#CENSURADO#

Caro leitor,

Quero falar de algo que infelizmente foi censurado da internet há poucos dias.

Um investidor iniciante foi até a rede social pessoal de um famoso gestor de fundos, o qual eu muito admiro, e deixou a seguinte mensagem:

“Caro {nome do gestor}, estou extremamente desapontado com o desempenho do seu fundo (de ações). Apliquei meu dinheiro que estava em CDB em janeiro e até agora não obtive nenhum ganho expressivo. Se eu tivesse deixado no banco ele teria rendido alguma coisa”.

Sinceramente, tá tudo errado aí. Eu não sou fã de investimento em fundos, mas respeito quem gosta, ainda mais no fundo desse renomado gestor.

Confesso que quando li essa mensagem me senti até um pouco frustrado, afinal ela é uma evidência do quanto ainda precisamos trabalhar para difundir a educação financeira.

Primeiro Erro: o investidor estava com um CDB no banco. Em média, um CDB de banco rende 90 por cento do CDI. São raros os bancos tradicionais que oferecem mais do que isso.

Com uma Selic a 6,5 por cento (e querendo cair), mais o Imposto de Renda no resgate, esse investidor não chegaria a um rendimento anual líquido de 5 por cento em nenhum cenário.

Segundo Erro: o investidor está desapontado com o desempenho de um fundo de ações em pouco menos de 2 meses depois de aplicar o dinheiro. Isso beira o inacreditável.

Primeiro, que o investimento em ações é algo você só faz se estiver disposto a ter variações negativas no meio do caminho. Ou até mesmo variações positivas, mas medíocres no curto prazo. E mais, investimento em ações sem foco no longo prazo praticamente não faz sentido.

Em momentos bons de mercado, como o atual, os ganhos de curto prazo são mais prováveis, mas você não pode contar com isso.

E era exatamente o que esse investidor indignado está fazendo: ele queria retornos expressivos em, pasme, 2 meses.

Fato é que ele não tem culpa de pensar assim. Ele é uma vítima da falta de educação financeira no país.

Desejo sorte a ele e ao gestor, acho que juntos eles podem ter um final feliz. Enquanto isso aqui no GuiaInvest, mostramos exaustivamente o quão viável é você multiplicar o seu patrimônio de maneira segura na bolsa.

Por que digo de maneira segura? Porque falamos de investimento de longo prazo. Ponto.

E você? Como pensa em investir? Eu convido você a assistir a nossa aula online em que mostramos um estudo de caso de 4 ações que deram muito retorno no longo prazo (mesmo com oscilações de curto prazo).

Um abraço,

Martin Kirsten

O Básico da Bolsa de Valores Para Iniciantes

Você já pensou em investir em ações, mas ainda tem receio e dúvidas? Então esse post é para você. Nele vamos abordar o básico da bolsa de valores para iniciantes.

Cada vez mais os brasileiros se dão conta da importância de ter uma reserva financeira e de começar a investir seu dinheiro em opções mais rentáveis.

Se você já tem a consciência de que o mercado de ações é a melhor maneira de alcançar a Liberdade Financeira, parabéns! Agora é a hora mais importante: dar o primeiro passo.

Já abordamos esse assunto várias vezes aqui no blog, mas é comum que ainda surjam dúvidas. Para te ajudar, vamos fazer um resumo sobre o básico da bolsa de valores.

Mesmo que você não tenha nenhum conhecimento prévio sobre o assunto, vamos tentar esclarecer de forma simples e direta as principais dúvidas. Para assim, você começar a entender e estudar mais sobre investimentos e quem sabe, fazer parte da nova geração de milionários.

O que são ações?

Cada ação pode ser definida como a menor parcela do capital de uma empresa. Ou seja, é parte de uma empresa.

É como se determinada empresa fosse dividida em milhares de pedaços, os quais podem ser comprados por qualquer pessoa.

Assim, se você possui ações da empresa X, você se torna sócio dela e participa da divisão dos lucros de acordo com a quantidade de ações que possui.

Nem todas as empresas são de capital aberto, ou seja, possuem ações negociadas na bolsa de valores.

O que é Bolsa de Valores?

A bolsa de valores é o lugar onde as ações são negociadas. Nela os investidores podem vender e comprar ações e outros produtos financeiros.

Cada país tem sua própria bolsa de valores e pode ser mais do que uma. Nos Estados Unidos, por exemplo, existe a New York Stock Exchange (NYSE) e a NADSAQ. No Brasil, a única bolsa de valores que existe é a BM&F Bovespa, ou B3.

Para saber mais como funciona a Bolsa de Valores, recomendo que clique aqui e leia o post em que explicamos maiores detalhes.

Como Começar a Investir em Ações?

Quer investir mas não sabe por onde começar? O primeiro passo para você se tornar um investidor é rever sua relação com o dinheiro. Para começar a investir em ações, você deve desenvolver o hábito de poupar e reservar certa quantia para seus investimentos.

O próximo passo é definir seus objetivos. Quando se investe em ações, vise sempre o futuro.

