O que vem além da ITSA4 e WEGE3?

ITSA4 e WEGE3: ter elas é ótimo, mas ter só elas, não.
Eduardo Voglino

Eduardo Voglino

Sócio do GuiaInvest, especialista em ações e seguidor da filosofia de Value Investing.
itsa4 e wege3

Olá, investidor!

Para começar gostaria de avisar que é inadmissível não incluir ITSA4 e WEGE3 em uma carteira de ações que tenha como objetivo investir nas melhores empresas da bolsa.

Não é atoa que as duas estão entre as três primeiras do canal Ações Para Vida.

Agora vai um recado principalmente para quem está começando…

Saiba que uma carteira de investimentos vai além de apenas investir em boas ações.

Sou enfático em sugerir que a sua parcela em ações você não ultrapasse 30 por cento do total do seu portfólio.

O motivo é muito simples e está diretamente ligado ao que está acontecendo em 2020.

Imagine que em fevereiro deste ano você tivesse 100 mil reais e que tivesse investido em ações.

No mês seguinte, você estaria com um saldo dos investimentos em cerca de 53 mil reais se o seu desempenho estivesse na média do mercado.

Mesmo que você saiba que o investimento em ações seja para o longo prazo, o desconforto de uma queda dessas é inevitável.

Nesse momento surge o medo de “perder” mais e consequentemente a chance de tomar decisões erradas.

Por outro lado, se você tivesse o equivalente a 30 por cento do seu portfólio em ações, em março você estaria com aproximadamente 86 mil reais.

Ruim, mas mais confortável, concorda?

A chance de você ser tomado por “pânico” e fazer algo errado, como vender as ações, é muito menor que aconteça.

Até agora tudo certo!

Mas e o restante?

O que você deve fazer com os outros 70 por cento do capital?

Tem uma frase que repito constantemente para quem me acompanha: o mais simples é o que melhor funciona no mercado.

Dito isso, segue o que eu considero saudável e principalmente simples de ser executado para o resto da carteira:

distribuicao de carteira 4x1

Eu chamo essa composição de 4×1, pois nela você:

  1. Cria riqueza através da compra de boas ações.
  2. Preservar sua reserva de emergência e estratégica em ativos de risco soberano.
  3. Protege o capital contra o risco inflacionário, quem passou pela década de 80 sabe do que estou falando.
  4. Durante uma crise existem ativos que se movimentam inversamente (na maioria das vezes), considerados como porto seguro durante grandes turbulências. Além disso reduzem a volatilidade geral da carteira.

Não fiz sugestão de nada sofisticado, são ativos e objetivos simples, porém, funcionais.

Vou te dar mais uma dica muito importante: a cada 6 meses faça rebalanceamento da carteira, isto é,mantenha as proporções de acordo com a proposta inicial, seja fazendo novos aportes, seja eventualmente vendendo ativos que subiram muito ou comprando ativos que caíram muito.

Essa atitude vai obrigar você a vender na alta e comprar na baixa, quase que no automático.

No fundo é o que todos dizem que é o certo, mas poucos conseguem fazer de fato.

Está na dúvida se realmente funciona?

Veja esse gráfico abaixo, a composição é exatamente a descrita na tabela:

carteira 4x1 vs ibov

A linha preta é a evolução da carteira e a vermelha é da nossa Bolsa de Valores (Ibovespa).

Veja que a carteira acompanha a alta do IBOV, por outro lado, a queda é muito menor.

Mesmo com apenas 30 por cento de ações, a carteira performou muito semelhante ao Ibovespa, isso só irá ocorrer se as ações selecionadas, realmente forem de empresas eficientes e de qualidade.

Na queda as empresas boas irão sofrer menos, além disso a proteção da carteira irá gerar uma grande eficiência para desacelerar a queda.

A estratégia 4 x 1 faz você ganhar dinheiro e simultaneamente protege seu patrimônio.

Mas o melhor de tudo é que além de eficiente, ela é muito simples de ser colocada em prática.

Forte abraço!

Eduardo Voglino é analista de ações credenciado na APIMEC (CNPI 2202), atua no mercado financeiro desde 2006 e já assessorou diretamente milhares de pessoas quando teve seu próprio escritório vinculado à XP. É um entusiasta em buscar valor e assimetrias no mercado de ações. Escreve para o TheCap na coluna Fórmula Buffett.

Compartilhe essa publicação:

Introdução a
Bolsa de Valores

Partindo do zero até a compra da sua primeira ação

Assista à primeira aula gratuita