Liberdade Financeira em até 10 anos

“O rendimento dos meus investimentos acaba sendo a minha fonte de renda alternativa”

“Hoje as oscilações do Ibovespa ou a crise não me preocupam porque sei que estou utilizando uma estratégia segura”

Resultados:

20% de rentabilidade em 2018
Investimentos que realizaram o sonho de comprar um terreno em Búzios
Ganhos independentes do cenário econômico

Fábio Rodrigues, 40 anos, é engenheiro florestal de formação e trabalha como servidor de uma grande empresa estatal do setor elétrico. Em meados de 2014 Fábio resolveu ir atrás de educação financeira com o objetivo de encontrar novas fontes de renda. “Eu nunca aceitei a ideia de ter que continuar a trabalhar mesmo depois de aposentado”, comenta.

Na busca por informações que pudessem ajudar ele a começar a investir com maior rentabilidade, o engenheiro encontrou os conteúdos do GuiaInvest. O passo seguinte foi assinar ao plano PRO, o que facilitou que começasse a investir em ações por conta própria.

Na procura por aumentar a renda, acabou investindo em alguns negócios que não foram tão promissores. Quando percebeu, o valor que poderia ser aportado em bons ativos estavam sendo destinados para um negócio que não dava retorno. Foi então que abriu mão deste negócio e começou a aumentar a quantia que colocava em ações.

A Solução

Fábio relembra que em 2008 teve sua primeira experiência com ações e foi extremamente traumática, perdeu dinheiro. Este foi o motivo de ter ficado fora do mercado até 2016, quando percebeu que estava diante de uma grande oportunidade na Bolsa.

Foi nesta época que descobriu a análise fundamentalista e começou a investir no mercado fracionário. E foram os investimentos que ele fez entre 2016 e 2018 que viabilizaram que ele realizasse o sonho de comprar um terreno em Búzios, no Rio de Janeiro. “Nesta época cheguei a conseguir rentabilidade de até 50%”, afirma.

O engenheiro explica que chegou um momento em sua vida em que sentiu a necessidade de encontrar alternativas de aumentar a sua renda. “Costumo dizer que eu tiro leite da pedra. Porque sou funcionário de uma empresa pública sem grandes perspectivas de aumento. Por isso que aumentar os meus aportes mensais é tão importante. O rendimento dos meus investimentos acaba sendo a minha alternativa de renda extra”, afirma Fábio.

“Hoje as oscilações do Ibovespa ou a crise não me preocupam porque sei que estou utilizando uma estratégia segura”, destaca. E por fim, Fábio comenta que projeta conquistar a Liberdade Financeira em no máximo 10 anos.

Como Investir de Verdade

Você Imaginou poder ser sócio de grandes empresas, e aplicar seu dinheiro em um negócio que você acredita?

A ideia de possuir parte de grandes empresas sempre fascinou Fernando Rocha Filho, advogado empresarial de Curitiba, que desde cedo se interessa por investimentos em ações.

Casado e pai de uma menina de seis anos, ele diz que sempre gostou muito do mercado financeiro e por isso, há pelo menos duas décadas busca aprender a como investir de verdade.

Desde 2000, Fernando se diz empolgado e confiante para investir na Bolsa de Valores.

Mas nem tudo são flores… Até perceber o verdadeiro sentido de investir, ele conta que tomou algumas decisões precipitadas e ficou um tempo especulando na bolsa.

Resultados

  • Identificou oportunidades de investimentos extremamente atraentes, principalmente desde meados de 2015, gerando rendimento consistente e expressivo durante todo ano de 2016;
  • Plano de ser investidor em tempo integral em menos de 10 anos.

O Problema

Mesmo sem muita experiência e em uma época que existiam poucas informações disponíveis nesse mundo dos investimentos, esperando resultados milagrosos, foi atrás e teve o seu primeiro contato com o mercado financeiro buscando informações nas corretoras de conhecidos.

“Antigamente não existia o home broker, então você ia na corretora, olhava aquele ambiente todo, ficava empolgado, escutava algumas dicas e comprava. Eu esperava ter aqueles resultados impressionantes, naquela ilusão do ganho rápido e fácil”

Até no mercado de opções Fernando chegou a se aventurar. Se arrependeu.

Aos poucos foi ganhando experiência, mas ainda assim faltava o conhecimento que o transformaria em um verdadeiro investidor.

“Comecei a entender um pouquinho mais o funcionamento e para que serve a Bolsa de Valores… e acabei optando pela Análise Técnica ao longo desses anos, tentando adivinhar o caminho das ações”

Entre 2006 e 2008, o advogado percebeu que deveria começar a entender melhor sobre as empresas em que gostaria de investir, avaliando os fundamentos e a “saúde” de cada uma delas.

“Desde pequeno eu ouvia histórias de amigos do meu pai que sempre foram investidores e compraram ações do Banco do Brasil já na década de 1960, quando você só podia comprar em São Paulo. Um dia, um deles chegou para mim e falou assim ‘Fernando, com o que eu tenho de ações do Banco do Brasil hoje eu consigo comprar um prédio inteiro na Avenida Paulista, para você ter uma ideia’. E ele começou comprando aos poucos. Foi então que eu pensei: ‘Esse é o verdadeiro investidor’”.

Isso o despertou a começar investir da maneira certa.

Foi quando decidiu pesquisar diversos sites para aprender um pouco mais sobre os fundamentos das empresas, e assim encontrou o GuiaInvest, em meados de 2009.

“Achei o site extremamente didático e objetivo.. Senti que era claro, honesto e realmente entregava o que que propunha. Sempre senti uma postura muito honesta, até para quem não era assinante”.

A Solução

Foi buscando cada vez mais conhecimento que Fernando percebeu que o melhor caminho para comprar ações era o dos fundamentos.

Quando começou a se aprofundar em livros e estudos sobre investimentos, percebeu que a análise fundamentalista era a estratégia mais acertada para quem quer realmente construir um patrimônio com ações.

Nesse sentido, ele diz que o Plataforma GuiaInvest foi um aliado nos momentos de tomar decisão de escolher as empresas certas.

“A Análise Técnica de ações é interessante, mas apenas como mais uma ferramenta, um acessório pra você entender um pouquinho do momento. Às vezes soa quase como uma picaretagem de ações, e não é esse o meu objetivo. Meu objetivo é ter no meu portfólio empresas de valor, empresas que geram resultados, que são bem geridas e bem administradas”.

