O impacto de Lula nos seus investimentos

Caro leitor,

O Brasil voltou a ser Brasil de novo:

  • STF revogou a prisão em segunda instância e Lula foi libertado.
  • Bolsa despencou, dólar disparou.

Você acha que os fatos ocorridos no final da semana passada estão correlacionados? 

Tenho minha posição política. Sim. 

Mas vou tentar me ater ao ponto de vista financeiro dos fatos.

A insegurança jurídica deu as caras novamente. 

A politização de uma decisão que deveria ser técnica é um péssimo sinal. O STF mudou seu entendimento novamente, em um curto espaço de tempo, sobre um ponto importante no combate à corrupção. 

Digam os ministros o que quiserem, todos nós sabemos o por que(m) isso ocorreu. Se fosse eu o preso, essa votação do STF nunca entraria na pauta.

Esse é o primeiro ponto que desagrada muito qualquer investidor, seja estrangeiro ou local.

Saber que a influência tem mais peso do que a razão, afugenta qualquer um. 

Os mais vultosos investimentos são de longo prazo e o risco de mudança de regras (e de interpretação delas) são o seu pior inimigo.

O leilão da cessão onerosa foi um grande exemplo disso. O Brasil optou por um modelo com menor previsibilidade para os investidores, onde uma eventual surpresa positiva para o vencedor do certame teria que ser dividida com o governo. 


Resultado: ninguém na sala. 

A Petrobrás ficou praticamente sozinha nos leilões e arrematou três áreas de exploração. A arrecadação do governo foi muito aquém do esperado em função disso.

Além disso, com Lula solto, e sua capacidade de propagar narrativas, as condições de aprovação da agenda de reformas deve ficar mais tumultuada.

A muito o investidor estrangeiro não dá o benefício da dúvida ao Brasil. Agora, para atrair investimentos tem que entregar, não adianta mais prometer. 

Ao invés de estar discutindo e movimentando as reformas tão necessárias, tanto a Câmara quanto o Senado já começam a se mexer para aprovar uma PEC que instaure a prisão após condenação em segunda instância.

Com o foco das duas casas dividido, tudo vai demorar um pouco mais, para não dizer muito mais. Nenhum dos assuntos em pauta é de fácil aprovação. 

Outro ponto mais distante, mas também importante, é a força com que a esquerda chegaria nas Eleições de 2022.

Sem Lula e com o governo atual entregando bons resultados na área econômica, a esquerda já chegaria morta. 

Agora se Lula conseguir atrapalhar as reformas e articular bem a esquerda, tudo já fica mais indefinido.

Basicamente dá para se dizer que foram estes os pontos que pesaram sobre as primeiras impressões do mercado com relação a soltura do petista condenado.

O que isso tem a ver com seus investimentos?

Bem-vindo ao Brasil.

Lembro de uma palestra que assisti do Beto Sicupira em que perguntaram o que eles (grupo 3G) fariam caso o Brasil voltasse a enfrentar inflação e outros antigos problemas. 

Ele respondeu: “Vamos fazer o que sempre fizemos. O Brasil estável como está sendo desde meados dos anos 90 é que é a novidade. Vocês estão mal acostumados!

A verdade é que independente do que acontece em Brasília, com os atuais e ex-governantes, as empresas encontram seus caminhos para crescerem e lucrarem cada vez mais.

Como investidor é isso que importa. Os preços das ações sempre acompanharão seus lucros.

Tudo que aconteceu na sexta-feira é ruído quando olhado em perspectiva de longo prazo.

Já passamos por coisas bem piores nos últimos anos e cá estamos, com os lucros das empresas batendo recordes e a bolsa na máxima histórica.

Foque no que importa: como está o lucro das suas ações?

Se Lula derrubar o preço das ações novamente, aproveite o desconto e compre mais. No futuro receberá mais dividendos.

Faça deste limão uma limonada.

Abraço,

Marcelo.

Empresas de Crescimento ou de Dividendos?

Caro leitor,

Eu devo focar em empresas de dividendos ou em empresas de crescimento?

Essa pergunta é recorrente e gera bons debates.

Mas antes, é preciso saber o que é uma empresa de dividendos e uma de crescimento.

Vamos começar de forma simples:

Uma empresa de crescimento reinveste grande parte do seu lucro com objetivo de acelerar seu crescimento.

