Critérios que uso para escolher ações de dividendos

Dicas preciosas para você montar sua fonte de renda passiva

No conteúdo de hoje você vai ficar conhecendo alguns critérios que considero mínimos para escolher boas ações pagadoras de dividendos.

E no final deste e-mail também irá receber um bônus bem bacana!

Acompanhe as próximas linhas…

Investir em ações que pagam bons dividendos nos trazem boas vantagens:

Baixa volatilidade no mercado
Geração de renda passiva regular
Ganhos mesmo com a bolsa em queda

Com a taxa selic atualmente em 6 por cento ao ano e com a previsão de novos cortes, inclusive ainda em 2019, precisamos cada vez mais entender sobre produtos financeiros e diversificar nossa carteira de investimentos.

Nesse atual cenário econômico a renda variável se torna cada vez mais atrativa.

E digo mais, necessária para grande parte das pessoas.

Por isso, reforço aqui o que já escrevi algumas vezes:

Algumas empresas nos pagam só de dividendos mais que a poupança, tanto a velha quanto a nova, além de contarmos com a valorização da ação.

Agora vou passar uma lista de alguns critérios que utilizo para começar a estudar e identificar boas ações pagadoras de dividendos.

Vamos lá!

Valor de Mercado maior que 500 milhões:
Companhias com pequeno valor de mercado podem estar sujeitas a adversidades acima do normal. Empresas com grande valor de mercado podem apresentar maior capacidade de superação em momentos de adversidade.

Dívida Bruta / Patrimônio Líquido menor que 50 por cento:
Quanto maior, mais risco a empresa está correndo.

Lucros constantes nos últimos 5 anos:
A capacidade da companhia apresentar estabilidade de lucros ou pelo menos algum lucro em determinado período, demonstra que o interesse da gestão está convergindo para a evolução do empreendimento, dadas as condições micro e macroeconômicas do período.

Distribuiu dividendos nos últimos 5 anos:
Pagamentos ininterruptos de dividendos, ao longo de determinado período, demonstra, neste quesito, que os interesses dos acionistas estão sendo atendidos de acordo com a legislação vigente. Cabe lembrar que empresas que apresentam regularidade de pagamento de dividendos são mais procuradas pelos investidores.

Payout médio dos últimos 5 anos menor que 90 por cento:
O intuito é verificar se a distribuição de lucros pode ser mantida neste nível ou se está acima da capacidade de geração de lucros da empresa.

Volume médio diário de negociações maior que 500 mil:
Quando maior o volume de negociações maior será a liquidez da ação. Quanto maior a liquidez, melhor para o investidor.

Reforço que não basta apenas usar esses filtros, mas com certeza eles já ajudam muito na hora de saber quais empresas focar.

Você gostaria que eu revelasse 2 ações pagadoras de dividendos que eu gosto?

Este é o bônus que comentei no início.

Basta acessar o meu Instagram pra participar! Não é sorteio, todo mundo que participar vai saber.

Corre porque eu enviarei esta informação apenas para quem acessar o meu perfil até quinta-feira (08/08).

@severoadriano

Abs

O índice de dividendos (IDIV) é bom?

Uma excelente fonte de renda passiva

Você já ouviu falar no Índice de Dividendos BM&FBOVESPA (IDIV)?

Esse índice é o resultado do desempenho de uma carteira teórica que compila ativos que se destacaram no que se refere ao retorno aos acionistas, sob a forma de dividendos e juros sobre capital próprio (JSCP)

O IDIV é composto exclusivamente por ações e units somente de empresas brasileiras listadas na B3.

Alguns critérios eliminam dessa compilação as BDRs, empresas em recuperação judicial ou extrajudicial, intervenção, dentre outros.

Pra entender um poucos mais, entre os critérios estão:

Estar presente em 95 por cento dos pregões no período das três carteiras teóricas anteriores;
Fazer parte do um terço de ativos com os maiores Dividend Yields dos últimos 36 meses;
Ter distribuído dividendos no somatório de cada 12 meses, para o mesmo período de 36 meses do item acima.

A companhia não pode ter mais que 10 por cento de representatividade no índice. Caso isso ocorra serão realizados ajustes para rebalancear.

