Isso é o quanto você precisa ter para estar entre os 1% mais ricos

O que significa fazer parte do 1% mais ricos?

De acordo com o relatório “Bem Público ou Riqueza Privada?” divulgado pela Oxfam, o patrimônio combinado das 26 pessoas mais ricas do mundo atingiu US$ 1,4 trilhão em 2018.

Valor que corresponde a renda da metade da população mais pobre do mundo, ou seja 3,8 bilhões de pessoas.

A desigualdade de renda atrai a atenção de economistas, políticos e jornalistas. O relatório da Oxfam tem como objetivo mostrar essa discrepância e combater a pobreza.

Nas últimas décadas, a desigualdade cresceu em quase todas as regiões do mundo. No Brasil, o 1% mais rico da população, detém 27,8% da renda nacional, contra 21,7% na Índia e 20,2% nos EUA.

Mas talvez nenhum nível de renda tem chamado mais atenção do que o “1%” dos mais ricos entre os ricos, os bilionários.

Enquanto que a fortuna dos bilionários aumentou 12% no ano passado, a metade mais pobre da população está vendo seu patrimônio líquido diminuir.

No mundo, 2.208 pessoas são consideradas bilionárias. Ou seja, possuem mais de US$ 1 bilhão. Esse número quase dobrou desde a crise financeira global, há uma década.

Entre os homens mais ricos do mundo, a maioria são norte-americanos. Os nomes incluem: Jeff Bezos, da Amazon (US$112 bilhões), Bill Gates, da Microsoft (US$90 bilhões), Warren Buffett, da Berkshire Hatway (US$84 bilhões) e Mark Zuckerberg, do Facebook (US$71 bilhões).

Quanto o 1% dos mais ricos detêm

Uma vez que os padrões de renda variam muito em todo o mundo, o cálculo dos mais ricos varia de país para país.

Dessa forma, pode ser preciso combinar a renda dos 11 mais ricos da Índia, para igualar a um dos Emirados Árabes, país rico em petróleo, por exemplo.

Nos EUA, o patrimônio somado das 3 pessoas mais ricas equivale ao da metade mais pobre da população americana, cerca de 160 milhões.

Já no Brasil, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os ricos do país ganharam 36,1 vezes mais do que metade dos mais pobres em 2017.

Este grupo dos 1% mais ricos da população brasileira, teve um rendimento médio mensal de R$ 27.213, em 2017. Enquanto que a renda média mensal dos mais pobres foi de R$ 754. A região Sudeste, é a que detém a maior concentração de renda.

Segundo o relatório da Oxfam, o Brasil tem 154 mil milionários em 2018, contra 164 mil que estavam no relatório divulgado em 2017. Porém, apenas 0,1% dos brasileiros tem mais de US$ 1 milhão de riqueza.

O quanto eles gastam

O custo das comodidades que esse 1% pode se dar ao luxo de ter também é relativo. O mesmo que se paga por uma mansão em Los Angeles pode proporcionar apenas um charmoso apartamento em Mônaco.

Casas por valor

Cidade US$ milhões
Mônaco 26.4
Hong Kong 6.8
Singapura 5.3
Sidney 4.2
Londres 4.1
Los Angeles 3.8
Nova Iorque 3.8
Dubai 3.1
Paris 2.9
Berlim 2.5
Beijin 1.9
São Paulo 0.7

Por outro lado, os custos com creches nessas cidades não são tão distantes.

Média anual em escola privada

Cidade US$ mil
Los Angeles 60.4
Nova Iorque 54
Singapura 49
Londres 42
Paris 34.5
Dubai 26
São Paulo 23.6

Quanto eles pagam de tributos

Uma das principais discussões do relatório da Oxfam é sobre a tributação.

Segundo a organização, os governos, ao não taxarem os muito ricos, contribuem para o aumento das desigualdades.

A Oxfam recomenda que as nações cobrem impostos em níveis mais justos. Segundo a organização, no Brasil, os 10% mais pobres da sociedade pagam mais impostos proporcionalmente do que os 10% mais ricos.

A retomada do crescimento econômico favoreceu somente o topo da pirâmide, uma vez que os recursos não foram redistribuídos.

O relatório propõe uma taxa extra de 0,5% sobre a renda de bilionários que fazem parte da fatia do 1% mais ricos do mundo. Conforme cálculos da entidade, os recursos arrecadados seriam suficientes para incluir 262 milhões de crianças de volta à escola. Bem como investimentos em saúde poderiam salvar a vida de mais de 3 milhões de pessoas.

Como fazer parte desse 1%?

Já imaginou fazer parte desse seleto grupo?

Alcançar a Liberdade Financeira é desejo de grande parte dos investidores. E você não precisa ter muito dinheiro para começar a investir!

Com um bom planejamento e disciplina, é possível obter bons retornos no longo prazo, para aproveitar a vida com mais conforto e sem grandes preocupações.

Comece agora a conquistar sua liberdade financeira.

Tendências de Investimento para 2019

Onde investir em 2019? Nos investimentos, assim como em qualquer área, não existem fórmulas mágicas, mas existem oportunidades que você pode aproveitar.

A dinâmica do mercado faz com que determinados nichos prosperem de acordo com as necessidades.

Analisando o cenário atual e as projeções para o futuro podemos encontrar oportunidades de investimentos.

Um setor que promete crescimento é o de infraestrutura. O novo governo já demonstrou interesse nas privatizações.  Com isso, novas concessões irão surgir.

Setores como mobilidade urbana, comunicações e energia podem ser tendência de onde investir seu dinheiro.

Energias renováveis

Com a retomada da economia são esperadas mudanças no setor de energia. São necessárias mudanças na estrutura atual da produção, transmissão e consumo de energia elétrica no Brasil.

A sociedade está mais consciente da necessidade de redução de emissão de gases nocivos ao meio ambiente e clama por fontes de energia limpa.

