Quando o simples resolve, fuja do complexo

Vale a pena simplificar para ganhar mais dinheiro

Caro leitor,

Existe uma frase consagrada que se atribui a autoria a Leonardo da Vinci:

“A simplicidade é o último grau de sofisticação”.

Seja dele, de Clarice Lispector ou de Gandhi, a frase é válida pela mensagem.

No mundo dos investimentos o que funciona é o simples.

O problema é que é extremamente difícil fazer sempre o simples.

Por uma questão de vaidade, gurus, analistas, blogueiros e youtubers da área de finanças estão cada vez inventado métodos mais complicados: robôs, forex, criptomoedas, opções, mercados futuros, gráficos ou fazendo lives de madrugada.

Fica a pergunta: será que eles ganham dinheiro com isso?

Desafio alguém a ter um retorno consistente, de anos ou décadas, se valendo desses métodos mirabolantes.

Não tenho nada contra alocar uma fração pequena do portfólio nessas modalidades.

Inclusive acho saudável uma exposição de 1 por cento ou 2 por cento nesses ativos mais arriscados em que você tem pouquíssimo a perder e bastante a ganhar.

Mas jamais aconselharia que alguém monte um portfólio inteiro somente com esse tipo de investimento. Até porque não tenho notícias de alguém que realmente tenha feito dinheiro assim.

Repito: é muito difícil manter as coisas simples.

Economizar um pouco todos os meses. Comprar ações de boas empresas todos os meses. Diversificar a carteira. Reinvestir os dividendos. Equilibrar com renda fixa.

Esses 5 passos são suficientes. O mais complicado é evitar fazer mais coisas.

Mas você consegue enxergar um analista fazendo só isso, sem querer dar uma de bonitão e dizer que vai fazer uma operação estruturada com opções?

Ou então um iniciante dizendo que tem uma carteira de longo prazo mas “vai dar uma arriscadinha” nas ações da Oi (OIBR3)?

È muito difícil você querer fazer apenas o simples depois que o simples já está dando resultado.

É da natureza humana querer mais, ficar ganancioso e se expor a mais risco achando que “já entendeu como funciona o mercado”.

A grande maioria dos gurus e supostos especialistas vai negar isso. Eles vão dizer que só isso não basta.

Vão dizer que estou falando bobagem.

Tudo bem.

Eu falo um pouco de bobagem mesmo, mas eles falam mais.

Talvez a simplicidade seja tosca mesmo, não tenha graça nenhuma, elegância nenhuma.

Mas é isso que está colocando dinheiro no bolso dos assinantes do GuiaInvest.

Eles não parecem tristes com isso.

Nesse vídeo, o André mostra como esse método tosco dá mais dinheiro do que qualquer outro.

Veja com os seus próprios olhos. Qualquer dúvida, me pergunte.

Investir não é para ter graça mesmo.

Tem é que dar retorno.

Fique livre para seguir ou não esse método simples.

Daqui a 10, 20 ou 30 anos, nós podemos comparar quem vendeu mais laranja na feira.

Um abraço e até semana que vem.

A venda do Banco Banrisul (BRSR) é uma oportunidade de lucro?

ter sucesso investindo em ações

O Governo do Estado do Rio Grande do Sul vai agora conseguir fazer o que anunciou em junho deste ano, mas que foi vetado por liminar na justiça.

Estou falando da venda de uma fatia do Banco Banrisul (código BRSR)

O Estado do RS vai vender 96.323.426 ações ordinárias, ou seja, ações ON.

Mas porque irá se desfazer?

Problemas “particulares”, pois precisa arrecadar dinheiro para tentar botar as contas em dia.

Particularmente acho que não vai resolver o problema.

Como investidor, não só gosto como tenho ações do Banrisul em carteira.

Não custa lembrar, que NÃO é recomendação de investimento, ok?!

As oportunidades em aberto você encontra na lista de dividendos do GuiaInvest.

Mas continuando…

No segundo trimestre deste ano o banco registrou lucro líquido de 335,4 milhões de reais, e isso representa 28 por cento a mais comparado ao mesmo período de 2018 e 4,8 por cento a mais em relação ao primeiro Trimestre de 2019.

Já no primeiro semestre deste ano o lucro líquido atingiu 655,3 milhões de reais, superando em 29,5 por cento na mesma comparação no ano passado.