A carteira atual, que está vigente desde maio e vai até agosto, é composta por 36 ativos. Selecionei as empresas, por ordem de maior peso, até fechar o montante de 50 por cento.

Part.(%) – Código – Ação
5,88% – YDUQ3 – YDUQS PART
5,37% – EGIE3 – ENGIE BRASIL
4,86% – CMIG4 – CEMIG
4,45% – ITSA4 – ITAUSA

4,42% – ELET6 – ELETROBRAS
4,23% – BBSE3 – BBSEGURIDADE
4,03% – ITUB3 – ITAUUNIBANCO
3,89% – TRPL4 – TRAN PAULIST
3,87% – TAEE11 – TAESA
3,61% – ITUB4 – ITAUUNIBANCO
3,59% – MRVE3 – MRV
3,56% – SAPR11 – SANEPAR

Veja a evolução desse índice nos últimos 12 meses.

Na cor laranja temos o IDIV, com 40,84 por cento de valorização, e em azul temos o IBOVESPA, com 28,74 por cento de valorização, considerando o exato momento em que escrevo este e-mail.

Apenas uma alerta, mas que acho pertinente:

Empresa que pagou dividendos não necessariamente teve lucro!

Sabia disso?

Isso pode ocorrer quando por exemplo a empresa se desfez de algum ativo ou então possui uma reserva de lucros no patrimônio líquido e resolve devolver os valores para seus acionistas.

Gostou de aprender sobre o IDIV?

Me siga no instagram e mande suas opiniões e sugestões.

@severoadriano

Abs

Construção civil MRVE3, EZTC3, TRIS3 e TEND3

Uma excelente fonte de renda passiva

Construtoras… O que será que pode acontecer com elas?

A construção civil atua na construção e na venda de empreendimentos imobiliários, como casas, apartamentos, imóveis comerciais, dentre outros.

A economia aquecida é muito importante para o crescimentos das construtoras.

Economia crescendo é sinônimo de pessoas ganhando mais dinheiro, o que significa maior potencial de aquisição de imóveis.

Economia estagnada é sinônimo de pessoas com menos dinheiro, o que significa menor potencial de aquisição de imóveis.

Mas algo mudou nesse setor recentemente. E isso ajudou as construtoras. Estamos falando do distrato.

Até pouco tempo atrás essa regra não estava tão clara.

Muitas pessoas conseguiam elevados ressarcimentos em caso de distrato com a construtora.

Agora as construtoras podem ficar com até 50 por cento do valor pago pelo cliente.

Outra questão é em relação a emissão de títulos de dívida, através do CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários).

Com a mudança as construtoras agora possuem mais liberdade para emitir CRIs, pois podem utilizar com o objetivo de reembolso de valores já incorridos no setor imobiliário.

Dito isso, vamos pensar sobre o aqui e o agora: as reformas estão encaminhadas e há perspectivas de melhora na economia.

Isso reflete em uma melhora da confiança do consumidor e do empresário.

Convenhamos… com as pessoas sem confiança, não há como esperar investimentos massivos, principalmente em um setor que que precisa desembolsar bastante dinheiro.

Quedas na Selic estão cada vez mais próximas e necessárias. Isso também ajuda o setor.

Quando temos na economia a combinação de juros baixos e um potencial de crescimento no Produto Interno Bruto (PIB) isso gera um potencial altamente benéfico para a atividade da construção civil.

O gráfico elaborado pela FGV não me deixa mentir:

Seguem ainda as indefinições de como funcionará uma eventual liberação do FGTS, medida que pode impactar o setor, uma vez que o fundo é usado para financiamento imobiliário.

Vamos ver a situação das principais empresas do setor listadas…

Em questões de valor de mercado temos:
MRVE3 = 8,61 bi,
EZTC3 = 6,06 bi,
TRIS3 = 1,17 bi,
TEND3 = 2,33 bi.

As valorizações, neste ano, especificamente dessas empresas temos:
MRVE3 = 52,66 por cento,
EZTC3 = 47,54 por cento,
TRIS3 = 102,12 por cento,
TEND3 = 54,19 por cento.