Há um otimismo com as possibilidades de crescimento no setor. Segundo o atual Ministro de Minas e Energia, Bento Costa Lima, até 2027 serão investidos R$ 1,8 trilhão de reais no setor energético brasileiro. Em especial, na expansão dos recursos renováveis.

Setor de TI

O segmento de TI (Tecnologia da Informação) teve um crescimento acelerado nos últimos anos. A tendência é que continue assim pelos próximos anos.

Segundo projeções da consultoria International Data Corporation (IDC), o mercado de TI no Brasil deve crescer 10,5% neste ano, em comparação com 2018.

O crescimento no setor de TI é explicado pela transformação digital. As empresas veem nos produtos e serviços oferecidos por empresas de tecnologia uma alternativa para melhorar a eficiência na gestão, reduzir custos e melhorar o atendimento a consumidores.

Os principais investimentos nesse setor são em itens como cloud, internet das coisas (IoT) e inteligência artificial.

A estimativa é de que o segmento de internet das coisas movimente investimentos de US$ 745 bilhões em todo o mundo em 2019.

Para o setor de inteligência artificial, a projeção do IDC é que os investimentos cheguem a US$ 52 bilhões.

Nutrição personalizada

Sustentabilidade, conveniência e busca por novas experiências, é o que vem moldando o setor de alimentos.

Os consumidores estão preocupados cada vez mais com produtos saudáveis e serviços personalizados que tragam um bem-estar físico e mental e que se adequam às suas necessidades.

A nutrição personalizada abre oportunidades de onde investir em 2019. Já existem start-ups que personalizam a dieta com base nas suas necessidades nutricionais e genéticas.

A dieta por DNA é uma tendência que explora ferramentas de inteligência artificial (IA) e big data. assim, cria cardápios mais saudáveis ​​e personalizadas para os consumidores.

Micromobilidade

A micromobilidade é a última tendência global e foca em soluções de mobilidade urbana, principalmente para grandes cidades.

Seu conceito inclui bicicletas e patinetes compartilhados para que se possa percorrer pequenas distâncias com rapidez e segurança. Com isso, ainda se desafoga o trânsito nas regiões mais movimentadas.

Esses meios de locomoção alternativos são recentes no Brasil, mas a expectativa é que cresçam com força.

Serviços de compartilhamento de patinetes e bikes já estão presentes em 10 capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Goiânia, Recife, Belo Horizonte, Vitória, Curitiba, Porto Alegre e Florianópolis.

São Paulo, por exemplo, é um mercado promissor. Segundo o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), 53% dos deslocamentos na cidade podem ser realizados com patinetes e bicicletas.

O novo sistema, chamado “dockless”, funciona por meio de aplicativos e caiu no gosto dos usuários. Por esse sistema, o usuário não precisa de locais específicos para alugar ou devolver os patinetes.

Basta que o usuário baixe o aplicativo, se cadastre, e encontre o veículo mais próximo, desbloqueando-o também por meio do app.

No Brasil, o de micromobilidade é liderado pela empresa Grow, formada pela fusão das empresas Yellow, que oferece bicicletas amarelas, com a Grin, especializada em patinetes elétricos. Que combinada recebeu um investimento de US$150 milhões para acelerar sua expansão.

A startup Movo, da espanhola Cabify, já que planeja anunciou que planeja trazer o serviço para o Brasil ainda esse ano, após ter recebido um investimento de US$ 22,5 milhões para a expansão do seu serviço de patinetes na América Latina.

A Uber também já afirmou que passará a atuar nesse segmento no Brasil em breve com sua startup Jump.

 

Qual o melhor investimento?

Essas são algumas tendências de onde investir em 2019. Antes de investir em algo que está na “moda”, é importante você a pena você aprenda Como Investir do Zero.

Bons investimentos!

É Possível Ficar Rico com Pouco Dinheiro?

Você pode ficar rico com pouco dinheiro. Mesmo que você não faça parte da pequena e privilegiada parcela da população que é milionária, é possível construir um patrimônio com o seu salário.

Existem muitos casos de pessoas que conquistaram suas riquezas do zero!

Porém, ficar rico com pouco dinheiro não acontece do dia para a noite. Sempre desconfie de promessas de ganhos altos em pouquíssimo tempo.

Construir um patrimônio investindo de forma segura e honesta é uma tarefa de longo prazo que exige esforço, dedicação e estudo.

Pode até não ser um caminho tão fácil, mas justamente por isso, é o mais compensador.

Fique com a gente para saber como é possível enriquecer com pouco dinheiro se você manter o foco.

Pense como os ricos

Um passo importante para ficar rico com pouco dinheiro é começar a pensar igual os ricos. Aí sim, você passará a agir como eles em busca da sua Liberdade Financeira.

Lembre-se que sua independência financeira é mais importante do que a ostentação. Melhor do que parecer rico, é ser, de fato, rico.

Muitas pessoas querem viver de aparência. E para isso, compram carros que não podem pagar, roupas, frequentam lugares luxuosos.

Use esse seu desejo de consumir para inspirá-lo a investir.

Você só vai enriquecer com pouco dinheiro quando cultivar hábitos que te ajudem a poupar dinheiro.

Ficar rico com pouco dinheiro: parte do sucesso está no ato de agir

A grande maioria das pessoas almejam o sucesso financeiro, porém, poucas se propõe a mudar seus hábitos financeiros.

Para ficar rico com pouco dinheiro é preciso economizar e investir.

Você pode acumular patrimônio investindo R$ 100 ou até menos todos os meses!

Sim, você pode investir com pouco dinheiro.

Invista regularmente com o horizonte no longo prazo

Para alcançar a independência financeira com investimentos, o que conta é a frequência de aplicações e o tempo que o dinheiro ficará investido.

Assim, quanto mais dinheiro, com mais frequência, maior também será o retorno.

