Descubra 4 investimentos para te fazer viajar mais e realizar outros planos!

4 investimentos para te fazer viajar mais e realizar outros planos!

Poucas coisas nos fazem tão bem quanto uma boa viagem, você não acha? Conhecer novos lugares e pessoas podem promover diversos benefícios, como uma mente relaxada, saúde melhor, bom humor, criatividade e tolerância.

No entanto, sabemos também que as viagens exigem um bom planejamento, para evitar que esses momentos de alegria reflitam de maneira negativa em nossas finanças. Nesse processo, os investimentos podem ser grandes aliados daqueles que ainda pretendem não apenas fazer as malas por muitas vezes, mas também estar preparados para qualquer outro objetivo.

Se esse é o seu caso, continue lendo este post para conhecer os 4 investimentos que vão ajudar você a viajar mais!

Entenda a importância do planejamento financeiro para viajar

Em primeiro lugar, é importante ter em mente que precisamos nos planejar para qualquer decisão que envolva nosso dinheiro — ainda mais uma viagem, que pode demandar uma quantia significativa. E os preparativos começam bem antes do dia de efetivamente colocar o pé na estrada.

Um dos principais fatores a serem considerados é a época na qual a viagem será realizada. Afinal, nos dias de alta temporada, como nas férias escolares, carnaval e fim de ano, os custos para os turistas costumam ser bem maiores que para aqueles que viajam em datas menos concorridas.

Então, se você pretende fazer uma viagem para aproveitar as datas comemorativas, o ideal é começar a se organizar para esse objetivo com alguns meses de antecedência. Para isso, é preciso fazer um levantamento de todas as despesas e receitas que você terá ao longo desse tempo, definindo um valor que será guardado mensalmente para a grande viagem.

Acompanhar as oscilações nos valores das passagens com antecedência também pode ser um ótimo negócio, permitindo que você adquira seus bilhetes com condições melhores do que se a compra fosse feita em cima da hora. O mesmo vale para reservas em hotéis, que oferecem preços mais em conta para quem fecha o acordo de antemão.

Com base nas suas particularidades, você poderá escolher melhor os seus destinos, tipos de hospedagem, passeios que serão feitos, meio de transporte e fazer outras definições importantes. Por isso, um bom planejamento é fundamental para uma viagem tranquila e sem imprevistos.

Descubra como os investimentos são importantes para atingir suas metas

Um passo muito importante no planejamento financeiro, seja para viajar ou para qualquer outro fim, é investir o seu dinheiro. Isso porque recursos parados na conta-corrente ou no fundo de uma gaveta acabam sendo corroídos pela inflação, diminuindo o seu poder de compra e atrapalhando a realização dos seus objetivos.

Quem tem planos a curto prazo e deseja fazer uma viagem nos próximos anos, deve optar por aplicações que tenham como característica a segurança. Para fugir dos riscos, o melhor é investir em produtos de renda fixa, como CDB, LCA, LCI ou algum fundo multimercado que seja mais conservador. Com prazos e rentabilidade pré definidos, você saberá exatamente quando poderá resgatar seus recursos e quais serão os seus ganhos.

Outra característica que deve ser considerada é a liquidez da aplicação, que diz respeito à facilidade que o investidor terá para sacar os recursos investidos. Ativos com alta liquidez costumam ser menos rentáveis, mas permitem que os valores sejam resgatados sempre que for necessário.

Quem mantém seus recursos aplicados por mais tempo, até a data da viagem, pode optar por um ativo de médio a longo prazo, que garantirá um retorno muito mais interessante.

Para assegurar as suas aplicações, não deixe de conferir se a instituição escolhida é de confiança. Basta consultar junto ao site do Banco Central se a corretora é autorizada a realizar operações financeiras. Vale também procurar por reclamações junto à CVM (Comissão de Valores Imobiliários), que é o órgão responsável por fiscalizar o mercado financeiro, e em sites especializados, como o Reclame Aqui. Analisar as taxas cobradas pela corretora também é um cuidado indispensável.

Conheça os 4 melhores investimentos para quem quer viajar mais

Como você percebeu, os investimentos são grandes aliados de todos aqueles que possuem objetivos bem definidos — entre eles, o de poder viajar mais. Vamos conhecer agora um pouco mais sobre as principais opções para você escolher aquele que mais se ajusta aos seus planos.

1. Tesouro Selic

Esse é o produto ideal para quem busca proteger seu dinheiro da inflação sem correr grandes riscos. Isso porque ele garante rendimentos atrelados à taxa Selic, que é a taxa básica de juros da nossa economia, e o pagamento é garantido pelo Governo Federal.

Dessa forma, o Tesouro Selic é indicado para quem planeja uma viagem para dentro do país, já que o poder de compra do dinheiro estará garantido. Sua alta liquidez garante que o investidor poderá resgatar seus recursos sempre que precisar, o que torna essa uma boa opção para manter os valores aplicados mesmo durante uma viagem.

2. CDB

Os Certificados de Depósito Bancários são produtos oferecidos pelas instituições a fim de financiar as suas atividades. Em troca, o investidor é remunerado com base no CDI, sendo que as melhores opções são aquelas que pagam o percentual mais próximo de 100% desse índice.

