EZTC3, VULC3, EMAE4: quem não deve, não teme.

eztc3 emae4 vulc3

Olá, investidor!

Existiu uma lenda do mercado que sobreviveu à Grande Depressão de 1929, à Segunda Guerra Mundial e a outras dezenas de crises ao longo de quase 90 anos de Wall Street.

Me refiro ao mestre Irving Kahn.

O curioso é que ele viveu 109 anos, como consequência ele vivenciou situações das mais otimistas até as mais pessimistas.

Entretanto, nunca mudou sua maneira de pensar em relação aos investimentos.

Uma premissa que ele considerava uma das mais importantes era: “se o mercado está caro, o investidor precisa saber esperar”.

Agora, te faço uma pergunta: em qual momento as ações ficam realmente baratas?

Se respondeu “em momentos de crise”, acertou!

O “saber esperar” sugerido por Kahn, é justamente para se beneficiar de momentos pontuais como o que estamos vivendo.

Isso ocorre pelo simples fato que o seres humanos instintivamente tomam decisões erradas quando o assunto são os seus investimentos.

Compram em rally de alta do mercado e vendem quando o mercado passa por momentos de queda.

O fato é que nesse momento podemos encontrar ações boas e baratos, sem grandes dificuldades.

Mas isso não significa que necessariamente após a compra, a ação irá subir.

E se não subir imediatamente, o que é bem provável que aconteça, não irá prejudicar sua carteira, desde que mantenha o racional correto.

Veja o que diz Irving Kahn, sobre isso:

“Estudo empresas e penso sobre o retorno que elas podem oferecer em quatro ou cinco anos. Se a ação cai, eu tenho tempo para avaliar a tempestade e talvez comprar mais por um preço menor. Se meus argumentos para o investimento não mudaram, devo gostar ainda mais do papel se ele cair”.

Esse é o segredo que fez Kahn, obter elevados retornos em sua vida financeira.

Você pode aproveitar para comprar empresas que combinem: caixa forte, baixo endividamento e que tenha perspectivas no longo prazo.

Separei aqui algumas empresas com alta liquidez corrente (índice que mostra se a empresa tem mais receber do que a pagar no curto prazo) e baixo endividamento.

Empresas com liquidez

Quando a dívida é negativa, significa que a empresa possui mais caixa do que endividamento.

Não são indicações de ações para você comprar agora, mas talvez um primeiro passo para encontrar ativos interessantes.

Obs.: uma dessas ações faz parte da carteira do Canal Joias da Bolsa.

Forte abraço!

Eduardo Voglino é analista de ações credenciado na APIMEC (CNPI 2202), atua no mercado financeiro desde 2006 e já assessorou diretamente milhares de pessoas quando teve seu próprio escritório vinculado à XP. É um entusiasta em buscar valor e assimetrias no mercado de ações. Escreve para o TheCap na coluna Fórmula Buffett.

ROMI3: uma small cap dividendeira

romi3 small cap

Caro leitor,

O dilema de comprar uma ação de crescimento ou de dividendos é a grande questão do investidor em ações.

Se você perguntar para os entendidos no assunto, eles vão dizer que não dá para ter os dois.

Você precisa fazer uma espécie escolha de Sofia.

Ou você investe numa empresa menor que está em franco crescimento e que destina tudo o quanto pode do seu lucro a reinvestir no próprio negócio, ou então você investe numa empresa grande, estável e dominante no seu segmento, que destina quase todo seu lucro para remunerar os seus acionistas.

A primeira é dita um investimento em crescimento.

Você não vai ganhar grandes dividendos, mas vai ter uma empresa se valorizando em função do tamanho que ela vai ganhando.

O risco é elevado, pois todo investimento em crescimento que a empresa faz é arriscado em maior ou menor grau.

O caixa dela vai todo para isso: crescer, crescer e crescer.

É como a piada do alpinista: só o cume interessa.

A segunda é o tal investimento em dividendos.

Você não vai ter uma grande valorização, mas em compensação vai receber uma boa renda de dividendos.

O risco é menor pois a empresa já é grande e consolidada.

Ela nem tem muito para onde crescer, a não ser que o próprio mercado cresça, cenário no qual ela vai precisar acompanhar para não ceder espaço a um concorrente.

Eu adoraria ter as duas coisas.

Será que é pedir demais?

Seria em condições normais de temperatura e pressão do mercado.

Acontece que não estamos vivendo estes tempos agora.

Estamos em meio a uma crise séria e carregada de incertezas.

Diferente de muitas que você ouviu falar mas não sentiu na pele, essa até te trancou em casa.