Com todos esses dados o patrimônio líquido ficou, em junho deste ano, 6,9 por cento acima de junho de 2018, com a atual marca em 7.522,5 milhões de reais.

Parece ótimo, não é?

Uma pena que essa operação seja somente para investidores profissionais ou para pessoas físicas que tenham mais de 10 milhões de reais em patrimônio.

Conforme Wagner Salaverry, da Quantitas, em informação a Gaúcha ZH “No Brasil, esse tipo de oferta é limitado a 75 investidores.

Os bancos ligam para os gestores de recursos e perguntam se estão interessados. Desses, somente 50 ofertas são aceitas, conforme o preço de corte definido entre os bancos e o Banrisul”.

Porém você pode aproveitar essa oportunidade de outra maneira.

Se for privatizado, as ações podem se beneficiar muito. Se continuar com a gestão que vem apresentando resultados, também.

Porém não há como garantir uma valorização, afinal rentabilidades passadas não são garantias de rentabilidades futuras.

Na minha opinião, Banrisul segue nos meus planos para os próximos períodos.

E você? O que você acha das ações deste banco?

Clique aqui e confira o estudo de dividendos que elaboramos para descobrir as ações que se enquadram nos critérios de investimento do GuiaInvest.

Você conhece qual a gestão do seu Fundo Imobiliário?

A Passiva, a Ativa e a minha opinião

Caro leitor,

Quero chamar sua atenção para um “detalhe” muito importante que quase todo investidor esquece.

Eu mesmo não dava a devida atenção quando comecei a acompanhar o mercado de FIIs.

Estou falando do tipo de gestão que o seu Fundo Imobiliário tem.

Existem duas formas: ou é Ativa ou é Passiva.

Vamos falar um pouco sobre cada uma.

Gestão Passiva

São fundos que especificam em seu regulamento qual o imóvel constituirá sua carteira de investimentos. O gestor fica restrito a este imóvel e seu trabalho é apenas negociar os contratos de locação da melhor forma possível e lidar com questões cotidianas do imóvel.

Por exemplo, qualquer reforma de maior porte já precisa ser aprovada em assembleia de cotistas.

Vender o imóvel e comprar outro então, nem pensar! Só com a benção da assembleia.

Neste tipo de fundo, o gestor fica completamente engessado. É tipo um síndico de luxo (se um deles ler isso aqui, vai ficar brabo comigo).

Gestão Ativa

O gestor do fundo tem autonomia para realizar negócios com objetivo de dar retorno aos cotistas. Ele pode comprar e vender imóveis da carteira sem precisar convocar assembléia alguma.

Neste tipo de fundo pode haver uma grande rotatividade de imóveis pois, além da renda com aluguéis, o gestor poderá vender imóveis valorizados e comprar outros, com maior potencial de valorização. Ele pode, por exemplo, realizar um retrofit em algum imóvel que esteja desatualizado para obter melhores contratos de locação no futuro.

Os limites da sua autonomia estão previstos no regulamento do fundo. Dentro disso, ele pode tudo.

Minha opinião?

O mercado imobiliário está em constante mudança e evolução. Ainda que as mudanças não sejam incrivelmente rápidas, você precisa ficar atento.

Ficar engessado neste tipo de mercado não me atrai.

Isso não significa que não haja bons fundos passivos ou fundos ativos ruins. Não é isso que estou dizendo.

Pode existir um excelente imóvel cujo dono é um fundo passivo. Não pode?

Até aí tudo bem.

Mas e quando este imóvel ficar desatualizado e deixar de ser tão bom assim?

Não pode dormir no ponto. Tem que saber a hora de vender o fundo e ir para outro.

Você tem que fazer o papel de gestor ativo neste caso.

Se eu quisesse fazer o papel de gestor, eu virava um!

Eu prefiro os de gestão ativa.

Me siga no Instagram (@marcelofayh) que toda semana respondo perguntas sobre Fundos e o que mais as pessoas querem saber sobre a vida.

Ou me envie uma resposta por aqui.

Abraço!

Small caps exponenciais

Olá,

Todo dia recebo dezenas de perguntas no instagram (@eduardo_voglino), todas relativas a investimentos em ações.

Mas existe um assunto específico que recebo com maior frequência que outros… Small caps.