Uma empresa de dividendos distribui grande parte do seu lucro aos acionistas como forma de remunerá-los.

Então quer dizer que empresas de dividendos não crescem?

Não. Calma. Toda empresa cresce. Se não crescer, morre. Não tem moleza.

A diferença é que a de dividendo vai crescer menos. Ela já é grande, consolidada, dominante no seu setor. 

Espera-se que ela cresça no mínimo o equivalente a inflação mais o tamanho do seu mercado.

Enquanto isso, uma empresa de crescimento quer muito mais. Ela quer aumentar o seu tamanho, sua participação no mercado e quem sabe até entrar em outros mercados. Isso tudo custa dinheiro. 

A fonte de recursos próprios são os lucros da empresa. Portanto ela vai distribuir o mínimo de dividendos aos acionistas e destinar o máximo valor possível para se financiar.

Existe um indicador que nos mostra de forma bastante clara qual é a estratégia da empresa, crescimento ou dividendos.

O indicador é o Payout. É um percentual que indica o quanto do lucro da empresa é distribuído para seus acionistas na forma de dividendos. 

Se for 100 por cento, então todo o lucro é distribuído como dividendos.

Se for zero por cento, então todo o lucro fica no caixa da empresa.

Ficou mais fácil agora?

Payout alto, significa que a empresa vai crescer menos mas você terá o seu retorno na forma de dividendos.

Payout baixo, significa que a empresa está buscando alto crescimento e você terá seu retorno na valorização das suas ações.

E agora, em qual das duas devo focar?

Depende de seu perfil. Se segurança é importante para você, então vá de dividendos.

Empresas de dividendos são mais seguras, já estão consolidadas, seu retorno é mais previsível.

Antes que alguém diga que vão dar menos retorno, basta que você reinvista os dividendos nela mesma (é o que as de crescimento fazem).

Se você tem estômago para correr mais risco, então vá nas de crescimento. Elas têm potencial de multiplicar de tamanho. 

O risco é igualmente alto, pois todo investimento que a empresa faz tem o risco de não dar certo, ou simplesmente dar menos certo do que o investimento do concorrente.

Mais uma vez, o foco central da sua decisão de investimento é você mesmo. Escolha de acordo com seu perfil, pois é possível ganhar muito dinheiro com ambos os tipos de empresa. 

O mais legal de tudo é que a empresa de crescimento que der certo, vai se tornar uma de empresa de dividendos no futuro. 

Um dia ela vai crescer tanto quanto o seu mercado suporta, e não vai mais ter onde reinvestir seus lucros, logo, vai distribuí-los na forma de dividendos.

Peter Lynch já dizia: “O futuro de toda empresa de crescimento é se tornar uma empresa de dividendos”.

Consegui te ajudar a decidir em qual tipo de empresa investir?

Me diga qual delas você prefere?

Abraço

A Fórmula da Felicidade nos Investimentos

Caro leitor,

Felicidade pode significar muitas coisas para muita gente. 

Para mim, nos investimentos, ela tem uma fórmula matemática bem simples:

Felicidade = realidade – expectativa

Deixa eu explicar para você.

Quando a realidade é melhor do que estávamos esperando, ótimo. Por pior que seja. 

Algo muito bom pode até ser ruim, se o que você esperava era algo ótimo. 

O que quero dizer é que a mesma coisa pode te deixar feliz ou triste, dependendo apenas de qual era a sua expectativa sobre ela.

Quer saber como isso funciona na prática nos seus investimentos, mais especificamente quando estamos falando de dividendos?

Vamos destrinchar a tal fórmula:

A realidade de investimentos em empresas boas pagadoras de dividendos é que você estará se tornando sócio de grandes empresas, consolidadas, normalmente líderes e dominantes em seus mercados.

Sendo assim, é difícil imaginar que elas multipliquem de tamanho e valor em pouco tempo. Uma coisa é a PRIO3 dobrar de tamanho, outra coisa é a PETR4 dobrar. Capaz de faltar petróleo para tanta empresa… 

Por outro lado, com o tamanho todo, vem a musculatura e o poder de fogo para enfrentar momentos difíceis. Quem você acha que tem maiores chances de sair menos machucado de uma crise? PRIO3 ou PETR4?

A expectativa é você quem faz. Ou cria da sua cabeça. De um jeito ou de outro é a parte da fórmula que você pode controlar e definir.

