TBOF11, JSRE11 e muito mais: perspectivas para os FIIs em 2020

Está pensando em investir em FIIs em 2020? Aqui estão as perspectivas para o mercado em 2020. Confira!
Marcelo Fayh

Marcelo Fayh

Sócio do GuiaInvest, especialista na geração de renda através de bons investimentos.

Caro leitor,

2019 já era… vamos falar de 2020!

O que esperar dos Fundos Imobiliários em 2020?

Aumento de liquidez

O ano de 2019 foi um ano de recordes de quantidade de investidores pessoa física, de volume de negociação seja em valor ou quantidade, de captação de recursos, de novas ofertas… enfim, escolhe o quesito que for, provavelmente vai ter um recorde batido aí.

Para 2020, esse processo de crescimento deve continuar, pois devemos sentir ainda mais forte os efeitos de uma política econômica adequadamente pró mercado e juros mais baixos.

O resultado vai ser que vai ficar cada vez mais fácil comprar e vender uma cota de Fundo Imobiliário na bolsa.

Melhor transparência e Governança

Esse crescimento todo fez com que surgisse uma maior vigilância do mercado em cima dos FIIs.

São casas de análises, são analistas independentes e investidores (muitas vezes se comunicando pelo Instagram) que acompanham de perto o mercado e cada passo das gestoras.

Isso fez com que certo movimentos “esquisitos” como a oferta de compra do TBOF11 pela Hedge fossem expostos imediatamente e em seguida o mercado (mais líquido) se ajustou.

As gestoras estão adotando melhores práticas de governança e hoje quase todas emitem relatórios gerenciais mensais e algumas fazem até apresentação dos resultados trimestrais por teleconferência.

Algo que só empresas de capital aberto faziam até então.

O mercado amadureceu. Está mais vigilante e seguro.

Consolidação e evolução

Todos os mercados se consolidam eventualmente. Não será diferente nos Fundos Imobiliários.

Agora já no final de 2019 o TBOF11 foi comprado pelo JSRE11.

Fundos multi ativos vão acabar por engolir os fundos mono ativos e de gestão passiva. Esse foi o primeiro movimento, mas não será o último.

A Hedge por exemplo que possui três fundos de fundos, “herdados” de outras gestoras, vai consolidar todos eles em um só.

A tendência é termos fundos cada vez mais diversificados e maiores no mercado.

Fundos maiores têm mais condições de montar times robustos de gestão. É um caminho natural, sem volta e benéfico para o investidor.

Novos fundos chegarão ao mercado com propostas diferentes das atuais.

No último trimestre de 2019 já apareceu um (QAGR11) que comprou silos de armazenagem de grãos. Algo inédito até então.

Valorização mais modesta

No momento em que escrevo (quinta-feira, 26 de dezembro de 2019, 13:26) o IFIX está em 3.121 pontos.

Representa uma alta de quase 33 por cento no ano. Tudo indica que o ano vai fechar mais ou menos por aqui.

Para colocar em perspectiva, os Fundos Imobiliários estão a caminho de fechar o ano ligeiramente acima do Ibovespa. Isso em um ano espetacular para a bolsa.

Quando eu digo valorização mais modesta, eu quero passar duas mensagens.

A primeira delas é de ajuste de expectativa. Não espere mais um ano de resultado tão forte. Não seria sensato e a chance de você se frustrar é muito grande.

A segunda é mais prática. Muito desse resultado se deveu a um ponto de partida muito baixo e a uma mudança estrutural nas condições do mercado.

Esses dois fatores, somados, resultaram nessa expressiva valorização.

Para o ano que vem, vamos partir de uma base bem mais alta.

Só daí já seria razão suficiente para o resultado não ser tão elástico assim.

Mesmo assim, espero valorização consistente em 2020.

Vários fundos vão conseguir capturar essa melhora de cenário.

Tem fundos com vacância elevada ainda, que quando forem ocupados vão pagar maiores rendimentos.

Tem muitas revisionais previstas para ano que vem, que também vão aumentar rendimentos. A economia real deve “cantar pneu” em 2020 com o juros mais baixo.

Os fundos de shoppings centers, lajes corporativas e hotéis vão se beneficiar dessa arrancada.

Isso são alguns poucos dos muitos fatores que me fazem crer em excelentes resultados para o ano que está chegando.

Não sou nenhuma Mãe Dinah, mas é nisso que acredito para 2020.

Para mim, Fundos Imobiliários serão novamente um dos melhores investimentos do ano.

Ano que vem a gente relembra este texto.

Combinado?

Abraços.

Marcelo Fayh atua profissionalmente no mercado financeiro desde 2007. Começou como operador de Bolsa, ministrou cursos e palestras pela XP Educação e teve seu próprio escritório de investimentos. Antes de virar analista, atuou como assessor de operações de Fusões e Aquisições. Acredita que qualquer pessoa é capaz de melhorar sua qualidade de vida através de escolhas e investimentos inteligentes. Escreve para o TheCap na coluna Fundos a Fundos.

Compartilhe essa publicação:

Introdução a
Bolsa de Valores

Partindo do zero até a compra da sua primeira ação

Assista à primeira aula gratuita