SAPR11: o esgoto lucrativo

sapr11 Sanepar esgoto lucrativo

Caro leitor,

Existe uma máxima que é muito utilizada no combate ao crime organizado.

“Siga o dinheiro”.

Quer encontrar o chefe da quadrilha? Siga o dinheiro.

Lá no final do caminho, estará o beneficiário final.

No mundo dos investimentos essa máxima também tem seu valor, por outros motivos é claro.

A Economática fez um estudo compilando os lucros das empresas que têm ações negociadas na bolsa e os agrupou por setores.

Neste estudo foi tirado o lucro/prejuízo da Petrobras, Vale S.A. e Oi S.A., para não distorcer os valores.

Veja abaixo como ficou essa lista:

Setores mais lucrativos em 2019

Não é coincidência que os setores do topo da lista são comumente os setores mais presentes em carteiras de dividendos.

Bancos, energia elétrica, telecomunicações, saneamento, finanças e seguros são os setores preferidos por muitos investidores de dividendos.

Será que isso é por acaso?

Obviamente, não é por acaso.

Se voltarmos para o básico do básico, revisitaremos o conceito de dividendos, que é a parte do lucro líquido da empresa que é distribuída aos acionistas.

Portanto é bastante óbvio que é daqui que vão sair as melhores pagadoras de dividendos.

Todas as ações da Seleção de Dividendos estão em seis destes dez setores.

Você consegue tentar adivinhar quais são os seis setores?

Claro que não basta ser destes setores para ser uma boa empresa para se investir.

Esse pode ser o começo do garimpo.

Mas tem que investigar e analisar muita coisa dentre esse monte de empresa que está contida nessa lista aí.

Uma eu já entrego de lambuja para você.

Sanepar (SAPR11) é uma delas.

Perceba que não é do topo da lista, ela está lá no meio.

Não é só tamanho do lucro que importa.

Tamanho até é documento, mas não é tudo.

Tem que ver qualidade da gestão, endividamento, consistência histórica dos números entre outras coisas mais.

Siga o dinheiro, mas não procure só tamanho.

Qualidade é ainda mais importante.

As 10 ações contidas na carteira do Canal Seleção de Dividendos são extremamente sólidas e estão atravessando essa crise muito bem, obrigado.

Abraço.

Marcelo Fayh atua profissionalmente no mercado financeiro desde 2007. Começou como operador de Bolsa, ministrou cursos e palestras pela XP Educação e teve seu próprio escritório de investimentos. Antes de virar analista, atuou como assessor de operações de Fusões e Aquisições. Acredita que qualquer pessoa é capaz de melhorar sua qualidade de vida através de escolhas e investimentos inteligentes. Escreve para o TheCap na coluna Fundos a Fundos.

ROMI3: uma small cap dividendeira

romi3 small cap

Caro leitor,

O dilema de comprar uma ação de crescimento ou de dividendos é a grande questão do investidor em ações.

Se você perguntar para os entendidos no assunto, eles vão dizer que não dá para ter os dois.

Você precisa fazer uma espécie escolha de Sofia.

Ou você investe numa empresa menor que está em franco crescimento e que destina tudo o quanto pode do seu lucro a reinvestir no próprio negócio, ou então você investe numa empresa grande, estável e dominante no seu segmento, que destina quase todo seu lucro para remunerar os seus acionistas.

A primeira é dita um investimento em crescimento.

Você não vai ganhar grandes dividendos, mas vai ter uma empresa se valorizando em função do tamanho que ela vai ganhando.

O risco é elevado, pois todo investimento em crescimento que a empresa faz é arriscado em maior ou menor grau.

O caixa dela vai todo para isso: crescer, crescer e crescer.

É como a piada do alpinista: só o cume interessa.

A segunda é o tal investimento em dividendos.

Você não vai ter uma grande valorização, mas em compensação vai receber uma boa renda de dividendos.

O risco é menor pois a empresa já é grande e consolidada.

Ela nem tem muito para onde crescer, a não ser que o próprio mercado cresça, cenário no qual ela vai precisar acompanhar para não ceder espaço a um concorrente.