O aporte mínimo para investir em CDBs varia de acordo com a instituição financeira, por isso é importante fazer uma boa pesquisa para encontrar o negócio certo para o seu perfil. Alta liquidez e segurança também são características desse produto, o que faz dele uma ótima opção para os investidores mais conservadores.

3. Letras de Crédito

Para aqueles que planejam sua viagem com bastante antecedência e possuem uma quantia significativa para investir, a dica é apostar nas Letras de Crédito (LCI e LCA). Em geral, é preciso um aporte mínimo de, pelo menos, 5 mil reais para esses investimentos, o que varia conforme a corretora escolhida.

A aplicação em LCI e LCA é isenta de Imposto de Renda, o que garante ao investidor um dos melhores rendimentos entre os produtos de renda fixa. Como a liquidez costuma ser apenas no vencimento, é preciso se programar para manter os recursos investidos durante todo o prazo acordado em contrato.

4. Fundos cambiais

Para viagens internacionais, é importante destinar parte de seus investimentos para os fundos cambiais. Nessa modalidade, os rendimentos são atrelados ao desempenho de uma moeda estrangeira, como o dólar. O objetivo é manter o seu poder de compra no exterior, mesmo com as variações do mercado cambial, servindo como uma excelente proteção para quem visa um destino fora do país.

Investindo corretamente, de acordo com o seu perfil e objetivos, você não terá dificuldades para se programar e viajar mais. E se você quer ter ainda mais dinheiro para viajar, confira nosso e-book gratuito e conheça outras formas mais eficientes de investir!

Nota de Esclarecimento

Caro leitor,

Finalmente o Índice Bovespa bateu os 100 mil pontos. Por isso, hoje venho aqui prestar um esclarecimento.

Nos últimas semanas, lancei uma polêmica palestra online, onde revelo minha tese de que o Ibovespa deverá bater os 500 mil pontos dentro dos próximos 3 a 5 anos.

A verdade é que desde a greve dos caminhoneiros, quando o Ibovespa estava abaixo dos 70 mil pontos, defendo a hipótese de que a bolsa brasileira deve disparar nos próximos anos.

Depois, junto com o Tiago Salomão da Infomoney, defendemos a tese de que estamos vivendo um Superciclo de valorização da bolsa brasileira.

Desde então, fui duramente criticado, ridicularizado e até mesmo ameaçado… me chamaram de picareta.

“Que piada”

“Só pode estar louco…”

“Que vergonha, daqui a pouco vai ser processado”.

Tivemos muitos comentários negativos nas redes sociais:

Isso sem comentar os xingamentos de baixo calão.

Mas tudo bem, para mim o que importa é que ninguém ficou indiferente quanto a isso.

Não vou baixar a guarda e não vão me ver calado.

Sempre foi dessa maneira que consegui ajudar as pessoas a ganhar dinheiro na bolsa: falando coisas que geralmente são censuradas e que nem todo mundo tem coragem de falar.

E agora com o Ibovespa batendo 100 mil pontos, estou mais convicto do que nunca de que podemos sim chegar aos 500 mil pontos.

E veja bem… eu entendo que você possa estar cético quanto a minha tese. E acho que você não precisa acreditar nela.

Apenas assista a palestra onde eu apresento a minha tese do Ibovespa a 500 mil pontos.

Veja com os seus próprios olhos e tire suas próprias conclusões.

Descubra como administrar melhor o seu dinheiro!

Descubra como administrar melhor o seu dinheiro!

Se você sonha com um futuro tranquilo, é preciso melhorar o modo como lida com o seu dinheiro. Desconhecer os próprios gastos, gastar mais do que ganha e nunca investir o que sobra é a receita do fracasso financeiro. Essa derrocada nem demora muito para acontecer.

Por outro lado, a partir do momento em que você descobre como administrar o dinheiro da forma correta, o cenário se inverte. Com isso, o seu caminho rumo à liberdade financeira passa a ser iluminado. O jogo vira a seu favor!

Quer saber como chegar lá? Reserve um pouco do seu tempo e fique com a gente nas próximas linhas!

Faça uma organização detalhada dos gastos

Por mais básico que esse orçamento seja, o fato é que a maioria das pessoas tem preguiça de fazê-lo. Conhecer as origens e as saídas do dinheiro é o passo inicial de qualquer administração financeira. Afinal, esse monitoramento é essencial para que você consiga controlar os gastos.

A maneira escolhida para efetuar essa gestão das finanças dependerá de você. Mesmo que o controle seja feito com lápis e papel, não há problema. O importante é que ele seja eficaz.

Atualmente, é possível recorrer até a muitos aplicativos, desenvolvidos especificamente para tentar facilitar o processo. Se preferir, você pode usar uma simples planilha eletrônica. Não importa. O ponto crucial é compreender perfeitamente os dados contidos nela.

Essa compreensão envolve observação e análise. Para que ambas sejam realizadas da melhor maneira possível, é indispensável categorizar os gastos. Então, você deve separar os gastos das atividades de lazer dos valores direcionados às contas fixas (aluguel, mensalidade do carro, etc.).

Ao terminar essa organização mensal dos gastos, você terá uma dimensão muito mais ampla e detalhada das suas finanças. Pode até ser que apareçam algumas boas surpresas.