Para investir no mercado de ações é preciso um intermediário entre o investidor e a Bolsa de Valores, que são as corretoras.

São estas instituições que fazem a intermediação da compra e venda de ações. Clique aqui e saiba como escolher a melhor corretora.

É por meio delas também que o investidor tem acesso ao Home Broker, plataforma de negociações da bolsa de valores.

Toda a compra e venda de ações é feita online. Através do Home Broker o investidor pode negociar as ações por conta própria, solicitando a ordem de compra e venda para a corretora que será repassada imediatamente para a Bolsa de Valores.

Por que investir em ações?

Muito se fala em investir em ações, mas porque isso é uma boa ideia?

Antes de continuar a ler esse guia básico da Bolsa de Valores, tenha em mente que a principal vantagem de se investir em ações é o potencial de retorno.

Historicamente, a bolsa de valores se sobrepõe em retorno de qualquer outro ativo. A bolsa de valores é o investimento mais rentável.

Nela, você consegue fazer o dinheiro trabalhar por você e dessa forma, alcançar sua Liberdade Financeira. E você não precisa correr altos riscos para isso.

Investir em ações é arriscado?

O grande mito que envolve as ações é que este é um investimento arriscado. O que não é verdade.

Já dizia Warren Buffett: “O maior inimigo do investidor é ele mesmo”. Assim, grande parte do risco vem do investidor não saber o que está fazendo. Por isso, busque conhecimento e estude o mercado. Dessa forma, os demais riscos de investir em ações podem ser contornados. Se risco fosse realmente o problema, ninguém investiria na bolsa.

No longo prazo o preço de uma ação sempre acompanha o lucro. Portanto, se você investir em empresas sólidas, com perspectiva, visando o longo prazo e diversificando sua carteira, esse risco é praticamente anulado.

É preciso muito dinheiro para investir em ações?

Outro grande mito sobre investir na bolsa de Valores é que é preciso de muito dinheiro.

A verdade é que é possível investir com pouco dinheiro. Não existe um valor mínimo para começar a investir em ações. Isso vária de pessoa para pessoa.

Há no mercado, diversas alternativas para quem quer ingressar no mercado acionário e diversificar sua carteira mesmo não tendo muito dinheiro.

Quais os custos de se investir em ações?

Existem basicamente dois custos envolvidos no investimento em ações: a corretagem e a taxa de custódia. Mas algumas corretoras até isentam esses valores.

O custo de corretagem é a taxa que incide sobre cada operação realizada. Ou seja, toda vez que você comprar ou vender ações a corretora irá lhe cobrar essa taxa.

A taxa de custódia é o valor que a corretora cobra para “guardar” suas ações.

Por isso, antes de fechar com alguma corretora, sempre se atente às taxas cobradas e faça uma pesquisa no mercado.

Nas ações também há também a incidência do imposto de renda sobre os ganhos líquidos. Mas você só paga se vender as ações. Por causa disso, muitos investidores compram ações para a vida toda, assim não precisam pagar imposto nunca.

Quando investir na bolsa de valores?

A melhor hora de investir é agora! Análises indicam que esse ano tem de tudo para ser o melhor momento para investir em ações.

Os sinais são muitos: recuperação econômica, juros e inflação em níveis historicamente baixos, reforma da previdência, bom desempenho da B3.

Agora que você já conhece o básico da Bolsa de Valores, busque conhecimento mais aprofundado. Aqui no blog temos vários posts que podem te ajudar.

Aproveite o momento para investir em ações e mudar sua vida financeira.

Entrevista com uma quase cliente (Parte 3 – Final)

Olá amigo investidor,

Chegamos em nosso último e-mail!

Quando a ligação com a Anelise foi finalizada, tive a “confirmação” do óbvio:

As pessoas não investem por falta de domínio sobre o assunto, o que acaba gerando insegurança e consequentemente medo de errar.

Mas felizmente ela compreendeu o papel do GuiaInvest:

– Ensinar o passo a passo para o investir começar investir
– Fornecer ferramenta capaz de simplificar a análise para selecionar as melhores ações
– Prestar suporte durante o caminho dos investimentos através dos especialistas
– Manter o investidor atualizado constantemente sobre suas ações

Veja o e-mail que recebi da Anelise essa semana:

“Oi Edu!

Estou te enviando este e-mail apenas para te contar uma novidade 🙂
Sabe quem comprou sua primeira ação??? Euzinhaaaa hahahaha
Estou muito feliz!
O curso que você me sugeriu me deu muita segurança. Acho que vou aí trabalhar contigo, já me sinto uma analista de ações 🙂
Falando sério, se eu soubesse que esta ferramenta simplificaria tanto o processo de escolher uma ação, já teria começado muito antes…

Muito obrigada! Sinto que estou no caminho certo… $$$

Um abraço

Anelise G.”

Missão cumprida!

A satisfação que sinto quando consigo encaminhar uma pessoa para a construção de riqueza é indescritível.

E você? Seu medo se sobrepõe aos objetivos?

Sim?

Se você fizer sempre as mesmas coisas, não espere resultados diferentes.