Eu adoraria ter as duas coisas.

Será que é pedir demais?

Seria em condições normais de temperatura e pressão do mercado.

Acontece que não estamos vivendo estes tempos agora.

Estamos em meio a uma crise séria e carregada de incertezas.

Diferente de muitas que você ouviu falar mas não sentiu na pele, essa até te trancou em casa.

Provavelmente está lendo isso do seu celular na sala de casa, num dia útil e em horário comercial.

Mas essa tal crise que nos traz tanta coisa ruim, também cria situações onde podemos levar o melhor dos dois mundos.

É o caso da ROMI3, uma empresa da qual se espera um bom crescimento e que historicamente paga dividendos baixos.

Só que com essa crise e a queda nos preços de suas ações, o dividend yield, considerando um preço de compra como o atual, fica elevado até para os padrões das excelentes pagadoras de dividendos: 13,4 por cento.

Este é só um exemplo.

Existem vários como este na bolsa atualmente.

Já parou para ver como ficaram os dividend yields das ações que você gosta?

Dá vontade de encher o carrinho com elas!

Abraço.

Marcelo Fayh atua profissionalmente no mercado financeiro desde 2007. Começou como operador de Bolsa, ministrou cursos e palestras pela XP Educação e teve seu próprio escritório de investimentos. Antes de virar analista, atuou como assessor de operações de Fusões e Aquisições. Acredita que qualquer pessoa é capaz de melhorar sua qualidade de vida através de escolhas e investimentos inteligentes. Escreve para o TheCap na coluna Fundos a Fundos.

TAEE11, SAPR11, ITSA4: a hora do óbvio

taee11 sapr11 itsa4

Olá, como você vai?

Espero que você esteja bem.

Os últimos dias têm sido totalmente atípicos não só para os mercados, mas também para a nossa rotina.

Temos muitos investidores de primeira viagem recebendo o seu primeiro batizado logo nos primeiros meses de bolsa.

Pode parecer banal, mas isso certamente vai expurgar os curiosos e calejar quem entrou na parada para fazer como se deve fazer.

Em tempos de realidades complexas e imprevisíveis, temos de manter o nosso foco no longo prazo e simplificar ao máximo as coisas no curto prazo.

Processos de investimento complexos perderam o sentido nesse momento.

A experiência vai nos ensinando a simplificar cada vez mais.

Antes de você perguntar se investimentos em ouro e dólar são válidos, eu já afirmo que são sim, mas cuide para não “contratar um seguro de carro logo após o carro ter batido”.

Proteção boa é caixa.

Esses investimentos deveriam ter sido feitos quando a bolsa subia e, convenhamos, ninguém quer saber de ouro e dólar quando as ações brasileiras subiam dia após dia.

Por isso reforço: nada contra esses investimentos defensivos, mas no momento eles irão custar muito para proteger pouco, já não há mais muito o que se proteger.

A melhor defesa nesse momento é possuir caixa e aproveitar as oportunidades mais óbvias.

Nesse momento, ações tradicionais pagadoras de dividendos ou empresas high quality (geralmente caras, mas agora significativamente descontadas) são as ações com a melhor relação de risco retorno para a conjuntura.

Tenha caixa sempre.

Aproveite quedas nas ações de boas empresas e tenha cuidado com o excesso de exposição.

Taesa (TAEE11), Sanepar (SAPR11) e a nossa clássica e forte Itaúsa (ITSA4): definitivamente não será aqui o fim da linha para elas.

Compre aos poucos pois sempre pode cair mais.

E repito: escolha ações de boas companhias e não daquelas que você acha que podem se tornar boas.

Se quiser fazer alguma aposta em small caps, vá com pouco capital e escolha empresas que apesar de pequenas, estão nadando a braçadas nos últimos tempos.

