A ação que paga o melhor dividendo da bolsa

O MAIOR nem sempre é o MELHOR: aqui está a ação que paga o melhor dividendo da B3, eu chamo elas de “queridinhas” dos dividendos.
Marcelo Fayh

Marcelo Fayh

Sócio do GuiaInvest, especialista na geração de renda através de bons investimentos.

Caro leitor,

Você sabe quem são as queridinhas do segmento de dividendos?

O segmento mais queridinho pelos investidores focados em dividendos é o elétrico.

O resto da carteira o investidor fica procurando quem colocar para não ter tudo num segmento só.

No passado já deu confusão essa história de concentração no setor elétrico.

Lembra da MP 579?

Ela deu uma sacudida no setor em 2012 com essa canetada do governo.

Mas hoje eu estou aqui para falar de coisa boa.

O segmento elétrico é dividido em três tipos de empresa:

Geradoras: são as usinas que produzem a energia, seja eólica, hidrelétrica ou térmica.

Transmissoras: é quem leva essa energia das geradoras, normalmente em lugares isolados e distantes até as cidades.

Distribuidoras: quem recebe essa energia das transmissoras e distribui para cada unidade consumidora, sua casa por exemplo.

Dentro do segmento tem a queridinha das queridinhas: as transmissoras.

Elas são as preferidas por causa da segurança e previsibilidade das suas receitas e custos.

Parece complicado mas é simples. Vem comigo:

As transmissoras se parecem com uma concessionária de rodovia, com a diferença que ela ganha uma pedágio fixo independente da quantidade de carros que passam por ela.

Se passar muito ou pouco, a sua receita está garantida pelo RAP – Receita Anual Permitida.

Experimente perguntar para um empresário, grande ou pequeno, quanto será a receita no próximo ano.

Ele vai responder, claro. Mas no fundo ele não faz muita idéia. Ele diz um número com uma certeza na cabeça: “vai ser diferente…”.

A única coisa capaz de diminuir a receita de uma transmissora é uma eventual indisponibilidade da linha de transmissão. O equivalente a estrada fechar por algum motivo (buraco, acidente ou outra coisa qualquer).

Antes de se preocupar achando que aqui está o grande risco escondido, saiba que a Taesa por exemplo tem um índice de disponibilidade consolidado (considerando todas as linhas dela) de 99,88%.

Partindo daí, a conta é simples.

As variáveis que vão deduzir o resultado são: a disponibilidade das linhas e os custos de operação.

Os custos são algo que a empresa, se bem administrada consegue manter sob controle com certa facilidade.

Por isso elas conseguem dar a tranquilidade aos investidores que gostam de dividendos.

Mas não dá para se apoiar integralmente nesse setor pois sempre haverá o risco de se repetir o que houve em 2012.

As transmissoras são as mais queridinhas, mas tem mais ação boa nessa tal de bolsa de valores.

Estude um pouco mais e monte um portfólio balanceado com foco em dividendos. O setor mais legal de todos eu já te dei.

Quer saber quais os outros eu colocaria no portfólio?

Aqui eu te mostro a minha estratégia​.

Abraço.

Marcelo Fayh atua profissionalmente no mercado financeiro desde 2007. Começou como operador de Bolsa, ministrou cursos e palestras pela XP Educação e teve seu próprio escritório de investimentos. Antes de virar analista, atuou como assessor de operações de Fusões e Aquisições. Acredita que qualquer pessoa é capaz de melhorar sua qualidade de vida através de escolhas e investimentos inteligentes. Escreve para o TheCap na coluna Fundos a Fundos.

Compartilhe essa publicação:

Outras Publicações