentos sempre diversificada. Esse cuidado é fundamental para reduzir os impactos quando um dos ativos tem seu desempenho afetado pelo cenário econômico.

Através deste investimento, você tem a possibilidade de investir em empresas que irão crescer muito nos próximos anos, e assim receber parte dos seus lucros.

No final desta leitura deixamos um convite para uma aula gratuita onde ensinamos como analisar e selecionar as ações mais explosivas da Bolsa.

Bem, é claro que existem muitas outras alternativas além dessas. No entanto, as opções que vimos são as ideais para quem procura a melhor maneira de começar a investir.

Coloque as suas finanças pessoais em ordem

Um bom planejamento financeiro é condição fundamental para se obter sucesso nos investimentos.

Por isso, comece fazendo uma análise profunda e realista das suas finanças pessoais, com o objetivo de definir o quanto será aplicado e como isso refletirá em seu orçamento.

Ainda que você tenha uma boa quantia acumulada para dar início aos investimentos, o ideal é que também se programe para realizar aportes mensais. Isso garante um preço médio dos ativos mais favorável, principalmente em aplicações de longo prazo.

Parte do seu montante inicial pode ser destinado à formação de um fundo emergencial, que será de grande importância caso você se depare com uma necessidade urgente no futuro.

Como alguns tipos de investimento não permitem a retirada dos recursos em curto prazo, os mais precavidos devem providenciar também uma reserva financeira para investir com total segurança.

Saiba como monitorar seus investimentos

O universo dos investimentos pode parecer complexo para muitas pessoas. No entanto, mesmo os investidores iniciantes podem conseguir monitorar de maneira eficiente as suas aplicações com alguns cuidados.

O acompanhamento depende da análise de diversas variáveis. Alguns fatores podem influenciar os ganhos, como o cenário político, as projeções da economia, a variação de taxas de juros, a cotação do dólar etc.

É por isso que o GuiaInvest é o parceiro ideal para quem quer começar a investir.

Na nossa plataforma, você conta com ferramentas exclusivas e tem acesso a todas as informações importantes para o seu investimento, tudo em um único lugar.

Também é possível participar dos nossos cursos online ou mesmo solicitar um auxílio personalizado aos nossos consultores.

Assim, você garante o sucesso dos seus investimentos sem precisar ser um especialista no mercado financeiro!

Bom, lembra que eu mencionei que no final da leitura deixaríamos um convite?

Então, participe da nossa mais recente masterclass onde o André ensina um método exclusivo capaz de selecionar as ações mais explosivas da Bolsa!

Este método é capaz de multiplicar o seu patrimônio em até MIL vezes.

Para participar basta se inscrever aqui.

Como multiplicar meu dinheiro em 1000x na Bolsa

como multiplicar meu dinheiro

Não é de hoje que comentamos com você o potencial da Bolsa de Valores para multiplicação de patrimônio. Inclusive, todos os nossos últimos webinários falam sobre isso.

Mencionamos tanto essa possibilidade que entendemos que às vezes possa parecer muito bom para ser verdade. Aquela velha história de: se fosse assim, todo mundo fazia.

O que você pode não saber, é que existem conflitos de interesse muito fortes dentro dos principais poderes do Brasil. E por isso a grande maioria das pessoas só pensa ser correto o que eles dizem ser.

Por isso, acabam fazendo sempre as mesmas coisas que consideram ser as únicas corretas para ganhar dinheiro e, surpresa: não saem nunca do lugar.

A gente compreende que essa ideia de multiplicar seu dinheiro na Bolsa de Valores possa parecer boa demais para ser verdade. Então fizemos este artigo para comprovar!  

Você está prestes a descobrir a matemática por trás da multiplicação do seu dinheiro em 1000x no mercado de ações.

Esta leitura pode mudar a sua vida. Não apenas passe os olhos… Devore cada palavra!

O que fazer para multiplicar meu dinheiro?