Fora isso, algumas ponderações a serem feitas:

  1. A China deve passar por forte desaceleração ou quem sabe até uma recessão bem forte. Em que pese o seu caixa em dólar e possibilidade de compra massiva de insumos baratos, uma possível recessão não é nada conveniente para o Partido Comunista Chinês e joga pelo ralo qualquer possibilidade de conspiração de que a própria China teria plantado a crise do Covid-19.
  2. O bear market americano parece finalmente ter chegado após quase 10 anos consecutivos de altas no mercado. Os Estados Unidos podem passar por uma recessão temporária seguida de uma forte desaceleração na taxa de crescimento econômico. Trump certamente quer enfrentar as eleições em uma condição mais confortável e por isso deve seguir com estímulos.
  3. A Europa, atual epicentro de disseminação do Coronavírus, também deve passar por uma recessão e passa a voltar os olhos para solvência do Deutsche Bank. Não me parece ser do perfil do Banco Central Europeu deixar um banco de tal quilate quebrar. É aquela coisa, too big to fail.
  4. Com fortes estímulos nas economias avançadas e um impacto iminente na economia real brasileira, tem se o aval não só de termos uma Taxa Selic em patamares nunca antes imagináveis, na casa dos 3 por cento ao ano, como também força o governo a se valer da política fiscal como ferramenta de combate a uma possível recessão. Se em condições normais de temperatura e pressão a ordem era controlar gastos e fazer reformas, em situações extremas a imagem de Lord Keynes emerge até a frente de Paulo Guedes e companhia.
  5. Mais do que tudo isso, o ambiente pode favorecer a tramitação das reformas administrativa e tributária no Congresso, uma vez que a circunstância encoraja uma maior aproximação e colaboração entre Legislativo e Executivo.
    De forma geral, não abandonamos a tese e bull-market estrutural no Brasil, temos muita coisa para melhorar ainda dentro da economia doméstica.

Se por um lado essa atual crise vai impactar o resultados das empresas listadas em um primeiro momento, esse impacto é passageiro e dentro de 6 meses a um ano já terá sido absorvido.

Nesse momento eu me coloco à disposição para quem estiver com dúvidas.

Fiquem bem e em casa, caso possam.

Lavem bem as mãos e cuidem dos familiares.

Tudo passa.

Martin faz parte da equipe do GuiaInvest desde início de 2017. É Mestre e Bacharel em economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escreve para a TheCap na coluna Contra a Corrente.

ITSA4 não decepciona

Itsa4 não decepciona

Olá, como você vai?

Primeiro vamos falar de Itaú (ITSA4/ITUB4), depois quero alinhar algumas expectativas.

Falar sobre Itaú vai ser bom porque as notícias são boas, mas alinhar expectativas é mais importante.

Ok, não foi o melhor resultado do mundo, mas a nossa querida Itaúsa (ITSA4) não decepcionou: bateu lucro recorde e ainda divulgou cerca de 0,40 centavos de proventos líquidos para dia 6 de março.

Ótimo.

Na divulgação de resultados há duas semanas, o bancão Itaú Unibanco (ITUB4) já havia mostrado que não está parado assistindo a ascensão das fintechs.

Desapegando um pouco da holding (ITSA4) e focando mais no banco (ITUB4), vemos um negócio ainda muito rentável.

Mesmo com um ano de baixo crescimento da economia, os lucros cresceram 13 por cento no 4T2019 em relação ao mesmo período do ano anterior.

Melhor ainda é saber que a empresa fez uma boa contenção das despesas.

O banco ainda possui um potencial muito grande para ganhar eficiência operacional.

Excelente.

A carteira de crédito segue saudável.

Maravilhoso.

O banco está pronto para era do bancos digitais.

O Itaú estrategicamente se tornou sócio da Xp Investimentos em meados de 2017, empresa que até aqui foi a única real pedra no sapato dos bancões.

Formidável.

O futuro não terá tanto vento a favor como no passado, mas ITSA4/ITUB4 está pronto para esse novo cenário.

​Seja para receber dividendos, seja obter uma valorização do papel​, na minha opinião, a ação é uma das escolhas mais óbvias da bolsa para 2020.

Mas cuidado, é importante lembrar de alguns preceitos básicos antes.