O GI Score, que mede a qualidade da empresa, aponta o seguinte:

Histórico de lucros da MRV:

Histórico de lucros da Eztec:

Histórico de lucros da Trisul:

Histórico de lucros da Tenda:

E você? Está confiante em uma melhora da economia nos próximos anos?

Quais ações acha que tem potencial de pagar bons dividendos nos próximos anos?

Me siga no instagram e mande suas opiniões sobre o mercado financeiro

@severoadriano

Abs

Setor aéreo: rentabilidade vai decolar ou aterrissar?

Uma excelente fonte de renda passiva

Semana passada falamos sobre os dividendos de 500 por cento.

Você lembra?

Nele aprendemos sobre o Dividend Yield On Cost que, em resumo, é o quanto você ganha de dividendos em relação ao custo que você teve ao adquirir a ação.

Perceba que esse conceito é bem diferente do Dividend Yield atual, que é quanto a empresa está pagando de proventos em relação a atual cotação dela.

Eu havia questionado se vocês queriam saber mais sobre o segmento de transporte aéreo, e recebi diversas respostas afirmativas.

Agradeço a participação de vocês.

Então, vamos nessa…

Não sou muito adepto do setor de aviação no quesito investimento, somente como passageiro…

Quanto ao lado de investidor, é um setor que me deixa bem receoso.

Não por acaso, a cada dois anos uma empresa aérea quebra aqui no nosso Brasil.

Destaco ainda que somente em 2019 nove empresas aéreas no mundo inteiro já deixaram de operar devido aos seus endividamentos insustentáveis.

A TAM, uma das grandes aéreas, fechou o capital na B3 ao se fusionar com a LAN, que deu origem a LATAM, que ficou com as ações negociadas na Bolsa do Chile.

A mais recente a se dar mal foi a Avianca, em recuperação judicial desde dezembro do ano passado, e LATAM e GOL arremataram diversos slots (horários de pousos de decolagem) dela.

Arremataram em uma estrutura que dá pra pensar que foi de comum acordo e combinado previamente, pois cada uma adquiriu pontos específicos sem que a outra entrasse concorrendo.

Azul participou do evento, mas não fez nenhuma oferta.

Esses fatos acabaram concentrando pontos de interesse nessas duas empresas. Ponto positivo para quem investe.

Tem gente que ganha dinheiro com empresas do transporte aéreo?

Sim.

Não só tem como sempre terá.

Só neste ano a AZUL (AZUL4) está subindo 38 por cento e a GOL (GOLL4) está subindo 55 por cento.

Este setor é impactado pelas oscilações do dólar e da nossa economia.

O GI Score aponta a qualidade das empresas, baseado na compilação de indicadores fundamentalistas.

Podemos ver que as duas não andam muito bem.

A aprovação da Reforma da Previdência pode ser positiva pro setor, pois aumenta a perspectiva de retomada da economia e pressiona a queda do dólar, o que pode ser muito bom.

Mas ainda que esse cenário seja positivo, particularmente continuo descontente com o setor em virtude de que considero de alto risco.

Penso que investimento deve ser a longo prazo.

Temos que investir em algo pensando que se o mercado de ações ficasse fechado por dez anos, nos sentiríamos confiantes em ter tais ações em carteira.

Um setor em que uma empresa quebra a cada dois anos não fecha com os meus critérios de segurança para investir por dez anos.

Os custos de manutenção são maiores para quem já está no setor do que pra quem quer entrar, pois um avião mais antigo é muito mais caro do que um avião novo.

Alguns gestores de investimentos operam neste setor somente como oportunidades, e não com vistas a longo prazo.

E você, quais ações compraria hoje se não pudesse vender pelos próximos dez anos?

Me siga no instagram e mande suas opiniões sobre o mercado financeiro

@severoadriano

Abs
Adriano Severo

Ele recebe dividendos de 500 por cento

Para ganhar dinheiro com ações você precisa pensar em um projeto a longo prazo. Quanto maior o prazo mais poderosa será a utilização da estratégia de receber dividendos.

Os maiores investidores recomendam comprar ações em atividade perenes e que os produtos sejam sustentáveis.

Luiz Barsi, um dos maiores investidores pessoa física no Brasil, já disse que não investe em setores como turismo, eletrodomésticos e aviação, pois possuem histórico de quebras e não se incluem em setores perenes.