E é compreensível o motivo.

Essas ações realmente poderão potencializar o retorno de sua carteira.

Muito em breve será lançado um canal exclusivo de ações small caps aqui no Guiainvest, onde serei o especialista.

Confesso que é um tema que me empolga muito.

Abaixo segue um e-mail que já foi enviado no passado sobre small caps. Estou enviando novamente para contextualizar o racional do próximo canal que se chamará Lucros Exponenciais.

Boa leitura!

Lembra da fórmula risco x retorno? Ela se aplica perfeitamente às small caps.

Todo potencial de retorno irá trazer um risco maior a carteira.

E como faço para construir uma carteira de Small Caps, sem prejudicar o gerenciamento de risco do portfólio de ações?

Veja a composição geral da carteira:

Minha carteira possui 30% de ações Small Caps.

Os 30% estão distribuídos da seguinte forma:

Mas vale a pena diversificar tanto em small caps em um percentual pequeno da carteira?

Sim! Graças a assimetria do mercado…

Basicamente o conceito de “convexidade” do mestre Nassim Taleb justifica esta tese.

O conceito de “convexidade” refere-se a ter mais a ganhar do que a perder com a aleatoriedade.

Quando você tem ativos com desfecho positivo descomunal em relação às com desfecho negativo, você cria um desequilíbrio entre perdas e ganhos….

Complicou? Calma, veja o gráfico:

Quando você investe em ações com potencial real de crescimento, você perde, no máximo, 100 por cento do que investiu. No entanto não há limite para o que você tem a ganhar.

É exatamente este argumento que valida montar posições, mesmo que pequenas, em small caps.

Vamos ver na prática?

Imagine-se em 2015 com 100.000,00 reais para investir em ações.

Agora imagine que você distribui seus ativos com os mesmo percentuais da minha carteira.

30 por cento em small caps, sendo 5 por cento em 6 diferentes empresas.

Vamos supôr que em 19 de Julho de 2015, você tenha compra 5.000 mil reais de cada ação abaixo:

Veja como estaria suas posições atualmente:

3 posições perdedoras e 3 posições ganhadoras…

Mesmo com uma das ações resultando em 96 por centro de prejuízo, devido a assimetria dessa modalidade de investimentos, os 30 mil reais se tornaram mais de 231 mil reais.

É simples! Você possui perdas limitadas em troca de ganhos ilimitados…

O desafio sempre está em escolher as melhores small caps, avaliando os fundamentos quantitativos e qualitativos.

Mas não se preocupe, farei isto por você no novo canal.

Tem interesse? Se inscreva aqui para ser informado com exclusividade sobre o lançamento do canal, além de ganhar um desconto.

Um abraço e bons investimentos,

Me siga no instagram e envie sua opinião ou dúvidas sobre o mercado de ações.

@eduardo_voglino

Como ganhar com juros baixos na renda fixa?

Você está preparado(a)?

Taxas dos títulos de renda fixa no mundo estão em queda significativa.

Fonte: Bloomberg

Veja na tabela abaixo o tempo médio que as pessoas costumam investir em cada tipo de ativo:

Ações são recomendadas para longo prazo, e as pessoas deixam menos tempo do que na poupança.

Por outro lado, a poupança é dificilmente recomendada como investimento.

O melhor é evitá-la ou usá-la em períodos curtos de até 30 dias (em virtude de praticidade).

Existem diversos ativos que rendem mais do que a poupança, com a mesma segurança ou até mais.

Agora, você pode estar se perguntando…

“Mas se eu não conheço alternativas, como sair dessa situação?”

CDB, LCI, LCA ou Título Público são alguns exemplos simples de serem usados.

Para você ter uma idéia, o tesouro selic rende cerca de 42% acima da poupança.

Isso é uma diferença absurda!

E olha que ainda existem outras opções melhores.

Por isso valorize seu suado dinheiro.

Em breve trarei muitas novidades sobre renda fixa, tanto aqui semanalmente quanto com um canal exclusivo. Fique ligado!

Que tal conhecer e se aprofundar em outro assunto que abordo, que considero o mais conservador da renda variável?

Conheça outras opções

Me siga no meu Instagram @severoadriano e aproveite pra conferir as dicas de investimentos e educação financeira que compartilho por lá.