Porém, é possível enriquecer com pouco dinheiro, uma vez que com a partir de R$ 30 você já pode investir em títulos do Tesouro Direto.

Investir não é só para ricos, torna você rico.

O importante é que você invista regularmente, o quanto puder, e aumente o fluxo de aplicações conforme organizar suas finanças.

Mesmo aplicando R$ 50, você já estará um passo à frente de milhares de brasileiros que não conseguem planejar suas finanças.

Aprenda também a buscar os melhores investimentos para cada caso, para investir com segurança e alcançar sua liberdade financeira.

Compre ativos

Para conquistar a Liberdade Financeira você precisa acumular patrimônio.

O jeito certo de fazer isso é comprando ativos, ou seja, tudo que gera dinheiro.

Como, por exemplo, um imóvel que você aluga para terceiros, ações que pagam dividendos, títulos públicos que pagam juros regularmente, entre outros.

Mas o que acontece normalmente é que as pessoas, ao invés de adquirirem ativos, adquirem passivos. Isso é, coisas que tiram dinheiro do seu bolso.

O seu carro, por exemplo, é um passivo. Você tem gastos com gasolina, o IPVA, o seguro, a manutenção.

Sua casa também. Você precisa pagar a conta de luz, de água, IPTU.

Você deve sim ter sua casa e carro, mas esses foram exemplos para você entender o poder dos ativos de gerarem renda.

E com a renda dos ativos, você pode comprar os passivos.

O ativo mais poderoso para a construção de riqueza são as ações.

Mas, para ficar rico e alcançar sua Liberdade Financeira, não basta investir em qualquer ação.

Existem maneiras seguras de investir e para você criar um patrimônio sem deixar de aproveitar o agora, mesmo sem ser um especialista em finanças, ou ter muito dinheiro.

 

Veja no nosso webinario Os Três Passos para a Liberdade Financeira como construir um caminho simples para você realizar seus sonhos investindo apenas R$ 100 por mês.

Como alcançar a independência financeira com investimentos

A independência financeira não é só para ricos. Um futuro mais confortável e sem preocupações com a falta de dinheiro depende da mudança de alguns hábitos, de um plano com foco no longo prazo e na diversificação de investimentos.

Conquistar a aposentadoria antecipada, ter a liberdade para passar mais tempo com as pessoas que você mais gosta, viajar frequentemente, ter uma vida mais confortável. Estes são alguns dos benefícios da Liberdade Financeira.

Entretanto, para se chegar lá é preciso foco e persistência. Alguns hábitos que irão ajudar você a conquistar sua Independência Financeira.

Organize seu orçamento

Você precisa ter consciência sua própria realidade. Parece óbvio, mas muita gente não sabe exatamente para onde vai todo o seu dinheiro.

Portanto, comece com a organização financeira. Saiba exatamente o quanto ganha por mês e o quais são suas despesas. Quanto do seu dinheiro é destinado para despesas fixas? E quanto com as despesas variáveis?

Feito isso, sobra algum dinheiro?

Se a resposta for não, reavalie seus gastos. Onde pode economizar? Pense em formas de obter uma renda extra, pois para alcançar a Independência Financeira você deverá poupar.

Caso a resposta for sim, o que você faz com o dinheiro que sobra? Está investindo com inteligência?

Defina seus objetivos

O segundo passo para alcançar a Independência Financeira é estabelecer objetivos.

Ter objetivos concretos ajudam na organização e na execução dos seus planos.

O que você pretende? Ter uma aposentadoria tranquila, viajar, trocar de carro, pagar a faculdade dos filhos, viver de renda?

Quanto você precisa e em quanto tempo deseja alcançar esse objetivo? Definir um período para atingir a liberdade financeira o guiará na sua organização financeira.

Quanto dinheiro você precisa para viver de renda? Com base no seu padrão de vida atual, faça o cálculo de quanto você pode guardar por mês e qual o montante necessário para seu objetivo.

Com o objetivo definido, é hora de seguir o plano e formar boas reservas. O ideal é começar o quanto antes, assim, com os investimentos certos, mais tempo seu dinheiro trabalha por você.

Aproveite para conversar com sua família sobre seus os objetivos e os incentive a participar do processo.

Poupe para investir

Não existe independência financeira sem poupar. Depois de definidos seus objetivos, você precisa estipular um percentual da sua renda para investir.

Não importa quanto você ganha. Seja R$ 1.000, R$ 10.000 ou R$ 1.000.000, administre seu dinheiro de modo que seja possível direcionar uma parte mensalmente para sua Liberdade Financeira.

Comece destinando cerca de 10 a 15% do seu salário em investimentos de longo prazo, que gerem retornos melhores que a caderneta de poupança.

Os 3 potes da liberdade financeira

Um método eficiente para você administrar seu dinheiro é com a técnica dos 3 potes da liberdade financeira.

Desse modo, separe seu dinheiro em 3 potes: o pote da emergência, da recompensa e da Liberdade Financeira.

No pote da emergência, você destina parte do seu dinheiro para cobrir gastos imprevistos. Como, por exemplo: demissão, emergência médica, multas, reformas e consertos, entre outros.

Coloque o quanto achar necessário nesse pote. Consideramos uma boa reserva ter 3 meses de salário investidos em renda fixa, como o tesouro direto, por exemplo.

O pote da recompensa é uma reserva para a sua diversão, como viagem, roupas, enfim, fazer o que quiser. Destine cerca de 5 a 10% do seu salário mensal para esse pote.

E por fim, temos o pote da Liberdade Financeira, que é o dinheiro investido para trabalhar para você. Destine cerca de 10% ao mês para esses investimentos.

Conheça o seu perfil de investidor

Você sabe qual o seu perfil de investidor? Em geral se considera os perfis: conservador, moderado e arrojado. Cada um deles tem objetivos e níveis de riscos diferentes.