Exemplo: ao contrário do que imaginam, muitas pessoas descobrem que têm uma boa quantia para a realização de investimentos. Na verdade, fica evidente que, com organização e planejamento, sempre é possível investir o dinheiro de um jeito inteligente.

Aprenda a usar o cartão de crédito

O cartão de crédito facilita a vida de muitas pessoas todos os dias. Isso pode ser facilmente comprovado pela possibilidade de parcelar a compra de diversos produtos. Logo, o problema não é o cartão em si, mas a forma de usá-lo.

Antes de pensar em adotar o cartão de crédito, você deve confirmar se conseguirá quitar o débito na data de vencimento da fatura. A realização de compras a perder de vista provoca o inevitável rolamento da dívida. Como os juros do cartão são elevados, o saldo devedor tende a aumentar assustadoramente.

Se o cartão de crédito for utilizado apropriadamente, é possível até concentrar os gastos mensais em um único cartão. Isso exige pleno conhecimento da sua vida financeira, o que é obtido por meio de uma boa organização das finanças. Ela é crucial para evitar que o cartão de crédito se transforme em uma dor de cabeça interminável.

Além disso, também é importante se informar a respeito das vantagens proporcionadas pelo uso do cartão. Verifique qual é o programa de pontuação atrelado a ele, assim como a possibilidade de acumular milhas aéreas. Com todas essas medidas, você não só mantém o cartão em dia, como ainda é beneficiado de outras formas.

Lembre-se também de:

  • escolher a melhor data de vencimento da fatura;
  • selecionar um cartão de crédito que não cobre anuidade — existem várias opções no mercado;
  • avaliar a viabilidade de ter um segundo cartão, a fim de contar com mais uma data de vencimento.

Saiba como evitar o acúmulo de dívidas

O comprometimento de parte do dinheiro com alguma dívida é uma realidade. Isso acontece quando você parcela a compra de um automóvel ou de uma residência, por exemplo. Logo, é preciso ter isso em mente.

Os problemas se iniciam quando as dívidas passam a se acumular. Nessas circunstâncias, não é mais só uma parcela do seu dinheiro que ficará comprometida. Em vários casos, o comprometimento da renda é totalmente ultrapassado — e é aqui que mora o perigo!

Para não chegar a esse nível de descontrole, é preciso partir de um princípio básico: distinguir as necessidades dos desejos de consumo. Sempre que a sua mente pairar na segunda possibilidade, vale a pena refletir um pouco mais sobre a compra.

Essa reflexão simples é um dos mecanismos mais eficazes para diminuir ou evitar as compras impulsivas. Faça o teste durante um mês e perceba a diferença do saldo da sua conta após 30 dias. Ao adotar essa estratégia de consumo, o acúmulo se voltará para o seu saldo bancário. Imagine a quantidade de dinheiro que pode ser economizada ao longo de meses e anos!

Lembra-se da categorização dos seus gastos mensais? Aproveite o momento para também estabelecer limites de gastos para cada uma delas. Desse modo, você amplia ainda mais o poder de administrar o dinheiro que recebe. Consequentemente, a probabilidade de se contrair uma dívida impagável ficará ainda mais distante da sua vida financeira.

Invista o que sobrar do orçamento para conquistar a sua liberdade financeira

Se você seguir as recomendações mencionadas ao longo deste artigo, certamente terá dinheiro para investir. O investimento é, de fato, vital para maximizar a sua renda e garantir um futuro financeiro estável. Resta saber como fazer, certo?

Inicialmente, é conveniente alocar os recursos em produtos de renda fixa. Você vai dar os primeiros passos. Conforme for se habituando, terá conhecimento e confiança para diversificar a sua carteira de investimentos. Nesse momento, já é recomendável injetar o dinheiro em outras aplicações, como:

  • CDB (certificado de depósito bancário);
  • LCI (letra de crédito imobiliário);
  • LCA (letra de crédito do agronegócio).

Perceba que o processo é gradativo. Mais à frente, você pode usar parte dos lucros obtidos anteriormente e reinvestir no mercado de renda variável. A compra e venda de ações é um ótimo exemplo.

O aspecto mais relevante de todo esse processo é um só: saber exatamente para onde os seus recursos estão sendo direcionados. Ao conhecer as diferenças entre cada modalidade de investimento, você aprenderá como se deve administrar o dinheiro e fazê-lo render ao máximo. Ao longo dos anos, você criará um patrimônio financeiro capaz de proporcionar a vida confortável com a qual sempre sonhou!

Agora que você está pronto para buscar a liberdade financeira, está na hora de aprender a multiplicar a sua renda no mercado de ações!

Sobre ações e relações

Escolher uma ação é como escolher um relacionamento para a vida.

Antes de ir adiante faço uma advertência: não escolha uma relação para vida como se estivesse escolhendo uma ação.

Esse sim é um erro fatal que pode arruinar a sua vida.

Dado o aviso me permito ir adiante: como todo relacionamento duradouro, a melhor ação que você poderia comprar hoje também está sujeita a altos e baixos, mas é ela que vai proporcionar a você os momentos mais incríveis da sua vida.

E se corriqueiramente questionamos as nossas mais íntimas relações, não há porque não questionar a nossa mais queridinha ação.

Em 2009 as ações da OGX atingiram a cotação de mais de 2 mil e 200 reais, tendo se multiplicado por 10x em menos de dois anos. Muita gente se empolgou. Hoje ela vale 1 real e 63 centavos, uma queda de 99,9 por cento.