Quando já estava estudando, recebeu um e-mail do Time da GuiaInvest para o treinamento Árvore da Riqueza, que ensina o passo a passo para investir e escolher as boas empresas.

E diz que depois de fazer o curso, conseguiu enxergar com propriedade e segurança o que efetivamente quer comprar e manter no seu portfólio de investimento.

“Na Ferramenta GuiaInvest eu utilizo sempre o Raio-X e o Stock Guide, que mostram as melhores ações pelos fundamentos com uma análise prévia. Aquela análise é fantástica e você tem segurança, você sabe que você tem empresas de qualidade na sua carteira. Eu nunca mais escutei uma notícia sobre empresa depois que eu conheci o GuiaInvest, nunca mais escutei papo furado de amigo, de dica”.

Agora, Fernando investe sozinho com segurança e diz que cada vez que alguém tenta recomendar algum papel, na mesma hora, abre o Raio X no smartphone e já vai rebatendo as recomendações recebidas.

“Quando me perguntam do GuiaInvest eu não tenho outra forma de me expressar que não seja com entusiasmo, pelo reflexo que isso tem na minha vida”.

Quer contar sua história também? Vamos adorar escutar.

Mande um email para contato@guiainvest.com.br

Um abraço e até a próxima.

Lírio Parisotto: O ex-agricultor que virou bilionário na bolsa

De origem humilde, Lírio Parisotto construiu uma fortuna de cerca de R$ 2 bilhões. Mas a trajetória de um dos homens mais ricos do mundo no mercado de capitais também traz muitos tropeços. Sua história é uma lição de perseverança, gestão do risco e muito sucesso nos investimentos.

Casos de sucesso dos grandes investidores são fonte de inspiração e aprendizado para quem está iniciando na Bolsa de Valores. A história de Lírio Parisotto é uma delas.

Ele já fez escolhas equivocadas e perdeu dinheiro na Bolsa de Valores. Mas também aprendeu com os erros e alcançou um patrimônio considerável em ações.

O ex-agricultor não faz day trade, não investe em imóveis, e acredita que investir no próprio negócio pode ser até mais arriscado do que investir em ações.

Parisotto utiliza critérios de análise fundamentalista e acredita que o investimento de longo prazo (do tipo buy and hold), é uma das melhores maneiras de obter bons rendimentos em renda variável.

Quem é Lírio Parisotto

Lírio Albino Parisotto nasceu em 18 de dezembro de 1953 em Nova Bassano, no Rio Grande do Sul.

De acordo com a revista Forbes, Parisotto ocupa a 1477ª posição do ranking dos homens mais ricos do mundo de 2018, e a 33ª do Brasil, com uma fortuna estimada de 1,6 bilhão de dólares.

Mas nem sempre foi assim. De origem humilde, filho de agricultores, passou a infância ajudando seus pais no minifúndio da família.

Aos 13 anos decidiu que a vida no campo não era o que queria e correu atrás do seu objetivo. Abandonou a vida de agricultor e foi para o seminário e depois se formou em medicina, atividade a qual não exerceu por muito tempo.

Para pagar os estudos, Lírio fez de tudo um pouco. Foi bancário, comerciante, gerente de um frigorífico, até entrar no ramo industrial, quando inaugurou sua empresa, a Videolar.

A fábrica foi a primeira fabricante de videocassetes no Brasil e também uma das pioneiras na produção de DVDs e Blu-ray.

Junto com o crescimento da VideoLar, também começou a “nascer” a figura do investidor Lírio Parisotto.

O Investidor Lírio Parisotto

Lírio Parisotto: O ex-agricultor que virou bilionário na bolsa

A primeira experiência do ex-agricultor no mercado de ações não foi boa, mas nem por isso desistiu.

O bilionário brasileiro teve dois grandes fracassos antes de começar a colher os frutos dos investimentos em ações. Aprendeu com os erros e decidiu estudar o mercado para construir uma boa carteira de ações.

1ª experiência na bolsa de valores

Sem formação em economia, Lírio Parisotto ingressou pela primeira vez no mercado de ações em 1971. Nessa época ouvia muitas histórias sobre como ganhar dinheiro rápido e dobrar o investimento em poucos meses.

Na esperança de ganhar dinheiro fácil, abriu mão das economias reservadas para comprar um carro (valor equivalente a um Fusca na época) e investiu tudo em ações. Resultado: fracassou miseravelmente.

2ª vez na Bolsa

Apesar do primeiro fracasso, não desistiu. Em 1986, um pouco antes de abrir seu negócio, o gaúcho investiu US$ 500 mil na bolsa, que fazia parte do giro financeiro da Videolar.

Por conta de escolhas equivocadas, teve seu maior prejuízo e perdeu 40% da aplicação.

A volta por cima

Se por um lado, sua carreira de investidor parecia destinada ao fracasso, a de empresário ia a todo vapor. O então dono da Videolar lia muito sobre a economia brasileira e percebeu que mesmo com a queda do mercado muitas empresas continuavam crescendo. Decidiu que isso era uma boa maneira de investir.

Mesmo com as experiências anteriores frustradas, no início dos anos 90, Lírio entrou novamente na Bolsa logo depois que o mercado entrou em grande queda.

Investiu 2 milhões de dólares e estabeleceu um stop de ganho para sair do mercado assim que o valor dobrasse. Aplicou novamente em ações e conseguiu quadruplicar o valor inicial.

Com esse dinheiro, o empresário recuperou os prejuízos anteriores, fez a VideoLar crescer e comprou a outra parte da empresa para se tornar dono de 100% do negócio.

A carteira atual de ações

Depois de um período sem investir, somente em 1998 Parisotto voltou ao mercado de ações onde fez um investimento inicial de US$ 6 milhões e formou sua carteira atual de ações composta por cerca de 12 empresas.

Para obter lucros e alcançar o sucesso, se inspirou nas técnicas da análise fundamentalista e na estratégia buy and hold, usada por outros megainvestidores, tais como Warren Buffet.

Parisotto diz que atualmente compra ação para casar, mas que isso não quer dizer que não possa dar divórcio.

Ele reinveste os dividendos e só insere uma nova empresa na carteira para substituir outra. Em seu portfólio estão empresas dos setores de siderurgia, mineração, energia e bancário.

Durante a crise financeira de 2008, o investidor não vendeu suas ações e aproveitou o momento para comprar. Apesar de uma perda, seu patrimônio não só se recuperou rapidamente como cresceu com a retomada da economia.

10 dicas do bilionário Lírio Parisotto

A trajetória de sucessos e fracassos, fez Parisotto aprender muito sobre os investimentos e, inclusive, elaborar seus dez mandamentos para quem investe em ações.