Especificamente o da aviação acho muito delicado.

Não é por acaso que a cada dois anos uma empresa aérea quebra aqui no nosso país.

E somente neste ano nove empresas aéreas no mundo já deixaram de voar devido aos seus endividamentos.

Se você quiser posso trazer mais alguns dados sobre a aviação em um próximo e-mail.

Para isso, responda esse e-mail dizendo que querem (meio óbvio), assim eu saberei, tá certo?

De posse dessas informações você vai entender bem como Luiz Barsi recebe dividendos de 500 por cento.

Ele comprou ações da UNIPAR (na época que era União das Empresas Petroquímicas) a 0,25 real por ação.

Hoje em dia ela paga mais de 1 real e 26 centavos em dividendos.

O Dividend Yield (percentual dos dividendos) que ela distribui atualmente é de 3,6 por cento.

Mas como o custo de aquisição foi de 0,25 real, o 1 real e 26 centavos que atualmente ela paga representa mais de 500 por cento de dividendos.

Esse percentual é o chamado Dividend Yield On Cost, que é quanto representam os dividendos pagos atualmente pelo valor que de fato custou pra você adquirir as ações.

Veja a evolução da UNIP5 ao longo dos anos:

E também a avaliação da empresa pelos nossos indicadores próprios GI Score e GI Line:

Muitas vezes deixamos de comprar algumas ações que atualmente estão com Dividend Yield baixo e esquecemos que elas podem se tornar grandes distribuidoras de dividendos no futuro.

Aproveitando o gancho, agora que você já sabe sobre esse aumento de dividendos, saiba como você pode ganhar de 1 a 5 mil com dividendos. 

Me siga no instagram:

@severoadriano

Abs

Maior dividendo do setor elétrico

Você vai gostar de saber disso!

Dividendos bons, todo mundo gosta.

Não é mesmo?

Hoje você irá descobrir alguns dados da empresa do setor elétrico está com o maior Dividend Yied (DY) no momento.

Nos últimos meses ela pagou em dividendos o montante que representa 7,6 por cento de DY.

Em outras palavras, para cada 1.000 reais aplicados você recebeu 76 reais, totalizando 1.076 reais em um 12 meses.

Para efeito de comparação se você conseguiu, em alguma aplicação, 100 por cento do CDI está com uma valorização de 6,4 por centro, ou seja, 64 reais, totalizando 1.064 reais.

Agora você pode estar se questionando:

“Tá… mas todo esse risco renda variável para apenas 10 reais de diferença?”

Vamos lá…

Esses 10 reais a mais foram apenas dos dividendos da empresa.

Comparando com o IBOV, que nas últimas 52 semanas se valorizou incríveis 40,7 por cento, a valorização da empresa foi muito maior, alcançando 89,7 por cento.

Então agora aos seus 1.000 reais tem que acrescentar 897 reais, totalizando 1.897 reais.

Diferença bem significativa, concorda?

Não estou dizendo que você tem que comprar tudo em renda variável, mas sim diversificar suas aplicações, e uma parte em renda variável se torna cada vez mais interessante em cenários de corte na taxa de juros, a Selic.

Veja a evolução da Transmissão Paulista (TRPL4) nos últimos 12 meses:

Empresa avaliada em 76 pontos no nosso GI Score:

TRPL4 se valorizando ano após ano:

2016 se valorizou 45,67 por cento
2017 se valorizou 8,19 por cento
2018 se valorizou 22,90 por cento
2019 (parcial pois o ano não acabou, né..) está com 45,53 por cento.

A empresa possui uma margem líquida de 59,7 por cento.

Margem líquida é um índice de lucratividade e um excelente indicador da saúde financeira de um negócio.

De acordo com esse percentual, de 59,7 por cento, significa que para cada 100 reais que ela gerou de receita 59,70 reais ficam com a empresa.

Essa foi uma das ações mais pedidas por vocês na última semana.

Então me diga, qual ação você gostaria de ver em um próximo conteúdo?

Me siga no instagram:

@severoadriano

Abs
Adriano Severo

Dividendos: diferença reinvestindo ou não

Investir na média da renda variável do mercado financeiro já é um bom negócio, e isso tem se comprovado ao longo dos anos.

