“Brazil” pronto para decolar?

Manoela Soares

Manoela Soares

Veja como aproveitar!

Qual o potencial de valorização do Ibovespa com a aprovação da Reforma da Previdência?

Sendo brutalmente honesto com você, ninguém sabe ao certo…

O fato é que esta semana avançamos fortemente na direção certa. Os gringos já estão de olho no “Brazil”. E isso significa muito para nós investidores pessoa física.

No meu entendimento, a aprovação da Reforma da Previdência é como jogar uma garrafa de querosene na fogueira.

Digo isso porque, de acordo com evidências históricas que irei apresentar em seguida, já estamos no meio de um movimento forte de valorização das ações brasileiras.

Não me surpreenderia em ver ações fora do radar se valorizando 1.479 por cento, 1.633 por cento e 2.586 por cento.

Isso aconteceu num passado recente com ações esquecidas pelos grandes investidores.

A boa notícia: o momento que estamos vivendo parece ser apenas o começo de algo gigante que está por vir.

Veja a manchete da Forbes desta quarta-feira, dia 10 de julho.

Para entender o potencial da magnitude de alta da bolsa brasileira, quero mostrar um estudo que avalia o histórico de cada ciclo de alta da bolsa brasileira desde a década de 60.

Para isso utilizei o gráfico do Ibovespa dolarizado, que é o Ibovespa nominal dividido pela taxa de câmbio.

E por que utilizar o Ibovespa dolarizado ao invés de reais?

É simples…

Por que atualmente o investidor estrangeiro corresponde a maior parte do volume financeiro negociado na bolsa brasileira e ele não enxerga o índice em reais.

Ele olha para o índice bovespa em dólares.

Entao vamos lá…

1º Ciclo da Bolsa:

O primeiro ciclo da bolsa brasileira aconteceu no período de maio de 1965 a junho de 1971. E teve duração de 6 anos e alta de 2.931 por cento.

Em outras palavras, o fator de multiplicação de capital foi de 30 vezes. Nesse período, a bolsa saiu de aproximadamente 45 pontos e chegou a 1364 pontos.

Estes anos ficaram historicamente conhecidos pelo famoso Milagre Econômico Brasileiro.

O país crescia fortemente atingindo PIB na casa dos 2 dígitos.

2º Ciclo da Bolsa:

O segundo ciclo da bolsa aconteceu de agosto de 1983 e foi até abril de 1986. Teve duração de 3 anos com alta de 1.573 por cento.

Em outras palavras, o fator de multiplicação de capital foi de 16 vezes. Nesse período, a bolsa saiu de 246 pontos e chegou a 4.108 pontos.

Nessa época a econômica global se recuperava da crise do petróleo.

3º Ciclo da Bolsa:

O terceiro grande ciclo aconteceu de janeiro de 1991 a julho de 1997. E teve duração de 6 anos com alta de 3.415 por cento.

Em outras palavras, o fator de multiplicação de capital foi de 35 vezes. Importante mencionar que esse foi o ciclo mais intenso que tivemos até hoje.

A bolsa saiu de aproximadamente 370 pontos e chegou a 13.000 pontos.

Os principais fatores que impulsionaram a bolsa estavam ligados principalmente a abertura econômica e as perspectivas sobre o plano real que foi implementado em 1994.

4º Ciclo da Bolsa:

O quarto ciclo da bolsa aconteceu de outubro de 2002 a maio de 2008. E teve duração de 5 anos com alta de 2.051 por cento.

Nesse período a bolsa saiu de 2.081 pontos e foi até 44.760 pontos em dólares.

O principal fator que ajudou esse crescimento foi o aumento do preço das commodities e ainda o Brasil estava colhendo as melhorias econômicas geradas no governo anterior do Fernando Henrique.

Agora que vimos os ciclos de alta, antes de fazer a projeção do quinto ciclo da bolsa brasileira, quero mostrar aqui um ponto importante que fortalece a tese de que a bolsa brasileira já iniciou o 5º grande ciclo.

Perceba que após cada ciclo de alta, o índice bovespa apresentou correções com magnitudes muitos parecidas.

  • Queda após 1 ciclo foi de 82 por cento
  • Queda após 2 ciclo foi de 91 por cento
  • Queda após 3 ciclo foi de 84 por cento
  • Queda após 4 ciclo foi de 80 por cento

Se a lógica história continuar prevalecendo, de acordo com o gráfico, podemos acreditar que iniciamos 2016 entrando no quinto ciclo de alta da bolsa brasileira, após 80 por cento de correção.

Admito que fiquei muito empolgado com esta análise e todo o resto dos acontecimentos recentes favoráveis a bolsa brasileira.

Afinal, como você já me conhece, sou um grande entusiasta do mercado de ações e um eterno otimista com potencial do Brasil.

Diante desta empolgação, esta semana resolvi cair de cabeça no banco de dados do GuiaInvest e finalizei um estudo de ações.

O resultado desse estudo apontou o que chamei de “As 6 ações Small Caps esquecidas dos grandes investidores.”

Segundo minhas estimativas, estas ações específicas tem o potencial de subir 1.247 por cento (ou mais) com o efeito positivo da aprovação da Reforma da Previdência.

Confesso que fiquei cético com o expressivo potencial de valorização dessas ações.

Foi difícil de acreditar no que estava vendo.

A ideia de que alguém poderia se tornar milionário a partir dessas 6 ações parecia ridícula.

Mas, dado os números e as evidências históricas que estão por trás da análise, resolvi trazer isso a público.

A realização de uma pesquisa minuciosa ajudou a derrubar meu ceticismo inicial.

É este estudo que quero compartilhar com você hoje.

6 Small Caps Esquecidas.

Um abraço,

André Fogaça

Outras Publicações

Leia Mais

Bolsa de Valores Para Leigos

André Fogaça

Nesse e-book você vai dar os seus primeiros passos no mundo dos investimentos e ficar por dentro de alguns detalhes importantes do mercado de ações. Você se sentirá seguro de conversar sobre investimento com qualquer pessoa depois de ler esse livro. Arrisco dizer ainda que você vai ficar louco para começar a investir. Uma boa leitura!

Sem tempo para ler? Assista nossas Palestras Online