Veja as dicas de um dos maiores investidores pessoa física da BM&FBovespa para investir:

1- Cuidado com ofertas públicas de ações – IPO

Lírio considera os IPOs muito mais marketing e que no período de lançamento de novas ações, elas geralmente estão mais caras do que deveriam ser e que nem sempre a expectativa se reflete em realidade.

Há exceções, mas são raras. Por isso, segundo Parisotto, não se deve perder tempo com a Oferta Pública de Ações (IPOs)

2- Diversifique, mas não tanto

Esse é um princípio bastante interessante. Em geral, as pessoas acreditam que quanto maior a diversificação, melhor, pois assim o risco diminui, uma vez que o desempenho não depende de apenas algumas poucas ações. O que não deixa de estar correto.

Porém, o grande problema está no excesso de ações, pois assim, você também não tem tempo de acompanhar todas de perto.

Por isso, tenha na sua carteira apenas a quantidade de ações que você possa acompanhar. Lírio não possuir mais do que 14 ações na sua carteira.

3- Cuidado com setores sensíveis

Parisotto considera setores aéreos e varejistas setores sensíveis por nunca apresentarem um desempenho surpreendente no longo prazo e sofrerem muitas oscilações.

Por outro lado, considera o setor siderúrgico e de energia mais robustos, pois dificilmente encontra alguma que quebrou.

4- Fique longe de empresas com sede em países exóticos

O investidor considera muito difícil confiar nos dados de empresas com sedes em países exóticos. Uma vez que elas obedecem outros regulamentos que nem sempre são transparentes com o investidor.

5- Não compre ações de empresas que deem prejuízo

Segundo o megainvestidor, muitas pessoas investem em ações de empresas que dão prejuízo porque elas estão mais baratas e tem a expectativa que elas se recuperem. Porém, isso raramente acontece.

6- Liquidez é fundamental

Mesmo no longo prazo, é importante que as ações tenham liquidez para que se consiga comprar ou vender ações quando necessário.

7- Procure ações boas e baratas

Ações baratas são facilmente encontradas, mas ações de qualidade é diferente. Não adianta esperar 50 anos para que a empresa gere lucro.

Momentos de crise são ótimos para se comprar ações boas e baratas.

8- Avalie ações por conta própria

O mercado só comenta ações queridinhas e que estão em alta no momento. Seguir os boatos é muito arriscado.

Aprender a investir por conta própria permite a você encontrar as melhores oportunidades antes dos outros.

9- Coragem na baixa e cautela na alta

Durante as quedas na Bolsa, não se deve sair vendendo desesperadamente suas ações. Controle o medo. Geralmente esses momentos trazem oportunidades para comprar ações ainda mais baratas.

10- Pense fora da caixa para investir

Invista uma parte do seu dinheiro em um investimento de maior risco e que está fora do radar dos outros, mas que ao mesmo tempo possa ter a possibilidade de um alto crescimento.

 

Para Lírio Parisotto, é fundamental que o investidor saiba onde está investindo seu dinheiro. E que muitos perdem dinheiro na bolsa de valores por ganância e falta de paciência.

Essas 10 dicas resumem importantes princípios de investimento usadas por grandes investidores. Inspire-se, aprenda sobre o mercado e comece a pensar como eles.

Faça como Lírio, invista em ações e faça parte da nova geração de milionários que está se formando.

24 por cento em 11 meses

Olá, hoje vou contar a história do Guilherme, que depois de fazer aplicações erradas, descobriu o melhor investimento para quem não tem tempo de se dedicar integralmente à Bolsa de Valores.

O administrador de empresas Guilherme Petry, 38 anos, começou a “brincar” na Bolsa de Valores em 2004, por influência do irmão que já trabalhava no mercado financeiro.

Por falta de conhecimento, não escolhia ações pela solidez da empresa e seus fundamentos.

Investia nas “estrelas” do Índice Bovespa, até que a crise de 2008 o fez perder o dinheiro e a motivação.

Depois disso ficou muito tempo sem aplicar em ações. Foi só em 2016 que decidiu voltar, quando fez o curso Árvore da Riqueza e começou a utilizar a Ferramenta GuiaInvest.

Resultados

  • Conhecimento para deixar de ser especulador e ser investidor de verdade;
  • 24 por cento de rendimento médio nas ações em menos de um ano;
  • Certeza de que em alguns anos chegará à tão sonhada liberdade financeira.

O Problema

Não era o medo de investir que impedia Guilherme de ganhar dinheiro na Bolsa de Valores.

Por influência do irmão que já atuava no mercado financeiro, o administrador de empresas de Porto Alegre/RS diz, que começou a “brincar” de comprar ações.

“Naquela época havia muito IPO (Oferta Pública inicial) , mas eu comprava só as grandes empresas do Índice Bovespa, como Petrobras e Vale, sem saber muito.”

Sem conhecimento adequado e nem uma estratégia definida, ele apenas seguia os conselhos tendenciosos se privando de avaliar se eram bons ou não.

Em 2008, a crise chegou, Guilherme perdeu dinheiro e preferiu parar de investir.

Até que, em 2010, conheceu o GuiaInvest. Aos poucos, foi perdendo as objeções que tinha em relação à Bolsa de Valores.

“O que me motivou a voltar a aplicar na Bolsa foi o curso Árvore da Riqueza, junto com a Ferramenta GuiaInvest, que foi como um complemento. Percebi que o treinamento ensina como entender as premissas que estão por trás dos indicadores. Quando assinei me animei a voltar a comprar ações, e segui totalmente as recomendações que vi no treinamento.”

Além de aprender a melhor forma para escolher ações, Guilherme ainda cita como vantagem a facilidade de encontrar os indicadores com a ferramenta, mesmo sem muito tempo para se dedicar aos investimentos.

“No Stock Guide eu posso selecionar de uma maneira simples as empresas que são cinco estrelas, as que preenchem todos os requisitos ensinados no curso Árvore da Riqueza. Tudo de uma maneira mais visual, resumida”.

A Solução

A mudança verdadeira aconteceu na vida de Guilherme em julho de 2016.

Foi ali que começou a trajetória de investidor (e não mero especulador) de boas ações.

Ele selecionou sete empresas segundo os critérios ensinados pelo Treinamento Árvore da Riqueza e decidiu não mexer mais nelas, apenas analisar, de tempos em tempos, se os fundamentos permanecem bons.