Para muitos, foi um casamento precipitado e mal-sucedido. Uma paixão de verão que se transformou em um relacionamento abusivo e degradante.

Por outro lado, há exatos 16 anos atrás uma ação do Itaú custava 39 centavos e hoje custa 13 reais. Uma lua de mel sem fim.

Devemos saber minimamente onde estamos nos metendo. As possibilidades de perdas são tão relevantes quanto as de ganhos. Compreender a essência (valor) é muito mais importante do que entender a aparência (preço).

Warren Buffett traduziu isso com um dos seus geniais bordões: “Preço é o que você paga, valor é o que você leva”. E assim como no mercado de ações, é muito perigoso insistir em relacionamentos que não valham a pena.

Empresas lucrativas, bem geridas e pouco endividadas sempre são as melhores pretendentes para você ficar para o resto da vida, como uma bela parceria. E nós do GuiaInvest temos a missão de ser um “conselheiro amoroso” para os nossos alunos e leitores.

Nossa mais nova aula mostra os 3 simples passos para você conquistar a Liberdade Financeira. Nesta aula, comentamos 4 casos de ações que formaram um casamento perfeito com os seus investidores.

E o melhor, ainda que investir seja algo para longo prazo, com os preços atuais da bolsa brasileira, a fase é muito boa para noivados. Aproveite!

Como começar a receber dividendos este ano

Como receber dividendos este ano

Já imaginou viver de dividendos?

Pois isso é mais que possível. Inclusive, já explicamos como você pode viver de dividendos nesse artigo aqui.

Agora, se você quer saber como começar a receber seus dividendos a partir deste ano, preparamos um conteúdo mais que especial.

Continue a leitura!

O que são dividendos?

Para iniciar, vamos reforçar o nosso conceito sobre os dividendos.

Considere que você fez a compra de um lote de ações de uma determinada empresa.

Logo, você se tornou acionista. Um acionista, portanto, tem direito a receber uma parte do lucro que a empresa obteve dentro de um certo período.

Esse lucro é o que nós chamamos de dividendos.

Por que os dividendos são uma forma tão interessante de ganhar dinheiro?

Porque é fácil. Simples assim.

A partir do momento em que você já fez o investimento inicial, que é a compra de ações, depois é, literalmente, só receber os lucros dessa aplicação.

Viver de rendimentos é mais do que possível.

Se você está interessado em saber mais sobre esse assunto, o GuiaInvest possui uma Masterclass incrível, que vai te ajudar a conquistar a Liberdade Financeira.

É só clicar aqui e aprender como complementar a sua renda com dividendos.

Como receber dividendos?

Explicado como funcionam os dividendos, vamos para a segunda etapa, que é identificar as empresas que mais retornam dividendos aos seus acionistas.

Para isso, você precisa partir do pressuposto básico de toda empresa que tenha seu capital aberto:

  1. Quanto maior for o seu lucro, maior é o retorno para reinvestimento e pagamento de dividendos.

No entanto, também precisamos considerar que as empresas possuem um padrão de pagamentos.

Isso significa que, mesmo que o seu faturamento seja recorde, esse valor não será integralmente distribuído para os acionistas.

Cada empresa, em seu Estatuto Social, determina qual será a porcentagem de lucro que será paga aos participantes.

Ou seja, você precisa analisar o Estatuto Social de cada uma para identificar quais são as que mais pagam dividendos.

Mas não é só isso que influencia o pagamento de dividendos.

Nós já preparamos um artigo que te ajuda a identificar quais são as melhores empresas para investir.

Sendo assim, se a sua intenção é alcançar a Liberdade Financeira através da renda complementar, é fundamental que você saiba escolher as melhores pagadoras de dividendos.

Quer saber como? Então continue lendo.

Como identificar as melhores pagadoras de dividendos?

Viver de dividendos

Temos uma máxima famosa no mercado de ações, que consiste em “quanto maior o lucro, maior será o risco”.

Via de regra, essa afirmação não está incorreta.

No entanto, é possível encontrar algumas boas ofertas, que tenham um bom rendimento e com liquidez atrativa, que resulta em dividendos generosos.

Para isso, você precisa ter em mente que uma empresa que destina seu lucro ao pagamento de dividendos é considerada estável.

Isso porque é muito natural que elas, ao receber os lucros de suas operações, invistam em crescimento ou melhorias.

Se a empresa que você está de olho faz o pagamento de dividendos, é um sinal de que ela é próspera.

No site da Bolsa de Valores, você encontra uma área dedicada apenas a mostrar o IDIV (Índice de Dividendos BM&FBOVESPA).

O GuiaInvest possui o e-book Ranking: Top 10 Maiores Pagadoras de Dividendos. Baixe grátis clicando aqui.

Analise as opções e escolha a que mais te agrada.

Como começar a receber dividendos este ano?

Antes de te explicarmos a melhor maneira de receber dividendos desde já, é interessante que você compreenda que os pagamentos variam de acordo com cada empresa.

Lembra do Estatuto Social do qual falamos anteriormente?

Ele, além de determinar a porcentagem de dividendos que serão pagos aos acionistas, também determina em quanto tempo os investimentos serão revertidos aos participantes.

