O Que São CDBs e Como Ganhar Dinheiro com Eles

Conheça um dos melhores investimentos disponíveis em renda fixa para iniciantes.
André Fogaça

André Fogaça

Co-fundador do GuiaInvest, pós-graduado em Economia e Consultor de Investimentos CVM

O Que São CDBs e Como Ganhar Dinheiro com Eles

Os CDBs são investimentos populares dentro do mercado financeiro que permitem ganhar dinheiro de forma simples, sem correr grandes riscos.

Os Certificados de Depósito Bancário (CDBs) fazem parte da renda fixa, classe de investimentos que possui uma rentabilidade previsível, determinada no momento da contratação. 

Como estão disponíveis na maioria dos bancos, costumam ser uma das primeiras opções para quem quer sair da poupança e investir em algo mais rentável.

Os CDBs são tão seguros quanto a caderneta de poupança, mas possuem uma rentabilidade maior. Por isso, acabam sendo a porta de entrada para novos produtos financeiros.

Mas o que exatamente é o CDB e como começar a investir?

Confira neste guia tudo o que você precisa saber sobre como funcionam os CDBs, suas formas de remuneração, prazos de vencimento, valor mínimo de aplicação e muito mais para escolher a melhor opção.

O que é CDB?

O CDB é o Certificado de Depósito Bancário, um título de renda fixa emitido pelos bancos com a rentabilidade normalmente atrelada ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário), uma taxa de referência para investimentos da renda fixa.

Ele funciona como um empréstimo ao banco emissor, que utiliza o dinheiro para financiar suas atividades. 

Em troca, a instituição devolve a quantia aplicada mais o juros acordado no momento do investimento.

Apesar de ser emitido e comercializado por instituições bancárias, os CDBs também são distribuídos por corretoras de valores, onde é possível encontrar remunerações ainda mais atraentes.

Cada CDB tem características próprias de rentabilidades, liquidez e datas de vencimento. Por isso, escolha aquele que melhor atenda às suas necessidades.

Uma das grandes vantagens do CDB é seu baixo risco, dado pela garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito). 

Dessa forma, mesmo que a instituição emissora do título venha a quebrar, o investidor será ressarcido em até R$ 250 mil por CPF.

Como funciona o CDB

O CDB funciona como um contrato de empréstimo ao banco, onde o investidor empresta seu dinheiro para o banco em troca de uma rentabilidade definida no momento da aplicação. 

Os CDBs são emitidos pelas instituições bancárias como forma de captar dinheiro para custear suas atividades.

Com os valores arrecadados, os bancos podem desenvolver seus projetos, pagar dívidas ou simplesmente colocá-los à disposição para empréstimos a clientes.

Ou seja, o dinheiro nunca fica parado, está sempre em movimento.

Ao final do prazo, o banco paga o valor aplicado acrescido dos respectivos juros.

Rentabilidade do CDB

A rentabilidade do CDB vai depender de diferentes fatores como:

  • Tipo de título (prefixado, pós-fixado ou híbrido);
  • Porte do banco emissor;
  • Data de vencimento do título;
  • Tempo de aplicação;
  • Momento econômico.

Os CDBs pós-fixados, por exemplo, têm um rendimento muito próximo do CDI (Certidão de Depósito Interbancário), um dos principais indicadores da renda fixa que acompanha de perto a Taxa Selic, a taxa básica de juros da economia.

Eles costumam oferecer algo em torno de 90, 100, 105 e até 200% do CDI.

De forma geral, a rentabilidade do CDB está ligada ao risco.

Assim, títulos emitidos por instituições bancárias de menor porte tendem a oferecer taxas de rendimento maiores. Já que o risco dessas instituições quebrarem é maior do que a dos grandes bancos.

Assim como títulos que possuem prazo de vencimento mais longos costumam ter rentabilidades mais atrativas. Uma vez que você abre mão da liquidez para um rendimento maior.