“Eu não comprei para ficar circulando, ficar olhando, tipo ‘o valor subiu, então vou vender…’. Eu comprei e quis manter, para ver o que que iria acontecer depois de um ano… Para minha surpresa, mesmo tendo comprado em um momento turbulento para o mercado, com a eleição do Trump, as ações que eu comprei foram aumentando de valor.”

Assim como outros personagens das Histórias de Sucesso, o que o caso do Guilherme mostra é que, quando os fundamentos da empresa são bons, não importa o que está acontecendo no mercado.

Pode até ser que por um momento o preço caia, mas o foco é no longo prazo.

“Sou uma prova viva de que o método funciona. Não sou uma pessoa que entra todos os dias para ver como está o mercado e especular. E isso é uma grande vantagem também, porque para aquela pessoa que não tem tempo, que não gosta de ficar acompanhando o tempo todo, o GuiaInvest é uma ótima ferramenta.”

Desde que decidiu dar um voto de confiança no GuiaInvest e voltar a investir, Guilherme já alcança um rendimento médio anual de 24 por cento, mais do que qualquer aplicação de renda fixa ou outro investimento conservador.

“Isso me dá mais confiança para continuar e prova que realmente funciona.”

Guilherme prefere não traçar, por enquanto, nenhum objetivo específico com os rendimentos que já conquistou e irá alcançar nos próximos anos.

Tem como meta que seu patrimônio aumente 15 por cento ao ano e prefere saber, somente, que isso irá proporcionar o ativo mais importante na vida de qualquer ser humano: A liberdade!

Você também quer ter bons retornos nos seus investimentos?

Assim como o Guilherme, você também pode aprender a fazer o melhor investimento para quem não tem tempo de se dedicar em tempo integral à Bolsa de Valores.

A Ferramenta GuiaInvest ajuda você a ganhar agilidade na hora de selecionar as melhores empresas da bolsa, reunindo todas as informações em apenas uma ferramenta.

Eufrásia Teixeira Leite: conheça a história da primeira mulher a investir na bolsa de valores brasileira

O ano era 1873 quando Eufrásia Teixeira Leite investiu a primeira vez em ações e multiplicou inúmeras vezes a fortuna herdada de seus pais.

Em uma época em que as mulheres tinham um papel secundário na sociedade, de dependência e obediência ao marido, Eufrásia viveu conforme suas escolhas. Nunca se casou e se tornou uma das mulheres mais ricas do seu tempo.

Apesar de pouco se falar sobre a primeira brasileira a investir na bolsa, sua história de sucesso merece ser compartilhada. Nos dias de hoje, as mulheres ainda são minoria no mundo dos investimentos. Do total de cadastros na B3, apenas 21,4% são mulheres.

Já está na hora de mudar isso. Conheça a história inspiradora dessa investidora.

Quem foi Eufrásia Teixeira Leite?

Eufrásia Teixeira Leite nasceu em 1850 na cidade de Vassouras, cidade no Vale do Paraíba, Rio de Janeiro. Filha caçula de Joaquim José Teixeira Leite e Ana Esméria Corrêa e Castro. Tinha uma única irmã, Francisca Bernardina Teixeira Leite e um irmão que morreu ainda na infância.

De família de barões e comissários de café, aprendeu a lidar com números desde muito nova, incentivada pelo pai para ser gestora de sua imensa fortuna.

Com a morte precoce de seus pais em 1872, ela e a irmã herdaram uma fortuna equivalente a 5% do PIB do café na época.

Em 1873, Eufrásia, com seus 22 anos, e a irmã mais velha, com 28, contrariaram todos os padrões da época e decidiram deixar o país e se mudar para Paris.

Foi em solo europeu que ela começou a multiplicar sua fortuna, operando nas principais Bolsas do mundo.

A primeira brasileira a investir na Bolsa

Com a morte dos seus pais, Eufrásia Teixeira Leite passou a administrar a herança dela e da irmã e, mais uma vez, desafiou os padrões e decidiu aplicar parte do capital na Bolsa de Valores.

Naquela época, a Bolsa era um universo considerado exclusivamente masculino. As mulheres eram proibidas de frequentar diversos espaços, inclusive o local onde eram realizadas as negociações.

Dessa forma, as investidoras tinham que ficar em um andar separado. Para fechar os negócios, era necessário o uso de um intermediador.

Investir na Bolsa de Valores em si era uma atividade bem diferente do que é hoje. Toda comunicação era feita através de aparelhos semelhantes a um telégrafo.

Apesar de todas as dificuldades impostas, o talento de Eufrásia para os negócios era notável. Ela multiplicou várias vezes o patrimônio familiar e deixou uma herança que poderia comprar 1850 quilos de ouro na época. Se vivesse hoje, Eufrásia seria considerada bilionária.

Os investimentos de Eufrásia

Eufrásia Teixeira Leite diversificou sua carteira de investimentos e aplicou sua herança em diversas modalidades. Na Bolsa de Valores, operou por 55 anos, em 17 países diferentes e em nove moedas.

Foi grande incentivadora do desenvolvimento industrial da época. Na Europa, comprou ações de indústrias extrativistas, companhias ferroviárias, companhias de energia elétrica, produção de petróleo, entre outras.

No Brasil, Eufrásia foi acionista de grandes empresas como a Companhia Antárctica Brasil, que hoje em dia compõe a Ambev. E também de companhias têxteis, tais como a Companhia América Fabril, Cia. de Fiação e Tecidos Aliança, Cia. Tecelagem de Seda Ítalo-Brasileira.

Comprou também ações do Banco do Brasil, Banco Comércio e Indústria de São Paulo, Banco Mercantil do Rio de Janeiro, e companhias ferroviárias, como Cia. Mogiana de Estradas de Ferro, Cia. Paulista de Estradas de Ferro, Estrada de Ferro Madeira-Mamoré.

O legado de Eufrásia Teixeira Leite

Desde que se mudou para a Europa, Eufrásia veio somente duas vezes ao Brasil. Seu retorno definitivo ocorreu em 1928, onde se manteve reclusa na Casa da Hera, em Vassouras. Hoje, sua antiga residência é um museu que guarda um pouco de sua história.

A primeira investidora brasileira viveu seus últimos anos em um apartamento em Copacabana, no Rio de Janeiro e faleceu em 1930 sem deixar herdeiros diretos.

A maior parte de sua fortuna foi doada para instituições educacionais e assistenciais de sua cidade natal.

Eufrásia Teixeira Leite foi uma mulher inspiradora. Decidida e independente, serve de exemplo para muitas brasileiras que querem investir.