Então faça como a Anelise e entenda o papel do GuiaInvest. Veja como nós poderemos te levar ao caminho da Riqueza.

O que aprender com 7 mulheres que ficaram milionárias antes dos 30

mulheres milionárias

O ano de 2018 vai entrar para história como o ano da mulher: a pauta do empoderamento feminino ganhou importância na sociedade. A china com seu mercado em ascensão criou uma geração de novas mulheres bilionárias.

Elas têm se posicionado em lugares de destaque em grandes empresas globais, apesar de ainda haver poucas na lista de bilionários essa situação tem começado a se reverter. Além dos negócios, o mundo do entretenimento tem ficado mais inclusivo, a atriz e diretora Robin Wright assumiu a direção e protagonismo para finalizar a aclamada série House of Cards da Netflix.

Neste artigo, você conhecerá uma lista de sete mulheres milionárias, suas trajetórias e características importantes que as tornaram cases de sucesso. Portanto, se você está em busca de aprendizado para aumentar seus investimentos, conheça essas empreendedoras!

1. Luiza Helena Trajano

Conhecida por comandar a rede de lojas varejista Magazine Luiza, ela está a vinte e sete anos à frente da empresa. Luiza Trajano revolucionou os negócios de sua família por meio de uma liderança visionária.

Sua forma de inovadora de liderar colocou a Magazine Luiza entre as varejistas mais conceituadas do mercado brasileiro. Isso se deu pela proximidade que criou com seus funcionários e clientes.

Desde os doze anos, Luiza trabalha no negócio, entretanto, foi ao atingir a maioridade que ela mudou o modelo empresarial da rede oferecendo e-commerce, bonificações aos funcionários e uma gestão humanizada, que deu à loja o título de uma das melhores empresas para se trabalhar.

2. Cristina Junqueira

Definitivamente uma das maiores inspirações para os Millennials, Junqueira é a única sócia brasileira e mulher da fintech Nubank que estremeceu o setor bancário no Brasil — conhecido por ser um dos mais concentrados.

Junqueira é graduada em engenharia de produção na USP, tem mestrado em engenharia na Escola Politécnica da USP e, MBA em finanças e marketing de uma das mais prestigiadas faculdades de administração dos EUA, a Kellogg School of Management.

Após sua passagem pelo Unibanco, onde pediu demissão por desconcordância de ideias, se juntou aos sócios David Vélez e Edward Wible e criaram uma das fintechs mais inovadoras do mundo, com valores de desafiar e dar espaço ao novo.

3. Laurene Powell Jobs

Com uma fortuna avaliada em US$ 18,8 bilhões é a 6ª mulher mais rica do mundo. Essa empresária e filantropa americana fundou a Emerson Collective, voltada para atividade de impacto social, preservação ambiental, reforma migratória e políticas de educação. Além disso, é cofundadora e presidente do College Track, uma instituição que auxilia estudantes desfavorecidos do ensino médio a ingressar na universidade.

Ela cresceu em West Milford, New Jersey. Tem bacharel de artes em ciências políticas pela University of Pennsylvania School of Arts and Sciences e um bacharel de ciência em Economia pela Wharton School of the University of Pennsylvania. Em 1991, recebeu seu MBA pela Stanford Graduate School of Business.

Powell Jobs também possuiu 38,5 milhões de ações da Apple Inc. e coordena o Laurene Powell Jobs Trust, antigamente conhecido como Steve Jobs Trust — antes do falecimento de seu marido Steve Jobs — que detém 7,69% da participação da The Walt Disney Company, cerca de 130,6 milhões de ações tornando-se a maior acionista.

4. Roberta Ramalho

Ramalho é uma jovem empreendedora brasileira que comanda um dos mais conceituados estaleiros do Brasil. O desafio da presidência da Intermarine veio logo na adolescência, após o falecimento de seu pai.

Entretanto, antes de assumir a presidência, passou por muitos departamentos da empresa aprendendo sobre os processos operacionais de fabricação de barcos. A infância foi essencial, já que conviveu próximo aos funcionários.

Em um meio masculino, Ramalho encontrou dificuldades, mas sempre teve firmeza e convicção para dar continuidade aos negócios. Os objetivos não param por aí, ela pretende contratar mais funcionários e uma expansão global. Toda essa seguridade garante espaço na lista de mulheres milionárias.

5. Kylie Jenner

Essa empresária e digital influencer americana conquistou um feito inimaginável. Três anos após fundar a Kylie Cosmetics, acumulou uma fortuna avaliada em US$ 900 milhões. Com apenas 21 anos, está prestes a se tornar a pessoa mais jovem bilionária dos EUA com sua própria fortuna.

Distante do mundo empresarial, Jenner também é uma das pessoas mais requisitadas pelas marcas globais para comerciais. O sucesso do comercial da empresa de equipamentos desportivos PUMA é um exemplo disso, já que existe uma maior dinâmica com jovens.

A Kylie Cosmetics tem apenas sete funcionários, os processos de produção são terceirizados. Essa forma concentrada de administração tem inspiração em startups que recebem milhões em aportes financeiros.