É muito importante lembrar que para multiplicar o seu dinheiro com segurança no mercado de ações, você precisa investir com foco em longo prazo.

No curto prazo as ações tendem a ser extremamente voláteis: um dia você pode estar ganhando e no outro, perdendo.

No entanto, no longo prazo, se a ação tiver bons fundamentos, o resultado tende a ser extremamente positivo, como você pode ver neste gráfico das ações da Magazine Luiza:

como multiplicar meu dinheiro

Veja em em vários momentos ela teve queda. Mas ao longo prazo, a valorização do capital de quem investiu nela lá no início foi impressionante.

O Magazine Luiza é um excelente exemplo do quanto uma ação na Bolsa de Valores pode ser extremamente explosiva (no bom sentido).

A parte prática:

Bem, então para começar digamos que você tenha um salário de R$ 5.000,00 e já tenha o hábito de poupar 20% da sua renda.

Ou seja, você tem R$ 1.000,00 para investir.

Você já possui uma certa noção da Bolsa de Valores, e sabe como analisar para escolher  as melhores ações (não esqueça que estamos supondo).

O ano era 2003 e você decidiu investir esses R$ 1.000,00 nas ações da Ferbasa (FESA4), que é uma companhia de ferro ligas da Bahia.

Sabe quanto valeria, hoje, esses mesmos mil reais? R$ 36.750,00. Nada mal, certo? Uma multiplicação de 36,7x do seu capital.

Como supomos, você já tem uma certa noção da Bolsa de Valores e por isso sabe que é melhor ainda se investir mensalmente.

Então você colocou disciplina nas suas finanças e investiu esses mesmos R$ 1.000,00 nas ações da Ferbasa todos os meses até hoje (bem como você aprendeu com o André Fogaça).

Você imagina quanto teria acumulado nesses 15 anos de investimento?

Nada mais, nada menos, do que R$ 900.011,44. Veja bem, mesmo começando pequeno, você transformou R$ 1.000,00 em R$ 900.011,44.

Perceba com seus próprios olhos a valorização deste ativo ao longo dos anos:

Este gráfico não é uma suposição. É um gráfico real, extraído do GuiaInvest PRO.

Agora vamos ver se você fosse do tipo conservador, e tivesse investido esse mesmo montante apenas no Tesouro Direto, que é a melhor aplicação de renda fixa.

Você não não teria chegado nem na metade do valor de ações. Teria atingido apenas R$ 437.000.

Aqui é importante uma reflexão: percebe como para multiplicar o seu dinheiro, o melhor investimento é mesmo ações?

A Renda Fixa é importante para o seu pote da reserva de emergência, por exemplo. Mas jamais para Liberdade Financeira!

Mas vamos continuar, vamos adiante pois não chegamos à multiplicação de mil ainda (e vamos mostrar como é possível).

Vamos supor que, ao invés da Ferbasa, a sua ação escolhida fosse das Lojas Renner (LREN3) pois além de todos os motivos você faz compras lá então deseja receber parte dos lucros também.

Se tivesse investido os mesmos R$ 1.000,00, você teria transformado em R$ 915.684,22, contra R$ 437 mil no Tesouro Direto, por exemplo.

Veja a valorização no gráfico abaixo, também extraído do GuiaInvest PRO:

como multiplicar meu dinheiro

E não pense que para por aí. Existem inúmeras ações com esse mesmo potencial de valorização na Bolsa de Valores.

Vamos continuar a nossa análise…

Supomos agora que você adore tomar cerveja, então pensou rapidamente em investir na Ambev (ABEV3).

(Claro que você não deve escolher as suas ações com base nos seus gostos pessoais. Este deve ser apenas um mínimo atrativo a mais na sua decisão).

Na mesma época, os mesmos R$ 1.000,00 e você teria transformado em R$ 939.135,48.

como multiplicar meu dinheiro

Estamos chegando a um milhão, então vamos ir ainda mais adiante.