Mais informações sobre essa brasileira incrível podem ser encontradas no livro “Quero Ser Eufrásia” escrito pela pesquisadora e analista financeira Mariana Ribeiro.

Eufrásia Teixeira Leite: conheça a história da primeira mulher a investir na bolsa de valores brasileira

A cada ano, aumenta o número de mulheres no mercado de investimento, seja de forma profissional ou como investidoras de sucesso. Mas as mulheres podem muito mais. O potencial feminino para as finanças merece ser valorizado.

Veja mais exemplos de mulheres milionárias, se inspire e comece a trilhar seu caminho rumo à Liberdade Financeira.

O que aprender com 7 mulheres que ficaram milionárias antes dos 30

mulheres milionárias

O ano de 2018 vai entrar para história como o ano da mulher: a pauta do empoderamento feminino ganhou importância na sociedade. A china com seu mercado em ascensão criou uma geração de novas mulheres bilionárias.

Elas têm se posicionado em lugares de destaque em grandes empresas globais, apesar de ainda haver poucas na lista de bilionários essa situação tem começado a se reverter. Além dos negócios, o mundo do entretenimento tem ficado mais inclusivo, a atriz e diretora Robin Wright assumiu a direção e protagonismo para finalizar a aclamada série House of Cards da Netflix.

Neste artigo, você conhecerá uma lista de sete mulheres milionárias, suas trajetórias e características importantes que as tornaram cases de sucesso. Portanto, se você está em busca de aprendizado para aumentar seus investimentos, conheça essas empreendedoras!

1. Luiza Helena Trajano

Conhecida por comandar a rede de lojas varejista Magazine Luiza, ela está a vinte e sete anos à frente da empresa. Luiza Trajano revolucionou os negócios de sua família por meio de uma liderança visionária.

Sua forma de inovadora de liderar colocou a Magazine Luiza entre as varejistas mais conceituadas do mercado brasileiro. Isso se deu pela proximidade que criou com seus funcionários e clientes.

Desde os doze anos, Luiza trabalha no negócio, entretanto, foi ao atingir a maioridade que ela mudou o modelo empresarial da rede oferecendo e-commerce, bonificações aos funcionários e uma gestão humanizada, que deu à loja o título de uma das melhores empresas para se trabalhar.

2. Cristina Junqueira

Definitivamente uma das maiores inspirações para os Millennials, Junqueira é a única sócia brasileira e mulher da fintech Nubank que estremeceu o setor bancário no Brasil — conhecido por ser um dos mais concentrados.

Junqueira é graduada em engenharia de produção na USP, tem mestrado em engenharia na Escola Politécnica da USP e, MBA em finanças e marketing de uma das mais prestigiadas faculdades de administração dos EUA, a Kellogg School of Management.

Após sua passagem pelo Unibanco, onde pediu demissão por desconcordância de ideias, se juntou aos sócios David Vélez e Edward Wible e criaram uma das fintechs mais inovadoras do mundo, com valores de desafiar e dar espaço ao novo.

3. Laurene Powell Jobs

Com uma fortuna avaliada em US$ 18,8 bilhões é a 6ª mulher mais rica do mundo. Essa empresária e filantropa americana fundou a Emerson Collective, voltada para atividade de impacto social, preservação ambiental, reforma migratória e políticas de educação. Além disso, é cofundadora e presidente do College Track, uma instituição que auxilia estudantes desfavorecidos do ensino médio a ingressar na universidade.

Ela cresceu em West Milford, New Jersey. Tem bacharel de artes em ciências políticas pela University of Pennsylvania School of Arts and Sciences e um bacharel de ciência em Economia pela Wharton School of the University of Pennsylvania. Em 1991, recebeu seu MBA pela Stanford Graduate School of Business.

Powell Jobs também possuiu 38,5 milhões de ações da Apple Inc. e coordena o Laurene Powell Jobs Trust, antigamente conhecido como Steve Jobs Trust — antes do falecimento de seu marido Steve Jobs — que detém 7,69% da participação da The Walt Disney Company, cerca de 130,6 milhões de ações tornando-se a maior acionista.

4. Roberta Ramalho

Ramalho é uma jovem empreendedora brasileira que comanda um dos mais conceituados estaleiros do Brasil. O desafio da presidência da Intermarine veio logo na adolescência, após o falecimento de seu pai.

Entretanto, antes de assumir a presidência, passou por muitos departamentos da empresa aprendendo sobre os processos operacionais de fabricação de barcos. A infância foi essencial, já que conviveu próximo aos funcionários.

Em um meio masculino, Ramalho encontrou dificuldades, mas sempre teve firmeza e convicção para dar continuidade aos negócios. Os objetivos não param por aí, ela pretende contratar mais funcionários e uma expansão global. Toda essa seguridade garante espaço na lista de mulheres milionárias.

5. Kylie Jenner

Essa empresária e digital influencer americana conquistou um feito inimaginável. Três anos após fundar a Kylie Cosmetics, acumulou uma fortuna avaliada em US$ 900 milhões. Com apenas 21 anos, está prestes a se tornar a pessoa mais jovem bilionária dos EUA com sua própria fortuna.

Distante do mundo empresarial, Jenner também é uma das pessoas mais requisitadas pelas marcas globais para comerciais. O sucesso do comercial da empresa de equipamentos desportivos PUMA é um exemplo disso, já que existe uma maior dinâmica com jovens.

A Kylie Cosmetics tem apenas sete funcionários, os processos de produção são terceirizados. Essa forma concentrada de administração tem inspiração em startups que recebem milhões em aportes financeiros.

6. Susanne Klatten

A herdeira da BMW, Susanne Klatten, ajudou a transformar a empresa em uma corporação global listada no DAX-30 (índice alemão das 30 companhias abertas com melhor desempenho financeiro).

Após a morte do seu pai, recebeu ações da Altana, uma empresa europeia de químico-farmacêuticos de grande porte. Sua fortuna atualmente está avaliada em US$ 25 bilhões, sendo a mulher mais rica da Alemanha e a terceira mundial.

Ela tem formação de administração e economia em Frankfurt, e mestrado em administração pela Universidade de Lausanne na Suíça. O setor automobilístico tem poucas mulheres e Susanne Klatten reescreveu esse paradigma.

7. Alice Walton

Walton conquistou um feito gigantesco ao encabeçar a lista de mulheres mais ricas do mundo. Com uma fortuna de US$ 46 bilhões é a 16.º na classificação geral. É filha do fundador do Walmart e, não participa diretamente na gestão da empresa, contudo tem ações da companhia e recebe dividendos.