Uma vez que cada um de nós lida com o dinheiro de uma forma única, conhecer seu perfil pode fazer toda a diferença para alcançar a independência financeira com investimentos.

Respeite seu perfil. O que serve para seu vizinho, não necessariamente serve para você, cada investidor precisa passar por um momento de autoconhecimento.

Estude o mercado

Para alcançar a independência financeira com investimentos você não precisa ser um especialista em finanças, mas deve conhecer o mercado e suas opções.

O mercado de investimentos possui uma variedade de opções para diferentes perfis e bolsos. E seu dinheiro pode render mais ou menos em cada uma delas.

Por isso, estude o mercado, busque informações. Aqui no blog do GuiaInvest você tem acesso a diversos conteúdos que te ajudam a administrar e investir seu dinheiro de maneira inteligente.

Invista seu dinheiro de forma inteligente

Se você quer alcançar a independência financeira, investimentos inteligentes são vitais para maximizar a sua renda e ver seu dinheiro multiplicar pelo poder dos juros compostos.

Para quem está começando no mundo dos investimentos, é conveniente investir seu dinheiro em produtos de renda fixa, tais como Tesouro Direto, CDBs, LCI e LCA.

Conforme for se habituando, ganhando confiança e conhecimento de mercado, você pode começar a diversificar sua carteira de investimentos para opções com rendimentos maiores, as ações.

O mercado de renda variável, exige maior dedicação e conhecimento por parte do investidor, porém, o rendimento no longo prazo da Bolsa de Valores se sobrepõe a qualquer outro ativo.

Diversifique seus investimentos

Ter uma carteira de investimentos diversificada é a melhor maneira de obter maior segurança e construir rentabilidades e prazos diferentes.

Existem ótimos investimentos para se mesclar uma carteira com investimentos de renda fixa e variável. Reinvista os juros e, assim, alcance sua independência financeira no longo prazo.

Um dos melhores são ações de boas empresas. Elas podem multiplicar seu dinheiro em alguns anos. Este é o melhor momento para investir na bolsa de valores brasileira.

Existem muitas razões para você acreditar que irá subir muito e multiplicar seu dinheiro. Ela está no início do seu quinto super-ciclo de alta.  Se você quer saber quais são esses motivos e como a bolsa brasileira irá te transformar em milionário, assista a nossa palestra gratuita sobre os 500 mil pontos do índice Ibovespa.

 

 

Quais os melhores investimentos que existem?

Dentre tantas opções, uma das maiores dificuldades do pequeno investidor é encontrar os melhores investimentos para seu perfil e objetivo financeiro.

Existem ótimas opções que oferecem rentabilidade bem maiores do que a poupança e ainda são fáceis de operar.

Então, antes de investir, você precisa conhecer melhor alguma delas. Dessa forma, conseguirá investir com mais sabedoria e, consequentemente, as chances de alcançar seus objetivos será maior.

Para melhorar cada vez mais sua atuação nos investimentos, a dica é montar uma carteira diversificada que esteja de acordo com o que deseja.

Classificamos os investimentos em 2 tipos: os de renda fixa e de renda variável.

Qual desses dois são os melhores investimentos? Depende do seu perfil de investidor e objetivos.

Cada um deles possui suas particularidades. Se você tiver o perfil mais agressivo, os investimentos de renda variável poderão compor boa parte do seu portfólio. Caso seja mais conservador, uma porcentagem maior de investimentos de renda fixa são indicados.

Porém, afim de diversificar a carteira, é aconselhável mesclar as duas opções.

Confira um resumo dos melhores investimentos para te ajudar a escolher as opções mais viáveis para você.

Ações

Ação é definida como o menor pedaço de uma empresa que pode ser adquirido. Negociadas na Bolsa de Valores por intermédio de uma corretora, as ações são o principal ativo de renda variável.

Começar a investir em ações não é difícil. Aqui no blog do GuiaInvest ajudamos você a iniciar no mercado das ações e alcançar a sonhada Liberdade Financeira.

Ao comprar ações de uma determinada empresa, você passa a ser sócio dela e pode receber parte dos lucros por meio dos dividendos.

Além desses pagamentos periódicos, ao investir em ações você também pode ganhar dinheiro por meio da venda de ações que valorizam.

A principal vantagem de investir em ações é o alto potencial de retorno. É sem dúvida o melhor investimento para fazer seu dinheiro multiplicar.

A desvantagem fica por conta dos riscos, existentes em qualquer investimento de renda variável. Porém, estes podem ser facilmente controlados.

Fundos de Investimento

Os fundos de investimento são uma maneira de começar a investir na bolsa de valores, principalmente para aqueles que ainda não se sentem preparados para assumir sozinho as rédeas de todas as suas movimentações no mercado.

Nos fundos de investimento, você compra uma cota de uma carteira de ações administrada por um gestor especializado. Dessa forma, o investidor não precisa se preocupar com as oscilações do mercado nem onde irá alocar seus recursos.

Há diversos tipos de Fundo de Ações operando no país. Em geral, eles podem ser classificados de acordo com o tipo de gestão e estratégia.

A divisão dos lucros é realizada de maneira proporcional a quantidade de cotas adquiridas. O investidor pode, a qualquer momento, resgatá-las, as quais serão repassadas juntamente com os rendimentos recebidos no período descontando os tributos/taxas.

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um título público emitido pelo Governo Federal. Na prática, ao comprar um título público o investidor emprestar dinheiro para o Governo. Em troca, receberá na data do vencimento o seu dinheiro de volta, acrescido dos juros.

O Tesouro Direto é um dos melhores investimentos de renda fixa devido a sua alta liquidez, rendimento e segurança.

O valor mínimo para investir é mais baixo do que outros ativos, sendo possível encontrar títulos a partir de R$ 30,00.

Dentre as opções de títulos públicos, temos o prefixado, Tesouro Selic e Tesouro IPCA.

