10 dicas que vão fazer você se beneficiar do caos

dicas para se beneficar do coronavirus

Olá, investidor!

Se estivéssemos em uma luta de boxe, fossemos um lutador despreparado e circuit breakers fossem “cruzados”, possivelmente já teríamos caído por nocaute.

Acredito que no mercado existam muitos investidores despreparados, que estão sendo nocauteados dia após dia.

Bem ou mal, os últimos meses atraíram muitas pessoas para a bolsa de valores e isso faz com que, inevitavelmente, entrem curiosos e aventureiros.

A maioria de vocês podem estar passando pela primeira vez por um mercado de fortes e contínuas quedas.

O sentimento geral de pessimismo acaba tentando assumir o seu controle.

Seu pensamento se torna turvo, confuso e não chega a nenhuma conclusão.

Neste momento, você vive um ciclo de emoções.

Você quer vender, mas sofre com essa possibilidade, visto que assumirá o prejuízo. Por outro lado, você quer comprar para aproveitar a queda, mas tem medo que após a compra os preços continuem caindo.

Você simplesmente congela e uma ansiedade aperta seu peito.

Principais motivos que te levam a esse cenário:

  1. Você entrou no mercado por empolgação, sem saber direito como funciona.
  2. Você acreditava que o mercado subiria para sempre e nunca pensou como deveria reagir na queda.
  3. Você ouviu dicas do seu “influencer” e acreditou cegamente.
  4. Você não construiu reserva de emergência e expôs uma fatia de capital importante.
  5. Você entrou no mercado acreditando em ganhos rápidos e não compreendeu o racional real do investimento em ações.

Talvez você se identifique com algumas dessas questões, e está tudo bem.

Não é um demérito. Os mercados em alta acabam deixando as pessoas muito confortáveis e menos propensas a ponderar as coisas.

Se me permitir, gostaria de reforçar alguns pontos que considero importantes e que poderão te ajudar:

  1. Invista no MÁXIMO 30% do total dos seus investimentos.
  2. Entenda que o mercado não sobe em linha reta.
  3. Entenda que o preço de negociação, não determina se uma empresa é boa ou ruim.
  4. Entenda que no longo prazo, se a empresa for consistente nos resultados, o preço irá subir. Falei LONGO PRAZO (3, 5, 10, 15 ou mais anos).
  5. Só invista se possuir a reserva de emergência formada. Sugiro o equivalente a 6 vezes suas despesas mensais.
  6. Encontrar boas ações não é difícil. Difícil é você absorver o racional do investimento em ações, bem como todas suas consequências. Lembre-se, você é sócio da empresa e isso tem consequências.
  7. Não adianta você falar para si mesmo: “Investimentos em ações são para o longo prazo”, se você não acredita nisso.
  8. Crises acontecem e sempre irão acontecer, aprenda a se beneficiar com elas.
  9. Se o ativo é de qualidade, possui capacidade de manter consistência dos resultados no longo prazo, possui bons fundamentos, é composto por gestores competentes, possui produto/serviços que será útil no futuro e está sendo negociado com desconto, COMPRE!

O ativo poderá continuar caindo, e está tudo bem, nem você nem eu somos capazes de acertar o fundo… mas irá comprar ouro a preço de alumínio.

E não existem dúvidas que no futuro, o preço irá voltar a condizer com a realidade do negócio.

TENHA CONVICÇÕES E SIGA ELAS! Caso o contrário, o mercado poderá não ser para você.

Se entender isso e seguir o racional, você construirá grandes riquezas, praticamente impossíveis de serem construídas de outras formas.

10. Lave bem as mãos e, se puder, fique em casa

Estamos passando por um momento sério, mas que também nos deixou ótimas oportunidades.

Aproveite.

Forte abraço!

Eduardo Voglino é analista de ações credenciado na APIMEC (CNPI 2202), atua no mercado financeiro desde 2006 e já assessorou diretamente milhares de pessoas quando teve seu próprio escritório vinculado à XP. É um entusiasta em buscar valor e assimetrias no mercado de ações. Escreve para o TheCap na coluna Fórmula Buffett.

Não veja essa recomendação de investimentos

evite gurus de investimento

Olá, investidor!

Se você abriu esse e-mail, é possível que em algum momento irá comprar uma ação de uma empresa ruim, recomendada por alguém que não possui conhecimento suficiente.

Por que faço essa afirmação?

Porque o ser humano, na maioria das vezes, utiliza o seu lado emocional ao invés do racional para tomada de decisões.

Quando você acessou sua caixa de e-mail e leu o título “Não veja essa recomendação de investimentos”, acredito que quase mesmo que você tenha sentido raiva de mim, você acabou clicando por curiosidade.

É instintivo.

Tudo isso me faz colocar a seguinte afirmação na mesa:

Se você não possui uma estratégia de investimentos, não invista.

Entenda…

Sem uma estratégia você estará suscetível a ter uma decisão baseada na construção emocional dos fatos.

Eu por exemplo, sigo a risca o Value Investing​, estratégia disseminada pelo mega investidor Warren Buffett.

Todas minhas decisões passam por um checklist de critérios, se forem atendidos eu compro, caso contrário não faço nada.

Mesmo que o meu lado emocional não esteja convicto, eu me apego as minhas premissas. Às vezes dá medo até nos mais experientes, mas a recompensa vem.

Busque uma estratégia e siga suas premissas.

Isso facilitará o seu sucesso nos investimentos.

​Do contrário, as suas emoções farão você comprar na alta e vender na baixa.

A maioria dos investidores comete ou já cometeu esse erro em algum momento da jornada.

Em 2006, quando comecei a investir sem saber nada, cometi esse tipo de erro mais de uma vez.

A história não se repete, mas sempre rima com as anteriores…

Em algum momento você percebe que uma ação está subindo muito por um tempo relevante.

Fica a sensação de que a renda variável só varia para cima.

Neste momento você será contagiado por uma empolgação e irá vislumbrar grandes ganhos financeiros: “Quantos anos eu vou ter que investir para me aposentar e viver com o rendimento de ações?”.

E assim você decidirá comprar essa ação. E adivinha?

Provavelmente você terá comprado no topo.

Quando a ação começar a cair de forma intensa, você irá vender para não “perder” mais.

Neste ponto você fica frustrado e com prejuízo no bolso. Depois de um tempo depois a ação vai voltar a subir e se recuperar e você tomado pela empolgação de comprar novamente e “apenas recuperar o seu prejuízo”.

Mas, novamente, na primeira queda intensa, repete o erro, vende as ações e amarga um novo prejuízo.

Isso vai se repetindo até você quebrar ou achar que é impossível ganhar dinheiro com ações.

O emocional fará você perder dinheiro. O racional fará você ganhar dinheiro.

A estratégia fará você ser disciplinado e racional nas decisões.

Assumir erros se torna mais fácil também.

A escolha é sua.

​ Forte abraço!

Eduardo Voglino é analista de ações credenciado na APIMEC (CNPI 2202), atua no mercado financeiro desde 2006 e já assessorou diretamente milhares de pessoas quando teve seu próprio escritório vinculado à XP. É um entusiasta em buscar valor e assimetrias no mercado de ações. Escreve para o TheCap na coluna Fórmula Buffett.