Sua formação foi feita na Trinity University, vive em um rancho no estado do Texas. Suas paixões são cavalos e o museu Crystal Bridges Museum of American Art, fundado no Arkansas, que abrange uma coleção de US$ 500 milhões.

Ao longo de sua carreira trabalhou como analista de patrimônio e gerente financeira da First Commerce Corporation, esteve na liderança de atividades de investimentos do Banco Arvest e foi corretora da EF Hutton. Walton também foi fundadora, presidente e CEO do Llama Company um banco de investimentos americano.

As características dessas importantes mulheres milionárias

A trajetória dessas mulheres milionárias e empoderadas não foi nada simples de se conquistar. Mesmo as que herdaram fortunas precisaram dar continuidade e reinventar os negócios familiares.

Essas mulheres compartilham traços semelhantes como perseverança, inovação e capacitação. São inspirações para todos os públicos, femininos e masculinos, que buscam a liberdade financeira e sucesso. Elas desafiam uma sociedade extremamente conservadora, quebram arquétipos e abrem espaço para outras mulheres conquistarem cada vez mais representação.

Como abordado no artigo, esses exemplos de mulheres milionárias traçaram caminhos diferentes e viveram realidades distintas. Ainda assim, compartilham os desejos de mudanças, de fazer diferente e tornar o mundo um lugar mais igualitário, por isso conquistaram sua liberdade tão cedo e, mostram a você como é possível chegar a sua autonomia financeira.

Agora que você conhece casos de mulheres milionárias que desafiaram o status quo, que tal assistir a uma aula sobre dividendos para um dia poder viver da rua renda? Não perca essa oportunidade incrível!

Luiza Trajano: o segredo do sucesso da Maganize Luiza!

luiza trajano o segredo do sucesso da maganize luiza

De uma jovem que trabalhava no balcão da loja da família à primeira mulher a ocupar o topo da lista dos 100 líderes mais bem-vistos, hoje você vai conhecer a Luiza Trajano e o segredo do sucesso da maganize luiza.

A trajetória de Luiza Trajano, dona da rede Magazine Luiza, é uma aula de empreendedorismo e de como chegar ao sucesso na vida, honrando seus valores.

Ela conseguiu transformar o pequeno negócio familiar em uma empresa de 900 lojas e 22 mil funcionários que já quebrou vários recordes durante seus mais de 30 anos de atuação.

Ficou interessado em saber mais sobre a história dessa grande líder? Continue a leitura!

Quem é Luiza Trajano?

A Magazine Luiza foi fundada em 1957, por outra Luiza Trajano e seu marido, em Franca (interior de São Paulo).

Aos poucos, a jovem Luiza Helena Trajano, sobrinha da fundadora, foi conseguindo ganhar espaço dentro da empresa e fazer seu nome. A personagem do nosso artigo, que levou a companhia ao patamar atual, assumiu o topo do comando em 1991.

Desde então, o sucesso vem sendo creditado a ela e à sua estratégia — focada em valores inegociáveis. Um dos grandes diferenciais de sua gestão é o investimento em uma área pouco explorada no Brasil na década de 90: os computadores.

Diferenciais

Luiza foi uma das pioneiras no comércio eletrônico. Quando nem existia internet, ela conseguiu unir esse método ao tradicional para impulsionar suas vendas.

As ofertas e promoções também são fatores que possibilitaram o crescimento do negócio. Propostas de diminuição nos preços por um dia somente, bem como grandes descontos em períodos específicos do ano, são algumas das criações de Luiza que passaram a ser seguidas por outras varejistas.

A empresária valoriza as ideias de empoderamento feminino e de que as mulheres devem ter o mesmo espaço dos homens nas companhias.

Tomando seu próprio exemplo de quem chegou lá e é capaz, ela incentiva as funcionárias a se destacarem em suas carreiras.

Além disso, trata-se de uma gestora que se preocupa bastante com os clientes e gosta de manter um contato direto com eles, seja via e-mail ou nas lojas (quando as visita).

Luiza conversa com o público e obtém feedbacks de forma simples e espontânea.

Também há uma grande valorização dos funcionários — que, segundo ela, devem ser encarados como empreendedores e permanecer ativos na construção do sucesso da empresa.

Dando voz a eles, foi possível melhorar o ambiente corporativo: por muitos anos, a companhia foi considerada um dos melhores lugares para se trabalhar no país.

O que aprender com a trajetória dela?

Uma das principais lições da trajetória de Luiza e sua empresa é o foco no cliente. Em tempos nos quais a transformação digital é um requisito importante para o mercado, orientar as ações ao consumidor é imprescindível para atingir o sucesso.

Ouvir o público, captar o que ele tem a dizer como positivo (mesmo se forem críticas) e fazê-lo se sentir parte da cultura da companhia são estratégias fundamentais.

Para Luiza, as pessoas são mais importantes do que os produtos/serviços e devem ser devidamente valorizadas.

Dos membros da equipe de funcionários à base de consumidores, é importante que o empreendedor entenda que precisa de todos para conseguir chegar a algum lugar de destaque.

Vencendo a crise

Recentemente, a Magazine passou por uma tremenda crise, combinada àquela que todo o Brasil enfrentou depois de 2008, cujos resultados foram desemprego e diminuição do poder de compra das pessoas.

Quer saber qual foi a solução encontrada para esse momento difícil?

Luiza resolveu não abrir mão da mistura entre solução virtual e física que tinha começado nos anos 90, continuando a investir em uma metodologia omnichannel.

Ou seja: ela integra os canais de comunicação da empresa de modo a facilitar a vida do cliente.

Com a decisão de manter as lojas físicas e a virtual, a organização conseguiu a proeza de desenvolver essas duas dimensões concomitantemente.

Isso porque foi possível integrar perfeitamente o digital ao não digital e criar uma experiência única para o consumidor nos dois meios.

Investindo na transformação digital

A empreendedora decidiu mergulhar de vez na transformação digital. Para tanto, foi criado um aplicativo capaz de agilizar o processo de compra: o Magalu, que utiliza a ciência de dados para personalizar a experiência de cada usuário.

Basicamente, o app funciona a partir das informações de acesso e compra, filtrando produtos que estão de acordo com o perfil de quem os utiliza. Isso faz com que a pessoa veja apenas o que é de seu interesse.

Aproveitaram também para criar uma plataforma de marketplace. Ela funciona como um intermediário entre vendedores e compradores, exibindo os produtos nas vitrines virtuais (como um grande shopping faz).

