VOGL3 ou FAYH4: qual é melhor?

Vogl3 ou Fayh4

Olá, investidor!

Já ouviu falar no indicador Price to Earnings Growth (PEG), ou preço sobre lucro e crescimento?

Esse indicador que me serviu como inspiração para a criação do GI Line, foi muito utilizado por um dos maiores gestores da história mundial: Peter Lynch.

Para você ter uma ideia expertise do Peter Lynch, o seu principal fundo conhecido como Fidelity Magellan Fund gerou um retorno médio de +29,2 por cento ao ano.

Simplesmente incrível, concorda?

Na prática o PEG é uma relação entre o múltiplo P/L (preço/lucro) e crescimento dos lucros por ação (LPA).

Fórmula: (P/L)/Crescimento do lucro por ação. A função dele é determinar se o preço atual está ou não atrativo. Quando menor for o PEG, melhor será a oportunidade.

Você pode se perguntar se o índice P/L já não faz isso…

Sim, ele faz, mas o PEG o faz com maestria por considerar o crescimento.

Entenda…

Quando utilizamos o P/L, interpretamos que quanto “menor” for o índice em comparação aos seus concorrentes, mais barata estará aquela ação.

O PEG refina essa interpretação ao utilizar o crescimento dos lucros.

Afinal, o que adianta um P/L baixo de uma empresa se seus lucros estão caindo, ela até pode estar barata, mas não será um bom negócio, pois ficará cara no futuro.

Ele irá indicar se o preço da ação já reflete a previsão do lucro futuro.

Lembre-se que o preço da ação na maioria das vezes irá refletir uma expectativa e não o valor patrimonial ou “real” da empresa.

Basicamente se o PEG é alto, pode estar sinalizando que o mercado já considera com o otimismo o crescimento dos lucros.

Vamos comparar duas empresas do mesmo setor (cervejaria), vou comparar a minha VOGL3 com a do meu amigo, a FAYH4:

vogli beer vs fayh beer

No primeiro momento, muitos investidores poderiam considerar a Fayh Beer mais atrativa, afinal seu P/L é menor.

Mas quando paramos para analisar sua relação com o crescimento dos lucros, percebemos que a Vogli Beer é muito mais atrativa, pois está com os lucros crescendo mais rápido e seu PEG é, portanto, menor.

Aquela velha frase faz sentido nesse contexto: “Nem tudo que parece, é. Nem tudo que é, parece“.

A expectativa de lucro está diretamente ligada ao preço da ação, mas muitas vezes a expectativa não está óbvia para os investidores, portanto o PEG poderá ser a cereja no bolo para buscar boas oportunidades.

Se Peter Lynch que foi gestor de um dos fundos mais rentáveis do mundo utilizava o PEG em suas análises, quem sou eu para fazer diferente.

Ele é um excelente indicador e pode ajudar muito a análise, se colocado dentro de um contexto adequado.

No canal Joias da Bolsa um dos indicadores que utilizo, entre diversos outros, é o PEG.

Os assinantes têm colhido bons frutos com ele.

Forte abraço!

Eduardo Voglino é analista de ações credenciado na APIMEC (CNPI 2202), atua no mercado financeiro desde 2006 e já assessorou diretamente milhares de pessoas quando teve seu próprio escritório vinculado à XP. É um entusiasta em buscar valor e assimetrias no mercado de ações. Escreve para o TheCap na coluna Fórmula Buffett.