LCI e LCA

LCI e LCA são investimentos de renda fixa emitido pelos bancos, através dos quais as instituições captam recursos para financiar atividades do setor imobiliário e do agronegócio, respectivamente. Ou seja, você empresta dinheiro para o banco e, em troca, recebe juros.

Essas duas modalidades são melhores investimentos do que a poupança. Além disso possuem isenção no Imposto de Renda para pessoas físicas e são protegidas pelo Fundo Garantidor de Crédito para valores de até R$250 mil reais por CPF.

CDB

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um título de renda fixa emitido pelos bancos com a intenção de financiar suas atividades

Dentre as alternativas, o CDB se torna uma opção alternativa à poupança, com maior rentabilidade e liquidez diária.

Existem, em geral, 3 tipos de CDB´s, o prefixado, pós-fixado e o atrelado à inflação. Este investimento também é protegido pelo Fundo Garantidor de Crédito no limite de 250 mil reais por CPF e por instituição financeira.

Debêntures

De forma semelhante do que acontece no Tesouro Direto ou CDBs, as debêntures também são título de dívida, mas dessa vez, quem emite os títulos são empresas.

Assim, ao comprar os títulos da empresa, o investidor empresta dinheiro à companhia em troca do recebimento do dinheiro acrescido de juros.

Existem dois tipos de debêntures: a simples e a conversível em ações. Dessa forma, comprador pode ficar com o título até que seja reembolsado, pode vendê-lo antes ou converter as debêntures em ações.

Apesar do rendimento maior do que a poupança, as debêntures possuem um risco maior do que os Títulos Públicos e CDB´s, por exemplo, uma vez que não são garantidas pelo FGC.

Como escolher os melhores investimentos?

Os melhores investimentos são aqueles que estejam alinhados ao seu perfil de investidor e objetivo.

Para isso, devemos avaliar qual a sua a tolerância e capacidade a correr riscos, bem como a liquidez você quer para seus investimentos.

É válido lembrar que ativos que possuem menor liquidez, geralmente possuem rendimentos maiores. Assim como os riscos costumam ser proporcionais aos ganhos.

Nosso conselho é diversificar as carteiras de investimento. Investir somente em um único ativo é extremamente arriscado.

Ao montar uma carteira bem diversificada com ações, fundos imobiliários e títulos de renda fixa por exemplo, você pode reduzir os riscos e aumentar o potencial de retorno.

 

Quanto dinheiro você precisa para viver de renda?

Viver de renda é o desejo de muitas pessoas. Imagine poder viver tranquilamente, ter tempo e dinheiro para fazer o que gosta, sem obrigações nem horários.

Você precisa garantir uma reserva segura para seu futuro afim de impedir qualquer imprevisto. Ou para se aposentar antecipadamente e garantir uma boa renda na aposentadoria, para não depender apenas de INSS.

Viver de renda significa garantir uma renda mensal com seus investimentos que cobre seus gastos. E é justamente através dos investimentos que você pode alcançar a Liberdade Financeira.

Só que guardar dinheiro para começar a investir nem sempre soa como uma tarefa fácil. Porém, com planejamento e disciplina, você chega lá.

Veja como calcular a quantidade de dinheiro que você precisa para viver de renda. Desse modo, você conseguirá estimar em quanto tempo você poderá se aposentar.

Qual seu custo de vida atual?

A primeira coisa que você precisa definir é qual seu custo de vida anual. Você sabe exatamente quanto ganha, quanto gasta e quanto poderia economizar?

Se você que viver de renda, primeiro precisa fazer um balanço financeiro levando em conta todos os ganhos, gastos e possíveis dívidas.

Essa é a hora de renegociar aquelas dívidas antigas e planejar sua Liberdade Financeira.

Qual a rentabilidade do seu patrimônio?

Para calcular quanto dinheiro você precisa para viver de renda, a segunda etapa é saber quanto do seu patrimônio está disponível para investir.

Por exemplo, se você tem R$ 100 mil livres para investir e aplique em um investimento que pegue uma rentabilidade de 7% ao ano, significa que você recebe R$ 7.000 em renda todo ano.

Caso seu custo de vida seja de R$ 40 mil ao ano, você precisará juntar cerca de R$ 600 mil para que a rentabilidade possa cobrir seus custos.

Com isso, você já consegue calcular quanto dinheiro você precisa para atingir a renda anual que você almeja. Basta adaptar os valores para a sua realidade. Pense também qual a margem de segurança que você deseja obter.

Quanto menor o seu patrimônio inicial, você precisará de investimentos com uma rentabilidade maior para se aposentar mais cedo.

Qual sua taxa de poupança?

A taxa de poupança é a sua capacidade de economizar. Ou seja, é quanto da sua renda você economiza.

O ciclo para viver de renda é: ganhar, poupar e investir. Sendo que, quanto mais você investir, mais rápido poderá viver de renda.

Assim, quanto maior for a sua taxa de poupança, mais você está disposto a viver com uma renda menor, e com isso, sobra mais dinheiro para investir e viver de renda mais rapidamente.

Qual a sua rentabilidade?

Quanto mais você conseguir poupar e rentabilizar seu dinheiro, melhor. Uma boa rentabilidade é consequência de ótimas escolhas de investimentos.

Existem diversas opções que podem trazer bons retornos. Por isso, é fundamental entender quais são os melhores investimentos.

Aumentar a rentabilidade dos seus investimentos faz seu patrimônio crescer mais rapidamente e, portanto, leva menos tempo para atingir a meta que deseja.

Se você dobrar sua rentabilidade, por exemplo, você diminui pela metade o tempo necessário para viver de renda.

Por isso, quando as pessoas aprendem sobre investimentos, preferem aqueles que tenham uma maior rentabilidade. Ou seja, quanto mais conhecimento você tiver, maiores as chances de multiplicar seu dinheiro.