Vamos alinhar as expectativas:

  • Esse texto retrata uma opinião e não uma recomendação;
  • Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura;
  • Não coloque todo seu dinheiro em uma única ação, diversifique;
  • Mesmo com uma carteira de ações diversificada, não invista apenas em ações. Tenha uma reserva líquida;
  • Você não vai ter valorizações ultra-expressivas com uma empresa gigante como o Itaú;
  • Se você quiser ter um supervalorização com Itaú, só esperando por anos e anos, mas sempre há risco.

Os tempos atuais podem nos enganar: o mercado não sobe para sempre.

Os próximos anos podem (e provavelmente vão) mal acostumar muita gente ainda.

Em algum momento a festa acaba (sem neura também, acho que está longe de acabar aqui pelas bandas tupiniquins).

Mas você deve saber sempre investir em ações de qualidade e esperar.

É um jogo muito mais de paciência do que de conhecimento.

A grande vantagem é que cada ano adicional de espera, a recompensa por essa espera aumenta.

Como o árbitro francês falou para Neymar após ele tomar um cartão amarelo injusto, be patient.

Martin faz parte da equipe do GuiaInvest desde início de 2017. É Mestre e Bacharel em economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escreve para a TheCap na coluna Contra a Corrente.

E a dobradinha IRBR3 e BBSE3, vamos falar dessa dupla?

irbr3 ou bbse3

Caro leitor,

O ano mal começou e a BBSE3 (BB Seguridade) já anunciou que vai depositar na conta dos seus acionistas 3,15 reais por ação, o que equivale a 9 por cento da cotação atual dela.

Isso é maravilhoso para quem gosta de receber dividendos gordinhos.

Mas também é um ótimo exemplo para ficar ligado e se dar conta de que boa parte dessa festa é não recorrente, isto é, não vai acontecer novamente.

Não quero jogar água no seu chope, mas preciso te abrir os olhos.

Antes que ache que eu não gosto do papel, saiba que ela está entre as 10 ações pagadoras de dividendos que compõem a carteira do Canal Seleção de Dividendos​.

Dito isso, vamos aos fatos…

Em janeiro a empresa anunciou redução de capital.

Isso significa que ela achava a quantidade de dinheiro dos sócios era excessiva dentro da empresa.

Ela não precisava de tudo aquilo para manter suas atividades operacionais.

​ Portanto ela decidiu devolver parte dele para seus sócios.

Essa redução de capital é da ordem de 1,35 real por ação e representa 3,76 por cento da cotação atual dela.

Vai receber esse dinheiro quem tinha ações no dia 13 de janeiro de 2020.

Esse valor será pago no dia 30 de abril deste ano.

Esse tipo de evento é não recorrente, como já mencionei.

Portanto não conte com isso nos próximos semestres.

A outra parte do pagamento é de 1,90 real por ação que representa mais de cinco por cento do valor da ação.

Essa parte, sim, são dividendos referentes ao bom desempenho da companhia.

Vai ter direito a receber este valor quem tiver ações da empresa no dia 13 de fevereiro (dá tempo ainda).

“Marcelo, então pelo menos essa parte é recorrente?”

Não toda.

Esse valor é referente ao lucro da empresa no segundo semestre de 2019.

Neste semestre, houve um evento não recorrente grande. Foi neste semestre que a empresa vendeu sua participação na IRBR3 (lembra da semana passada?).

Com essa venda a companhia registrou um lucro muito grande.

E adivinhe?

Não tem outra IRBR3 para vender no semestre que vem. Portanto isso não vai ocorrer de novo no futuro.

Minha visão para o futuro da BB Seguridade é boa. Os lucros recorrentes da empresa apresentaram crescimento elevado em 2019.

Isso é excelente e é exatamente o que busco em uma ação boa pagadora de dividendos​.

Se você é acionista da empresa, abra uma champanhe e comemore.

Fique feliz com o seu resultado e também com os efeitos não recorrentes. Afinal eles foram (muito) positivos.

Só não perca contato com a torre. Mantenha sua expectativa no lugar.

Nos próximos semestres os proventos devem ser mais modestos.

​Abraço.