Abs e bons investimentos

Uma carteira de ações para você

Informações que você deve estar atento!

Olá, amigo(a) investidor(a),

Chega de enrolação…

Quer ganhar dinheiro com investimentos? Compre ações de boas empresas e baratas.

Não tem coragem de comprar ações? Lamento, seu resultado não será significante no longo prazo e seu patrimônio não mudará de forma a proporcionar um bem-estar financeiro.

Desculpe se estou sendo indelicado, mas a verdade é essa mesma.

Passei uma semana em New York e voltei revoltado.

Nos Estados Unidos TODOS investidores sabem que se investirem em ações irão construir grandes fortunas.

E os brasileiros? Os brasileiros investem em poupança, Cdb, fundos com altas taxas…

Chega! Já está mais do que provado que investir em as ações no longo prazo fará seu patrimônio crescer potencialmente.

Jeremy Siegel provou no seu estudo histórico:

Em termos nominais um investimento em ações (carteira representativa do mercado) de 1,00 dólar em 1802, com reinvestimento dos dividendos, teria se transformado em impressionantes 704.997 dólares no final de 2012.

O mesmo investimento em títulos do governo e ouro teria se transformado em 1.778 dólares e 4,52 dólares respectivamente.

Warren Buffett provou na prática:

O bom velhinho investiu sempre em boas empresas e baratas com foco no longo prazo…Acumulou mais de 90 bilhões de dólares…

O brasileiro Luiz Barsi seguiu o mesmo racional, comprou boas empresas sempre e focando no longo prazo:

Nosso Warren Buffett brasileiro acumula mais de 2 bilhões de reais em patrimônio.

Poderia ficar aqui citando outros nomes de investidores como Carl Icahn, Peter Lynch (sou fã), Philip Fisher e por aí vai…

O fato está consumado e provado!

Então me responda, por que a maioria dos brasileiros ainda não investe em ações?

“É muito complicado” – você pode cogitar.

Não concordo…

Basta comprar ações que irão prosperar e gerar cada vez mais valor.

Ah, agora você deve ter pensado:

“Não sei analisar ações, muito menos saber qual irá prosperar…”

Bom…te ofereço uma solução!

Eu montei o Canal Jóias da Bolsa aqui no GuiaInvest. Nele eu te apresento uma carteira que contém apenas ações boas e baratas.

Se sente inseguro mesmo assim?

Não se preocupe, estarei diariamente no canal para tirar todas suas dúvidas…

Ah, mas você deseja aprender os conceitos mais técnicos para respaldar melhor suas decisões?

Ok! No canal você tem acesso a um treinamento completo de Value Investing, utilizando inclusive as ferramentas de análise fundamentalista.

Hum…quer tirar dúvidas conversando diretamente comigo? Sem problemas, toda quinta-feira ocorrerão lives para sanar dúvidas.

Tem medo da origem de indicações das ações? Existem as publicações semanais explicando o racional das alocações…

Três ações da carteira apresentaram excelentes resultados apenas em 2019:

Os americanos estão em nossa frente no quesito educação financeira, mas nós estamos em um mercado com um potencial de crescimento maior…

A dica mais importante que eu posso dar é COMPRE AÇÕES!

Como forma de agradecer você que acompanha os meus conteúdos, irei disponibilizar abaixo o link de acesso a pré-venda com 50 por cento de desconto. Aproveite!

Quero conhecer o canal Joias da Bolsa

Caso ainda esteja inseguro, fale comigo através do instragam @eduardo_voglino!

Um abraço e bons investimentos,

Não invista nos fundos mais rentáveis!

O erro mais comum em fundos de investimentos

Caro leitor,

Na mitologia grega, sereias eram seres metade mulher (sempre lindíssimas), metade peixe. Moravam em uma ilha cercada por pedras e recifes.

A sedução provocada pelas sereias era através do canto.

Os marinheiros eram atraídos pelo seu canto e se aproximavam o bastante para ouvir seu belíssimo som, descuidavam-se e naufragavam.

No mundo dos Fundos de Investimentos, os rankings de rentabilidade são o belo e perigoso canto da sereia.

As pedras e recifes são os riscos que estes fundos correm.

O investidor olha para o topo do ranking e fica encantado. Aquela canção versa sobre a melhor rentabilidade dentre todos os fundos no ano anterior.