Dessa forma, o tempo que você demora para atingir a Liberdade Financeira não depende necessariamente de quanto você ganha de salário nem de quanto gasta.

Se você poupar 30% do seu salário todo mês e deixar num investimento com juro real de 9% ao ano, você vai levar em média 17 anos para poder se aposentar, bem melhor que a previdência pública.

Dicas para calcular quanto dinheiro você precisa para viver de renda

Vamos a um exemplo de cálculo, para saber o quanto você precisa, é só adaptar para os seus valores.

Digamos que anualmente você ganha R$36.000,00 e seu custo anual é de R$24.000,00. Dessa forma, você poupa R$12.000,00 ao ano.

Esse dinheiro você investe em ações e tem uma rentabilidade anual média de 15% ao ano (R$1.800,00).

Agora divida seu custo anual pela sua renda anual com investimentos para saber quantas vezes você precisa multiplicar o seu patrimônio para conseguir viver de renda.

EX: 24.000 de custo anual / 1800 de renda anual com investimentos = 13,3 vezes o patrimônio é o que você precisa juntar.

Multiplique o resultado anterior pelo seu custo anual. EX:  13,3 x 24.000 = R$319.200 é o necessário para viver de renda com a mesma taxa de juros.

Sabendo a quantidade que você precisa juntar, você pode manejar sua poupança e seus investimentos para alcançar a Liberdade Financeira mais rapidamente.

Utilize uma calculadora de juros compostos para saber quanto tempo será necessário usando os seus critérios pessoais de taxa de poupança e rentabilidade.

Pelos dados dessa simulação seriam necessários 11 anos para conseguir viver de renda.

 

E aí, pronto para colocar o plano em prática e acumular dinheiro suficiente para viver de renda?

Conquiste a Liberdade Financeira e transforme R$ 1.000 em R$ 1.086.850,68 com as ações mais explosivas da Bolsa!

Conheça o Protocolo ALPHA-6, um método único e exclusivo que agora vai colocar em suas mãos o poder de multiplicar em até 1000x o capital investido.

Como Warren Buffett se tornou bilionário?

Se você se interessa por investimentos, certamente já ouviu falar de Warren Buffett.

Desde cedo, Buffett mostrou talento para negócios e investimentos inteligentes. Comprou suas primeiras ações aos 11 anos com um investimento de 100 dólares. Aos 14 já declarou imposto de renda.

Atualmente, é CEO e o maior acionista do conglomerado de empresas Berkshire Hathaway. Está sempre nos primeiros lugares da lista dos homens mais ricos do mundo, com uma fortuna avaliada em mais de US$ 82 bilhões.

Mas apesar de tanto dinheiro, Warren Buffett leva uma vida simples. Mora na mesma casa que comprou em 1957, usa transporte público, não gasta dinheiro com carros, celulares, festas. Mas por que ele faz isso? Porque ele não quer gastar tempo nem dinheiro administrando coisas que não são o seu foco.

Warren Buffett é considerado o investidor mais bem-sucedido de todos os tempos.

Sua estratégia de investimento é baseada em princípios simples, que podem ser utilizados por investidores de todos os níveis. Os investimentos inteligentes e focados no longo prazo, fizeram Buffett colher os benefícios dos juros compostos.

Mas como Warren Buffett se tornou bilionário? Veja os principais acontecimentos e curiosidades da vida do Oráculo de Omaha.

Acionista Precoce

Warren Buffett nasceu em 30 de agosto de 1930, em Omaha, Nebraska, em meio a Grande Depressão da América, fato que o fez respeitar o valor do dinheiro.

Filho de um corretor da bolsa de valores, despertou desde cedo a paixão pelos investimentos e pelos negócios. Enquanto a maioria das crianças passava as tardes brincando na rua, Buffett gostava de acompanhar seu pai no trabalho.

Aos 11 investiu pela primeira vez comprando três ações da companhia petrolífera Cities Service, hoje chamada de Citgo, por US$ 38 cada.

O jovem Buffet aprendeu ali uma importante lição financeira. Os papéis da companhia sofreram uma queda rápida de preços, para US$ 27 por ação. Buffett os segurou, mas vendeu assim que chegaram a US$ 40. O pequeno lucro poderia ser tremendo se ele tivesse esperado. Pouco tempo depois, o preço das ações da Cities aumentou para quase US$ 200.

Adolescência de negócios

Durante a adolescência, empreendeu em vários negócios incluindo venda de bala de goma, refrigerante, revenda de peças e lavagem de carros.

Aos 13 anos teve seu primeiro emprego como jornaleiro, onde percebeu que poderia maximizar seu ganho ao diversificar sua linha de produtos. Para isso, começou a vender assinaturas de revistas.

Com apenas 14 anos de idade, Buffett já declarava o imposto de renda. Aos 15 usou seus ganhos para comprar uma fazenda de 40 acres em Nebraska e destinou os lucros da fazenda para pagar seus estudos universitários.

Enquanto estudante do ensino médio, Buffett enxergou uma oportunidade e resolveu investir US$ 25 em uma máquina de pinball para colocá-la em uma barbearia.

Com a máquina na parte de trás do estabelecimento, os clientes poderiam jogar enquanto esperavam para ser atendidos. Dessa forma, ele dividiria o lucro com o dono da barbearia. Não demorou muito para que o jovem possuísse dezenas desses aparelhos espalhados por toda a cidade.

Graduação e vida adulta

Warren Buffett foi aceito na Columbia Business School, em Nova Iorque, onde foi aluno do famoso investidor Benjamin Graham.

Graham viu nele um grande potencial e em 1954, aos 24 anos, foi trabalhar como analista na Graham-Newman Corp.. Com um salário de 12 mil dólares ao ano, ganhava o equivalente a três vezes mais a média salarial de uma família americana da época.

Saindo da organização de Graham, Buffett decidiu voltar para sua cidade natal e iniciar seu próprio negócio, a Buffett Associates Ltd.