Marcelo Fayh atua profissionalmente no mercado financeiro desde 2007. Começou como operador de Bolsa, ministrou cursos e palestras pela XP Educação e teve seu próprio escritório de investimentos. Antes de virar analista, atuou como assessor de operações de Fusões e Aquisições. Acredita que qualquer pessoa é capaz de melhorar sua qualidade de vida através de escolhas e investimentos inteligentes. Escreve para o TheCap na coluna Fundos a Fundos.

Com dividendo de 7,3%, CIEL3 tá valendo?

Cielo vale a pena

Caro leitor,

Vamos falar sobre Cielo (CIEL3) e o que ela pode nos ensinar sobre a escolha de ações boas pagadoras de dividendos.

O grande desafio do investidor de dividendos é conseguir saber quem será a próxima grande pagadora de dividendos.

O passado quase sempre dá uma boa pista. Mas também nos prega boas peças.

Olhar para os maiores dividend yields (dividendo por ação/preço da ação) é uma forma comum de o investidor começar a sua procura.

Faz algum sentido até… Se for para começar por um lugar, que seja pelas maiores e não pelas menores.

O sentido também termina por aí.

Você está garimpando em um campo minado: está perto tanto do tesouro quanto das armadilhas escondidas.

Um caso clássico de armadilha (nem tão) escondida é a Cielo.

Uma empresa formidável, com margens absurdamente altas no passado, em um mercado com grandes barreiras de entrada.

Parecia blindada a qualquer mal.

A lógica era simples, cada vez que você passasse o cartão na sua maquininha, ela levava um pedacinho.

Acontece que um dia essas barreiras de entrada caíram.

Aí diversas empresas decidiram que também queriam entrar neste mercado de margens altíssimas.

Resultado é que várias de fato entraram no mercado, criando uma concorrência acirrada e derrubando as margens para todos.

Quem mais saiu ganhando foi o cliente com um serviço cada vez melhor e mais barato.

Olha o que ocorreu com os fabulosos números da empresa.

Receita líquida despencou:

Receita liquida ciel3

Lucro líquido foi junto:

Lucro liquido ciel3

E a sua geração de caixa das atividades operacionais:

caixa de atividades operacionais ciel3

Esse é um dos indicadores mais importantes.

Ela está gastando dinheiro para exercer a sua atividade. Das duas uma: ou ela reverte esse indicador, ou vai precisar se endividar para continuar funcionando.

Hoje a Cielo já mostra sinais claros de deterioração.

Apesar do Dividend Yield continuar bom.

dy ciel3

Que está bom muito mais em função da queda do valor da ação do que por causa do volume de lucros distribuídos:

dividendo pago por acao ciel3

Mas o investidor mais atento, aquele que se preocupa em entender o negócio da empresa mais do que só olhar indicadores, conseguiu ver que o seu futuro era duvidoso quando as barreiras de entrada caíram.

Esse investidor atento conseguiu cair fora antes.

Quem esperou os sinais claros (acima), já amargou algum prejuízo.

Quem esperar o Yield finalmente deixar de ser atrativo… Bom esse se ralou.

Lição: olhe para frente! Entenda o negócio no qual está investindo.

Esse é o tipo de cuidado que tenho com as ações no Canal Seleção de Dividendos​.

A propósito, na bolsa de valores hoje existem ações com resultados maravilhosos, cheias de gatilhos para terem um 2020 formidável. Você pode acessar essas ações formidáveis aqui.

Abraço.

Marcelo Fayh atua profissionalmente no mercado financeiro desde 2007. Começou como operador de Bolsa, ministrou cursos e palestras pela XP Educação e teve seu próprio escritório de investimentos. Antes de virar analista, atuou como assessor de operações de Fusões e Aquisições. Acredita que qualquer pessoa é capaz de melhorar sua qualidade de vida através de escolhas e investimentos inteligentes. Escreve para o TheCap na coluna Fundos a Fundos.

SANB11: puxando a locomotiva da bolsa

a primeira acao de 2020

Olá, como você vai?

Tenho uma reflexão pertinente para o atual momento do mercado e veja se você concorda comigo?