Por isso, o ideal é que você diversifique os seus investimentos, baseando-se, também, nos prazos de pagamentos dos dividendos.

Assim, você alcança aquilo que chamamos de renda passiva.

Sabendo isso, vamos para a parte mais ansiada: como receber dividendos ainda esse ano?

  1. Está na hora de deixar a poupança de lado

A maioria dos brasileiros, por medo ou por falta de educação financeira, faz as aplicações de seu dinheiro apenas na poupança.

Veja bem: apenas.

Isso não quer dizer que a poupança seja um mau negócio, mas você está, literalmente, deixando de ganhar dinheiro quando aplica somente lá.

Isso porque os juros que incidem sobre a poupança são bem menores que o de outros investimentos.

Ou seja: ao invés de aplicar o seu dinheiro na poupança, é hora de partir para o mercado de ações.

  1. Analise as suas opções

Como dissemos anteriormente, cada empresa possui um prazo delimitado para o pagamento de dividendos.

Veja quais são as opções que determinem o pagamento ainda este ano e faça a compra de uma cota de ações.

Lembre-se de que o pagamento dos dividendos é relativo ao valor do investimento.

  1. Diversifique os seus investimentos

Caso este seja o seu primeiro contato com o mercado de ações, pode ser que ainda esteja se sentindo inseguro.

Mas, calma. Daqui há pouco você já estará se sentindo um expert sobre investimentos.

É muito importante diversificar suas ações. Lembra daquela história de colocar “um ovo em cada cesta”?

Quando você já estiver recebendo os seus dividendos, procure reinvesti-los.

Para cada ação comprada, maior será a sua participação nos lucros das empresas.

  1. Mantenha a calma

Mesmo que o cenário seja animador e que você esteja extremamente empolgado para acompanhar o crescimento do lucro da empresa em que investiu, não recomendamos fazer isso.

Aliás, apenas investidores experientes, que trabalham com a oscilação dos mercados é que devem ficar acompanhando as variações a cada minuto.

Afinal, eles lucram com isso.

Já você deve se manter calmo. Ficar olhando a valorização da sua empresa todo dia, te levará a ver coisas que não quer. No caso, a desvalorização.

Isso é totalmente comum.

Empresas podem flutuar de acordo com o mercado. Isso não significa, necessariamente, que você estará perdendo dinheiro.

Lembre-se de que os investimentos são feitos à longo prazo. Após investir, apenas acalme-se e espere os seus dividendos chegarem em seu bolso.

Temos um conteúdo que pode te interessar bastante. Já que quer viver de dividendos, que tal aprender como Receber R$ 2.154 por mês de dividendos?

Quanto dinheiro você precisa para viver de renda?

Viver de renda é o desejo de muitas pessoas. Imagine poder viver tranquilamente, ter tempo e dinheiro para fazer o que gosta, sem obrigações nem horários.

Você precisa garantir uma reserva segura para seu futuro afim de impedir qualquer imprevisto. Ou para se aposentar antecipadamente e garantir uma boa renda na aposentadoria, para não depender apenas de INSS.

Viver de renda significa garantir uma renda mensal com seus investimentos que cobre seus gastos. E é justamente através dos investimentos que você pode alcançar a Liberdade Financeira.

Só que guardar dinheiro para começar a investir nem sempre soa como uma tarefa fácil. Porém, com planejamento e disciplina, você chega lá.

Veja como calcular a quantidade de dinheiro que você precisa para viver de renda. Desse modo, você conseguirá estimar em quanto tempo você poderá se aposentar.

Qual seu custo de vida atual?

A primeira coisa que você precisa definir é qual seu custo de vida anual. Você sabe exatamente quanto ganha, quanto gasta e quanto poderia economizar?

Se você que viver de renda, primeiro precisa fazer um balanço financeiro levando em conta todos os ganhos, gastos e possíveis dívidas.

Essa é a hora de renegociar aquelas dívidas antigas e planejar sua Liberdade Financeira.

Qual a rentabilidade do seu patrimônio?

Para calcular quanto dinheiro você precisa para viver de renda, a segunda etapa é saber quanto do seu patrimônio está disponível para investir.

Por exemplo, se você tem R$ 100 mil livres para investir e aplique em um investimento que pegue uma rentabilidade de 7% ao ano, significa que você recebe R$ 7.000 em renda todo ano.

Caso seu custo de vida seja de R$ 40 mil ao ano, você precisará juntar cerca de R$ 600 mil para que a rentabilidade possa cobrir seus custos.

Com isso, você já consegue calcular quanto dinheiro você precisa para atingir a renda anual que você almeja. Basta adaptar os valores para a sua realidade. Pense também qual a margem de segurança que você deseja obter.

Quanto menor o seu patrimônio inicial, você precisará de investimentos com uma rentabilidade maior para se aposentar mais cedo.

Qual sua taxa de poupança?

A taxa de poupança é a sua capacidade de economizar. Ou seja, é quanto da sua renda você economiza.

O ciclo para viver de renda é: ganhar, poupar e investir. Sendo que, quanto mais você investir, mais rápido poderá viver de renda.

Assim, quanto maior for a sua taxa de poupança, mais você está disposto a viver com uma renda menor, e com isso, sobra mais dinheiro para investir e viver de renda mais rapidamente.

Qual a sua rentabilidade?