O negócio deu certo. No final da década de 50, havia aberto sete empresas parceiras. E em 1962, com 32 anos, tornou-se milionário.

Anos depois, Buffett decidiu encerrar a sociedade e liquidar os ativos. Ele e os sócios receberam quase 30% de lucro.

Berkshire Hathaway

No final dos anos 60, Buffett passou a comprar ações da organização têxtil Berkshire Hathaway quando estavam em baixa e foi aumentando a porcentagem adquirida até assumir o controle total da empresa em 1970.

A Berkshire se tornou o carro-chefe para todos os seus investimentos em negócios.

Buffett mudou o segmento de têxteis para seguros e concentrou-se em comprar ativos em diversos meios como o The Washington Post, a empresa de petróleo Exxon e a gigante de seguros Geico.

As ações Hathaway subiam sem parar e valorizavam também o capital particular de Buffett. Em 1979, a Berkshire começou negociando a US$ 775 por ação, atingindo US$ 1.310 até o final do ano, elevando o patrimônio líquido de Warren a impressionantes US$ 620 milhões.

Mas Warren Buffett queria mais. Seu novo objetivo era US$ 1 bilhão.

Adquiriu ações da rede de televisão ABC, da Coca-Cola e em 1986 alcançou seu primeiro bilhão, que se transformou em 3,8 bilhões de dólares antes mesmo de chegar aos 60.

Depois não parou mais de multiplicar. Grande parte da riqueza de Buffett foi obtida após o empreendedor passar dos 60 anos de idade.

Em 2008, Buffett tornou-se a pessoa mais rica do mundo, com patrimônio total estimado em US$ 62 bilhões pela Forbes, ultrapassando Bill Gates, que tinha sido o primeiro na lista nos últimos 13 anos.

As lições de Warren Buffett

Durante toda sua trajetória, o bilionário Warren Buffett nos deixa várias lições. Ele não herdou sua fortuna. Tudo o que tem ele levou décadas construindo graças a investimentos cuidadosos e sua preferência por empresas com ativos tangíveis e poder de lucro comprovado.

Entre os vários investimentos certeiros podemos citar grandes pedaços de organizações como Walt Disney, Washington Post, Coca Cola, Gillete e bancos nacionais influentes que levaram a Berkshire uma das empresas mais poderosas e rentáveis do mundo.

Em 2013, o Warren Buffett se uniu ao brasileiro Jorge Paulo Lehman — da 3G Capital, para comprar a Kraft Foods por US$34 bilhões em dinheiro e ações, fundindo posteriormente a Heinz à Kraft. Isso fez com que as ações da Heinz tivessem alta de 19% logo no anúncio do negócio.

O método empregado por Buffett é a filosofia Value Investing. Foi por meio do seu maior mentor, Benjamin Grahan, que ele aprendeu essa estratégia.

Warren Buffett nos ensina que um bom negócio deve ser simples, com histórico consistente e boas perspectivas do mercado.

E ainda, que devemos aprender com os erros, investir no longo prazo e dar valor ao mercado em baixa, ou seja, comprar ações de boas empresas com preço abaixo do seu valor intrínseco.

Esse é o jeito Warren Buffett de investir.

Buffett investe em negócios sólidos que possam gerar valores por muitos anos.

E você, sabe como reconhecer as ações que pagam os dividendos mais “gordos” do mercado?

Saiba como receber R$ 2.154 por mês de dividendos assistindo a nossa Masterclass.

O que fazem os homens mais ricos do mundo?

O que os homens mais ricos do mundo fizeram para chegar lá? Ao analisarmos a trajetória dos integrantes da lista dos mais poderosos do mundo, identificamos algumas características comuns que os fizeram alcançar o topo e que podem contribuir para você conquistar a sua Liberdade Financeira.

O ranking dos homens mais ricos do mundo é divulgado anualmente pela Revista Forbes tomando como base o seu patrimônio líquido.

Apesar de estarmos falando de fortunas expressivas, essa lista é dinâmica. Em 2018 o número de novos bilionários aumentou. São 2.208 pessoas com um patrimônio superior a US$ 1 bilhão.

O perfil dos novos ricos também tem mudado. Por 4 anos consecutivos o fundador da Microsoft, Bill Gates, ocupava a primeira posição no ranking dos homens mais ricos do mundo

Em 2018 esse jogo mudou. Encabeçando a lista temos Jeff Bezos, fundador e CEO da Amazon. Bezos, inclusive, é o único da lista a ter uma fortuna de 12 dígitos.

Veja os 10 primeiros da lista da Forbes 2018:

 

Posição no ranking Nome Fortuna estimada Empresa
Jeff Bezos US$112 bilhões Amazon
Bill Gates US$90 bilhões Microsoft
Warren Buffett US$84 bilhões Berkshire Hathaway
Bernard Arnault US$72 bilhões LVMH
Mark Zuckerberg US$71 bilhões Facebook
Amâncio Ortega US$70 bilhões Zara
Carlos Slim Helú US$67,1 bilhões América Móvil
Charles Koch US$60 bilhões Koch Industries
David Koch US$60 bilhões Koch Industries
10º Larry Ellison US$58,5 bilhões Oracle Corporation

 

O que esses milionários fizeram para chegar ao topo da lista? Veja um pouco da trajetória dos 10 homens mais ricos do mundo e o que podemos tirar de lição.

1º Jeff Bezos

O homem que atualmente lidera o ranking dos mais ricos do mundo é o americano Jeff Bezos, de 54 anos e US$ 112 bilhões na conta.

Jeff é o fundador e CEO da Amazon, líder mundial no ramo de comércio eletrônico. Ao longo de sua trajetória, mostrou seu espírito pioneiro ao adquirir outras empresas do setor digital, como a como a Alexa Internet, A9.com e a IMDb e anexa-las à Amazon,

O executivo é também dono da empresa do ramo aeroespacial, Blue Origin e do jornal The Washington Post.