Ou seja: Luiza decidiu contornar a crise investindo na linguagem da modernidade e no virtual, meio onde a maioria dos clientes está.

Conhecendo bem os erros, a empreendedora conseguiu repará-los diretamente e beneficiar o negócio.

Com a criação do Luiza Labs, um laboratório para o desenvolvimento de soluções tecnológicas, a companhia passou a ter um ambiente de experiências que deu início a diversos projetos fundamentais à organização. O próprio aplicativo já citado é fruto desses estudos.

Qual é o impacto de suas estratégias nas ações da Magazine Luiza?

Conhecer a Luiza Trajano e o segredo do sucesso da Maganize Luiza fará você entender o seu crescimento explosivo na bolsa de valores.

O foco no digital afetou diretamente as ações da empresa na Bolsa de Valores. Sua rentabilidade cresceu assustadoramente nos últimos cinco anos: 27000%.

Uma ação que valia 96 centavos em 2014 foi para 140 reais quatro anos depois. Isso se deu sobretudo porque a companhia resolveu cortar alguns excessos, como viagens de avião ou até gastos com energia elétrica, e se adaptar à nova realidade do mercado.

Esse tipo de crescimento é comum em empresas que reconhecem seus erros e mudam para a direção mais rentável.

Ao incluir novos nomes na diretoria, Luiza conseguiu mentalidades joviais e modernas que a auxiliam no processo de transformação digital.

Isso cooperou para que a organização continuasse relevante depois de tantos anos, sólida e consistente mesmo em meio às turbulências da economia.

Trajano definiu desde cedo sua missão e seus valores, foi fiel a eles e, por isso, obteve resultados concretos.

Ser leal aos clientes, inseri-los na estratégia e no centro das ações, engajar os colaboradores, acreditar no potencial das pessoas (independentemente de quem forem), ter paixão pelo que faz e se organizar para realizar os objetivos: Luiza ensinou tudo isso a quem pretende empreender.

Gostou deste artigo e achou fascinante a história da vida de Luiza Trajano?

Existem outras empresas com perfis similares e que estão a todo vapor, em ritmo de crescimento. São as Small Caps.

Nós encontramos 6 Small Caps escondidas com alto potencial de valorização.

 

Dentista descobre como antecipar aposentadoria em 10 anos

aposentadoria história de sucesso guiainvest

“O GuiaInvest fez toda diferença na minha vida. Antes eu era um investidor de renda fixa e ponto, só isso.”

“Hoje eu não sinto aquele pânico que a manada cria quando vê a Bolsa cair. Eu sei o que tô fazendo graças ao que o André ensina.”

Resultados:historias de sucesso guiainvest

  • Previsão de Liberdade Financeira em 10 anos
  • 20% de rendimento da carteira em 1 ano e meio
  • Conseguir antecipar a data da aposentadoria

O Problema

Dentista natural de Recife, Demétrio sempre se interessou por investimentos. A curiosidade pelo tema acabou o levando a assinar relatórios prontos. Começou a investir em ações porém teve que retirar o dinheiro em determinado momento para abrir um negócio próprio.

Mesmo quando recebia orientações de investimentos prontas, sentia a necessidade de buscar educação sobre o mercado. E em 2017, um amigo que já lidava com o mercado de ações há mais de 10 anos comentou sobre o GuiaInvest. Após assistir alguns vídeos resolveu dar um voto de confiança e adquirir ao Treinamento Como Acumular Riqueza.

Antes disso sempre se considerou um investidor de renda fixa. Muito mais por medo do que por escolha. “Hoje eu tenho consciência dos riscos e isso não me assusta. Com o que eu sei agora eu não tenho medo”, salienta.

A Solução:

Após começar o curso Como Acumular Riqueza, encontrou as informações que precisava para entender o mercado e começar a investir por conta própria. Agora, mesmo em tempos de Bolsa em baixa, se sente seguro de estar fazendo a coisa certa.

“Mesmo em um cenário em que o rendimento das ações não está dos melhores, possuo alguns investimentos que já renderam mais de 25%”, afirma. O dentista também comenta que já no início quando comprou as primeiras ações, em pouco tempo os rendimentos já haviam pago o valor investido no treinamento. “Logo no início o curso já se pagou, isso que eu nem estava com os melhores investimentos”, comenta.

Hoje, Demétrio investe com a segurança de que se continuar seguindo este caminho, em 10 anos, poderá viver da renda dos seus investimentos. “Mesmo que eu seja um investidor iniciante, com pouco conhecimento, já me sinto tranquilo porque estou tomando as melhores decisões para o longo prazo”, destaca.

Comenta que antes de começar a investir no mercado de renda variável achava que iria se aposentar depois dos 60 anos. Hoje, com 43 anos e os resultados que já teve até aqui, considera que poderá usufruir da Liberdade Financeira na casa dos 50. “A minha ideia é criar uma carteira constante para gerar renda passiva para a aposentadoria. É só eu manter o foco e não seguir a manada que a estratégia vai dar certo”, finaliza.

Você também só investe na renda fica por medo da Bolsa?

O Demétrio sentia medo de perder dinheiro com ações porque não se sentia com conhecimento necessário para avaliar o que estava fazendo.

Porém, foi atrás de conhecimento e hoje mesmo com crise ou com a queda da Bolsa ele consegue até mensurar em quantos anos irá conquistar a Liberdade Financeira.

O Treinamento Como Acumular Riqueza está ao seu alcance também. Qualquer um pode conquistar a Liberdade Financeira investindo na Bolsa. Saiba mais aqui!

Em 7 meses de investimentos ele já está recebendo dividendos

“É muito bom hoje ter o conhecimento para julgar uma oferta de investimentos do banco como conflito de interesse e saber que é muito melhor eu investir por conta própria.”

“Com o que estou fazendo hoje tenho certeza de que conseguirei viver da renda dos meus dividendos.”

Resultados:

  • Estar construindo uma carteira para viver de dividendos em 15 anos
  • Já estar recebendo dividendos em 7 meses de investimentos
  • Segurança para investir em ações sem precisar acompanhar o mercado diariamente

O Problema:

Daniel, natural do Rio de Janeiro, tem 26 anos e é formado em Engenharia de Produção. Em 2015 após acumular uma determinada quantia começou a estudar sobre investimentos que possibilitassem um retorno melhor. “Eu sabia que estava perdendo dinheiro ao deixar aquele dinheiro na poupança. Eu estava perdendo o valor real por causa da inflação”, comenta.

