O Ouro pode te salvar

André Fogaça

André Fogaça

Co-fundador do GuiaInvest, pós-graduado em Economia e Consultor de Investimentos CVM

Caro leitor,

Vamos falar de proteção?

Seu portfólio de investimentos está preparado caso o mundo entre recessão e a tão falada crise mundial se concretize? A economia brasileira está indo muito bem por enquanto. Mas não somos uma ilha isolada do resto do mundo. Se o tempo fecha lá fora, aqui dentro a gente sofre também.

Isso deixa todo investidor numa encruzilhada.

O Brasil está com toda cara de que vai decolar, e ninguém que ficar de fora.

Por outro lado, existe o risco de ir tudo por água abaixo se o tempo fechar na economia mundial.

Isso é exatamente o que trouxe no meu novo estudo sobre uma possível crise mundial e 6 indícios para reforçar o meu argumento. Sugiro que leia para entender os motivos de tantas pessoas falarem sobre isso nos últimos meses.

Mas e agora? Vai fazer o quê?

Um investidor que sabe o que faz não sofre tanto com essa questão. Ele com certeza tem alguma proteção na carteira, na medida em que se expõe a ativos de risco.

Essas proteções são costumeiramente uma parte da carteira dele investidos em Dólar e Ouro.

Moedas fortes e ouro são o porto seguro de todo investidor. Bancos centrais ao redor do mundo e grandes investidores guardam suas reservas de valor nestes ativos.

Mesmo que sejam ativos que não geram riqueza, é para onde o dinheiro vai quando precisa de um porto seguro. Fica lá até a tempestade passar. Depois volta para o jogo.

É por isso que quando a bolsa cai, o dólar tende a subir. E quando o tempo fecha de vez, é o ouro que sobe.

A forma do investidor ter este “seguro” é extremamente simples: via fundos de investimentos.

Nas melhores plataformas de investimentos (corretoras) você encontra fundos cambiais atrelados ao Dólar, Euro e outras moedas fortes, bem como Ouro.

Os fundos cambiais buscam apenas replicar o comportamento de uma moeda.

Já os de Ouro são classificados como multimercados e tem variações interessantes.

  • Ouro em Dólares: o mais comum, onde a variação do Ouro embute a cambial pois seu valor é referenciado no valor do metal na bolsa de Nova Iorque.
  • Ouro em Reais: a variação cambial é anulada com operações de hedge no fundo. Você fica unicamente com a variação do metal.
  • Ouro mais CDI: via derivativos, o fundo consegue entregar a variação do Ouro (só o metal, sem interferência cambial) acrescido do CDI.

Se você se interessou por este tipo de proteção de carteira, estude os fundos cambiais e de ouro.

A parcela da carteira que deve estar em ativos de proteção é algo entre 5 a 10 por cento.

Acredite, você dormirá mais tranquilo assim.

Recomendo a leitura do estudo que produzi com o GuiaInvest sobre a possível crise mundial. Falo sobre Ouro como ele pode te ajudar na blindagem de riscos nos seus investimentos e como diversificar a sua carteira de forma inteligente para qualquer tipo de investidor.

Abraço!

Marcelo Fayh

Compartilhe essa publicação:

Introdução a
Bolsa de Valores

Partindo do zero até a compra da sua primeira ação

Assista à primeira aula gratuita

Outras Publicações

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação e a nossa plataforma. Ao utilizar os nossos serviços, você concorda com tais condições. Para mais informações, visite nossos Termos de Uso e Serviços.