CARD3 subiu muito: comprar mais ou vender?

CARD3: +98% de lucro em apenas 3 meses. Entenda a razão pela qual eu embolsei esse lucro.
Eduardo Voglino

Eduardo Voglino

Sócio do GuiaInvest, especialista em ações e seguidor da filosofia de Value Investing.
CARD3 subiu muito: comprar mais ou vender

Olá, investidor!

Você já foi obrigado a se desfazer de algo que gostava muito?

Um carro, uma casa ou até um videogame…

Se sim, então você sabe o que eu senti na semana passada.

Fiz a venda de uma das minhas ações preferidas do Canal Joias da Bolsa.

Você deve estar se perguntando: “Por que vendeu se era preferida?”

Bom, o motivo é muito simples, todas minhas decisões são racionais e não emocionais.

A empresa mencionada é a Cardsystem (CARD3).

Ela entrou na carteira do Canal Joias da Bolsa​ em 30 de setembro de 2019 e permaneceu por pouco tempo.

A saída ocorreu no dia 17 de janeiro de 2020. Parceria muito boa. Foi um amor intenso mas que durou pouco.

Além da saudade, ela deixou um rentabilidade de 98 por cento no período.

Saiba que a Cardsystem não se tornou uma empresa de fundamentos e projeções ruins.

Pelo contrário: vejo melhoras em diversos aspectos da gestão.

Mas qual o motivo que me levou a vender a ação?

Entenda…

A estratégia de investimentos que utilizo é o Value Investing. Passo o dia lembrando do velhinho Buffett.

O principal objetivo da estratégia envolve comprar ações de empresas com fundamentos adequados e que estejam sendo negociadas com desconto de preços e vender quando ficarem caras.

A vantagem de buscar preços vantajosos é ter uma maior margem de segurança caso algo dê errado na empresa.

A CARD3 apresentava um bom desconto no momento da compra: pagamos por ela 6,39 reais.

Existia uma assimetria entre preço e valor justo naquele momento.

Hoje a ação negociada acima de 12 reais.

Não enxergo mais a assimetria inicial e nem a margem de segurança que considero válida para manter a posição.

Se a empresa crescer 15 por cento ao ano nos próximos 5 anos, que é um excelente crescimento, ela estaria cara, conforme o GI Line nos informa​.

Veja:

GI Line CARD3

Estamos falando de renda variável.

Precisamos de um retorno mais atrativo frente ao risco que se compra ao investir em uma ação.

Veja bem, não estou afirmando que o preço não irá mais subir, afinal, não tenho bola de cristal.

Mas, a partir desse preço, o investimento se torna mais arriscado, dada a redução da margem de segurança.

Saiba que preços elevados em decorrência do excesso de expectativa dificilmente se sustentam, pois os fundamentos, na maioria das vezes, não conseguem acompanhar a euforia que o mercado deposita em um ativo.

“Mas e será mesmo que não vai continuar subindo?”

Até pode e temos que aprender a conviver com essa “dor de corno”.

Como já falei, invisto usando o racional, desconecto o emocional e jamais me baseio em “achismo”.

Forte abraço!

Eduardo Voglino atua no mercado financeiro desde 2007 e já assessorou diretamente centenas de pessoas quando teve seu próprio escritório vinculado à XP. É um entusiasta de buscar valor e assimetrias no mercado de ações. Escreve para o TheCap na coluna Fórmula Buffett.

Compartilhe essa publicação:

Introdução a
Bolsa de Valores

Partindo do zero até a compra da sua primeira ação

Assista à primeira aula gratuita