Vamos supor que você analisou as ações direitinho como o André ensinou naquela época e você chegou a conclusão de que a Weg (WEGE3), multinacional brasileira de motores, seria uma boa opção.

Então você pegou os mesmos mil reais e investiu nela. Hoje, você teria transformado:

R$ 1.000,00 em impressionantes R$ 1.086.850,68.

Uma multiplicação de 1000x o capital investido. Uma verdadeira EXPLOSÃO no seu patrimônio, não acha?

como multiplicar meu dinheiro

Eu confesso que também me impressiono com esses números quando vejo, não é a toa que invisto regularmente.

O conhecimento abre grandes oportunidades para você. Como por exemplo essa: de multiplicar o seu dinheiro em até 1000x (já pensou se tivesse passado batido por este artigo?).

Claro que há uma questão importante aqui: esses estudos são de casos passados, de ações que foram explosivas e hoje talvez já não possuam esse mesmo potencial de valorização.

Usamos elas como exemplo pois elas são incríveis cases de sucesso para comprovar a você o potencial de valorização de patrimônio da Bolsa de Valores.

Se você for investir os mesmos mil reais hoje, precisará analisar e detectar quais são as ações mais explosivas do momento.

Aquelas que estão lá no comecinho, como você viu nos gráficos anteriores, por um preço bacana e possuem escondido um alto potencial de explosão nos próximos anos.

Agora, se você for esperto, deve estar se perguntando…

Mas o que fazer AGORA para identificar essas ações explosivas?

Bem, depois de muito tempo estudando e tentando identificar possíveis brechas nas análises do mercado que permitissem identificar oportunidades como essa…

…o Centro de Inteligência de Investimentos do GuiaInvest desenvolveu o Protocolo ALPHA-6, um método exclusivo inspirado em uma tecnologia britânica que detecta bombas em aeroportos.

Esse Protocolo utiliza 6 passos para identificar as ações mais explosivas do momento e colocar em suas mãos o poder de multiplicar em até 1000x o capital investido.

Para apresentar a você tudo isso, o André criou uma masterclass inédita, 100% online e totalmente gratuita.

Inscreva-se agora mesmo, pois vagas são limitadas para o seu melhor atendimento.

6 livros de finanças e investimentos para ler antes de enriquecer!

livros de finanças e investimentos

Muitos jovens têm o desejo de enriquecer e conquistar a liberdade financeira. Mas quantos deles trabalham com disciplina para alcançar esse objetivo?

Neste post, vamos conhecer algumas dicas de livros de finanças e investimentos com exemplos de pessoas que enriqueceram com bem-sucedidas aplicações financeiras.

Acumular capital requer paciência, pois é um processo que leva alguns anos para começar a tomar forma. Portanto, é preciso começar a se informar o quanto antes sobre as diferentes estratégias que envolvem os investimentos e a análise adotada pelos investidores que chegaram lá.

Para ajudá-lo, elencamos 6 dicas de livros já consagrados e que influenciaram muitas pessoas que hoje operam com sucesso no mercado financeiro. Boa leitura!

1. A Nova Regra do Jogo – Rafael Paschoarelli

Brasileiros também são referência quando o assunto é educação financeira. Rafael Paschoarelli é professor universitário, escritor e especialista em finanças.

No livro, ele aborda a necessidade de refletir sobre a qualidade dos produtos financeiros e sobre a capacidade de manter e multiplicar o dinheiro — a quantia que temos agora, explica, é apenas momentaneamente nossa.

O livro segue uma estrutura bastante agradável, começando pelo modo de enxergar as finanças sob o ponto de vista da pessoa leiga em investimentos e progredindo até nos mostrar como um leigo pode se tornar um expert na arte de multiplicar os dividendos.

“A Nova Regra do Jogo” é um ótimo guia para aprender como aproveitar os benefícios de aplicar no mercado financeiro e sobre o mundo das finanças em geral. Paschoarelli é bem detalhista e explica, com o mesmo rigor, conceitos distintos como sistemas previdenciários e investimentos avançados.