Uma carteira de dividendos não está lá para ser a campeã de rentabilidade. Ela está lá para ser mais consistente, resiliente e conservadora. Não espere um velocista, um Usain Bolt da bolsa. Ela é a maratonista da turma. Corre mais lento, mas corre longe, sem parar.

Ela está lá para te fazer sentir o gostinho do dividendo caindo na sua conta. E você comprando mais ações com o dinheiro que elas mesmas te dão. E por aí vai até que o bolo seja tão grande que você poderá pagar suas contas com este dividendos.

Mantenha o foco no longo prazo e você verá um investimento que não sobe tanto quanto os melhores do mercado, mas também não cai tanto nos mercados de baixa.

Investir em dividendos é a melhor forma de se manter fiel a estratégia, pois eles renovam a sua convicção a cada distribuição que cai na sua conta.

Ajuste sua expectativa na sintonia correta dos dividendos e você será feliz com eles!

Abraço,

Marcelo.

Dividendos extraordinários e bilionários do Bradesco

Ainda dá tempo de receber, se você desejar

Você viu que o que o Bradesco divulgou ontem?

Acho que é uma notícia boa para quem gosta de receber dividendos.

De acordo com o fato relevante, a diretoria decidiu que será distribuído 8 bilhões de reais em dividendos extraordinários.

Esse valor equivale a 94 centavos por ação ON e 1,04 real por ação PN.

O valor deverá ser aprovado pelo Conselho de Administração, no dia 17 deste mês, à conta de reserva de lucros existentes.

A data com deverá ser no mesmo dia, 17, e a data ex sendo dia 18.

Isso quer dizer que você precisa “dormir” com a ação do dia 17 para 18 se quiser receber os dividendos.

O pagamento está previsto para o dia 23, ainda neste mês.

Lembrando que os dividendos não são tributados, ou seja, é isento de imposto de renda e o valor inteiro é creditado na sua conta.

Pela cotação de segunda-feira (7), o valor distribuído representa em torno de 3 por cento de retorno..

Destaco que Bradesco é uma das raras empresas que pagam proventos mensalmente.

O histórico dos lucros de 12 meses vem crescendo ao longo dos anos, com algumas oscilações.

Um dos problemas, pra quem gosta de receber dividendos, é que a empresa tem pago proventos abaixo da Selic, conforme imagem abaixo:

Entretanto, os dividendos por ação têm crescido, o que é um ponto tão importante quanto o Dividend Yield, conforme mostra imagem a seguir:

Será que Bradesco se encaixa na minha carteira de investimentos em dividendos?

Os assinantes do canal Seleção de Dividendos já conhecem as 10 ações de empresas perenes que eu gosto para receber dividendos.

Descubra você também.

Abraço e bons investimentos

76 por cento dos fundos tradicionais rendem menos que a poupança

A única dica que vai fazer você ganhar dinheiro na renda fixa

Caro leitor,

Que a poupança rende pouco, acredito que todos já saibam.

O que muita gente faz? Procura investir de outra maneira para ter mais rentabilidade.

Ocorre que muita gente aplica em fundos populares e tradicionais.

O problema é que 76 por cento desses estão rendendo menos do que a poupança, segundo dados da Economática.

E a tendência é que a rentabilidade seja cada vez pior: a Taxa Selic em queda e as elevadas taxas de administração desses fundos impactam diretamente no quanto você deixa de lucrar ao investir nesses fundos DI mais populares.

Então anote o seguinte:

Para um fundo que deseja acompanhar a Selic, uma taxa de administração de 0,5 por cento já é muito elevada.

Uma taxa alta pode comprometer totalmente o rendimento da aplicação no fundo, e em casos específicos pode até dar prejuízos para você.

Portanto, ligue o alerta com fundos com altas taxas de administração.

Recentemente o Santander reduziu a taxa de um de seus fundos de 5,5 por cento ao ano para 2,7 por cento ao ano, após pressão nas redes sociais.

Foi um movimento importante, mas que ainda penaliza o investidor com taxa elevada.

Deixo um dever de casa pra você: veja agora mesmo quanto o seu fundo de investimento de renda fixa, DI ou curto prazo está cobrando. Se for o caso procure trocar por uma opção mais atrativa dentro da mesma instituição ou, se for o caso, mude.