Quanto mais você conseguir poupar e rentabilizar seu dinheiro, melhor. Uma boa rentabilidade é consequência de ótimas escolhas de investimentos.

Existem diversas opções que podem trazer bons retornos. Por isso, é fundamental entender quais são os melhores investimentos.

Aumentar a rentabilidade dos seus investimentos faz seu patrimônio crescer mais rapidamente e, portanto, leva menos tempo para atingir a meta que deseja.

Se você dobrar sua rentabilidade, por exemplo, você diminui pela metade o tempo necessário para viver de renda.

Por isso, quando as pessoas aprendem sobre investimentos, preferem aqueles que tenham uma maior rentabilidade. Ou seja, quanto mais conhecimento você tiver, maiores as chances de multiplicar seu dinheiro.

Dessa forma, o tempo que você demora para atingir a Liberdade Financeira não depende necessariamente de quanto você ganha de salário nem de quanto gasta.

Se você poupar 30% do seu salário todo mês e deixar num investimento com juro real de 9% ao ano, você vai levar em média 17 anos para poder se aposentar, bem melhor que a previdência pública.

Dicas para calcular quanto dinheiro você precisa para viver de renda

Vamos a um exemplo de cálculo, para saber o quanto você precisa, é só adaptar para os seus valores.

Digamos que anualmente você ganha R$36.000,00 e seu custo anual é de R$24.000,00. Dessa forma, você poupa R$12.000,00 ao ano.

Esse dinheiro você investe em ações e tem uma rentabilidade anual média de 15% ao ano (R$1.800,00).

Agora divida seu custo anual pela sua renda anual com investimentos para saber quantas vezes você precisa multiplicar o seu patrimônio para conseguir viver de renda.

EX: 24.000 de custo anual / 1800 de renda anual com investimentos = 13,3 vezes o patrimônio é o que você precisa juntar.

Multiplique o resultado anterior pelo seu custo anual. EX:  13,3 x 24.000 = R$319.200 é o necessário para viver de renda com a mesma taxa de juros.

Sabendo a quantidade que você precisa juntar, você pode manejar sua poupança e seus investimentos para alcançar a Liberdade Financeira mais rapidamente.

Utilize uma calculadora de juros compostos para saber quanto tempo será necessário usando os seus critérios pessoais de taxa de poupança e rentabilidade.

Pelos dados dessa simulação seriam necessários 11 anos para conseguir viver de renda.

 

E aí, pronto para colocar o plano em prática e acumular dinheiro suficiente para viver de renda?

Conquiste a Liberdade Financeira e transforme R$ 1.000 em R$ 1.086.850,68 com as ações mais explosivas da Bolsa!

Conheça o Protocolo ALPHA-6, um método único e exclusivo que agora vai colocar em suas mãos o poder de multiplicar em até 1000x o capital investido.

(Ainda) sobre Ibovespa a 500 mil pontos

Caro leitor,

Podemos parecer repetitivos, mas se aqui estou relembrando o assunto, é porque realmente creio que ele tem relevância para você e para sua vida financeira.

Lembrando que você não precisa acreditar em nada do que falamos aqui. Você só não tem como ignorar o que está acontecendo no Brasil e no mundo.

Alguns fatos:

As ações listadas na bolsa brasileira estão em boa parte sendo negociadas a preços muito atrativos.
Essas mesmas empresas estão muito ajustadas por conta da crise que passou: cortaram muitos custos, reduziram dívidas e estão com muita capacidade ociosa por conta dos investimentos já feitos pré 2014, quando o Brasil crescia mais vigorosamente. Essas empresas estão prontinhas para decolar.
Passaremos por um retomada cíclica da economia brasileira.
Os EUA passam por um período de fim de boom econômico. Por conta disso, muitos investidores internacionais irão realocar capital de lá para cá, uma vez que o Brasil tem todo um ciclo de crescimento pela frente.
A inflação brasileira cada vez mais mostra lentidão, o que nos possibilita baixar juros lá na frente.

Os ventos estão todos ao nosso favor.

Eu sinceramente não enxergo outra possibilidade que não um fluxo de dinheiro muito forte vindo de fora.

Claro que posso estar errado, mas com tantos eventos favoráveis vindo ao mesmo tempo, vejo que não estou proibido de estar esperançoso…

E veja abaixo… os ciclos de bolsa no Brasil não me permitem imaginar um caminho diferente:

Se chegarmos a 270 mil pontos em dólar (como projeta o gráfico), supondo um dólar a 3 reais, teremos um Ibovespa muito acima dos 500 mil pontos que acreditamos hoje em dia.

Mesmo que estejamos errados, os ventos estão a favor e é desejável alocar pelo menos uma parte do seu dinheiro em bolsa. Você não precisa estar certo para ganhar dinheiro.

Obs.: se você ainda está cético quanto ao boom da bolsa de valores, apenas peço para você não menosprezar o potencial do investimento em ações no longo prazo. Investir em ações é vantajoso até mesmo em períodos de crise. Nesse vídeo temos um estudo de caso de 15 anos investindo em ações.

Por que agora é o melhor momento para investir em ações?

O cenário em 2019 tem tudo para ser o melhor momento para investir em ações. Recuperação econômica, juros e inflação em níveis historicamente baixos, reforma da previdência, bom desempenho da B3, são alguns fatores que indicam um momento favorável e de altos retornos para o investidor.