Basta acompanharmos o Ibovespa.

E pra investir dessa maneira podemos replicar o índice, comprando as diversas ações que fazem parte desse índice, ou simplesmente investir em ETFs que replicam esse índice, como BOVA11, BOVV11 ou XBOV11.

Mais prática comprando os ETFs, não é mesmo?

Agora, se você selecionar empresas a dedo, baseado em bons fundamentos, você pode montar uma ótima carteira de investimentos.

Neste ponto que entra a importância da diversificação.

Mas tal diversificação deve ser inteligente, e não simplesmente ficar na média.

Gosto muito das empresas que nos pagam dividendos.

Depois que elas pagam os dividendos, o que fazer com esse montante financeiro depende de nós.

Se você não precisa destes recursos, faz sentido reaplicar, e siga lendo este e-mail. Agora se você já está vivendo de renda pode encerrar a leitura aqui mesmo, ou continuar lendo e aprendendo mais sobre o assunto.

Hoje vou exemplificar sobre o poder do reinvestimento dos dividendos com uma empresa que atualmente o valor de mercado é 6,9 bilhões reais, e que tem 75 pontos no GI Score.

Podemos constatar os seguintes fatores:

  • Investimento por um período de longo prazo? Ok;
  • Valorização da ação? Ok;
  • Valorização da ação acima do Ibovespa? Ok;
  • Valorização maior ainda devido a ter reaplicado os dividendos? Ok também.

Perceba que a valorização do patrimônio é muito maior quando reaplicamos os dividendos.

Agora uma curiosidade que pouca gente conhece:

Sabia que você pode reinvestir os dividendos em outras empresas?

Sim! Isso mesmo. Você não precisa escolher a mesma empresa.

Isso é ótimo pois você pode aproveitar oportunidades melhores que a mesma empresa, caso essa situação aconteça.

Abs e até a próxima.

Recuperação Judicial da Odebrecht e o impacto no mercado

Mais uma mega recuperação judicial pra história do Brasil!

Desde que o grupo Odebrecht virou pivô da Operação Lava-Jato ele enfrenta uma grave crise financeira.

Pra ter uma ideia, o Grupo Odebrecht chegou a ter mais de 180 mil funcionários, há cinco anos, e hoje conta com “apenas” 48 mil.

A 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo deferiu nesta manhã o pedido, com uma dívida total de 98,5 bilhões de reais.

Do valor total da dívida 65,5 bilhões de reais são com terceiros (sendo 51 bilhões da recuperação judicial mais 14,5 bilhões com garantias) e o restante com o próprio grupo.

Talvez você esteja se perguntando:

Tá, mas e aí… Como posso ser prejudicado?

Alguns fundos de investimentos e os principais bancos poderão ser afetados, pois ambos são credores da empresa.

Alguns fundos aplicam em ativos do Grupo e as dívidas com bancos somam 32,5 bilhões, sendo 18 bilhões SEM GARANTIAS (débitos quirografários, ou seja, sem garantia real que entram na recuperação) e 14,5 bilhões garantidos por ações da Braskem (débitos extra-cursais).

A lista dos maiores credores fica assim:

  • BNDES com 10 bilhões de reais (sendo R$ 3 bilhões com garantia);
  • Banco do Brasil com 7,8 bilhões de reais (sendo R$ 3 bilhões com garantias);
  • Bradesco com 4,8 bilhões de reais (sendo R$ 4,4 bilhões com garantias);
  • Caixa Econômica Federal tem a receber 4,1 bilhões de reais (sem garantias);
  • Itaú Unibanco 3,5 bilhões de reais (com garantias).

Até semana passada os grandes bancos negociavam uma recuperação extrajudicial com o grupo, mas sem sucesso.

Quem está mais confortável é o Itaú, afinal de contas possui garantias dos 3,5 bilhões de reais.

Agora vejamos os bons indicadores exclusivos do GuiaInvest, o GI Score (que mede a qualidade da empresa) e o GI Line (que mede o potencial da empresa):

Perceba que possui uma compilação positiva:

E uma Avaliação de Risco positiva também:

Não é à toa que os dividendos da empresa, que mensuramos através do Dividend Yield, está em 7,3 por cento a.a. e reflete toda essa qualidade apontada pelos indicadores GI Score e GI Line da empresa.