Aproveite e compartilhe essa informação com mais pessoas, para que elas também se beneficiem.

Abraço e bons investimentos

 

Adriano Severo é Educador Financeiro, formado em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e pós-graduado em Mercado de Capitais pela Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (APIMEC). Escreve para o TheCap na coluna Renda Máxima.

Esse acontecimento pode fazer as ações que pagam dividendos subir.

Dicas preciosas para você montar sua fonte de renda passiva.

Alô, leitor.

Acredito que em breve teremos 2,9 trilhões de reais a mais na bolsa de valores.

Isso é muito dinheiro e pode fazer muitas ações subirem.

Explicarei:

Nos próximos cinco anos a Itaú Corretora estima que irão vencer 2,9 trilhões de reais da dívida pública.

Isso significa que muitos investidores irão receber parte desse dinheiro e terão que escolher algo para reaplicar.

Como as taxas de juros vem caindo consideravelmente, a renda fixa poderá estar longe de ser atrativa num futuro próximo.

Isso fará com que esses investidores de renda fixa busquem outras formas de rentabilizar seu próprio dinheiro.

Como a bolsa sobe muito com a queda da taxa de juros, os investidores se sentirão atraídos por essa modalidade de investimento.

E é aí que entram as ações boas pagadoras de dividendos.

Eu costumo dizer que ações pagadoras de dividendos são a “renda fixa” da bolsa, pois elas tendem a ser opções mais conservadoras.

Além disso, existe a possibilidade do investidor receber dividendos, inclusive, em momentos de baixa do mercado.

Ainda segundo a Itaú Corretora, cerca de 100 bilhões de reais já devem estar disponíveis no mercado a partir de hoje!

Exatamente isso que você leu.

Esse grande movimento de migração de investimentos está começando nesse exato momento.

Muitas empresas pagadoras de dividendos já estão remunerando seus acionistas com taxas acima da remuneração da renda fixa.

Na lista de ações do canal Seleção de Dividendos o menor dividend yield (que é quanto a empresa pagou de dividendos nos últimos 12 meses sobre o preço atual da ação) está em 5,30 por cento.

Ou seja, praticamente a Taxa Selic (hoje em 5,50 por cento), mas com uma enorme vantagem: esse investimento é isento de Imposto de Renda.

Agora, veja na imagem abaixo que o maior dividend yield está em cerca de 10 por cento.

Isso equivale ao dobro da Selic.

Oportunidades como essa tendem a desaparecer num piscar de olhos, por isso é importante se posicionar rápido.

ETF de renda fixa vale a pena? Onde encontrar?

A renda fixa vai ser negociada na bolsa de valores

Caro leitor,

As taxas de juros estão caindo tanto aqui no Brasil quanto no resto do mundo mundo.

A mídia tem informado e as pessoas já começam a se preocupar com isso.

Nossas taxas estão nos mesmos patamares de outros países emergentes, ainda que eles possuam uma classificação de risco melhor que o nosso.

Acontece as perspectivas de melhora na situação econômica do país fazem com que o risco percebido do Brasil diminua, o que nos permite mais quedas nas taxas de juros.

Atualmente a Selic está em 5,50 por cento ao ano e especula-se que vá encerrar o ano abaixo de 5.

Entretanto, segundo a própria classificação do banco J.P. Morgan, o Brasil possui uma perspectiva de crescimento acima da média do mercado, fazendo com que os investidores internacionais demandem pelos nossos títulos.

Dado esse aumento da demanda por esse tipo de aplicação, juntamente com o aumento de investidores cadastrados na B3, o banco Itaú lançou dois novos ETF (Exchange Traded Fund) de renda fixa.

Um ETF é um fundo passivo, que apenas acompanha algum índice de mercado.

O BOVA11 é um exemplo de ETF que replica o Índice Bovespa.

Nesse ETF você está investindo em mais de 60 ativos da bolsa ao mesmo tempo.

Os dois ETF lançados pelo Itaú são o IB5M11, que replica os títulos indexados do Tesouro Direto, e o IRFM11, que replica os títulos prefixados.

Esse tipo de aplicação é uma forma simples e geralmente barata do investidor poder aplicar em ações ou em ativos de renda fixa.

A parte boa é que nas ETF as taxas de administração geralmente são baratas.

Enquanto no ETF as taxas ficam na faixa de 0,5 por cento ao ano, um fundo de investimento que faça o mesmo pode ter taxa na faixa de 2,00 por cento ao ano.