Jeff Bezos é um investidor das empresas tecnológicas. Ele foi um dos primeiros acionistas do Google, Twitter e outras empresas hoje conhecidas como a Uber, a Airbnb, além da TeachStreet, ZocDoc e NextDoor.

2º Bill Gates

Fundador de umas das empresas mais conhecidas no mundo, a Microsoft, Bill Gates, é veterano das listas dos detentores das maiores fortunas. Liderou a lista dos homens mais ricos do mundo de 2013 a 2017, e a atualmente aparece na segunda posição do ranking.

Hoje, com 62 anos e US$ 90 bilhões, possui somente 5% das ações da Microsoft. Grande parte da sua fortuna é investida através da holding Cascade Investment LLC, com ativos da rede de hotéis Four Seasons, da Berkshire Hathaway, Ecolab, Waste Management, Canadian National Railway, Walmart e Caterpillar.

3º Warren Buffett

Warren Buffett, também conhecido como o “Oráculo de Omaha” devido ao seu sucesso em escolher boas empresas para investir, é veterano na lista dos homens mais ricos do mundo.

Com 87 anos, Buffett está no ranking da Forbes desde 2000. Desde cedo apresentou um dom para ganhar dinheiro e fez fortuna ao investir em empresas sólidas.

Desde a década de 60 ele faz parte da Berkshire Hathaway e possui investimentos em mais de 40 empresas de setores diversos, entre elas a Kraft Heinz, Wells Fargo, Coca-Cola, IBM e a American Express.

4º Bernard Arnault

Bernard Arnault é um empresário francês de 69 anos dono da LVMH, maior empresa no setor de artigos de luxo empresa formada pela fusão dos grupos Moet et Chandon, Hennessy e Louis Vuitton.

Sua carreira foi construída através de aquisições e fusões de marcas de prestígio.

 5º Mark Zuckerberg

Mark Zuckerberg é o bilionário mais novo na lista dos homens mais ricos do mundo. Com apenas 34 anos, tem uma fortuna de US$ 71 bilhões.

Fundador do Facebook, a rede social mais conhecida no mundo, ele também é dono do WhatsApp e do Instagram.

Jovem e bilionário, Zuckerberg se manteve humilde. Casou-se em uma celebração simples para 100 pessoas e usa todos os dias camisa cinza e calca jeans, pois diz “não perder tempo” escolhendo o que vestir pelas manhãs.

 6º Amancio Ortega

Amancio Ortega é o mais reservado e discreto milionário na lista. Somente no ano 2000, depois que sua empresa Inditex abriu seu mercado para a Bolsa que Amancio permitiu a divulgação da sua primeira foto oficial.

Hoje, a Inditex é o maior conglomerado têxtil do mundo englobando diversas marcas de roupa, incluindo a ZARA.

Amancio continua o maior acionista do grupo, com aproximadamente 60% das ações. Além do ramo têxtil, passou a investir no ramo imobiliário em Madrid, Barcelona, Londres, Chicago, Miami e Nova York.

7º Carlos Slim

Carlos Slim nasceu no México em 1940. Filho de imigrantes libaneses, começou a trabalhar na empresa da família aos 12 anos. Começou a investir ainda jovem com o que sobrava do seu salário.

Ao longo de toda sua vida ele foi um grande investidor da Bolsa de Valores investindo em empresas do setor de construção civil, imobiliário e de bebida.

Nos anos 90 começou a direcionar seus movimentos para o setor de telecomunicação adquirido a Temlex em 1991.

Atualmente, controla juntamente com a sua família, o maior conglomerado de telecomunicações da America Latina, a America Móvil. A qual inclui diversas subsidiarias locais como a Claro, a NET, a Telmex e a Embratel.

8º Charles Koch

Charles Koch é o atual CEO da segunda maior companhia privada dos Estados Unidos, a Koch Industries, empresa fundada por seu pai em 1940.

Atualmente, Charles detém 42% da participação da empresa, comandando o grupo juntamente com seu irmão, David, o número 9 da lista de homens mais ricos do mundo. A Koch investe em vários ramos, como produtos químicos, tubulações e tapetes.

9º David Koch

David Koch tem o mesmo número de ações que seu irmão Charles na empresa fundada por seu pai, na qual atuava até julho de 2018.

10º Larry Ellison

Larry Ellison, é co-fundador e diretor executivo da Oracle Corporation. A empresa quase declarou falência em 1990. Anos depois se reestruturou e desde então não parou de crescer. Hoje é uma das maiores empresas de tecnologia do mundo.

Desde 2014 Larry não é mais CEO da empresa, mas permanece como presidente do conselho e diretor de tecnologia da companhia.

O que podemos aprender com os homens mais ricos do mundo

Você já pensou o que as pessoas ricas têm em comum? Ao contrário do que muitos pensam, elas não são ricas por acaso.

Os homens mais ricos do mundo sabem como fazer o dinheiro trabalhar para eles. Eles possuem objetivos bem estabelecidos e estipulam prazos para alcança-los.

Temos muito a aprender com eles. Para enriquecer, é preciso pensar como os ricos.

Quem não deseja alcançar a liberdade financeira? Não precisar se preocupar com dinheiro, ter tempo para desfrutar a vida da melhor forma? Com um bom planejamento e disciplina, é possível aumentar consideravelmente as suas chances de ingressar no grupo dos milionários.

 A lição mais importante que podemos ter com os homens mais ricos do mundo é investir com sabedoria.

Você pode se tornar um investidor hoje mesmo e começar sua história rumo à Liberdade Financeira.

Descubra o método GuiaInvest para montar uma carteira de dividendos que gere uma renda igual ou superior ao seu salário atual.

Dobre Sua Renda Com Dividendos! Você não precisa ser um expert em finanças para isso.