O Banco Santander Brasil (SANB11) vai abrir a temporada de resultados das empresas listadas bolsa de valores, referente ao exercício do 4º trimestre de 2019.

Toda cobertura dos resultados será feito pelo nosso portal parceiro, The Capital Advisor, que inclusive já publicou uma agenda completa​, com a data de divulgação de todas as empresas listadas.

E sabe por que isso é importante para você?

Porque é quando as empresas divulgam os resultados que podemos reforçar ou questionar teses de investimento.

Será que a Weg (WEGE3) vai largar mais um resultado espetacular e confirmar que é uma das melhores ações da bolsa e que toda sua alta de 2019 tem respaldo nos resultados?

Será que a Via Varejo (VVAR3) vai confirmar a tão esperada melhora nos resultados e se tornar uma das small caps mais promissoras da bolsa para 2020?

Será que a Itaúsa (ITSA4) vai novamente calar os críticos e mostrar que segue indo muito bem obrigado e, de quebra, anunciar um dividendo cavalar para março?

E a Magalu (MGLU3), continua crescendo no mesmo ritmo?

Isso você só sabe após a divulgação dos resultados.

Os números e a história da empresa são o que são.

Perspectivas futuras podem ser frustradas e, no longo prazo, o preço das ações responde ao desempenho dos lucros das empresas listadas.

A história narra o que foi, não o que poderia ter sido.

Sendo assim, é a partir da divulgação dos resultados que você tem as informações que mais importam para os seus investimentos.

Prestar atenção nisso é mais importante do que STF, Maia, Bolsonaro, Trump, Irã, China e afins.

Nem sempre o que rende mais assunto é o que mais importa.

Estamos otimistas com o momento das empresas listadas e acreditamos que muitos gatilhos positivos podem vir daqui​.

Existe risco de algo dar errado e dos resultados não saírem tal qual o esperado?

Claro que existe, do contrário seria um investimento mais do que óbvio.

O investimento em ações costuma dar muito retorno justamente por não ser óbvio.

Mas no caso das coisas darem certo nos próximos dias, sairá na frente que se posicionou antes.

Simples assim.

Martin faz parte da equipe do GuiaInvest desde início de 2017. É Mestre e Bacharel em economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escreve para a TheCap na coluna Contra a Corrente.

Dividendos, brinquedos e mesada… você lembra disso?

Caro leitor,

Primeiro, queria avisar que o nosso evento “O Grande Gatilho​” já está no ar. Agora deixa eu contar uma história para você.

Vamos voltar um pouco para nossa infância. Você consegue lembrar dessa época?

Quando eu era criança, meus brinquedos preferidos eram carrinhos, motos, aviões de guerra, barquinhos e helicópteros.

Minha imaginação ia longe e eu poderia ficar horas me divertindo com cada um deles.

Hoje, adulto, com filhos pequenos (um casal, de 2 e 3 anos), meus brinquedos são outros.

Não que meu gosto tenha mudado muito. É o orçamento mesmo que me impõe certas limitações.

Veja, eu continuo gostando de carros, aviões (não mais de guerra, mas aqueles pequenininhos), barcos e helicópteros.

Motos eu passo, são muito perigosas. Sabe como é: precisamos gerenciar o risco.

Minha imaginação, assim como quando era criança, vai longe pensando no quanto eu me divertia com esses singelos mimos.

Outra coisa que me deixava feliz quando criança era quando eu recebia minha mesada. Quem não gostava de uma mesada?

Era pouco, mas eu dava muito valor a ela. Não por ter eu trabalhado duro por aquele dinheiro, até porque eu era uma criança.

Acho que de certa forma eu sabia que o fato de o meu pai sair de casa antes mesmo de eu acordar e ser o último a voltar me dava uma noção que o dinheiro não vinha fácil (hoje eu sou pai e sei o quanto custa cada minuto longe dos filhos).

No final das contas eu tinha uma relação quase que de colecionador com dinheiro naquela época.

Eu sempre guardava uma boa parte dela pensando o que poderia comprar com o dinheiro acumulado.