Até então acreditava que o mercado de ações se resumia à prática de day trade, onde é preciso acompanhar diariamente o sobe e desce das ações. E na busca por informação de qualidade sobre investimentos em 2017 descobriu as redes sociais do GuiaInvest. Após assistir alguns vídeos do André resolveu experimentar o Treinamento Como Acumular Riqueza. “Além de ter achado o discurso do André muito coerente ainda tinha a garantia de 30 dias. Ou seja, eu não tinha nada a perder”, explicou.

A Solução:

Hoje Daniel sabe que é possível investir em ações com foco no longo prazo. Agora ele encontrou o método perfeito para o seu perfil de investidor. E em apenas 7 meses investindo já está bem contente com seus resultados. “Hoje eu tenho segurança de investir sem precisar acompanhar cotação por cotação”, destaca.

Sei que se eu for pragmático em relação aos meus investimentos, viver da renda proveniente dos meus dividendos será questão de tempo”, afirmou o engenheiro com a serenidade de saber que está construindo um futuro financeiro sólido e próspero.

Além disso, hoje ele também consegue enxergar com clareza o conflito de interesse dos bancos. “É muito bom poder hoje ver uma oferta de investimento do banco e pensar: nossa isso é ridículo! É total conflito de interesse, é uma proposta muito ruim”.

Ainda acredita que precisa ajustar alguns detalhes da sua carteira, porém tem certeza que em no máximo 5 anos já estará colhendo resultados consistentes das suas aplicações. “Sei que ainda preciso alinhar coisas com a filosofia do André, como por exemplo, não investir em empresas públicas. Mas, mesmo assim, hoje tenho segurança de estar no caminho certo”, reforça.

Você também gostaria de viver de renda passiva?

Não existe segredo para conquistar a Liberdade Financeira, existe técnica.

Dentro da filosofia do GuiaInvest é possível viver de renda sem precisar investir muito dinheiro ou perder horas do seu dia acompanhando o sobe e desce do mercado. 

Todos os detalhes sobre este método você aprende no Treinamento Como Acumular Riqueza. Lembrando que você tem 30 dias de garantia. Como diz o Daniel, você não tem nada a perder.

40% de rendimento em 1 ano. Conheça essa história!

“Quando você consegue encontrar alguém que te proporcione a educação necessária para ter um planejamento financeiro adequado, evoluir por conta própria se torna inevitável. E ninguém faz isso no Brasil.”

“O André não te entrega o peixe, ele te ensina a pescar. E era isso que eu estava procurando.”

Assim começou a minha conversa com o Vladimir. Um investidor que nunca aceitou ser coadjuvante na administração do seu próprio dinheiro. Hoje ele já está colhendo os frutos do conhecimento que adquiriu com o GuiaInvest.

Resultados:

  • 40% de rendimento sobre o capital investido em 1 ano
  • Tranquilidade em relação ao futuro
  • Conseguir enxergar oportunidades na Bolsa em momentos de crise

O Problema

Vladimir Caldeira é engenheiro de formação, mas sempre teve curiosidade pelo mercado financeiro. “Eu sempre quis ter uma renda independente do meu trabalho”, comenta. No início realizou alguns tipos de investimentos que não o deixaram satisfeito com o resultado.

Assinou relatórios de casas de análise, mas nunca se conformou com a ideia de receber orientações sem entender por que aquelas ações tinham sido selecionadas. “Por que eu tenho que comprar o que estão me indicando? Eu queria entender”, ressalta.

O investidor comenta que se sentia angustiado ao pensar sobre como estaria sua vida em 10 ou 15 anos. O sentimento de insegurança e o desejo de ter uma renda independente do trabalho fizeram com que ele não se conformasse com as opções tradicionais de investimentos que conhecia.

A Solução

Na busca por informação de qualidade que o ensinasse a investir por conta própria, Vladimir encontrou o canal do GuiaInvest no Youtube. Após assistir três vídeos do André, decidiu se tornar aluno e assinante do GuiaInvest PRO.

A transformação foi inerente. Em 1 ano, Vladimir conseguiu uma rentabilidade de 40% sobre o capital investido. Sem falar na tranquilidade em relação ao futuro financeiro.

“Greve de caminhoneiros, queda da Bolsa, nada disso me assusta porque com o aprendizado que eu tenho hoje eu sei que estou lidando com a Bolsa da forma correta.”

Para o engenheiro, o curso trouxe a tranquilidade para investir sem se deixar abalar pelos acontecimentos do mercado. Hoje ele tem confiança nas escolhas que faz dentro da Bolsa e isso possibilita que ele siga em frente sem ter medo da crise que o país enfrenta.

Apesar de não ter ainda uma data definida para a Liberdade Financeira, comenta que se os resultados dos próximos anos forem iguais ao último, ele já está mais do que satisfeito. Isso que nesta trajetória nem sempre foram só acertos.

Vladimir relata que após descobrir o método GuiaInvest passou a se sentir tão seguro que resolveu até arriscar algumas estratégias diferentes. Entretanto, ao sair do método ele acabou não tendo o resultado que esperava. Só que isso não foi um problema.

Após uma conversa com o André Fogaça, ele se deu conta de que era preciso voltar às origens do método e tudo foi resolvido. “Isso serviu ainda mais para eu ver o quanto estes ensinamentos são importantes”, destaca.

Diante do atual cenário econômico do Brasil, Caldeira comenta que graças ao conhecimento que possui hoje, após os treinamentos do GuiaInvest, consegue enxergar com clareza as oportunidades do momento. “Todo o conhecimento que eu acumulei até aqui está sendo fundamental para a minha paz de espírito diante dos noticiários”, salienta.

Hoje Vladimir não consegue imaginar como faria para investir sem o GuiaInvest PRO, que torna o processo de análise de ações simples e rápido. Inclusive, enquanto conversávamos por telefone para esta entrevista, ele estava de olho na tela do GuiaInvest PRO que ele não perde de vista.

Esta realidade pode ser a sua

A diferença da sua história para a do Vladimir é simples: o conhecimento. O que transformou a vida e o futuro financeiro deste investidor foram foi o conhecimento adquirido.

Você também pode adquirir este conhecimento com o Treinamento Como Acumular Riqueza. Nele o André ensina como se tornar um investidor independente de sucesso, mesmo que você não saiba nada sobre o assunto.

A próxima história de sucesso pode ser a sua. Que tal aprender a pescar também?

Conheça o Treinamento Como Acumular Riqueza