6. Susanne Klatten

A herdeira da BMW, Susanne Klatten, ajudou a transformar a empresa em uma corporação global listada no DAX-30 (índice alemão das 30 companhias abertas com melhor desempenho financeiro).

Após a morte do seu pai, recebeu ações da Altana, uma empresa europeia de químico-farmacêuticos de grande porte. Sua fortuna atualmente está avaliada em US$ 25 bilhões, sendo a mulher mais rica da Alemanha e a terceira mundial.

Ela tem formação de administração e economia em Frankfurt, e mestrado em administração pela Universidade de Lausanne na Suíça. O setor automobilístico tem poucas mulheres e Susanne Klatten reescreveu esse paradigma.

7. Alice Walton

Walton conquistou um feito gigantesco ao encabeçar a lista de mulheres mais ricas do mundo. Com uma fortuna de US$ 46 bilhões é a 16.º na classificação geral. É filha do fundador do Walmart e, não participa diretamente na gestão da empresa, contudo tem ações da companhia e recebe dividendos.

Sua formação foi feita na Trinity University, vive em um rancho no estado do Texas. Suas paixões são cavalos e o museu Crystal Bridges Museum of American Art, fundado no Arkansas, que abrange uma coleção de US$ 500 milhões.

Ao longo de sua carreira trabalhou como analista de patrimônio e gerente financeira da First Commerce Corporation, esteve na liderança de atividades de investimentos do Banco Arvest e foi corretora da EF Hutton. Walton também foi fundadora, presidente e CEO do Llama Company um banco de investimentos americano.

As características dessas importantes mulheres milionárias

A trajetória dessas mulheres milionárias e empoderadas não foi nada simples de se conquistar. Mesmo as que herdaram fortunas precisaram dar continuidade e reinventar os negócios familiares.

Essas mulheres compartilham traços semelhantes como perseverança, inovação e capacitação. São inspirações para todos os públicos, femininos e masculinos, que buscam a liberdade financeira e sucesso. Elas desafiam uma sociedade extremamente conservadora, quebram arquétipos e abrem espaço para outras mulheres conquistarem cada vez mais representação.

Como abordado no artigo, esses exemplos de mulheres milionárias traçaram caminhos diferentes e viveram realidades distintas. Ainda assim, compartilham os desejos de mudanças, de fazer diferente e tornar o mundo um lugar mais igualitário, por isso conquistaram sua liberdade tão cedo e, mostram a você como é possível chegar a sua autonomia financeira.

Agora que você conhece casos de mulheres milionárias que desafiaram o status quo, que tal assistir a uma aula sobre dividendos para um dia poder viver da rua renda? Não perca essa oportunidade incrível!

Princípios do bilionário Ray Dalio para investir

Fundador da empresa de investimentos Bridgewater Associates, Ray Dalio tem sua fortuna avaliada em cerca de R$ 18 bilhões e ocupa a 67ª posição da Forbes dos homens mais ricos do mundo.

E nesse artigo você vai descobrir os segredos por trás da brilhante mente desse bilionário para obter o sucesso financeiro.

O interesse de Dalio pelo mercado financeiro surgiu ainda na adolescência. Com apenas 12 anos fez seu primeiro investimento bem-sucedido comprando ações da companhia aérea Northeast Airlines.

Graçar ao lucro, ele percebeu que o mercado financeiro era uma grande oportunidade de obter sucesso e decidiu buscar ainda mais conhecimento nessa área.

Se formou em finanças pela Long Island University e concluiu MBA pela Harvard Business School.

Em 1975 fundou sua empresa em seu apartamento de dois quartos em nova York. 30 anos depois, a Bridgewater Associates alcançou o posto de maior fundo hedge do mundo.

Ray Dalio é um homem que acredita muito em princípios e acredita que por causa deles é que chegou onde chegou.

Os princípios do bilionário Ray Dalio são baseados na “verdade e transparência radical” e se tornaram o ideal da cultura da sua empresa.

Esses princípios sempre foram algo interno da companhia, sendo inclusive motivo de desconforto em alguns funcionários. Uma vez que praticamente todas as reuniões são gravadas para que posteriormente os funcionários possam vê-las.

Em 2011, Dalio publicou uma versão resumida dos seus princípios na internet para ajudar as pessoas a alcançar seus objetivos de vida. A cópia fez tanto sucesso que se transformou em livro: “Principles: Life & Work”.

Veja a seguir os princípios do bilionário Ray Dalio para investir e obter o sucesso financeiro:

Encare a realidade

Segundo Dalio, você deve parar de viver no mundo de ilusões para evitar frustrações. Ao invés disso, deve abraçar a realidade e lidar com ela da melhor forma possível.

Muitas pessoas não querem aceitar a realidade quando esta não coincide com suas expectativas. Você não é mais especial que os outros. Aceite a realidade.

Ray Dalio é um realista, transparente com suas opiniões e pensamentos. Segundo ele, isso o ajuda a responder aos desafios de maneira oportuna, pois assim consegue achar o melhor caminho para realizar seus objetivos.