Na sua cabeça, nada mais importa. Ele quer muito aquele rendimento para si. Dane-se os riscos… Aliás, que riscos? Já não enxerga mais nada na frente. A ganância tomou conta de sua mente.

O imprudente investidor se transforma num marinheiro que passa a ignorar os perigos que este fundo corre para atingir o topo deste ranking.

Ninguém contou para ele que normalmente o campeão de um ano costuma virar o mico do próximo.

Ninguém contou para ele que investimento é uma corrida de maratona, não de 100 metros rasos. É um rali de regularidade e não de velocidade.

Ninguém contou para ele que investimentos devem ser feitos a longo prazo e que um ano não é considerado longo prazo.

Ninguém ensinou para ele que não há altos retornos sem altos riscos.

Ninguém disse para ele que retornos passados não são garantias de retornos futuros.

Ninguem contou para ELE.

Mas eu estou contando isso para VOCÊ!

Portanto, não seja o marinheiro descuidado.

Não há mais desculpa para cair na armadilha mais divulgada da internet.

Rentabilidade é importante para escolha de um fundo sim. Mas olhar apenas para isso é o maior erro que você pode cometer.

Portanto, quando receber um ranking de fundos, olhe e divirta-se com ele.

Quer uma ideia legal?

Pegue esse ranking, mande para o seu amigo que acerta todos os investimentos e minta para ele que você acertou na mosca. Você investiu no fundo de investimentos mais rentável do ano! Deixe ele se debatendo com essa informação…

Essa sacanagem vai ser mais útil do que usar o ranking para decidir em qual fundo investir.

Quer saber mais sobre Fundos de Investimentos?

Me siga no Instagram (@marcelofayh). Me mande uma pergunta por lá.

Abraço!

Se daqui a um ano eu te der 1.000 reais, quanto você me dá hoje?

900 reais, 800 reais, 700 reais?

Caro leitor,

Hoje você vai ver como o Tesouro Direto pode esconder a lógica do mercado de ações.

Vamos fazer um jogo aqui…

Se daqui a exatamente um ano eu prometesse dar 1.000 reais na sua mão, quanto você aceitaria me dar hoje?

900 reais?

800 reais?

700 reais?

Pense comigo, quanto menor for o valor que você estiver disposto a me dar hoje para ganhar 1.000 daqui a um ano, maior o seu lucro pretendido.

A matemática básica mostra isso:

1.000/900= 11,11 por cento.

1.000/800= 25,00 por cento.

1.000/700= 42,85 por cento.

O mercado de títulos públicos prefixados funciona exatamente assim.

Veja que, na tabela abaixo, o Preço Unitário do título é exatamente o quanto você precisa emprestar ao Tesouro hoje, para resgatar 1.000 reais na data de vencimento indicada.

Vamos pegar o exemplo do Tesouro Prefixado 2025.

Se você emprestar 693,53 reais para o Tesouro hoje, ele vai pagar 1.000 reais para você no dia 01/01/2025. Isso equivale a uma Taxa de Rendimento anual de 7,13 por cento.

Isso confirma a nossa lógica anterior de que o Preço Unitário do título é inversamente proporcional a Taxa de Rendimento: quanto menos você pagar para receber 1.000 reais de volta, maior o seu lucro.

Ou seja, se você ver o Preço Unitário de um título caindo caindo, a sua Taxa de Rendimento vai ser cada vez maior. Uma grande oportunidade de compra.

Isso esconde a lógica por trás do mercado de ações.

O preço de uma ação muda todos os dias por motivos razoáveis e, na maioria das vezes, não razoáveis.

O valor de uma ação NÃO muda todos os dias.

Por isso, ver o preço de uma ação cair é a melhor coisa que pode ocorrer para o investidor.

Caiu, compra.

Preço caiu, o seu lucro potencial subiu.

Se você espera que o Ibovespa encerre o ano de 2019 ali pelos 115 mil pontos, é melhor comprar com o Ibovespa a 100 mil com várias notícias tensas, do que comprar a 110 mil com notícias positivas.

Você não esperava que poderia comprar barato em um céu de brigadeiro, certo?

Um abraço e até semana que vem.

Sabia que o ICVA pode impactar seus investimentos?

Alô, meu leitor.