2. O Investidor Inteligente – Benjamin Graham

A obra de Benjamin Graham mantém a sua influência desde… 1949! Isso mesmo. Contando com prefácio do investidor Warren Buffett e do economista brasileiro Armínio Fraga na edição brasileira, “O Investidor Inteligente” é uma obra sagrada para o mundo das finanças.

Buffett, inclusive, inclui esse livro entre os seus favoritos e não esconde que a obra influenciou muito as suas próprias aplicações. O lendário investidor explica que o que mais o atraiu no livro foi a ideia de Graham de que não é preciso ser um extraordinário gênio para obter sucesso em aplicações financeiras. Basta um pouco de análise e determinação.

É um livro indicado especialmente para aqueles que têm interesse em acompanhar com cuidado as trajetórias das empresas antes de investir — as chamadas análises fundamentalistas.

É importante notar que, apesar de toda a sua bagagem no assunto, Graham mantém os pés no chão e se dedica a explicar a diferença entre investidores e especuladores.

3. Pai Rico, Pai Pobre – Roberto Kiyosaki

Com mais de 30 milhões de cópias vendidas em todo o mundo, “Pai Rico, Pai Pobre” continua fazendo enorme sucesso entre todos que buscam conhecer sobre educação financeira. Seu autor é um empresário com extensa bibliografia e serviços prestados.

Com linguagem acessível, o best-seller de Roberto Kiyosaki mostra os ensinamentos que recebeu de seu pai, um empresário que estudou somente até o segundo grau, fato que não o impediu de enriquecer.

O autor é um dos escritores que mais popularizaram a noção de que o dinheiro deve trabalhar para a pessoa — e não o contrário. Kiyosaki também explica minuciosamente as vantagens de buscar uma boa educação financeira como modo de se destacar. Afinal, afirma o autor, evitar o dinheiro é bem pior que não ser apegado a ele.

4. Os Grandes Investidores – Glen Arnold

Essa coleção traça um panorama imperdível com alguns dos mais bem-sucedidos investidores da história, como Warren Buffett, George Soros, Anthony Bolton e Charles Munger e ainda detalha as suas estratégias para enriquecer. Com essa variedade de perfis, é importante notar como cada um deles obteve sucesso e suas diferentes estratégias para multiplicar seus lucros.

Nos livros, o autor inglês Glen Arnold revela a importância de controlar as emoções para não ser arrastado pelas oscilações do mercado e de enxergar o mercado financeiro como um todo — ou, como está na introdução, “ver a floresta e não somente a árvore”.

5. Investimentos Inteligentes – Gustavo Cerbasi

Exemplo de autor estabelecido em seu campo de atuação, Gustavo Cerbasi é um escritor e consultor eclético que aborda diversos aspectos relacionamentos ao mundo das finanças: desde o planejamento familiar mais básico até dicas sobre aplicações mais avançadas no mercado de ações.

Em “Investimentos Inteligentes”, Cerbasi discute a utilização eficiente de diversos tipos de aplicações financeiras e a aquisição de bens que podem ser revendidos e gerar lucro.

Mesmo com todo o conhecimento adquirido, a escrita do autor é leve e prazerosa, evitando todo o economês inacessível de outras obras do gênero. O livro apresenta números e gráficos com desenvoltura, que se mesclam naturalmente aos exemplos precisos de Cerbasi.

6. Os Segredos da Mente Milionária – T. Harv Eker

Em outro clássico, Eker discute os resultados que conquistou no mercado financeiro e ainda detalha a trajetória de sucesso de muitos dos seus alunos. O autor defende que as pessoas ricas que alcançaram a liberdade financeira só a conseguiram por adotar uma mentalidade vencedora que as impulsionou para o enriquecimento.