Enorme diferença, não é verdade?

Particularmente, no presente momento eu não carrego ETF no meu portfólio.

Não que não seja uma opção ruim de investimento, mas meus ativos de renda fixa, no momento, estão concentrados do Tesouro Direto e em ações pagadoras de dividendos.

Vamos ficar de olho no mercado.

Abraço e bons investimentos

Cielo vai voltar? Taxação dos dividendos?

Alô, leitor(a)

CIELO – CIEL3

Pra quem comprar hoje ações da Cielo (CIEL3) e ficar até amanhã terá direito a participar da distribuição de juros sobre capital próprio (JSCP) que a empresa havia anunciado.

As ações passam a ser negociadas ex amanhã, dia 25 e o montante total a ser distribuído será de 78 milhões e 100 mil reais, sendo projetado 0,02879043217 reais por ação, com pagamento dia 18 de novembro.

Há poucos dias rumores sobre uma possível união entre as concorrentes Cielo e Stone fez as ações decolarem, tanto sendo possível por expectativa de valorização da cia quanto por encerramento das posições de vendidos (que acreditavam na queda e tiveram que recomprar, ajudando na valorização).

Seria aquela velha história do “onde há fumaça, há fogo”?

Gráfico diário de CIEL desde 2009:

Ambas empresas negaram a conversa de possível acordo.

Cielo registrou lucro líquido de 431 milhões no 2º trimestre de 2019, sendo 33 por cento menor que o mesmo período em 2018.

Ainda comparando o mesmo período, a receita operacional e a receita líquida apontaram queda de 4,4 por cento.

Um pequeno alívio foi que o volume de transações aumento 8,9 por cento, comparando-se mesmos períodos, e uma leve alta de 0,9 por cento se formos comparar o 1º com o 2º tri de 2019.

Ainda temos que lembrar que o grupo japonês Softbank está analisando cerca de 40 empresas no Brasil para fazer investimentos, que deve anunciar novidades já próximas semanas, sendo um deles um de grande montante financeiro.

O fundo foi anunciado em março e promete investir 5 bilhões de dólares somente em projetos de tecnologia na América Latina.

O grupo já possui, no Brasil, cerca de 15 por cento do Banco Inter e também fez aportes nos famosos Rappi, Creditas, Gympass, QuintaAndar e Loggi e no mundo faz parte das conhecidas Alibaba e Uber e 99 (através da china Didi Chuxing, que é a dona).

Um executivo do grupo disse que estão avaliando também oportunidades nas áreas de transporte, logística, agronegócio, saúde, dentre outras opções.

TAXAÇÃO DE DIVIDENDOS

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) vai analisar hoje a proposta que pode cobrar Imposto de Renda sobre a distribuição de lucros e dividendos.

O projeto de autoria do senador Otto Alencar (PSD-BA) (Projeto de Lei 2.015/2019) fala em acabar com a atual isenção para uma cobrança, retida na fonte, a partir de 15 por cento para as distribuições, podendo chegar a 25 por cento para quem é beneficiário pelo regime fiscal nos famosos paraísos fiscais.

A cobrança foi de 1926 a 1995, quando a Lei 9.249/1995 previu a isenção.

Jorge Kajuru (Patriota-GO), que é relator do projeto, está favorável a aprovação.

Mesmo que aprovado, ainda acredito que os dividendos farão sentido e as empresas vão se adaptar para continuar pagando bons proventos, ainda mais com as reduções da taxa Selic, que ainda deve ter novos cortes.

Estou de olho nessas decisões.

Abs e bons investimentos

Gringos degringolando, queda na selic, e o Brasil?

Caro leitor,

A Taxa Selic caiu, em julho, para o patamar mínimo histórico de 6 por cento ao ano. Hoje se inicia mais uma reunião do Copom.

Será que a taxa pode cair mais?

Na minha opinião, sim, claro que pode.

Depois desse encontro ainda temos mais duas reuniões, sendo uma em outubro e a outra em dezembro.

O fato é que agora não há mais consenso de que haverá uma redução na taxa.

Muitos dos que acreditavam na queda da Selic agora apostam em uma manutenção. Outros ainda seguem com a ideia de queda para a taxa de juros.