Provavelmente está lendo isso do seu celular na sala de casa, num dia útil e em horário comercial.

Mas essa tal crise que nos traz tanta coisa ruim, também cria situações onde podemos levar o melhor dos dois mundos.

É o caso da ROMI3, uma empresa da qual se espera um bom crescimento e que historicamente paga dividendos baixos.

Só que com essa crise e a queda nos preços de suas ações, o dividend yield, considerando um preço de compra como o atual, fica elevado até para os padrões das excelentes pagadoras de dividendos: 13,4 por cento.

Este é só um exemplo.

Existem vários como este na bolsa atualmente.

Já parou para ver como ficaram os dividend yields das ações que você gosta?

Dá vontade de encher o carrinho com elas!

Abraço.

Marcelo Fayh atua profissionalmente no mercado financeiro desde 2007. Começou como operador de Bolsa, ministrou cursos e palestras pela XP Educação e teve seu próprio escritório de investimentos. Antes de virar analista, atuou como assessor de operações de Fusões e Aquisições. Acredita que qualquer pessoa é capaz de melhorar sua qualidade de vida através de escolhas e investimentos inteligentes. Escreve para o TheCap na coluna Fundos a Fundos.

SMAL11: nunca vai ser marolinha

Small Caps nunca vão ser marolinha

Olá, investidor!

As ações Small Caps são minhas queridinhas e indispensáveis para uma carteira de valor.

O que muita gente não sabe é que além de agregar potencial de retorno a carteira, ela também agrega muita volatilidade.

Ou talvez você já saiba, afinal foram elas que mais oscilaram no últimos dias.

Na prática isso significa que sua carteira vai oscilar mais.

Veja:

Small11 vs Bova11

Linha azul é a SMAL11 (fundo passivo de Small Caps), linha laranja é o Ibovespa (índice de referência da bolsa).

Veja que a SMAL11 sobe com uma maior intensidade do que o IBOV, porém a intensidade se aplica também na queda.

Por isso acho importante alertar você a compor no máximo 30 por cento da sua carteira de ações com Small Caps.

Já será suficiente para acelerar seus resultados e também será suficiente para te ensinar a navegar por mares turbulentos.

No curto prazo muitos investidores desistem, pois não conseguem aguentar a variação de capital investido.

E realmente ele varia, basta lembrar da última semana. Vimos quedas expressivas em um único dia.

Carteiras compostas por Small Caps, sofreram bastante nesse dia.

E posso te confessar uma coisa?

Essa variação na carteira decorrente das Small Caps, não muda absolutamente nada.

A carteira é construída para o longo prazo, ou ao menos deveria ser.

Essa turbulência do curto prazo é muito semelhante a entrar no mar.

As primeiras ondas são fortes, muitas vezes você quase cai, mas quando ultrapassa a arrebentação, tudo fica mais fácil e tudo vai se tornar se tornar pequenas ondulações.

Inclua Small Caps na carteira, ainda mais nesse preço, é isso que sugiro no Canal Joias da Bolsa, agora com muita margem de segurança para compra.

Você irá me agradecer quando ultrapassar a arrebentação.

Forte abraço!

Eduardo Voglino é analista de ações credenciado na APIMEC (CNPI 2202), atua no mercado financeiro desde 2006 e já assessorou diretamente milhares de pessoas quando teve seu próprio escritório vinculado à XP. É um entusiasta em buscar valor e assimetrias no mercado de ações. Escreve para o TheCap na coluna Fórmula Buffett.

Não veja essa recomendação de investimentos

evite gurus de investimento

Olá, investidor!

Se você abriu esse e-mail, é possível que em algum momento irá comprar uma ação de uma empresa ruim, recomendada por alguém que não possui conhecimento suficiente.

Por que faço essa afirmação?

Porque o ser humano, na maioria das vezes, utiliza o seu lado emocional ao invés do racional para tomada de decisões.

Quando você acessou sua caixa de e-mail e leu o título “Não veja essa recomendação de investimentos”, acredito que quase mesmo que você tenha sentido raiva de mim, você acabou clicando por curiosidade.

É instintivo.

Tudo isso me faz colocar a seguinte afirmação na mesa:

Se você não possui uma estratégia de investimentos, não invista.

Entenda…

Sem uma estratégia você estará suscetível a ter uma decisão baseada na construção emocional dos fatos.

Eu por exemplo, sigo a risca o Value Investing​, estratégia disseminada pelo mega investidor Warren Buffett.

Todas minhas decisões passam por um checklist de critérios, se forem atendidos eu compro, caso contrário não faço nada.