A boa notícia, afirma o autor, é que essa mentalidade pode ser desenvolvida por qualquer um que tenha um pouco de disciplina. Ele oferece 17 conselhos práticos para se começar a pensar como uma pessoa financeiramente bem-sucedida.

É interessante notar que um conselho que Eker recebeu na juventude, de um amigo milionário do seu pai, serviu como um estímulo para que ele se dedicasse com afinco a construir um patrimônio sólido — e sair, finalmente, do porão de casa!

Como vimos no artigo, mesmo que investimentos possam parecer um assunto bem complicado no início, os exemplos de pessoas que conquistaram a liberdade financeira (e um pouco mais que isso) são inúmeros, assim como as estratégias que as fizeram alcançar seus objetivos.

Esses diferentes livros de finanças e investimentos são essenciais para descobrir e explorar o seu próprio perfil. Ao se dedicar à leitura, você vai entender que existem operadores mais agressivos no mercado de ações, assim como pessoas mais cautelosas. Mas todos eles, combinando paciência e disciplina, conseguiram resultados incontestáveis.

Gostou do nosso artigo e quer se informar mais? Então, aproveite a visita e baixe agora mesmo nosso e-book com 60 dicas dos investidores mais bem-sucedidos da história!

Tipos de Ações: Como Escolher o Melhor

Tipos de ações: como escolher o melhor - GuiaInvest

Ao investir na Bolsa de Valores, além de escolher a empresa, o investidor precisa optar por diferentes tipos de ações. Cada ação possui algumas características específicas que irão definir sua participação na empresa e seus rendimentos.

Então, se você ainda está começando no mundo das ações, fique com a gente e descubra os diferentes tipos de ações e qual o melhor para seu perfil de investidor.

Sobre os tipos de ações

Uma ação pode ser definida como a menor fração de uma empresa. Ou melhor, a menor fração do Capital Social de uma empresa.

Para facilitar a negociação na Bolsa de Valores, as ações são representadas por um código formado por 4 letras e 1 número.

Se você procurar as ações da Petrobras, por exemplo, verá que existem a PETR3 e a PETR4.

Isso acontece porque no mercado brasileiro existem dois principais tipos de ações: as Ações Preferenciais (PN) e as Ações Ordinárias (ON).

Ambas são nominativas, ou seja, o detentor é identificado nos livros de registros da empresa.

As ações ordinárias terminam em 3, já as ações preferenciais, em 4. Nesse exemplo anterior, a PETR3 representa uma ação ordinária da Petrobras e a PETR4, uma ação preferencial.

Ações Ordinárias (ON)

Ações Ordinárias são as mais comuns. Geralmente quando se escuta falar em ações, é dela que estão falando.

Essas ações dão direito ao voto do investidor em assembleias. Essa participação depende da quantidade de ações ordinárias que um investidor possui.

Sendo assim, quanto mais ações, maior é seu poder de decisão. Desse modo, quem tem o maior poder de decisão é o acionista majoritário.

Os detentores dessas ações podem receber dividendos, porém sem a prioridade.

Caso a empresa venha a falir, quem tem ações ordinárias só recebe o dinheiro depois que os detentores de ações preferenciais e credores forem pagos.

Ações Preferenciais (PN)

As ações preferenciais dão preferência aos acionistas no pagamento de dividendos e em caso de liquidação da empresa.

Sendo assim, no caso de falência ou outro evento que leve à liquidação, os detentores de ações preferenciais têm prioridade em recuperar parte dos seus investimentos.

Sem dúvida, a maior vantagem das ações preferenciais é o recebimento de dividendos. É lei que as empresas de capital aberto paguem parte dos lucros para os seus acionistas.

Porém, investidores dessas ações não possuem direito de voto em uma assembleia.

Classes de ações

Além desses dois tipos de ações, as empresas podem personalizar algumas classes de ações conforme as suas necessidades.

Isso pode acontecer quando a empresa decide oferecer diferentes direitos de voto para os acionistas. Dessa forma, são criadas diferentes classes de ações para diferenciá-los.