Tipos de CDB

Os CDB são classificados de acordo com a sua rentabilidade em: 

  • Prefixados;
  • Pós-fixados;
  • Híbridos. 

Cada um deles difere quanto à taxa de juros que renderá ao investidor.

Eles também podem oferecer diferentes prazos de carência e resgate. Por isso, fique atento ao que melhor atende aos seus objetivos.

CDB Prefixado

O CDB prefixado a rentabilidade é estabelecida a uma taxa de juros fixa, que se manterá a mesma independentemente das condições do mercado. 

No momento da compra o investidor sabe exatamente o quanto o seu dinheiro vai render até a data do vencimento.

CDB Pós-fixado

Os CDBs pós-fixados são aqueles que têm sua taxa de rentabilidade atrelada a um indexador da economia.

O indicador mais comum é o CDI, principal referência de rentabilidade da renda fixa.

O CDI (Certificado de Depósito Interbancário) é uma taxa com lastro nas operações rápidas realizadas entre instituições bancárias.

Por ser uma operação comum, ele dita a rentabilidade do CDB e de outros produtos financeiros da renda fixa e tem valores próximos ao da taxa SELIC.

A remuneração desse título é apresentada como um percentual do CDI (CDB + Índice + porcentagem), por exemplo: CDB + 100% do CDI.

Nesse caso, o investidor ganhará 100% do que render o CDI ao longo de um ano. 

A mesma lógica funciona para um papel que pague 80% ou 120% do CDI.

Além desse índice, o CDB pós-fixado também pode ser vinculado ao IPCA, o índice que controla a inflação do país. 

Como os indexadores atrelados variam com o tempo, os rendimentos do CDB pós-fixados também estão sujeitos a oscilações até a data do vencimento. 

Portanto, ao investir neste ativo, o investidor só terá uma previsão de quanto irá receber.

CDB Híbrido

Os CDBs híbridos são aqueles que oferecem uma parte da rentabilidade prefixada e outra pós-fixada que varia de acordo com o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

Ele aparece como CDB + nome do índice de referência + porcentagem fixa. Exemplo: CDB IPCA + 5% ao ano. 

Nesse caso, a aplicação terá rendimento de 5,0% acrescido da variação do IPCA. 

Esse é o tipo menos comum de CDB.

Valor mínimo para investir em CDB

Os CDBs costumam ter um valor mínimo de investimento, ou seja, a quantidade mínima que o investidor precisa aportar para ter acesso ao investimento.

Esse valor varia de acordo com o título escolhido, principalmente em função do nível de risco e do potencial de retorno de cada título.

Nos grandes bancos, é possível encontrar CDBs com um valor mínimo relativamente baixo, com aplicações a partir de R$ 500. 

No entanto, estes CDBs costumam oferecer uma remuneração menor também. Não é raro que chegue a 80% do CDI.

Já nas corretoras é mais fácil encontrar opções com uma remuneração melhor. 

Isso porque eles reúnem CDBs emitidos por instituições de vários perfis e portes.

Para rentabilidades melhores, o valor mínimo de investimento para o CDB costuma ir de R$ 1 mil até R$ 10 mil.

Liquidez do CDB

A liquidez do CDB, ou seja, a felicidade com que o investidor pode se desfazer da aplicação e receber seu dinheiro é definida pelo prazo de vencimento e pela carência.

Antes de investir, é fundamental conhecer estas informações e verificar se estão alinhadas aos seus objetivos. 

Os CDBs são papéis com vencimento. Isso significa que possuem uma data estipulada pelo banco na qual o dinheiro ficará aplicado.

Ao final dessa data de vencimento, o banco deve retornar o valor aplicado acrescido dos juros acordados. 

Existem CDBs com prazos de vencimento bem distintos. Desde títulos de curto prazo para serem resgatados a partir de seis meses a um ano, como também CDBs longos, com vencimento a partir de dois anos até cinco ou mais.