Lembrando que esse 7,3 por cento a.a. são somente da distribuição de dividendos pela empresa, sem contar, ainda, com a valorização da ação.

O que você acha dessa recuperação judicial?

Será que vai afetar os seus investimentos?

Abs

Aperte o cinto, vamos passar por vazamentos

Com grandes escândalos podem surgir grandes oportunidades

Querido leitor, aperte o cinto!

Você poderá passar, mais um vez, por um período de turbulências!

Como de costume poderemos presenciar momentos que prometem ser intensos nos próximos dias, ou semanas.

E faço um alerta: podem acontecer momentos de volatilidade mais intensa.

Por isso é importante que você prepare o seu bolso para novas aplicações!

E, por fim, mais uma ressalva:

Prepare seu psicológico. Vou explicar…

Um dos principais fatores que poderá fazer você perder dinheiro é o último alerta que mencionei acima: o seu psicológico.

Isso ocorre quando você compra uma ação no topo e vende na baixa. Fazendo justamente o contrário do que deveria ser.

Desde ontem você deve estar sendo impactado por notícias de todos os lados referente às conversas entre Moro e Dallagnol.

Segundo informações sobre o vazamento são mais de 1.600 horas de áudios, fotos e vídeos descobertos.

Muito, não é mesmo?

Segundo a divulgação, é o maior vazamento de dados da história brasileira e um dos maiores do mundo, que será publicado pouco a pouco.

Agora você deve estar se perguntando: mas como isso pode ser bom?

Levando para o universo dos investimentos entendo que você poderá estar diante de ótimas oportunidades.

O relator do pacote anticrime, o deputado Capitão Augusto (PL-SP), prevê um adiamento da votação desse pacote do primeiro para o segundo semestre deste ano, em virtude do vazamento das conversas.

Com a OBA se manifestando e sugerindo um afastamento (vide imagem abaixo) já podemos prever que não vai acabar tão rapidamente.

Não bastassem essas questões, divulgadas pelo site The intercept, você também deve acompanhar de perto 4 questões:

1- Nossa economia
2- Guerra EUA x México
3- Guerra EUA x China
4- Reforma da Previdência

Resumindo cada uma delas:

1- Nossa economia ainda patina (cortes na Selic a caminho).
2- México cedeu aos pedidos dos EUA (lógico, os mexicanos tinham mais a perder) e esfriou o clima por lá.
3- Asiáticos e norte-americanos estão tranquilos no momento (mantendo o alerta e a preocupação dos bancos centrais do mundo).
4- Quinta promete que teremos uma visão mais próxima do que pode de fato acontecer (vamos aguardar, será que vai sair? O que você acha?).

O fato é que temos uma desaceleração no mundo e aqui no Brasil. Todos poderiam estar crescendo mais, mas ainda não estão.

Outro dia meu amigo Douglas S. estava comentando a seguinte frase comigo;

“Compre ao som dos canhões e venda ao som dos violinos”

Faz muito sentido, não é mesmo?!

Com todo esse cenário que comentei os juros futuros indicam cortes na taxa Selic.

Fonte: Banco Central.

Quem costuma acompanhar meus e-mails já deve estar imaginando mais ou menos o que escreverei nas próximas linhas:

Cortes na Selic fazem com que seja cada vez mais natural ganhar com dividendos das ações mais do que a renda fixa tradicional costuma pagar.

Veja alguns exemplos:

-> Tupy (TUPY) com 8,8 por cento a.a. de dividendos e 64 no GI Score.
-> BB Seguridade (BBSE) com 9,2 por cento a.a. de dividendos e 67 no GI Score.
-> Banrisul (BRSR) com 9,0 por cento a.a. de dividendos e 72 no GI Score.
-> Ser Educacional (SEER) com 10,5 por cento a.a. de dividendos e 75 no GI Score.
-> Cristal (CRPG) com 10,4% a.a. de dividendos e 82 no GI Score.

E não precisa ser dessa lista, que são apenas alguns exemplos e não são recomendações de compra.

E aí, qual a pagadora de dividendos que você mais gosta?

Abs