Quando isso ocorre, as ações de classes diferentes passam a ter outros números no seu código, como 5, 6, 7, e assim por diante.

Se você analisar as ações listadas na Bovespa, poderá encontrar, além dos tipos ON e PN, as classes PNA, PNB, PNC, entre outras.

Um exemplo é a USIM5 (Usiminas PNA) ou Eletrobrás (ELET6 PNB).

Tipos de ações: como escolher o melhor - GuiaInvest

O Melhor Tipo de Ação

Na hora começar a investir vem a dúvida: qual dos tipos de ações é melhor para o meu perfil de investidor?

Primeiramente, é importante que você tenha em mente as principais características de cada ação antes de optar por uma delas.

A liquidez é um ponto que se deve levar em consideração. Geralmente, as ações preferenciais costumam ter maior liquidez. Como são negociadas em maior volume na bolsa de valores, fica mais fácil negociá-las a hora que quiser.

Outra coisa que você deve avaliar é o recebimento de dividendos. As ações preferenciais, além de ter a preferência no recebimento dos dividendos da empresa, recebem mais dividendos do que aqueles que possuem ações ordinárias.

Se você visa o longo prazo e sua Liberdade Financeira, comprar ações preferenciais pode ser uma boa alternativa, mas lembre-se sempre de diversificar o seu patrimônio.

Agora está na hora de montar uma carteira com as ações mais explosivas da Bolsa de Valores para multiplicar o seu capital.

Participe da nossa masterclass inédita e gratuita onde o André ensina um método de multiplicar o seu dinheiro investido em até 1000 vezes.

Vale a pena Investir no Magazine Luiza (MGLU3)?

vale a pena investir no magazine luiza

Se alguém falasse em investir no Magazine Luiza 3 anos atrás, seria taxado como louco. Em dezembro de 2015, graças a uma soma de fatores negativos, a ação valia irrisórios R$ 0,96.

Na época, parecia que a varejista jamais se reergueria. Porém, quem acreditou na “quase falida” empresa, viu seu dinheiro crescer e se multiplicar como nunca nos últimos 3 anos.

Mesmo frente à fraca economia brasileira, as ações da empresa se valorizaram. Desde então a MGLU3 vem em crescente escalada e saltou quase 17.000%. Atualmente, o valor de mercado da varejista ultrapassa os R$ 13 bilhões.

Só para ter uma ideia da valorização, se você tivesse investido R$ 10 mil em ações do Magazine Luiza em dezembro de 2015, um ano depois, teria o total de R$ 156,3 mil. Tentador, não é mesmo?

Mas, em 2019, será que ainda vale a pena investir no Magazine Luiza?

Antes de responder essa pergunta, vamos entender o contexto dessa valorização nos últimos anos e os novos projetos anunciados para 2019.

A história de sucesso do Magazine Luiza

A história do Magazine Luiza começa em 1957, em Franca, no interior de São Paulo.  O casal Luiza Trajano e Pelegrino José Donato começaram um pequeno comercio local. Este, deu tão certo que logo se expandiu para outras cidades do interior de São Paulo.

Porém, o grande salto que colocou o Magazine Luiza como uma das maiores varejistas do país aconteceu somente em 1991.

Primeiro, foi a criação da Holding LTD, fundada com o intuito de acelerar a expansão do grupo. Em seguida, a nomeação de Luiza Helena Trajano, sobrinha da fundadora, para o comando da empresa.

Em 1992, o Magazine Luiza cria o primeiro modelo de comércio eletrônico. Nesse mesmo ano lança suas primeiras lojas virtuais. Em 2000, o e-commerce do Magalu.

Em abril de 2011, o Magazine Luiza decide abrir o capital na Bolsa de Valores. Dessa forma, arrecadou R$ 926 milhões no IPO.

Os recursos levantados com a venda dos papéis foram usados na reestruturação e expansão da rede pelo país.