Mesmo tendo uma data de vencimento, muitos CDBs, principalmente os de grandes bancos, oferecem liquidez diária. Assim, é possível resgatá-los a qualquer momento, mesmo antes do prazo final.

Por outro lado, o prazo de carência estipula o tempo mínimo que o dinheiro deve permanecer aplicado, sem a possibilidade de retirada.

Após esse período de carência, é possível realizar o resgate do investimento a qualquer momento.

Preste atenção, pois existem também CDBs que só permitem o saque no vencimento. 

Além disso, há também o prazo de liquidação, que é o tempo que o emissor tem para depositar o dinheiro investido e corrigido na sua conta. 

Todas essas datas variam conforme as condições de investimento e o porte do banco. 

Vantagens de investir em CDB

O CDB oferece diversas vantagens para investidores que possuem mais aversão a riscos, mas que ao mesmo tempo querem uma boa rentabilidade nos investimentos.

Veja as principais vantagens do CDB:

Facilidade

Investir em CDB é muito fácil. O investimento é realizado totalmente online. Basta escolher o título que melhor corresponda às suas expectativas e aplicar.

Além disso, como ele é emitido por bancos, é muito provável que o banco onde você tenha conta, possua um CDB.

Assim, o investimento fica muito mais cômodo e é realizado direto no aplicativo ou site do seu banco.

Para mais opções de investimento, uma lista de CDBs é oferecida em corretoras de valores. Lá é provável que encontre opções mais atrativas.

O investimento através das corretoras também é muito simples. Basta abrir sua conta na corretora escolhida. O cadastro é online e dura apenas alguns minutos.

Rentabilidade

Um dos fatores de destaque dos CDBs é a sua rentabilidade, já que oferece rendimentos maiores que a tradicional poupança, mas com a mesma segurança.

Hoje, é possível encontrar títulos que oferecem rendimentos acima de 120% do CDI.

Segurança

O CDB é coberto pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que protege o investidor com até R$ 250 mil investidos por CPF em cada instituição. 

Essa segurança a mais, atrai, principalmente, os perfis de investidores conservadores e moderados. Afinal, assegura o recebimento do dinheiro em caso de falência da instituição financeira. 

Liquidez

Com as inúmeras opções disponíveis no mercado, o CDB tem se tornado um investimento flexível com prazos de liquidez cada vez menores. 

Assim, caso precise utilizar o dinheiro em um prazo curto ou queira usá-lo para construir uma reserva de emergência, basta optar pelos ativos que possuem liquidez diária. 

Desvantagens de investir em CDB

Assim como qualquer investimento, os CDBs também possuem seus prós e contras.

Veja as principais desvantagens que alguns investidores podem encontrar ao investir em CDB:

Imposto de Renda

Os rendimentos dos CDBs sofrem um desconto do Imposto de Renda retido na fonte, dessa forma o investidor não precisa declarar o valor. 

A tributação segue uma tabela regressiva, em que as alíquotas diminuem conforme o tempo de investimento.

A taxa varia entre 22,5% sobre a rentabilidade para investimentos de até seis meses, e 15% sobre a rentabilidade para investimentos mantidos por mais de dois anos.

Assim, quanto mais tempo deixar seu dinheiro aplicado, menos será descontado de IR.

Veja o percentual de tributação do IR conforme o período de aplicação dos CDB segundo a tabela regressiva do Imposto de Renda:

Período de aplicaçãoAlíquota de IR
Até 180 dias22.5%
De 181 a 360 dias20%
De 361 a 720 dias17.5%
Acima de 721 dias15%

Além disso, existe ainda a cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) caso resgate o CDB antes de 30 dias de aplicação. Nesses casos, a alíquota pode variar entre 96% (1 dia após aplicação) e 3% (dia 29) sobre os rendimentos. 

Assim como o IR, o IOF também diminui com o tempo do investimento.

Valor do Investimento 

Para investir em CDB, é necessário aplicar uma quantia mínima inicial estabelecida pelo banco. 