Mesmo que o meu lado emocional não esteja convicto, eu me apego as minhas premissas. Às vezes dá medo até nos mais experientes, mas a recompensa vem.

Busque uma estratégia e siga suas premissas.

Isso facilitará o seu sucesso nos investimentos.

​Do contrário, as suas emoções farão você comprar na alta e vender na baixa.

A maioria dos investidores comete ou já cometeu esse erro em algum momento da jornada.

Em 2006, quando comecei a investir sem saber nada, cometi esse tipo de erro mais de uma vez.

A história não se repete, mas sempre rima com as anteriores…

Em algum momento você percebe que uma ação está subindo muito por um tempo relevante.

Fica a sensação de que a renda variável só varia para cima.

Neste momento você será contagiado por uma empolgação e irá vislumbrar grandes ganhos financeiros: “Quantos anos eu vou ter que investir para me aposentar e viver com o rendimento de ações?”.

E assim você decidirá comprar essa ação. E adivinha?

Provavelmente você terá comprado no topo.

Quando a ação começar a cair de forma intensa, você irá vender para não “perder” mais.

Neste ponto você fica frustrado e com prejuízo no bolso. Depois de um tempo depois a ação vai voltar a subir e se recuperar e você tomado pela empolgação de comprar novamente e “apenas recuperar o seu prejuízo”.

Mas, novamente, na primeira queda intensa, repete o erro, vende as ações e amarga um novo prejuízo.

Isso vai se repetindo até você quebrar ou achar que é impossível ganhar dinheiro com ações.

O emocional fará você perder dinheiro. O racional fará você ganhar dinheiro.

A estratégia fará você ser disciplinado e racional nas decisões.

Assumir erros se torna mais fácil também.

A escolha é sua.

​ Forte abraço!

Eduardo Voglino é analista de ações credenciado na APIMEC (CNPI 2202), atua no mercado financeiro desde 2006 e já assessorou diretamente milhares de pessoas quando teve seu próprio escritório vinculado à XP. É um entusiasta em buscar valor e assimetrias no mercado de ações. Escreve para o TheCap na coluna Fórmula Buffett.

As 7 small caps que vão fazer diferença em 2020

Olá, investidor!

Comprar barato e vender caro.

Este é o meu objetivo quando invisto em uma ação.

É isso que enxergo nas small caps que estudo.

Para comprar barato busco empresas que momentaneamente não estão refletindo o crescimento dos seus lucros.

Certamente você já me ouviu falando a seguinte frase:

“Os lucros justificam os preços.”

Então como é possível pagar barato por empresas em pleno processo de crescimento dos lucros?

Sabe aquela teoria de mercado eficiente? Que diz que tudo já está embutido no preço da ação?

No curto prazo isso não serve.

É puro blá blá blá de alguns acadêmicos… Aliás, muitos sequer investiram um centavo na vida.

Teoria sem prática não serve para nada.

Fato é que a ineficiência do curto prazo do nosso mercado gera grande oportunidades.

A minha carteira disponibilizada no Canal Joias da Bolsa, busca exclusivamente aproveitar essa ineficiência para comprar ações boas e baratas.

Entenda…

Quando montei a carteira, busquei empresas com crescimento de lucros e múltiplos descontados frente a empresas do mesmo segmento.

Veja a performance da carteira do Joias em 2019, comparado ao crescimento médio dos resultados financeiros das empresas da carteira:

Resultado operacional vs Joias da Bolsa

A linha preta é a valorização da carteira e a linha verde é o crescimento dos resultados financeiros.

No início do ano, as empresas já estavam demonstrando crescimento do seus resultados financeiros, mas os preços estavam adormecidos…

Que bom.

Veja que a partir de maio o mercado começou a precificar o crescimento atual e futuro dos resultados das empresas, mas apenas em outubro o movimento de alta se intensificou.

Sabe o que o que começou a ocorrer em outubro?

Os lucros começaram a justificar os preços.

Invista com foco nos lucros das empresas. Os preços irão nessa dos lucros das empresas no longo prazo.

E na minha opinião, são as small caps que ainda deixam a ineficiência do mercado ainda muito visível. Compre small caps.

Não à toa a carteira do Joias possui 7 Small Caps…

Ah, e tenho um aviso: já estão abertas as inscrições do evento O Grande Gatilho. Corra que é até o dia 31.

Forte abraço!

Eduardo Voglino atua no mercado financeiro desde 2007 e já assessorou diretamente centenas de pessoas quando teve seu próprio escritório vinculado à XP. É um entusiasta de buscar valor e assimetrias no mercado de ações. Escreve para o TheCap na coluna Fórmula Buffett.