Eu pegava aqueles folhetos de lojas e ficava vendo as ofertas e pensando naqueles itens já poderiam ser adquiridos.

E pensava que quanto mais eu guardasse, mais caro e mais legal poderia ser o produto adquirido.

Que sensação maravilhosa!

Hoje, já adulto, minha mesada são os dividendos recebidos dos meus investimentos.

Ainda não é muito, mas eu dou muito valor. Não que eu trabalhe duro por esse dinheiro.

Eu trabalho duro é para poder investir cada vez mais. Para “comprar” uma mesada cada vez maior.

Hoje essa “mesada” é suficiente para pagar algumas contas de casa.

Mas eu não uso ela ainda. Eu reinvisto e fico pensando que quanto mais eu acumular, mais contas eu vou poder pagar com ela.

Para um dia poder passar mais tempo em casa e manter o padrão de vida que proporciono para minha família.

Essas reflexões me mantém disciplinado e focado na idéia de viver de renda.

Foi, sem dúvida, uma das motivações para a criação do Canal Seleção de Dividendos​.

Uma forma de ajudar outras pessoas que querem o mesmo que eu: a liberdade financeira.

Um abraço.

Marcelo Fayh atua profissionalmente no mercado financeiro desde 2007. Começou como operador de Bolsa, ministrou cursos e palestras pela XP Educação e teve seu próprio escritório de investimentos. Antes de virar analista, atuou como assessor de operações de Fusões e Aquisições. Acredita que qualquer pessoa é capaz de melhorar sua qualidade de vida através de escolhas e investimentos inteligentes. Escreve para o TheCap na coluna Fundos a Fundos.

Como começar a receber dividendos este ano

Como receber dividendos este ano

Já imaginou viver de dividendos?

Pois isso é mais que possível. Inclusive, já explicamos como você pode viver de dividendos nesse artigo aqui.

Agora, se você quer saber como começar a receber seus dividendos a partir deste ano, preparamos um conteúdo mais que especial.

Continue a leitura!

O que são dividendos?

Para iniciar, vamos reforçar o nosso conceito sobre os dividendos.

Considere que você fez a compra de um lote de ações de uma determinada empresa.

Logo, você se tornou acionista. Um acionista, portanto, tem direito a receber uma parte do lucro que a empresa obteve dentro de um certo período.

Esse lucro é o que nós chamamos de dividendos.

Por que os dividendos são uma forma tão interessante de ganhar dinheiro?

Porque é fácil. Simples assim.

A partir do momento em que você já fez o investimento inicial, que é a compra de ações, depois é, literalmente, só receber os lucros dessa aplicação.

Viver de rendimentos é mais do que possível.

Se você está interessado em saber mais sobre esse assunto, o GuiaInvest possui uma Masterclass incrível, que vai te ajudar a conquistar a Liberdade Financeira.

É só clicar aqui e aprender como complementar a sua renda com dividendos.

Como receber dividendos?

Explicado como funcionam os dividendos, vamos para a segunda etapa, que é identificar as empresas que mais retornam dividendos aos seus acionistas.

Para isso, você precisa partir do pressuposto básico de toda empresa que tenha seu capital aberto:

  1. Quanto maior for o seu lucro, maior é o retorno para reinvestimento e pagamento de dividendos.

No entanto, também precisamos considerar que as empresas possuem um padrão de pagamentos.

Isso significa que, mesmo que o seu faturamento seja recorde, esse valor não será integralmente distribuído para os acionistas.

Cada empresa, em seu Estatuto Social, determina qual será a porcentagem de lucro que será paga aos participantes.

Ou seja, você precisa analisar o Estatuto Social de cada uma para identificar quais são as que mais pagam dividendos.

Mas não é só isso que influencia o pagamento de dividendos.

Nós já preparamos um artigo que te ajuda a identificar quais são as melhores empresas para investir.

Sendo assim, se a sua intenção é alcançar a Liberdade Financeira através da renda complementar, é fundamental que você saiba escolher as melhores pagadoras de dividendos.

Quer saber como? Então continue lendo.

