IVVB11 e outras oportunidades

oportunidades na bolsa

Olá, como você vai?

Protocolos de tratamento.

Vacinas.

Anticorpos.

Começam a ser mais frequentes as notícias de uma eventual quebra de paradigma que pode acelerar o fim da quarentena.

Se vai ser logo ou não, não sabemos.

Se vai funcionar ou não, também não sabemos.

Mantenhamos nossos pés no chão, esperando pelo melhor, preparados para o pior.

Opiniões são apenas opiniões e não mudam a verdade.

Vamos então trabalhar com cenários… E se o Brasil ficar em último na fila para uma eventual vacina?

Todo mercado lá fora em festa e nós aqui amargurando mais alguns meses.

O dólar subiria mais? O S&P 500 voltaria às máximas?

O IVVB11 acompanharia positivamente esse movimento.

Mas insisto: será que vale a pena?

Teria o dólar já subido demais ante o real?  Não poderemos nos surpreender se o dólar voltar aos 4, nem se subir para 7.

Para onde vai a bolsa brasileira até o final do ano?

Não sabemos.

De toda forma, poderíamos destinar, que seja, uma fração de 10 por cento do nosso portfólio ao mercado internacional.

Um simples ETF de IVVB11 até pode quebrar o galho, tal qual o BOVA11 quebra o galho também para quem quer se expor à bolsa brasileira.

Mas as vezes é interessante procurar por qualidade lá fora também, assim como procuramos aqui.

Tá todo mundo querendo achar uma desculpa pra investir nas empresas americanas…

E o Brasil, como anda?

Enquanto isso, segue a temporada de balanços do primeiro trimestre de 2020 nas empresas listadas na B3.

Como tivemos um janeiro excelente, um fevereiro esquisito e um março horrível, os resultados ainda não refletem a realidade dos efeitos da pandemia.

Não adianta medir a temperatura da barriga de alguém que está com a cara no forno e os pés no freezer.

Os bancos já fizeram questão de provisionar uma tragédia nos seus balanços, antecipando o pior.

Mas já se sabe que nem todas as empresas sofrem igual.

Já se sabe que nem todas as empresas sofrem, Suzano e Klabin que o digam.

Deduz-se disso que se nem todas empresas sofrem igual, mas todas tiveram quedas fortes da cotação, há empresas baratas dando sopa.

Claro, é necessário cuidado… uma Gol e uma Azul perderam 70 por cento de valor de mercado, mas será que ficaram baratas?

Pergunta-se o mesmo sobre CVC: ainda que o turismo não irá acabar, ficou barato comprar a líder do setor de turismo?

Nada é óbvio nesse mundo.

Diversificar é uma defesa para quem não sabe o que está fazendo.

Ora, se nem Buffett sabe o que está fazendo, afinal, carrega mais de 40 empresas no seu portfólio, vamos diversificar por aqui também.

Mas enfim, fique de olho em alguns bancos grandes, algumas elétricas e empresas de construção.

É só com crise sanitária, econômica e política juntas que se acha os preços atuais.

Não à toa, a atualização do Score-Line System trouxe 23 nomes de empresas que ficaram ridículas de baratas e estão aí dando sopa.

Cuidado com a exposição, mas cuidado para não se expor a nada também.

Seguimos em frente.

Tudo passa.

Martin faz parte da equipe do GuiaInvest desde início de 2017. É Mestre e Bacharel em economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escreve para a TheCap na coluna Contra a Corrente.