Tenha a mente aberta

Não tenha preconceito e esteja aberto para aceitar feedbacks dos outros para ter acesso as melhores oportunidades. Para Dalio, um dos maiores obstáculos para a tomada efetiva de decisões são o ego.

Aceite que você não está sempre certo e que outras opiniões podem te mostrar a realidade que você não quer ver.

Controle as emoções

Aprender a controlar as emoções, é fundamental para que você possa alcançar o sucesso nos investimentos. As emoções atrapalham na hora de tomar decisões eficazes.

Por isso, analise friamente as informações e o que está acontecendo a longo prazo. Isso vai fazer você antecipar os grandes movimentos no mercado.

Aprenda com os erros

Erros são inevitáveis ao longo do caminho, uma vez que a realidade consiste em diversas pedras no caminho. Por isso, use os seus erros para se aperfeiçoar.

Falhas e derrotas dolorosas ao longo do caminho são inevitáveis. O mais importante é aprender com seus erros. Por mais dolorosas que sejam as derrotas, faça delas seu combustível para produzir resultados ainda melhores.

5 etapas para o sucesso segundo Ray Dalio

O milionário Ray Dalio acredita que para alcançar o sucesso é necessário passar por cinco etapas:

  1. Estabelecer metas claras
  2. Identificar os problemas e usar estes para melhorar
  3. Entender as causas do problema
  4. Desenvolver um plano
  5. Fazer o seu melhor

Alcançando a Liberdade Financeira

O primeiro passo para aplicar os princípios de Ray Dalio para investir é decidir o quanto você quer ter no futuro. Para isso, estabeleça metas claras.

Você sabe quanto dinheiro você precisa para viver de renda? Com o que tem hoje, quanto tempo consegue viver sem ter nenhuma renda? Você tem alguns meses ou anos de segurança financeira?

Tenha essas perguntas respondidas. Se não tem o suficiente, de quanto precisa?

Quando começou a trabalhar, Dalio fez como meta guardar uma quantia suficiente para viver seis meses sem nenhuma renda.

Mais tarde, ao começar a pensar nas necessidades dos filhos, foi aumentando essa meta e se organizou para alcançar essa quantia.

O próximo passo é decidir o que fazer com esse dinheiro. Fazer render através dos juros compostos, é claro!

Para isso, crie uma carteira de ativos diversificada. Ações, títulos públicos, renda fixa, são muitas opções para diversificar.

E por último, aprenda com os ciclos do mercado.

Dados históricos da economia e do mercado de ações mostram um padrão. Após a crise financeira dos Estados Unidos em 2008, os mercados se recuperaram da recessão e deram início a um grande momento de alta.

Quem investiu em ações, obteve grandes retornos. Os mais cautelosos, perderam a chance.

O mesmo acontece no Brasil. Este é o melhor momento para investir em ações no Brasil! Aproveite esse momento para aplicar os princípios de Ray Dalio e fique mais perto de sua Liberdade Financeira.

90% desses investidores perderam dinheiro…

Querido leitor,

O meu objetivo hoje é trazer uma alerta.

Você precisa saber dos riscos de investir em ações.

Muita gente perde dinheiro.

Mais de 90% das pessoas para ser mais precisa…

Mas pera lá! Não é QUALQUER pessoa.

Esta estatística se aplica apenas a quem faz day trade, que nada mais é do que tentar ganhar dinheiro fácil e rápido.

Se é para perder dinheiro desta forma, visite um Cassino que pelo menos é mais divertido.

Os dados citados acima foram extraídos de uma pesquisa realizada pela FGV divulgada no Valor Econômico.

 

 

 

 

 

Por isso que serei extremamente franca com você…

Se o seu objetivo é enriquecer na Bolsa do dia para noite, pode se descadastrar do GuiaInvest.

O tipo de investimento que defendemos está baseado no longo prazo.

Sabe por quê?

Quando você investe com esse foco a probabilidade está ao seu favor.

Investir no longo prazo significa:

– Investir de forma segura
– Investir de forma sensata
– Investir sem cometer os erros que a maioria comete

Este é o motivo pelo qual irei disponibilizar para você um conteúdo inédito.

Nesta palestra rápida o André revela a forma mais SEGURA possível de investir em ações.

O seu dinheiro é precioso demais para arriscar com estratégias imprudentes.

Aprenda como investir seu dinheiro de forma segura.

Bom, por hoje era isso,

Manu

Porque vendi ABEV3 (AmBev)

Caro leitor,

Recentemente comentei que havia vendido as minhas ações da AmBev (ABEV3) e muita gente veio perguntar o porquê.

Hoje vou explicar. Antes de qualquer coisa quero deixar claro: eu não estou recomendando compra ou venda de nenhum ativo, estou apenas justificando algo que eu fiz.

Ainda em 2018, após reportar os resultados do 3º Trimestre de 2018, a AmBev decepcionou o mercado e sua cotação chegar a R$ 14,70.

Negociando a um Preço/Lucro de 21x, resolvi comprar (coloquei menos de 5% do meu capital), mesmo se tratando de um P/L alto. A AmBev é uma empresa com um ótimo repertório de lucros nos últimos 15 anos, uma empresa acima de qualquer suspeita.