Como identificar as melhores pagadoras de dividendos?

Viver de dividendos

Temos uma máxima famosa no mercado de ações, que consiste em “quanto maior o lucro, maior será o risco”.

Via de regra, essa afirmação não está incorreta.

No entanto, é possível encontrar algumas boas ofertas, que tenham um bom rendimento e com liquidez atrativa, que resulta em dividendos generosos.

Para isso, você precisa ter em mente que uma empresa que destina seu lucro ao pagamento de dividendos é considerada estável.

Isso porque é muito natural que elas, ao receber os lucros de suas operações, invistam em crescimento ou melhorias.

Se a empresa que você está de olho faz o pagamento de dividendos, é um sinal de que ela é próspera.

No site da Bolsa de Valores, você encontra uma área dedicada apenas a mostrar o IDIV (Índice de Dividendos BM&FBOVESPA).

O GuiaInvest possui o e-book Ranking: Top 10 Maiores Pagadoras de Dividendos. Baixe grátis clicando aqui.

Analise as opções e escolha a que mais te agrada.

Como começar a receber dividendos este ano?

Antes de te explicarmos a melhor maneira de receber dividendos desde já, é interessante que você compreenda que os pagamentos variam de acordo com cada empresa.

Lembra do Estatuto Social do qual falamos anteriormente?

Ele, além de determinar a porcentagem de dividendos que serão pagos aos acionistas, também determina em quanto tempo os investimentos serão revertidos aos participantes.

Por isso, o ideal é que você diversifique os seus investimentos, baseando-se, também, nos prazos de pagamentos dos dividendos.

Assim, você alcança aquilo que chamamos de renda passiva.

Sabendo isso, vamos para a parte mais ansiada: como receber dividendos ainda esse ano?

  1. Está na hora de deixar a poupança de lado

A maioria dos brasileiros, por medo ou por falta de educação financeira, faz as aplicações de seu dinheiro apenas na poupança.

Veja bem: apenas.

Isso não quer dizer que a poupança seja um mau negócio, mas você está, literalmente, deixando de ganhar dinheiro quando aplica somente lá.

Isso porque os juros que incidem sobre a poupança são bem menores que o de outros investimentos.

Ou seja: ao invés de aplicar o seu dinheiro na poupança, é hora de partir para o mercado de ações.

  1. Analise as suas opções

Como dissemos anteriormente, cada empresa possui um prazo delimitado para o pagamento de dividendos.

Veja quais são as opções que determinem o pagamento ainda este ano e faça a compra de uma cota de ações.

Lembre-se de que o pagamento dos dividendos é relativo ao valor do investimento.

  1. Diversifique os seus investimentos

Caso este seja o seu primeiro contato com o mercado de ações, pode ser que ainda esteja se sentindo inseguro.

Mas, calma. Daqui há pouco você já estará se sentindo um expert sobre investimentos.

É muito importante diversificar suas ações. Lembra daquela história de colocar “um ovo em cada cesta”?

Quando você já estiver recebendo os seus dividendos, procure reinvesti-los.

Para cada ação comprada, maior será a sua participação nos lucros das empresas.

  1. Mantenha a calma

Mesmo que o cenário seja animador e que você esteja extremamente empolgado para acompanhar o crescimento do lucro da empresa em que investiu, não recomendamos fazer isso.

Aliás, apenas investidores experientes, que trabalham com a oscilação dos mercados é que devem ficar acompanhando as variações a cada minuto.

Afinal, eles lucram com isso.

Já você deve se manter calmo. Ficar olhando a valorização da sua empresa todo dia, te levará a ver coisas que não quer. No caso, a desvalorização.

Isso é totalmente comum.

Empresas podem flutuar de acordo com o mercado. Isso não significa, necessariamente, que você estará perdendo dinheiro.

Lembre-se de que os investimentos são feitos à longo prazo. Após investir, apenas acalme-se e espere os seus dividendos chegarem em seu bolso.

Temos um conteúdo que pode te interessar bastante. Já que quer viver de dividendos, que tal aprender como Receber R$ 2.154 por mês de dividendos?