O valor vai depender de cada título, que geralmente varia de R$ 500 a 1 mil. Já outros, podem pedir até R$10 mil ou mais.

Esse fator pode ser um empecilho para alguns investidores que não tem tanto dinheiro disponível.

Resgate

Tirando os CDBs de liquidez diária, alguns títulos possuem baixa liquidez e só podem ser resgatados depois do vencimento. 

Dependendo do caso, o resgate antecipado pode prejudicar a rentabilidade total.

Como investir em CDB

O investimento em CDB pode ser feito através de bancos ou corretoras de valores. 

Se por um lado o investimento direto no banco em que se tem conta ganha na comodidade, pode perder na rentabilidade.

Uma vez que as grandes instituições bancárias oferecem aplicações com taxa de rendimento menor e a gama de opções limitada.

Por outro lado, ao investir em CDB por corretoras de valores, o investidor pode contar com inúmeras alternativas de títulos e escolher o mais adequado aos seus objetivos. 

Além disso, as taxas de rentabilidade costumam ser muito maiores.

Para investir em um CDB, é muito simples. Veja o passo a passo para começar agora mesmo:

1) Escolha o CDB

Compare as opções de CDBs disponíveis. Você não precisa necessariamente comprar um CDB do banco no qual tem conta. 

Pesquise os bancos que oferecem a maior remuneração.

Quanto estiver avaliando as opções, procure responder às seguintes perguntas:

  • Qual é a remuneração oferecida?
  • Qual é o prazo de vencimento?
  • Qual é o sistema de liquidez?
  • Qual é o nível de risco do emissor?

Com essas informações você será capaz de filtrar os melhores títulos, considerando seus objetivos de investimento. 

2) Abra uma conta

Se o CDB escolhido não for ofertado pelo banco no qual tem conta, é hora de abrir uma conta em uma corretora de valores.

Esse procedimento costuma ser simples. Basta acessar o site ou aplicativo da instituição, preencher algumas informações e enviar documentos pessoais, como a cópia do RG e do CPF.

Em seguida, é necessário fazer a transferência do valor a ser investido da sua conta corrente para a sua conta na corretora.

Depois disso, é só investir no CDB.

Resumindo

O CDB é um título de renda fixa que costuma oferecer taxas de rendimento atrativas e baixo risco. Isso faz dele uma excelente opção para os investidores de perfil conservador e moderado. 

Além disso, investir em CDBs não requer nenhum conhecimento aprofundado sobre o mercado financeiro, sendo recomendado inclusive para iniciantes.

O CDB é o investimento ideal para quem busca:

  1. Rendimentos maiores do que a poupança;
  2. Diversificar os investimentos;
  3. Ter autonomia para investir por conta própria;
  4. Constituir um patrimônio a longo prazo.

Nos últimos anos, a variedade de CDBs têm aumentado. Hoje, você pode encontrar facilmente ativos que cabem no seu bolso e com diferentes prazos.

De forma geral, os CDBs costumam ser recomendados para metas de médio prazo, mas títulos com liquidez diária podem ser utilizados também para os objetivos de curto prazo, por exemplo, reserva de emergência ou viagem de férias. 

Por isso, os CDBs se apresentam como uma alternativa bastante flexível para ganhar dinheiro com eles e costumam abrir as portas para outros investimentos mais rentáveis.

Para saber mais sobre a importância dos investimentos para a concretização dos seus sonhos, venha comigo nessa jornada de conhecimento e assista a aula online grátis para conhecer os 7 princípios para ganhar de R$ 5 mil a R$ 20 mil por mês com dividendos.

Compartilhe essa publicação:

Introdução a
Bolsa de Valores

Partindo do zero até a compra da sua primeira ação

Assista à primeira aula gratuita

Outras Publicações

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação e a nossa plataforma. Ao utilizar os nossos serviços, você concorda com tais condições. Para mais informações, visite nossos Termos de Uso e Serviços.