Ocorre é que nos últimos anos, com a queda no consumo das famílias, as margens de lucro da empresa se espremeram.

Paralelamente a isso, o mercado de cervejas artesanais cresceu no Brasil, mesmo durante a crise. A Heineken também vem com uma forte concorrente para empresa no segmento de cervejas de ticket mais baixo.

Isso não fez da AmBev uma empresa pior, mas com mais desafios pela frente e negociando ainda a múltiplos elevados, resolvi ficar de fora quando a empresa bateu os R$ 18,00.

AmBev é uma boa, mas não é uma ação barata. Tive a sorte de ter lucro. mas foi sorte.

Compre o que é bom e barato. É mais seguro e carrega maior potencial de valorização.

Saiba como encontrar ações boas e baratas.

Um abraço e bons investimentos.

 

 

Martin faz parte da equipe do GuiaInvest desde início de 2017. É Mestre e Bacharel em economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

DISCLAIMER: As informações colocadas nessa editoria são produzidas de forma independente e não possuem qualquer influência de empresa ou instituição que venha a ser mencionada. As informações aqui contidas refletem a opinião do autor e não de todos os membros do GuiaInvest. Apesar de ter sido tomado todo o cuidado necessário de modo a assegurar a credibilidade das informações no momento em que as mesmas foram colhidas, suas precisão e exatidão não são de qualquer forma garantidas e o GuiaInvest não se responsabiliza pelas mesmas. Os preços, as opiniões e as projeções contidas nos nossos conteúdos estão sujeitos à mudanças a qualquer momento, sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. Nenhum relato desse texto pode ser interpretado como sugestão de compra ou de venda de quaisquer ativos, tratam-se apenas de opiniões. Não podemos garantir nenhum retorno financeiro sobre qualquer operação feita através das informações que fornecemos, sejam elas pagas ou gratuitas. Negociações de ativos no mercado financeiro envolvem riscos e rentabilidade passada não garante rentabilidade futura.

Como Investir no Exterior?

O Brasil passou por um longo período de crise, o que aumentou a procura por investir no exterior.

Realmente, possuir uma reserva em uma moeda forte pode ser uma boa estratégia, sobretudo quando o real está desvalorizado.

O mercado financeiro brasileiro oferece diferentes opções para investir no exterior. Porém, estes investimentos ainda são pouco conhecidos por boa parte dos brasileiros.

Apesar da maioria dos investimentos no exterior seja destinada aos chamados investidores “qualificados” (que possuem mais de cinco milhões para investir), há também opções para investir com pouco dinheiro. São os fundos multimercados, ou seja, fundos geridos no Brasil com cotas de até 20% em fundos estrangeiros.

Antes de tomar uma decisão equivocada, você precisa ter em mente sua estratégia no longo prazo e considerar o seu perfil como investidor.

Investir no exterior não é indicado para investidores mais conservadores, uma vez que o câmbio costuma ser bastante volátil.

Qual a vantagem de investir no exterior?

Moeda forte

Uma das vantagens de se investir no exterior é a valorização de outras moedas quando comparadas ao real. Claro que aqui não estamos falando de qualquer país e devemos acompanhar a economia do país de origem dos investimentos. Quando falamos de moeda forte, uma boa opção é dólar e Euro.

Carteira Diversificada

Sabe aquela história de “nunca colocar todos os ovos na mesma cesta”?

Alocar uma parte dos seus recursos no exterior é uma maneira de diversificar sua carteira e minimizar as perdas quando o real estiver desvalorizado.

Crescimento Mundial

Uma das vantagens de se investir no exterior, é aproveitar o crescimento da economia mundial.

O Brasil representa apenas 3% do PIB [Produto Interno Bruto] mundial. Ao manter todos seus investimentos apenas no país de origem, você deixa passar a oportunidade de aproveitar o crescimento dos outros países.

Partindo disso, você deve observar a economia mundial e avaliar a segurança de se investir em determinado país.

Por exemplo, você investiria em um país em crise? Acredito que não.

Agora, se determinado país tem registrado um crescimento acelerado, seria uma opção para diversificar seus investimentos.

O que é preciso para investir no exterior?

Para investir em ativos estrangeiros, em alguns casos se faz necessário abrir uma conta em algum banco ou corretora no exterior ou que tenha sede no pais que deseja investir. Depois, basta fazer uma transferência dos recursos e aplicar nos ativos locais desejados.

É importante também ficar atento à algumas regras impostas pela legislação nacional e estrangeira.

Quando se aplica mais de US$ 100 mil no exterior é necessário notificar o Banco Central todos os anos dos seus rendimentos.

O valor também deve ser informado à Receita Federal, para o recolhimento dos impostos específicos.

Outra forma de investir no exterior é através dos fundos de investimentos.

Assim, não é necessário abrir conta no exterior, pois existem bancos e corretoras que adquirem cotas do fundo de investimento no exterior e repassam aos investidores.