Em um cenário global cada vez mais hostil e com a economia do Brasil ainda patinando, qualquer decisão é possível, fica difícil de saber para qual lado a coisa pende mais.

O fato é que não há expectativa de aumento.

E o melhor, se a taxa de juros não cair agora, mais para frente provavelmente continuará a perspectiva de queda.

Com nossa inflação controlada, os cortes na Selic são vistos como um meio de potencializar o crescimento econômico brasileiro, que já mostrou alguns avanços nas vendas de imóveis e veículos.

No cenário externo não há qualquer sinal que aponte um acerto entre EUA e China, ao passo que as tensões seguem aumentando a ameaça de recessão nos EUA.

Aqui do lado, a Argentina, que vive outra crise. Nossos vizinhos seguem sem conseguir solucionar seus problemas econômicos.

Eles estão renegociando as dívidas visando alongar os prazos de pagamento.

Dado o cenário, já há expectativa de redução do PIB e uma forte desvalorização cambial.

Para não ser afetado pelos problemas externos e conseguir deslanchar, o Brasil deve apostar no crescimento interno e se aproveitar das negociações com os demais países, sem criar atritos.

Nesse momento nos investimentos, se é pra seguir alguém, então vamos seguir os melhores, não é mesmo?

Me vem à cabeça o nome de Warren Buffett..

Para mim, essa é a melhor estratégia defensiva de investimentos, seguindo muitos ensinamentos desse mestre dos investimentos.

Continuo investindo em empresas pagadoras de dividendos. E você pode fazer o mesmo.

Se você deseja desenvolver seus conhecimentos sobre dividendos, clique aqui e assista essa palestra totalmente online e gratuita.

Se você se interessa em saber mais sobre esses assuntos me siga no meu Instagram @severoadriano e aproveite pra conferir as dicas de investimentos e educação financeira que compartilho por lá.

Abs e bons investimentos.

A venda do Banco Banrisul (BRSR) é uma oportunidade de lucro?

ter sucesso investindo em ações

O Governo do Estado do Rio Grande do Sul vai agora conseguir fazer o que anunciou em junho deste ano, mas que foi vetado por liminar na justiça.

Estou falando da venda de uma fatia do Banco Banrisul (código BRSR)

O Estado do RS vai vender 96.323.426 ações ordinárias, ou seja, ações ON.

Mas porque irá se desfazer?

Problemas “particulares”, pois precisa arrecadar dinheiro para tentar botar as contas em dia.

Particularmente acho que não vai resolver o problema.

Como investidor, não só gosto como tenho ações do Banrisul em carteira.

Não custa lembrar, que NÃO é recomendação de investimento, ok?!

As oportunidades em aberto você encontra na lista de dividendos do GuiaInvest.

Mas continuando…

No segundo trimestre deste ano o banco registrou lucro líquido de 335,4 milhões de reais, e isso representa 28 por cento a mais comparado ao mesmo período de 2018 e 4,8 por cento a mais em relação ao primeiro Trimestre de 2019.

Já no primeiro semestre deste ano o lucro líquido atingiu 655,3 milhões de reais, superando em 29,5 por cento na mesma comparação no ano passado.

Com todos esses dados o patrimônio líquido ficou, em junho deste ano, 6,9 por cento acima de junho de 2018, com a atual marca em 7.522,5 milhões de reais.

Parece ótimo, não é?

Uma pena que essa operação seja somente para investidores profissionais ou para pessoas físicas que tenham mais de 10 milhões de reais em patrimônio.

Conforme Wagner Salaverry, da Quantitas, em informação a Gaúcha ZH “No Brasil, esse tipo de oferta é limitado a 75 investidores.

Os bancos ligam para os gestores de recursos e perguntam se estão interessados. Desses, somente 50 ofertas são aceitas, conforme o preço de corte definido entre os bancos e o Banrisul”.

Porém você pode aproveitar essa oportunidade de outra maneira.

Se for privatizado, as ações podem se beneficiar muito. Se continuar com a gestão que vem apresentando resultados, também.

Porém não há como garantir uma valorização, afinal rentabilidades passadas não são garantias de rentabilidades futuras.

Na minha opinião, Banrisul segue nos meus planos para os próximos períodos.

E você? O que você acha das ações deste banco?

Clique aqui e confira o estudo de dividendos que elaboramos para descobrir as ações que se enquadram nos critérios de investimento do GuiaInvest.