O ano passado foi marcado por uma série de eventos que influenciaram a alta volatilidade do mercado acionário. Eleições, greve dos caminhoneiros, mercado externo em conflito comercial entre Estados Unidos e China. Tudo isso fez com que o mercado de ações em 2018 variasse 32% entre máxima e mínima.

Porém, todos esses últimos anos de economia fraca obrigaram muitas empresas a realizarem ajustes internos. Assim, com a expectativa de retomada da economia, estas já começaram a demonstrar bons resultados e estão prontas para expansões e novas contratações.

O ano de 2019 se iniciou com melhores perspectivas. A eleição de Jair Bolsonaro renovou as esperanças dos investidores e deu novo ânimo ao mercado. Principalmente depois do novo governo se comprometer em priorizar reformas estruturais como da previdência e a fiscal.

A possibilidade de uma economia mais forte deve atrair novos investidores e novas empresas se estabelecendo no país.

Vários índices de confiança já sinalizam uma melhora do cenário econômico brasileiro. Se você quer fazer parte da nova geração de milionários do pais, o melhor momento para investir é agora.

Bolsa de Valores brasileira é a melhor do mundo!

O desempenho da bolsa brasileira em 2018 foi o melhor entre os principais índices de ações do mundo. O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, encerrou 2018 com valorização de 15,03%. Este foi o terceiro ano consecutivo de alta.

O otimismo para 2019 permanece!

A edição de janeiro da revista Forbes, uma das mais importantes editoras de economia e finanças, destaca o bom desempenho da Bolsa de Valores brasileira frente a outras grandes Bolsas mundiais.

A reportagem aponta ainda, que o Ibovespa está no caminho de ter a maior valorização mundial no primeiro trimestre de 2019.

Se entre novembro e dezembro o índice da B3 renovou sua máxima histórica chegando perto dos 90 mil pontos, já no início de janeiro encerrou o pregão superando os 93 mil pontos.

Dia 14 de fevereiro, o índice Ibovespa operava em alta +0,07% ao atingir 95.906 pontos, logo após o governo falar na reforma da previdência, que em tudo para ocorrer.

Embora ainda faltem muitos detalhes, o assunto impulsiona fortemente os mercados. Dessa forma, é vista com uma vitória da equipe econômica que aponta uma economia mais próxima de R$ 1 trilhão em uma década.

O melhor momento para investir nos últimos 10 anos

Ainda em dúvida do por que devemos investir em ações no Brasil?

Estamos vivendo um momento era propício para quem deseja investir em ações. Os analistas estão otimistas com a expectativa de retomada do crescimento econômico brasileiro, da realização de reformas estruturais e da manutenção dos juros baixos.

Esse é o momento de aproveitar e fazer parte da nova geração de milionários até 2022!

Os sinais para você lucrar este ano com a alta da Bolsa nunca estiveram tão eminentes.

Não perca mais tempo e comece a investir em ações no Brasil agora!

André Fogaça te mostra os 7 sinais que evidenciam este momento favorável. Descubra a única coisa que você precisa saber agora para não perder essa oportunidade assistindo nossa Masterclass.

Clique aqui e veja os horários disponíveis.

Como Warren Buffett se tornou bilionário?

Se você se interessa por investimentos, certamente já ouviu falar de Warren Buffett.

Desde cedo, Buffett mostrou talento para negócios e investimentos inteligentes. Comprou suas primeiras ações aos 11 anos com um investimento de 100 dólares. Aos 14 já declarou imposto de renda.

Atualmente, é CEO e o maior acionista do conglomerado de empresas Berkshire Hathaway. Está sempre nos primeiros lugares da lista dos homens mais ricos do mundo, com uma fortuna avaliada em mais de US$ 82 bilhões.

Mas apesar de tanto dinheiro, Warren Buffett leva uma vida simples. Mora na mesma casa que comprou em 1957, usa transporte público, não gasta dinheiro com carros, celulares, festas. Mas por que ele faz isso? Porque ele não quer gastar tempo nem dinheiro administrando coisas que não são o seu foco.

Warren Buffett é considerado o investidor mais bem-sucedido de todos os tempos.

Sua estratégia de investimento é baseada em princípios simples, que podem ser utilizados por investidores de todos os níveis. Os investimentos inteligentes e focados no longo prazo, fizeram Buffett colher os benefícios dos juros compostos.

Mas como Warren Buffett se tornou bilionário? Veja os principais acontecimentos e curiosidades da vida do Oráculo de Omaha.

Acionista Precoce

Warren Buffett nasceu em 30 de agosto de 1930, em Omaha, Nebraska, em meio a Grande Depressão da América, fato que o fez respeitar o valor do dinheiro.

Filho de um corretor da bolsa de valores, despertou desde cedo a paixão pelos investimentos e pelos negócios. Enquanto a maioria das crianças passava as tardes brincando na rua, Buffett gostava de acompanhar seu pai no trabalho.

Aos 11 investiu pela primeira vez comprando três ações da companhia petrolífera Cities Service, hoje chamada de Citgo, por US$ 38 cada.