Fundos de investimentos

Os fundos de investimentos com ativos no exterior são comercializados no Brasil. Estes tem uma parcela dos seus recursos alocados em ativos no território nacional e outra fora do país conforme a carteira do fundo.

Os fundos de ações são mais cômodos, pois é o gestor que faz a seleção dos ativos. É possível encontrar fundos com aporte mínimo de R$ 1 mil e taxas de administração variando entre 1,5 e 2,5% ao ano.

Exchanged Traded Funds (ETFs)

Os ETFs representam fundos de índices, ou seja, tem por objetivo acompanhar as taxas de retorno de um determinado índice.

Como no caso de ativos no exterior, pode-se adquirir um ETF que acompanhe o desempenho do S&P 500, índice com ações das 500 principais empresas dos Estados Unidos.

Como podem ser comprados ou vendidos na B3, a cotação é feita em reais e para adquiri-los só é necessário ter uma conta em qualquer corretora do Brasil.

Os ETFs são diversificados e tem baixo custo, sem contar que costumam ter uma taxa de administração inferior aos fundos de ações tradicionais.

Brazilian Depositary Receipts (BDRs)

Os BDRs são recibos de ações de empresas estrangeiras que são negociados pela Bolsa brasileira. Assim, não é necessário abrir uma conta para adquiri-los.

Com os BDRs, pode-se obter papéis de gigantes americanas, tais como a Apple, Facebook e Amazon.

Os recibos de grandes empresas estão reservados para os “investidores qualificados”, ou seja, que possuam mais de R$ 1 milhão investidos.

Porém, o pequeno investidor pode adquirir BDRs patrocinados por meio de fundos de investimento em Ações BDR. O aporte mínimo gira em torno de R$ 10 mil e taxa de 2,5 % ao ano.

Esses fundos também costumam cobrar taxa de performance, por isso, é importante pesquisar e comparar as taxas antes de investir.

Se atente também à flutuação cambial. Embora as operações sejam feitas em real, as cotações são em dólar.

Certificado de Operações Estruturadas (COE)

É possível investir no exterior também através de COE.

Esse tipo de investimento combina elementos de Renda Fixa e Renda Variável, selecionados de acordo com o perfil de cada investidor e com retornos atrelados a ativos e índices.

Mas há uma grande controvérsia sobre esse tipo de investimentos no mercado. Por isso, é preciso fazer uma análise aprofundada antes de investir.

Imóveis

Investir em imóveis continua uma prática comum entre os brasileiros. Essa é também uma das formas de investir no exterior.

Porém, antes de comprar um imóvel, leve em consideração as exigências legais de cada país, como, por exemplo, os impostos, a legislação, os modelos de compra, entre outras.

Lembre-se também que o imposto de renda no Brasil precisa ser declarado. Se mais tarde decidir vender esse imóvel, pagará 15% sobre o valor em impostos para o Brasil.

Mesmo que você esteja desiludido com o Brasil, lembre-se que a economia é cíclica.

Isso quer dizer que após um período de tempestade, sempre haverá retorno de crescimento em maior ou menor medida.

O Brasil está iniciando um ciclo de crescimento nesse exato momento.

Você pode lucrar com isso se souber aonde investir agora. Para descobrir as 3 ações para comprar agora, veja o vídeo que fizemos mostrando estas oportunidades para você.

O que é Home Broker e como usar?

Se você pensa em investir sem ter muitos custos, é de suma importância que você aprenda a usar o Home Broker das corretoras de valores.

Você sabe o que é Home Broker e como usá-lo?

A internet trouxe muitas facilidades. Hoje em dia, se faz praticamente tudo online. Com os investimentos não é diferente.

Antigamente, para comprar ou vender uma ação, era preciso ligar para a corretora e solicitar o atendimento da mesa de operação. Agora, isso não é mais necessário. Você mesmo pode investir na Bolsa de Valores online, de forma rápida, prática e com taxas mais baixas através do home broker.

O Home Broker é o “faça você mesmo” dos investimentos. Funciona como a extensão do corpo de qualquer investidor. Embora, à primeira vista possa parecer algo difícil, com ele, o processo de investir na Bolsa de Valores se tornou algo mais acessível para pessoas comuns.

Home Broker nada mais é do que uma plataforma online que conecta o cliente, a corretora e a Bolsa de Valores. Através dele você pode controlar o seu dinheiro, escolher aonde quer aplicar e acompanhar a rentabilidade ao longo do tempo.

A corretora é a responsável por intermediar a compra e venda de ações entre o investidor e a B3.

Dessa forma, é comum que toda corretora tenha o seu próprio Home Broker, ou seja, um sistema que conecta e permite a negociação entre estas duas pontas.

As principais funções do Home Broker

O grande trunfo do Home Broker é permitir a compra e venda de ações pela internet de maneira rápida e fácil. Porém, essa não é sua única função.

No Home Broker é possível:

  • Comprar e vender ativos de renda variável
  • Acompanhar cotações em tempo real
  • Visualizar a carteira de investimento
  • Acompanhar pedidos de ordens

Vantagens do Home Broker

Comodidade

Com o Home Broker você pode investir de onde estiver. Tendo uma conta na corretora e acesso à internet o investidor pode enviar ordens de compra e venda de ações na hora e no local que quiser.

