Qual a rentabilidade das ações?

Grande parte da população não conhece a dinâmica da Bolsa de Valores e quanto rende as ações. Mas este é o mercado com as maiores chances de trazer bons retornos para as carteiras em 2019. Dados históricos confirmam isso.
Equipe Guiainvest

Equipe Guiainvest

[rock-convert-pdf id=”9692″]

A rentabilidade das ações é variável e depende diversos fatores. Há diferentes formas de ganhar dinheiro com ações que vão muito além da diferença entre o preço na compra e na venda. Temos ainda os dividendos, juros sobre capital próprio, bonificação, entre outros.

Saber quanto rende as ações e aprender a calcular a rentabilidade dos investimentos é fundamental ter o controle do seu patrimônio.

O Ibovespa é o principal índice da Bolsa de Valores brasileira e ajuda bastante na hora acompanhar a rentabilidade média das ações.

Para muitos brasileiros a Bolsa ainda é vista como algo muito difícil e fora da sua realidade. Isso acontece porque muitos ainda acreditam nos mitos sobre investimentos e somente 1% da população investe em ações. Temos muito o que evoluir na parte da Educação Financeira.

Se os brasileiros soubessem da rentabilidade das ações e as possibilidades de ganhos que são proporcionadas, com certeza o número de investidores seria muito maior.

Investir no mercado de capitais pode ser muito vantajoso e o cenário em 2019 promete ser o melhor momento para investir em ações.

Rentabilidade das ações nos últimos anos

O desempenho da bolsa brasileira em 2018 foi o melhor entre os principais índices de ações do mundo.

Com o terceiro ano consecutivo de alta, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, encerrou 2018 com valorização de 15,03%.

O índice se recuperou depois de seis anos de péssimos resultados, registrando ganhos de 38,9% em 2016 e 26,86% ao longo de 2017.

No de 2018, mesmo diante de um cenário interno apreensivo com as eleições e com o cenário externo turbulento, o Ibovespa entregou um rendimento de 15,03% acumulado no período. Sendo que metade dos papéis que fazem parte dessa carteira teórica encerram com valorização superior a isso.

O ano de 2018 foi marcado por muita volatilidade na rentabilidade das ações. Em janeiro de 2018 a Bolsa subiu 10%, depois teve uma queda de quase 20%, mas fechou o ano em alta e se consolidou como o investimento mais rentável do ano.

As perspectivas para o desempenho da Bolsa em 2019 continuam favoráveis.

Os analistas estão otimistas com a expectativa de retomada do crescimento econômico, consolidação das reformas estruturais, privatizações e a manutenção dos juros baixos. Isso cria um ambiente favorável para novos investimentos e altos retornos.

Média histórica da Bolsa de Valores

O principal indicador do mercado acionário brasileiro, o índice Ibovespa, foi criado em 1968. Durante seus 51 anos de história, ele demonstra um pouco da história do mercado e da economia brasileira.

Ao analisar os dados ajustados pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), podemos verificar 4 grandes ciclos de valorização e rentabilidade das ações. Bem como o pico do dia 20 de maio de 2008, quando o Ibovespa alcançou 124.269 pontos.

O 1º grande ciclo

O primeiro ciclo da bolsa brasileira aconteceu no período de maio de 1965 a junho de 1971, período que ficou conhecido como o Milagre Econômico Brasileiro.

Nessa época o país crescia fortemente atingindo PIB na casa dos 2 dígitos. Em 6 anos bolsa saiu de aproximadamente 45 pontos e chegou a 1364 pontos, alta de 2.931%.

Porém, em 1971 o mercado acionário sofreu uma queda, na qual só viria a se recuperar décadas depois.

O 2º grande ciclo

O segundo ciclo da bolsa aconteceu de agosto de 1983 e foi até abril de 1986. Durante esses 3 anos, a rentabilidade foi de 1.573%, saindo de 246 pontos para 4.108 pontos.

O 3º grande ciclo

O terceiro grande ciclo aconteceu de janeiro de 1991 a julho de 1997. E teve duração de 6 anos com alta de 3.415%.

Esse foi o ciclo mais intenso até hoje e foi impulsionado pela abertura econômica e as perspectivas sobre o plano real.

Nesse período, a Bolsa saiu de aproximadamente 370 pontos e chegou a 13.000 pontos.

O 4º grande ciclo

O quarto ciclo da bolsa teve duração de 5 anos, de outubro de 2002 a maio de 2008.

Nesse período a bolsa saiu de 2.081 pontos e foi até 44.760 pontos em dólares. Uma alta de 2.051%.

 

Depois disso, teve o pico de euforia em 2008 seguido de seis anos de perdas (de 2010 até 2015) . Seguida pela retomada nos últimos 3 anos registrando uma valorização real (acima da inflação).

Estamos em um momento de valorização da Bolsa Brasileira, com possibilidade do Ibovespa atingir os 500 mil pontos. Será esse o 5º grande ciclo?

Como você pode aproveitar esse momento? Escolhendo as ações que pagam os dividendos mais “gordos” do mercado.

Assista nossa Masterclass e conheça os segredos por trás do GI Stock Guide, e descubra como é possível receber R$ 2.154 por mês de dividendos.

Outras Publicações

Leia Mais

Ebook - Bolsa de Valores para Leigos

Bolsa de Valores Para Leigos

André Fogaça

Nesse e-book você vai dar os seus primeiros passos no mundo dos investimentos e ficar por dentro de alguns detalhes importantes do mercado de ações. Você se sentirá seguro de conversar sobre investimento com qualquer pessoa depois de ler esse livro. Arrisco dizer ainda que você vai ficar louco para começar a investir. Uma boa leitura!

Sem tempo para ler? Assista nossas Palestras Online

Abrir conversa
1
Precisa de Ajuda?
Olá,
Podemos te ajudar?
Powered by