Impacto da Argentina nas ações do Brasil

Adriano Severo

Adriano Severo

Severo acredita que uma pessoa só consegue ser verdadeiramente livre para seguir os seus sonhos quando conhece e coloca em prática bons hábitos financeiros.

Ontem saiu o resultado da eleição primária de domingo na Argentina.

A bolsa lá caiu quase 40 por cento:

O atual presidente da Argentina, Mauricio Macri, reconheceu a derrota nas eleições prévias, que são obrigatórias. Ele ficou 15 pontos atrás do primeiro. Diga-se de passagem com uma diferença relevante, pois as regras eleitorais no país vizinho são bem diferentes das nossas.

Lá funciona assim para a votação oficial, que será em outubro:

  • Se o candidato que ficar em primeiro lugar estiver com 45 por cento mais 1 voto, já pode ser considerado o vencedor.
  • Se o candidato que ficar em primeiro lugar estiver com 40 por cento e o segundo tiver menos que 30 por cento, também já pode ser considerado vencedor.

Vale considerar que 75 por cento da população votou nessa prévia, mas parece ser difícil que o atual presidente consiga reverter.

Mauricio Macri atingiu 32 por cento dos votos prévios, ficando em segundo e Alberto Fernández e Cristina Kirchner atingiram 47 por cento dos votos prévios, ficando em primeiro lugar.

Ontem a nossa bolsa caiu 2 por cento, fechando nos 101 mil pontos.

A Argentina é nosso terceiro principal parceiro comercial, ficando atrás apenas das potências EUA e China.

Essa situação não vai ficar assim pra sempre.

Momentos tensos e crises sempre aconteceram, e digo mais, sempre irão acontecer.

Mas sabe o que os grandes investidores pensam sobre isso?

Ações boas pagadora de dividendos caindo são oportunidades de compra.

Quem tinha medo de comprar depois de a bolsa subir, agora tem a chance de comprar ações com desconto.

Algumas empresas que podem ser afetadas:

Setor automotivo: A indústria automobilística brasileira tem dependência de cerca 10 a 15 por cento do mercado argentino. Empresas como Usiminas podem ser afetadas.

Ambev e Alpargatas: Ambas têm sofrido com a inflação e a instabilidade na Argentina.

Minerva e Marfrig: Marfrig concluiu, no início do ano, a aquisição da Quickfood e a Minerva já atua lá através da Athena Foods, ambas argentinas. Elas têm se beneficiado com a instabilidade do nosso país vizinho.

Mahle Metal Leve, Fras-le e Random: A Argentina é o maior mercado exportador do setor de autopeças brasileiro.

Banco do Brasil: Cerca de 4 por cento da receita está exposta na Argentina, através do banco Patagônia.

CVC: No começo de agosto anunciou a aquisição da cia argentina Almundo, se tornando a segunda maior da Argentina, com 16 por cento de participação no mercado.

Marcopolo: Em julho anunciou a aquisição da empresa argentina Metalsur Carrocerias.

Me siga no Instagram e aproveita pra conferir as dicas de investimentos que compartilho lá também.

@severoadriano

Abs
Adriano Severo

Outras Publicações

Leia Mais

Bolsa de Valores Para Leigos

André Fogaça

Nesse e-book você vai dar os seus primeiros passos no mundo dos investimentos e ficar por dentro de alguns detalhes importantes do mercado de ações. Você se sentirá seguro de conversar sobre investimento com qualquer pessoa depois de ler esse livro. Arrisco dizer ainda que você vai ficar louco para começar a investir. Uma boa leitura!

Sem tempo para ler? Assista nossas Palestras Online