As principais corretoras também disponibilizam aplicativos para smartphones e tablets. Assim, você não fica preso apenas ao desktop.

No sistema você ainda tem acesso as ordens, histórico da carteira, cotações, entre outros.

Praticidade

A plataforma permite ao investidor realizar suas negociações com agilidade e praticidade, o que pode ser determinante para alcançar a Liberdade Financeira.

Algumas corretoras oferecem serviços de notificação informando o investidor é em tempo real sobre as melhores oportunidades. Permite programar ordens de compra e venda e receber confirmação das ordens executadas.

Autonomia

Além de agilidade, praticidade e comodidade, o Home Broker dá ao investidor maior autonomia. Com a plataforma, não há necessidade de contatar a corretora para realizar uma ordem. O investidor consegue fazer tudo sozinho e gerenciar melhor seus investimentos.

Stop loss

O stop loss é um mecanismo que permite ao investidor controlar suas possíveis perdas. Assim, ele pode programar e definir um limite para a queda de suas ações. Caso estas quedas atinjam esse patamar, uma ordem de liquidação é disparada automaticamente.

Como comprar e vender ações no Home Broker

O Home Broker possibilita a conexão entre investidores e a Bolsa de Valores. Dessa forma, é possível negociar ativos financeiros de forma simples, rápida e eficaz.

Como cada corretora possui sua própria plataforma, a interface pode variar. De modo geral, para comprar um ativo, o investidor clica na opção comprar, insere a sigla do ativo, quantidade e preço.

Essa ordem é enviada automaticamente para a corretora e então para o sistema da Bolsa. Se houver ações disponíveis, pouco tempo depois a ordem é executada com sucesso. Para vender o processo é o mesmo. Na maioria das vezes a ordem é executada imediatamente.

Como escolher o melhor Home Broker?

Escolher uma corretora é uma das principais dúvidas de quem está iniciando na carreira de investidor.

Com tantas opções de Home Broker, você precisa sentir confiança na sua corretora e na sua plataforma.

Escolher uma boa ferramenta pode ser determinante para obter sucesso no mercado de ações, pois é através dela que você irá negociar seus ativos. Assim, é necessário que o Home Broker seja estável e execute suas ordens com segurança, rapidez e eficiência.

Confira as taxas cobradas pela corretora, mas também não defina somente pelo preço. Procure conversar com que já utiliza o sistema, quais os produtos que ela oferece.

A próxima etapa é agir e escolher as melhores ações para a sua carteira, para assim, alcançar a sua Liberdade Financeira.

Para isso, assista nossa palestra gratuita para escolher as melhores ações durante o quinto super-ciclo de alta da bolsa brasileira.

 

Entrevista com uma quase cliente (Parte 2)

Olá amigo investidor,

…Conforme você viram no e-mail anterior, quebramos as primeiras barreiras da Anelise.

Hoje irei compartilhar com você a segunda parte desta conversa…

Vamos lá!

Anelise: Entendi Edu! Mas é tão simples usar o sistema mesmo? E se a ação que eu comprar sinalizada pela plataforma cair, vou perder dinheiro? É este medo que me impede de investir!

Neste segundo minuto de conversa, percebi que um dos receios mais fortes da Anelise era o real medo de perder dinheiro.

Acredito que este é o ponto mais impactante para todos que desejam investir em ações.

Nada é mais poderoso para construção de riqueza do que os investimentos em ações de boas empresas. E você só irá perder dinheiro se investir de forma errada.

E qual é a forma errada?

É como a maioria das pessoas faz. Elas buscam ganhos no curto prazo, esse tipo de abordagem é conhecida como especulação.

Buscam aproveitar apenas as variações de preços, não se importando com os fundamentos da empresas.

Mas infelizmente nenhum ser humano possui bola de cristal para adivinhar para onde irão os preços.

O final dessa história é sempre o mesmo… prejuízo no bolso.

Não faz sentido comprar ações de qualquer empresa e no meio disso tornar-se sócio de uma empresa ruim!

Você deve buscar empresas sólidas para participar do crescimento de seus lucros e consequentemente de seus dividendos.

Veja este famoso gráfico abaixo:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

– Um dólar investido em 1802 teria se transformado e 755.000,00 se aplicado no mercado de ações e em apenas 1.000,00 se fosse aplicado na Renda Fixa. Isso significa uma diferença de mais de 700 vezes.

Entenda uma coisa…

Ações só são arriscadas quando você utiliza formas erradas de investimento!

Agora que você entendeu que a construção de riqueza ocorre no longo prazo você deve estar se perguntando:

Como escolher as empresas certas?

Nessa aula gratuita nós mostramos como selecionar as melhores empresas para não arriscar seu dinheiro.

Felizmente a Anelise entendeu claramente a argumentação! Mas ainda restava uma importante e decisiva objeção.

No próximo e-mail irei compartilhar com você a última dúvida da Anelise e informar se ela conseguiu começar a investir em ações.