O melhor investimento para fazer agora

Martin Kirsten

Martin Kirsten

Sócio do GuiaInvest. Mestre em Economia pela UFRGS e assina o Recado do Economista.

As maiores porradas da bolsa estão aqui

Caro leitor,

Uma pergunta comum me deixa um tanto quanto pensativo: “Qual o melhor investimento para se fazer agora?”.

Ora, os mesmos de sempre.

Mas pense comigo: quando alguém questiona qual o melhor investimento para se fazer agora, provavelmente essa pessoa quer saber onde vai ganhar mais.

Essa esperança de fazer fortuna com um único investimento é muito ingênua.

Geralmente é, sim, um único investimento que muda a história, mas isso vem de uma noção de composição de portfólio.

Eu explico…

Você não vai colocar todo o seu dinheiro naquela dica quente que pode (e pode mesmo) multiplicar o seu capital em várias vezes em um curto período de tempo.

Você irá compor uma carteira completa de investimentos, com o devido equilíbrio, olhando sempre para longo prazo. A partir disso não só pode, como é fortemente recomendável, que você apimente o seu portfólio.

As porradas de curto prazo acontecem, mas você não pode investir contando com elas.

Reforço: pense no seu portfólio.

Vamos para uma demonstração prática:

Cerca de 50 por cento do seu portfólio deve ser composto por algo totalmente livre de risco. Nessas horas, não adianta inventar moda: Tesouro Selic é a melhor opção.

Você precisa de liquidez e segurança nessa parte do seu portfólio, então de nada adianta comprar aquele CDB

de banco quebrado que paga 120 por cento do CDI.

Nem mesmo aquela debênture incentivada… isso é besteira. Muito incremento de risco para pouco retorno adicional.

Agora começa a parte mais interessante: 20 por cento você deve compor com títulos de renda fixa de longo prazo. Aqui você vai seguir tendo segurança e liquidez, mas vai ganhar um bom adicional de retorno com um pouco de volatilidade.

O ideal para compor essa parte da carteira são os títulos públicos indexados à inflação ou prefixados. Prefira sempre pelos prazos mais longos de vencimento.

Os outros 30 por cento, supondo que você é um investidor mais arrojado, são para ações. Se você for mais conservador, diminua essa fatia e aumente a de Tesouro Selic para fechar os 100 por cento.

Desses 30 por cento, você coloca a maior parte em ações de boas empresas pagadoras de dividendos. Negócios grandes, sólidos e que oferecem uma rentabilidade bem atrativa em relação a renda fixa.

Umas 8 empresas compõem bem essa fatia da carteira.

Agora vem a melhor parte: com o que restou, você coloca nas grandes oportunidades de se fazer fortuna.

Opte por 4 a 6 Small Caps, que são empresas pequenas, com valor de mercado de até 5 bilhões de reais.

As maiores porradas virão daqui.

São empresas em fase de expansão, de crescimento vigoroso, mas que ainda não estão nos holofotes do mercado.

São as próximas Magazines Luízas.

Esses são os investimentos que devem dar mais lucro para o investidor dentro de uma noção de composição de portfólio.

Então, qual o melhor investimento para fazer agora?

É um portfólio equilibrado e diversificado, em que você esteja exposto às maiores porradas da bolsa de valores de forma responsável.

Essa resposta vale para qualquer circunstância. Ela é atemporal.

Ninguém ficou milionário só com MGLU3, mesmo que ela tenha se valorizado 15.000 por cento.

Se deu bem somente quem possuía a ação juntamente com outros investimentos, que permitiram que o investidor carregasse a posição de forma segura durante todo esse processo de valorização.

Um abraço e até semana que vem.

Outras Publicações

Leia Mais

Bolsa de Valores Para Leigos

André Fogaça

Nesse e-book você vai dar os seus primeiros passos no mundo dos investimentos e ficar por dentro de alguns detalhes importantes do mercado de ações. Você se sentirá seguro de conversar sobre investimento com qualquer pessoa depois de ler esse livro. Arrisco dizer ainda que você vai ficar louco para começar a investir. Uma boa leitura!

Sem tempo para ler? Assista nossas Palestras Online