O jovem Buffet aprendeu ali uma importante lição financeira. Os papéis da companhia sofreram uma queda rápida de preços, para US$ 27 por ação. Buffett os segurou, mas vendeu assim que chegaram a US$ 40. O pequeno lucro poderia ser tremendo se ele tivesse esperado. Pouco tempo depois, o preço das ações da Cities aumentou para quase US$ 200.

Adolescência de negócios

Durante a adolescência, empreendeu em vários negócios incluindo venda de bala de goma, refrigerante, revenda de peças e lavagem de carros.

Aos 13 anos teve seu primeiro emprego como jornaleiro, onde percebeu que poderia maximizar seu ganho ao diversificar sua linha de produtos. Para isso, começou a vender assinaturas de revistas.

Com apenas 14 anos de idade, Buffett já declarava o imposto de renda. Aos 15 usou seus ganhos para comprar uma fazenda de 40 acres em Nebraska e destinou os lucros da fazenda para pagar seus estudos universitários.

Enquanto estudante do ensino médio, Buffett enxergou uma oportunidade e resolveu investir US$ 25 em uma máquina de pinball para colocá-la em uma barbearia.

Com a máquina na parte de trás do estabelecimento, os clientes poderiam jogar enquanto esperavam para ser atendidos. Dessa forma, ele dividiria o lucro com o dono da barbearia. Não demorou muito para que o jovem possuísse dezenas desses aparelhos espalhados por toda a cidade.

Graduação e vida adulta

Warren Buffett foi aceito na Columbia Business School, em Nova Iorque, onde foi aluno do famoso investidor Benjamin Graham.

Graham viu nele um grande potencial e em 1954, aos 24 anos, foi trabalhar como analista na Graham-Newman Corp.. Com um salário de 12 mil dólares ao ano, ganhava o equivalente a três vezes mais a média salarial de uma família americana da época.

Saindo da organização de Graham, Buffett decidiu voltar para sua cidade natal e iniciar seu próprio negócio, a Buffett Associates Ltd.

O negócio deu certo. No final da década de 50, havia aberto sete empresas parceiras. E em 1962, com 32 anos, tornou-se milionário.

Anos depois, Buffett decidiu encerrar a sociedade e liquidar os ativos. Ele e os sócios receberam quase 30% de lucro.

Berkshire Hathaway

No final dos anos 60, Buffett passou a comprar ações da organização têxtil Berkshire Hathaway quando estavam em baixa e foi aumentando a porcentagem adquirida até assumir o controle total da empresa em 1970.

A Berkshire se tornou o carro-chefe para todos os seus investimentos em negócios.

Buffett mudou o segmento de têxteis para seguros e concentrou-se em comprar ativos em diversos meios como o The Washington Post, a empresa de petróleo Exxon e a gigante de seguros Geico.

As ações Hathaway subiam sem parar e valorizavam também o capital particular de Buffett. Em 1979, a Berkshire começou negociando a US$ 775 por ação, atingindo US$ 1.310 até o final do ano, elevando o patrimônio líquido de Warren a impressionantes US$ 620 milhões.

Mas Warren Buffett queria mais. Seu novo objetivo era US$ 1 bilhão.

Adquiriu ações da rede de televisão ABC, da Coca-Cola e em 1986 alcançou seu primeiro bilhão, que se transformou em 3,8 bilhões de dólares antes mesmo de chegar aos 60.

Depois não parou mais de multiplicar. Grande parte da riqueza de Buffett foi obtida após o empreendedor passar dos 60 anos de idade.

Em 2008, Buffett tornou-se a pessoa mais rica do mundo, com patrimônio total estimado em US$ 62 bilhões pela Forbes, ultrapassando Bill Gates, que tinha sido o primeiro na lista nos últimos 13 anos.

As lições de Warren Buffett

Durante toda sua trajetória, o bilionário Warren Buffett nos deixa várias lições. Ele não herdou sua fortuna. Tudo o que tem ele levou décadas construindo graças a investimentos cuidadosos e sua preferência por empresas com ativos tangíveis e poder de lucro comprovado.

Entre os vários investimentos certeiros podemos citar grandes pedaços de organizações como Walt Disney, Washington Post, Coca Cola, Gillete e bancos nacionais influentes que levaram a Berkshire uma das empresas mais poderosas e rentáveis do mundo.

Em 2013, o Warren Buffett se uniu ao brasileiro Jorge Paulo Lehman — da 3G Capital, para comprar a Kraft Foods por US$34 bilhões em dinheiro e ações, fundindo posteriormente a Heinz à Kraft. Isso fez com que as ações da Heinz tivessem alta de 19% logo no anúncio do negócio.

O método empregado por Buffett é a filosofia Value Investing. Foi por meio do seu maior mentor, Benjamin Grahan, que ele aprendeu essa estratégia.

Warren Buffett nos ensina que um bom negócio deve ser simples, com histórico consistente e boas perspectivas do mercado.

E ainda, que devemos aprender com os erros, investir no longo prazo e dar valor ao mercado em baixa, ou seja, comprar ações de boas empresas com preço abaixo do seu valor intrínseco.

Esse é o jeito Warren Buffett de investir.

Buffett investe em negócios sólidos que possam gerar valores por muitos anos.

E você, sabe como reconhecer as ações que pagam os dividendos mais “gordos” do mercado?

Saiba como receber R$ 2.154 por mês de dividendos assistindo a nossa Masterclass.