Hoje vou te mostrar uma informação valiosa capaz de impactar diretamente nos seus investimentos.

Se você tem empresa ou investe em alguma ação do setor de varejo, esse conhecimento é obrigatório.

Trata-se da ICVA, ou o Índice Cielo de Varejo Ampliado.

Esse índice criado pela área de inteligência da empresa Cielo, é um termômetro do ritmo de crescimento do comércio varejista no Brasil.

É como se ele tirasse uma fotografia mês a mês da evolução do varejo no país.

Acompanhando o índice você pode verificar se o mercado está aquecendo ou esfriando.

Ele acompanha segmentos tradicionais desde supermercados, vestuário e farmácias até restaurantes, turismo e outros serviços. No total são 18 setores mapeados em todas as regiões do país.

Com ele você pode ver quais setores estão performando melhor do que outros.

Por exemplo: em um mês você pode ver que o setor farmacêutico está melhor do que o setor de vestuário e isso te dá pistas de onde as oportunidades estão.

Geralmente as empresas que lucram mais em um período conseguem distribuir dividendos mais generosos.

E você pode tirar proveito disso se tiver essa informação de antemão.

Que tal conhecer e se aprofundar mais no assunto de dividendos e entender como escolher ações pagadoras?

Aprenda a selecionar dividendos

Te vejo por lá!

Me siga no meu Instagram @severoadriano e aproveite pra conferir as dicas de investimentos e educação financeira que compartilho por lá.

Abs e bons investimentos

 

O Yield como você nunca viu

Nem tudo é o que parece

Caro leitor,

Tenho certeza que o primeiro indicador que você olha em Fundos Imobiliários é o Yield (tradução: rendimento).

O Yield é o quanto você vai receber de rendimentos do seu fundo, certo?

ERRADO!

Você precisa entender exatamente o que está contido neste indicador para saber como usá-lo.

Vou te ajudar.

Em primeiro lugar: entenda a fórmula. Só daqui já dá para tirar algumas conclusões interessantes.

Yield = proventos dos últimos 12 meses / preço atual da cota

O resultado é um valor percentual.

Perceba as suas incoerências:

Quem recebeu todos esses proventos dos últimos 12 meses comprou a cota pelo preço de hoje? Não. Comprou pelo preço de 1 ano atrás.

E quem comprou a cota hoje, recebeu os proventos dos últimos 12 meses? Não. Vai começar a receber a partir de agora.

Então por que não se usa o preço de 12 meses atrás ou os proventos dos próximos 12 meses?

Porque é melhor usar informações objetivas mesmo que desencaixadas, do que tentar adivinhar os proventos do próximo ano ou usar o preço desatualizado da cota de um ano atrás.

Em segundo lugar…

Proventos é igual a rendimentos mais amortizações pagas. Pensar que é tudo igual pode gerar erros grosseiros de análise.

Rendimento é o resultado (lucro líquido) do fundo distribuído aos cotistas. Este é o número que nos interessa, pois é a capacidade do fundo gerar renda.

Amortização é o patrimônio do fundo sendo devolvido ao cotista em forma de dinheiro. Ocorre por exemplo quando o fundo vende um imóvel e decide que é melhor devolver o dinheiro para os cotistas do que comprar outro. Isso é devolução do seu dinheiro investido. Não é lucro nem renda!

Portanto, ao ver um Yield muito acima da média, é provável que nessa conta esteja incluída alguma amortização. Neste caso, você tem que descobrir se no último ano ocorreu alguma amortização e em caso positivo, descontar ela do Yield. Senão vai estar comprando gato por lebre.

Pode parecer que eu esteja “detonando” o indicador. Mas não… Calma.

Apesar disso tudo, este indicador é um dos mais importantes para Fundos Imobiliários.

Você só não pode se deixar enganar por ele. Como eu sempre digo, saiba para que serve e o utilize de acordo.

Ele só dá uma idéia do rendimento do fundo. Nunca utilize este indicador sozinho, nem nunca acredite nele de olhos fechados. Vai ver o que está lá dentro.

Você já tinha olhado este indicador tão de perto? Quais outros você gosta de olhar em FIIs?

Me siga no Instagram (@marcelofayh). Me responda por aqui ou mande uma pergunta por lá.

Toda semana abro espaço para responder dúvidas sobre o mercado.

Abraço!