Estimulado pelo juro baixo de empréstimos, assim como incentivos fiscais da época, principalmente o IPI especial para eletrodomésticos da chamada linha branca entre 2011 e 2014, perecia fazer sentido todo o investimento.

Porém, em 2014 a taxa básica de juros (Selic) já estava em 10,4% ao ano. Depois, chegou aos 14,15% – valor mais alto da série histórica.

Em meio a tudo isso, veio a crise, o desemprego, a queda no poder de compra. Consequentemente a demanda pelos produtos também caiu. Tanto que em 2015, as vendas de móveis e eletrodomésticos teve a queda mais expressiva de todo o segmento: -14%.

Com isso, a dívida só crescia e as ações do MGLU3 despencavam. Em dezembro de 2015 chegaram ao valor mais baixo: noventa e seis centavos por ação.

A valorização nos últimos anos

Com suas ações em baixa e a varejista vista como praticamente “quebrada”, quase ninguém pensava em investir no Magazine Luiza. Era uma situação muito arriscada.

O Magazine precisava se reestruturar e voltar a crescer no médio e longo prazo. Foi então que no início de 2016, Frederico Trajano, filho de Luiza Helena, é nomeado Diretor Executivo (CEO) e presidente do grupo.

Ao assumir, sua primeira atitude é enxugar os gastos desnecessários e focar nas operações digitais.

Antes de chegar a CEO, Frederico tinha assumido a área de tecnologia da empresa, juntamente com a de logística.

Foi criado o LuizaLabs, laboratório de desenvolvimento e inovação, com mais de 400 desenvolvedores com o objetivo de aplicar a tecnologia a serviço da experiência de compra.

Nessa escalada, a empresa reverteu uma dívida líquida de 300 milhões de reais para uma posição de caixa líquido de 1,6 bilhão de reais.

As ações da Magalu foram as mais valorizadas tanto em 2016, quanto em 2017. Se tornaram verdadeiras ações explosivas da Bolsa de Valores.

A empresa ainda foi reconhecida como uma das mais inovadoras da América Latina pela revista Fast Company em 2017. Uma reviravolta e tanto.

Atualmente, o Magazine Luiza conta com 900 lojas físicas localizadas em 17 estados do país, 22 000 funcionários e 12 centros de distribuição.

2019 – Vale a pena investir no Magazine Luiza?

Vale a pena investir no Magazine Luiza (MGLU3)? - GuiaInvest

A administração do Magazine Luiza apresentou dia 14 de dezembro de 2018 seus novos projetos para prosseguir com o crescimento visto nos últimos anos.

Dentre os planos, está a ênfase em impulsionar o uso da plataforma da Magazine Luiza para atrair cada vez mais clientes e também impulsionar a entrega expressa.

Apesar da confiança na capacidade de o Magazine Luiza continuar a gerar lucro no médio e longo prazo, não há como garantir isso.

Em 2018, suas ações acumulam uma valorização de 110%, porém, rentabilidade passada não é garantia de que sempre continuará nessa escalada.

O mercado acredita que a recomendação para a varejista é neutra, uma vez que é possível que seus papéis já tenham subido demais.

É bom ter sempre em mente que o mercado pode variar conforme a situação econômica e política do país, bem como de acordo com outros pontos relevantes no setor e na própria empresa.

O momento ideal de comprar uma ação tão valiosa como essa é quando o seu preço está abaixo do valor que ela tem no mercado. Então, fique atento a isso!

Entretanto, o mercado tem novas oportunidades a todo momento. Inclusive, há novas oportunidades nesse exato momento esperando a sua avaliação.

Deseja aprender como detectar essas ações explosivas da Bolsa de Valores? Então participe da nossa masterclass gratuita onde o André apresenta as 3 Ações Para Comprar Agora. Essas são as ações com melhor custo benefício no momento. Não perca essa chance.

Inscreva-se gratuitamente agora mesmo.