Glossário do investidor: 8 termos financeiros que você deve conhecer

Mauricio Baltazar

Mauricio Baltazar

Compreender os diversos termos financeiros espalhados no ambiente das finanças pode parecer desencorajador, não é mesmo? Contudo, se você quer dar um passo adiante para melhorar os seus investimentos, é muito importante conhecê-los.

Ter um patrimônio grande é o desejo da maioria das pessoas. Com isso, o trabalho se torna uma opção e não apenas uma obrigação, sua aposentadoria estará garantida — sem dependência do INSS — e, além disso, você vai ter mais tempo para viajar com sua família, por exemplo.

Neste artigo, você vai aprender a importância de 8 termos financeiros e a finalidade de cada um. Dessa forma, será possível entrar no mundo das finanças com conhecimento abrangente. Sendo assim, se você sonha com um futuro econômico estável, aproveite a leitura!

1. Renda fixa e variável

As opções de investimentos disponíveis no mercado são geralmente divididas entre aplicações de renda fixa e variável. Conheça mais detalhadamente esses termos financeiros:

Renda fixa

Essa é uma expressão financeira, usada de forma popular, para descrever os diferentes títulos de renda fixa existentes. A pessoa que compra um título em renda fixa fornece recursos próprios às instituições, como bancos, empresas privadas ou o governo.

Os títulos remuneram o indivíduo que investiu com juros e em períodos. Esse rendimento pode ser determinado no momento da aplicação ou no vencimento da data estipulada. Os principais exemplos de renda fixa são:

Renda variável

A renda variável é o termo usado para descrever os títulos que estão expostos à volatilidade do mercado financeiro. Entretanto, diferente da renda fixa, você não poderá mensurar o retorno da aplicação investida.

Como o valor do retorno pode pender para o lado negativo ou positivo, é muito importante investir em conhecimento. As principais aplicações de investimentos em renda variável são:

  • fundos de ações;
  • fundos multimercados;
  • fundos setoriais;
  • commodities;
  • ações.

2. Liquidez

Esse é um termo financeiro usado no mercado e serve para definir a eficiência que uma aplicação tem de ser transformada em dinheiro antes do seu prazo de vencimento. A liquidez costuma variar de acordo com o prazo, tipo de investimento e cenário econômico.

Se um título possui alta liquidez isso quer dizer que será mais fácil convertê-lo em moeda. No entanto, se o mesmo apresentar baixa liquidez, isso significa que será mais difícil obter dinheiro antes do vencimento em caso de necessidade.

3. Inflação

A taxa de inflação é usada para medir a variação contínua de bens e serviços negociados no mercado nacional. A inflação no Brasil é mensurada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e pode ser avaliada em períodos de meses, semestres e anos.

Entender a definição financeira de inflação é fundamental para uma pessoa que pretende começar a investir. Os títulos aplicados estão suscetíveis a variação do IPCA e podem perder valor por conta dessa taxa.

4. Volatilidade

Na área financeira a volatilidade é uma medida que mostra a força e regularidade das oscilações de suas aplicações. Ela é um dos parâmetros mais usados para avaliar o risco de se investir em um ativo, sejam eles, ações, índices atrelados à bolsa de valores, títulos ou fundos.

Essa mensuração de risco mostra que quando uma aplicação apresenta muita volatilidade, entende-se que pode ser em decorrência da falta de liquidez (comum em empresas negociadas na bolsa brasileira), balanço anual da companhia ou ineficiência de uma gestão.

5. Ações

As ações ou papéis são títulos negociáveis emitidos que representam uma fração do capital social das sociedades anônimas (S.A.). Com isso, quem compra esses papéis se torna sócio da empresa. A divisão do capital social em partes iguais é investida em compra de máquinas, pagamento de salários, novas instalações e outros investimentos estruturais.

Geralmente, essas ações são divididas em duas categorias, as ordinárias (ON) e as preferenciais (PN). Ações ordinárias oferecem poder de voto na companhia, já os papéis preferenciais priorizam a distribuição de resultados, porém não concedem ou restringem o direito a votação.

Existem três linhas de tipos de ações:

Ações de primeira linha

Essa linha é a que possui maior liquidez e procura de papéis no mercado financeiro. São compostas por empresas de grande porte e excelentes em sua reputação.

Ações de segunda linha

São o meio-termo: apresentam menos liquidez que as de primeira linha, mas são empresas de qualidade que possuem grande ou médio porte.

Ações de terceira linha

São ações com baixa liquidez e pouco negociadas na bolsa de valores. Na maioria das vezes, são firmas de médio e pequeno porte.

6. Dividendos

Os dividendos são pagamentos que as empresas distribuem aos seus acionistas com parte do lucro líquido, de acordo com a divisão de categorias de ações.

Normalmente, esse dinheiro é pago semestral, trimestral ou anualmente e o montante deve ser oferecido de forma proporcional a quantidade de papéis que o acionista possui.

7. Diversificação

O conceito de diversificação é o mais simples dentro dos termos financeiros. Trata-se de uma atitude para diluir riscos e aumentar os lucros. Para realizar isso, você vai precisar apenas aplicar os recursos da sua carteira de investimentos de forma abrangente, evitando ficar retido a apenas um segmento.

8. Carteira de investimentos

Também conhecida como portfólio de investimentos, trata-se de um grupo com todas as aplicações que você pretende fazer. A carteira pode ser composta de diversos títulos, como ações, renda fixa, tesouro direto, fundos etc.

A carteira de investimentos é de inteira responsabilidade da pessoa que está administrando os recursos. O objetivo de se montar um portfólio sólido é otimizar o retorno que você terá com compra e venda de ativos financeiros (itens de valor).

Quando você se depara com inúmeros termos financeiros apresentados, é comum surgirem dúvidas e receios de alocar o dinheiro. Todavia, isso não é necessário. Investimentos não estão restritos aos profissionais em economia. Qualquer pessoa pode obter bons retornos e conquistar o desejo da liberdade financeira.

Que tal conhecer um pouco mais sobre termos financeiros? Então assista uma aula sobre dividendos para descobrir seus benefícios e melhorar seus investimentos!

Outras Publicações

Leia Mais

Bolsa de Valores Para Leigos

André Fogaça

Nesse e-book você vai dar os seus primeiros passos no mundo dos investimentos e ficar por dentro de alguns detalhes importantes do mercado de ações. Você se sentirá seguro de conversar sobre investimento com qualquer pessoa depois de ler esse livro. Arrisco dizer ainda que você vai ficar louco para começar a investir. Uma boa leitura!

Sem tempo para ler? Assista nossas Palestras Online

Abrir conversa
1
Precisa de Ajuda?
Olá,
Podemos te ajudar?
Powered by